História .drunk - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Stray Kids
Personagens Lee Felix, Seo Chang-bin
Tags Ba3, Changbin, Changlix, Felix, Stray Kids Couples, Yaoi
Visualizações 399
Palavras 1.560
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Festa, Slash, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


enaltecendo mais uma vez Changlix.

Capítulo 1 - But not in love.


       

       A noite finalizava para os adultos, e começava para os universitários.

     Changbin estava andando juntos aos amigos para a tão falada festa da fraternidade — E sua primeira — mais famosa de todo o campus. Os donos da mesma haviam avisado da ‘pequena reunião’ de manhã, enquanto ainda estavam em meio às aulas tediosas.

     Uma música alta foi escutada pelos garotos que sorriram diante o acontecimento. Chan, o mais velho entre eles, apressou o passo para chegar logo ao local onde, com certeza, muita merda aconteceria. Afinal, era uma festa. O que adolescentes não fazem quando estão sobre o efeito do álcool?

     Caminhando um pouco atrás de seus amigos Changbin se encontrava, usava uma roupa qualquer, não havia ido para impressionar ninguém. Passando as mãos pelo cabelo preto natural, Changbin sorriu ao ver a fraternidade aglomerada de pessoas. Ainda que não fosse seu lugar favorito, era ótimo para fazer besteiras e colocar, no final, a culpa na bebida.

     Seus amigos entraram primeiro, cumprimentando alguns colegas com um ‘high Five’, enquanto Changbin preferia apenas acenar para poupar seu tempo daquela bobagem. Percorrendo o olhar pelo local, Changbin sorriu para algumas pessoas que acabaram encontrando seu olhar, parando apenas em um garoto, que dançava junto a outro, de cabelos castanhos escuros e porte físico chamativo.

 

     Felix, que estava ocupado demais rindo junto a Hyunjin enquanto dançavam, não reparou o olhar de Changbin sobre si, para ele seria apenas mais um, entre muitos que lhe lançavam naquela noite.

     Seus amigos estavam espalhados por toda casa, aliás, sua casa. Era um garoto popular graças à fraternidade que pertencia. Sempre estava rodeado de várias garotas e garotos, nomes os quais não se preocupava em lembrar o nome.

— Eu vou pegar algo para beber. — Falou ofegante depois de finalizar um passo de dança improvisado, chamando a atenção de Hyunjin.

— Vai lá. — Deu de ombros iniciando uma conversa com Seungmin, um calouro, que tinha conhecido há algumas horas.

     Sumindo da vista de seus colegas, Felix passou entre os corpos que estavam amontoados indo para a cozinha, onde se encontrava mais universitários bêbados ou começando a ficar, um deles o qual focou seu olhar, Changbin, estava sentado no balcão bebericando algum líquido em um copo vermelho, enquanto balançava os pés no ar.

     Felix caminhou até a geladeira a abrindo fazendo a claridade da mesma, incomodar os olhos de Changbin — Já que a casa estava escura, iluminada com algumas luzinhas coloridas — fazendo o garoto estreita-los. Pegando uma garrafa com um líquido azul, Felix fechou a geladeira sem perceber o que tinha causado a Changbin.

 

     Terminando o conteúdo no copo em um gole Changbin deixou o objeto na bancada, fazendo uma careta em seguida, a qual não passou despercebida por Felix.

— Vai com calma, cara. — Felix disse com um sorriso maroto no rosto.

Changbin levou o olhar para o dono da voz grossa e arqueou a sobrancelha em sua direção.

— Não precisa me olhar assim. — Usando a bancada a seu favor, Felix abriu a garrafa, agora encarando Changbin nos olhos. — Você é mudo? — Perguntou indelicado, ainda que Changbin não fosse.

— Claro que não. — Respondeu franzindo o cenho pela pergunta aleatória, vendo Felix dar de ombros e dar um gole em sua bebida.

— Você estava quieto... — Falou apoiando o braço na bancada de mármore, demonstrando — Indiretamente — que ficaria por lá. — É novo? Nunca te vi por aqui.

— Não costumo ir a festas dadas por esta fraternidade. — Respondeu depois de negar com a cabeça, respondendo a pergunta.

— Algo contra nós?  — Arqueou a sobrancelha para Changbin curioso.

— Tirando o fato de ser cheio de babacas, nada contra. — Viu quando Felix soltou uma risada nasalada, dando mais um gole em sua bebida colorida.

— Não posso contrariar, aqui tem algumas pessoas chatinhas. — Torceu o nariz deixando um sorriso nos lábios, o qual Changbin anotou ser realmente bonitos.

— Pensei que uma fraternidade era unida. — Changbin comentou estalando a língua no céu da boca, se aproximando sutilmente de Felix. — O que está bebendo?

— Eu não tenho ideia. — Riu lendo o nome desconhecido, dando de ombros. — Mas é bom. — Estendeu a garrafa aproximando de Changbin. — Quer experimentar?

— Pode ser bom para você e se for ruim para mim? — Indagou vendo a garrafa sair de sua vista, e Felix aparecer em seguida, a diferença de altura sendo exposta.

— Tem uma forma de ficar melhor. — Sorriu sugestivo encostando o bico da garrafa em seus lábios fartos.

 

     Descendo da bancada, consequentemente aproximando os corpos Changbin o encarou, vendo seu rosto tão perto, baixou o olhar para a garrafa, ou mias precisamente onde ela estava encostada.

     Felix o encarou, na mesma intensidade, focando em seus olhos, se perdendo no brilho do mesmo, inutilmente. Changbin empurrou pouco o corpo de Felix deixando a cozinha sem antes o olhar, como um convite para segui-lo.

     Felix saiu da cozinha levando consigo a bebida. Ao adentrar a sala novamente se viu perdido no mar de pessoas que a preenchia. Conseguiu encontrar seus amigos em um canto do cômodo, mas sem sinal de Changbin. Pensando que tinha acabado de levar um pé na bunda, o Australiano começou a andar pela casa passando por um corredor que daria nos quartos.

     Seu corpo foi puxado pela mão de Changbin, o assustando. Assim que conseguiu fazer seu coração desacelerar pela surpresa — Até que boa — observou Changbin rir baixinho de sua expressão.

— Pensei que tinha levado um toco. — Felix soltou vendo sua blusa, antes branca um tanto azulada, pela bebida ter caído na mesma.

— E quem disse que não levou? — Changbin empinou o nariz estufando o peito, Felix achou uma graça.

— Por que me trouxe... — Olhou em volta, vendo que estava em um quarto, antes de terminar a frase. — Para meu quarto. — Terminou surpreso, acabando por não parecer uma pergunta junto a Changbin que não sabia que tinha escolhido o quarto certo.

— Queria um lugar calmo. — Respondeu depois de se parabenizar internamente por ter escolhido o quarto certo.

— Esse é o lugar que menos ficará calmo está noite. — Felix falou sorrindo de lado para Changbin que o encarou, devolvendo o sorriso.

     Felix deixou de manter o sorriso, permanecendo apenas com um olhar sereno na face. Aproximando seus corpos, Felix afobado colocou a mão ao lado da cabeça de Changbin, sempre quis fazer aquilo, e sendo com Changbin parecia mais divertido, já que o garoto se encolhia depois do ato.

— Vai me ensinar a melhor maneira de beber ou vai só ficar me olhando? — Provocou vendo um sorriso malicioso surgir no rosto do Australiano e logo virar um gole — Consideravelmente grande — garganta abaixo fazendo uma careta logo em seguida.

    

     Changbin riu da careta do garoto e continuou com um sorriso ponderado no rosto. Seus amigos pirariam ao saber que ele foi o primeiro a ficar com alguém na festa, e logo com um dos mais populares da fraternidade. Mesmo que não ligasse para esses rótulos que eram impostos pelos demais estudantes.

     Changbin viu Felix mexer a cabeça um tanto desnorteado, puxou a camisa que o mesmo usava o trazendo para perto fazendo seus corpos se chocarem e uma risada baixa, por parte de Felix, ser escutada. Com os rostos próximos um do outro Felix encarou as orbitas negras que Changbin possuía como olhos e logo se deixou levar por um impulso.

     Seus lábios se juntaram fazendo Changbin se encolher ao sentir o gosto da bebida. Era doce no começo, mas logo se tornava algo mais amargo, ainda assim era bom. Felix não perdeu tempo ao colocar a mão na cintura de Changbin o impulsionando para frente, fazendo seus membros roçarem um no outro.

     Prendendo um arfar em sua garganta, Felix explorou a boca tão macia de Changbin. Seus corações palpitavam cada vez mais rápidos. O gosto da bebida misturada a saliva de ambos era algo incrivelmente delicioso. Changbin colocou as mãos na nuca de Felix apenas para se divertir com os fios sedosos do mesmo.

     Prendendo Changbin a parede novamente Felix finalizou o beijo puxando entre os dentes o lábio inferior do garoto que suspirou com o ato imprevisível. Com a respiração descompensada e o coração acelerado, Felix abriu os olhos encarando Changbin, ainda de olhos fechados, com os dedos presos em seus fios e a respiração pior que a sua.

— Foi tão bom assim? Ou você está sendo gentil comigo. — Felix perguntou arrastado sorrindo passando a mão sobre o rosto do mesmo fazendo o mesmo se encolher ao toque gélido.

— Pode... Ficar melhor. — Changbin falou embolado, fazendo Felix sorrir amplamente já imaginando o que o garoto queria.

— Como? — Felix perguntou vendo Changbin erguer a cabeça, antes baixa, o encarando.

     Changbin puxou Felix para perto, o virando para ficar escorado na parede. Pegando a garrafa — Que antes havia sido deixada na escrivaninha que se encontrava no quarto — bebendo rapidamente o líquido. Sentiu a ardência atacar sua garganta sem dó, o doce ainda estava em sua língua.

     Se sentindo um tanto tonto, Changbin abriu um pouco as pernas de Felix que sorria ansioso para os atos do garoto. Erguendo o joelho e posicionando entre as mesmas, viu Felix morder o lábio e engolir em seco em seguida, quando passou a mexer o mesmo roçando no membro coberto pela calça preta justa.

     Changbin sorriu ao ver as reações do garoto para si, continuando com os movimentos, Changbin se aproximou da orelha de Felix, consegui ouvir a respiração do mesmo rente a sua orelha, sorrindo abobado Changbin mordeu o local e sussurrou logo em seguida.

Na cama.


Notas Finais


sorry por some erro.
Don't get drunk kids.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...