História Drunk In Love - Supercorp AU - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Supergirl
Personagens Alex Danvers, Eliza Danvers, James "Jimmy" Olsen, Jeremiah Danvers, Kara Zor-El (Supergirl), Lena Luthor, Lucy Lane, Samantha Arias (Reign), Winslow "Winn" Schott Jr.
Tags Alex Danvers, Fanfic, Kara Danvers, Katie Mcgrath, Lena Luthor, Lgbt, Lgbtq, Melissa Benoist, Sam Arias, Supercorp, Supergirl
Visualizações 305
Palavras 2.123
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Esporte, Famí­lia, Festa, Ficção, LGBT, Literatura Feminina, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 1 - Capítulo um


Fanfic / Fanfiction Drunk In Love - Supercorp AU - Capítulo 1 - Capítulo um

Dois anos antes.

Kara enquanto bebia uma bebida azul que ela não sabia o nome. Olhava para as amigas da irmã com cara de tédio e olhar irritado.
Se recusava a acreditar que passou horas dentro de um avião para a despedida de solteira de sua irmã, para ela e as amigas ficarem trocando confidencias e lingeries ao invés de estarem se divertindo.

- Vamos Kara, se aproxime. - Kara olhou para a irmã e sentiu vontade de esgana-la.
Mas ao invés disso se levantou e se aproximou com um sorriso doce e um olhar mortal.

- Isso aqui está ótimo, muito bom mesmo! É realmente maravilhoso, passar horas no avião e ficar aqui olhando para você e suas amigas chatas falando sobre coisas que ninguém se importa. - Alex analisou a irmã por um tempo e logo depois soltou uma gargalhada e a abraçou. Conhecia muito bem a irmã caçula, sabia exatamente que aquele não era seu tipo de programa favorito. Ainda mais estando em uma cidade como Las Vegas. A olhou solidaria.

- Eu fiquei me perguntando quanto tempo você demoraria para reclamar.

- Sério? Sério mesmo, que isso que é sua despedida de solteira? Nossa Alex, eu estava esperando ficar bêbada hoje. - Olhou para as amigas da irmã e para o copo em sua mão, bom nem lembrava quanto já tinha bebido, mas já era uma boa contidade de álcool. Quase riu - Bem provavelmente vou me embriagar, mas não pelos motivos certos.

- Você já está um pouco alta não acha? Agora pare de reclamar e me diga como foi o voo, você e Lena vieram juntas certo?
Kara bebeu um gole do vinho enquanto puxava na memoria quem era Lena.

- Morena, olhos verdes e bem bonita! Lembra?

- Ah, a amiga de Sam. - Disse lembrando-se da mulher ao seu lado no voo. Muito bonita lembrou ela, mas nem se quer trocaram mais do que algumas palavras. Ambas pareciam cansadas demais para fazer amizade. Chegaram até a dividir um táxi já que iam para o mesmo lugar e lá sim flertaram um pouco, sorriu ao lembrar em como a achou atraente. Mas depois que chegaram ao hotel cada uma foi para um lado. Kara realmente a achou bem interessante, bastante atraente para dizer a verdade. Mas não contaria isso à irmã, ela tinha uma tendência desagradável de querer casa-la com todo mundo, que ela demonstrava interesse. Então apenas disse:

- Sim, viemos. O voo foi ótimo, obrigada! Dormir todo o tempo. - Ela se levantou já cansada de ficar parada. - Sabe Alex eu amo você, e justamente por isso que eu vou sair daqui.

- E para onde você vai? - Perguntou a irmã curiosa e nada surpresa com a atitude de Kara.

- Vou atrás da sua futura esposa aposto que a despedida dela deve está mais animada que a sua. - E se encaminhou para a porta. - E provavelmente terei a chance de trocar umas palavras com a amiga linda dela.

- Você vai precisar do endereço da onde ela está não vai? - Kara se voltou para a irmã com a testa franzida.

- E você provavelmente deve ter não é? - A irmã sorriu e anotou o endereço para ela e a entregou. - Sabe vocês duas são um casal esquisito. Quem diz onde vai passar sua despedida de solteira?

- A minha mulher diz, por isso eu a amo. Agora vá, e cuide-se. - Kara assentiu e saiu.

Passou em seu quarto do hotel antes. Trocou a calça jeans por um vestido preto e curto, ajeitou os cabelos longos e loiros, reforçou a maquiagem e saiu. Essa noite iria se divertir.

 

Chegou à boate que a irmã havia lhe dado o endereço e logo encontrou a cunhada e foi em sua direção.

- Então é a aqui onde tem diversão. - disse Kara, ela se virou para ela rindo.

- Eu apostei com a sua irmã que você não viria, parece que estou devendo uma grana a ela. - Kara riu e pediu uma tequila.

- Fico feliz que eu seja motivo de aposta entre vocês duas. O que tem de bom aqui? - disse enquanto olhava ao redor.

- Muita bebida, e bom tenho umas boas amigas que estão babando por você disse apontando para a mesa. - Kara inclinou a cabeça para o lado e olhou na direção que ela apontava.

- Então vamos lá, estou doida para conhecer cada uma delas.  -

 Sam riu e seguiu a cunhada.

- Trouxe mais uma bela dama para nos fazer campainha. Espero que a tratem bem e principalmente não a toquem se não mato vocês. Ela é a irmã caçula da minha futura esposa. - Kara ignorou o comentário da cunhada e foi até as mulheres. Conhecia algumas das amigas da cunhada e as outras ela conheceu quando chegou ao hotel.

Sorridente cumprimentou todas.
Ao chegar à mulher do voo.
Lena.
Pode notar o olhar dela sobre seu corpo sorriu para ela enquanto apertava sua mão.

- A mulher do voo - A cumprimentou com um sorriso que a outra retribuiu.

- A mulher do voo – A outra também disse. Lena olhou para as mãos delas - Parece que não posso toca-la - Kara ainda sorrindo inclinou a cabeça para o lado e disse:
- Espero que não leve a sério nada que minha querida cunhada diz, eu sou bem grandinha para saber quem pode ou não me tocar. - Pegou a bebida que estava na mão de Lena e tomou de uma vez.
A bebida desceu refrescando sua garganta.
- hmmm uma delicia. - Lena deu espaço para ela sentar ao seu lado e quando ela o fez e estava bem confortável Lena lhe segurou o queixo.

- Eu ainda não tinha bebido. - A segurou pela nuca e perguntou com o rosto bem próximo ao dela. - Que gosto tinha? - Kara sorrindo e sem tirar os olhos dos de Lena, deslizou a língua sobre os lábios. Já que aquela era uma noite livre decidiu que iria se divertir como nunca.

- Por que você mesma não prova? - A provocou, e Lena a puxou num beijou quente e sensual, penetrando-lhe a língua provando cada cantinho dela num embate doce e sensual. As duas ignoraram totalmente os gritos envolta e os xingamentos de Sam atrás delas.

- Então, qual o gosto? - Kara perguntou quando se afastaram.

- O seu? ótimo! Já o da bebida acho que vou ter que prova outra vez. – Kara jogou a cabeça para trás rindo.

- Se eu soubesse que você beijava tão bem eu teria ocupado melhor o nosso tempo dentro do avião.

- Não seja por isso, podemos concertar esse erro na volta. - Kara voltou a rir se sentindo alegre demais, provavelmente a mistura de bebidas estava tendo seu efeito sobre ela, não que estivesse preocupada com isso queria se divertir.

 

  Kara estava nesse momento terminando uma rodada de tequila. E já tinha perdido as contas de quanto já tinha bebido.

- Você bebe como um homem - um dos garçons gritou. - Kara apenas riu naquele estado nem sabia o que aquelas palavras significavam.

- Espero que isso seja um elogio. - disse enquanto partia para outra rodada com as mulheres da mesa.

Sua cabeça já estava rodando quando ela se viu sendo puxada para o meio da pista de dança não sabia exatamente por quem já que estava de costas.

A música alta a impediu de se virar aquela altura já não se preocupava com nada. Só queria dançar e foi o que fez. As mãos da mulher estavam por toda parte do seu corpo e a sensação era maravilhosa. Fechou os olhos e se deixou levar enquanto o corpo de ambas se moldava na pista de dança no ritmo da música.

A boca da mulher cobriu a curva de seu ombro e Kara quase gemeu de prazer.
Se virou para saber quem era, que além de ter mãos magicas, tinha lábios maravilhosos e dançava tão bem.

Não pode deixar de sorrir com satisfação quando viu quem era.

- Eu devia ter imaginado que seria você. - Lena a puxou mais para perto.

- Não costumo deixar ninguém chegar perto do que eu quero. - Kara riu divertida.

- Então por que não saímos daqui e você me mostra o que exatamente você quer? - Lena segurou o cabelo dela e puxou a cabeça de Kara para trás expondo a pele branca do pescoço e deslizou a língua pela pele delicada depois deu uma mordida de leve.

- Será um prazer. - sua voz rouca carregava um que cheios de promessas que Kara estava doida para vê-la cumprir.

 

Kara acordou, mas não queria abrir os olhos sabia que se abrisse a dor de cabeça que estava sentindo aumentaria ainda mais.

Se virou para o lado para pegar o celular, mas o que sentiu não era nada parecido com um celular. Continuou tocando, definitivamente não era nada parecido com seu celular. Abriu os olhos contra vontade e deu um pulo da cama com o que viu.

- Meu deus, meu deus! – A mulher do voo, Lena, amiga de sua cunhada estava dormindo completamente nua na sua cama. Ela olhou envolta e droga não era seu quarto de hotel, o que queria dizer que ela tinha dormido na cama de Lena, com ela.
Ela se olhou provavelmente também devia está nua, era adulta sabia muito bem que deviam ter transado. Se olhou e estava de calcinha e sutiã franziu a testa o que foi uma péssima ideia porque só fez sua dor de cabeça aumentar. Praguejou e se levantou tentando não fazer barulho sairia dali sem que Lena a visse. E talvez ela nem lembrasse que estivera ali, já que pelo menos ela nem lembrava de como chegou até a cama de Lena.
Malditas tequilas pensou ela, maldito álcool. Sim, ela culparia tudo menos ela mesma por ter dormido com uma desconhecida e mais ainda uma desconhecida, conhecida de sua irmã e amiga de sua cunhada. Mordendo o lábio com força ela procurou pelo vestido pelo quarto. Olhou envolta e nada.

- Droga! - xingou baixinho para não acorda-la e voltou a xingar quando viu a onde o vestido estava. Jogado no chão ao lado de onde Lena dormia.
Traidor pensou ela com raiva do vestido, tanto lugar para você estar.

Ela foi até lá tentando fazer o mínimo de barulho possível. Pegou o vestido e viu que ele estava rasgado abriu a boca em surpresa aquilo tinha custado caro.

- Você deveria pagar por isso - sussurrou apontando para onde Lena dormia. - Sim, vou mandar a conta para você. Ela olhou pro quarto, estava bem bagunçada com lenções e as roupas de Lena pelo chão. - Parece que nossa noite foi bem divertida não é garota. - Disse sem poder evitar um risinho enquanto a observava, belo corpo! Apreciava um bom sexo, mas gostava de se lembrar do que tinha feito. - Uma pena eu não lembrar de absolutamente nada. - Lamentou e se virou para ir ao banheiro.

Quando saiu lançou um olhar para Lena que ainda dormia, pegou o sapato e foi até a mesa pegar a sua bolsa quando viu um papel com seu nome. Curiosa o pegou e foi ler.

Quando terminou, deu um grito sem acreditar.

- Meu deus não pode ser, não nós não seriamos tão idiotas a esse ponto. - Estava tão nervosa com o que tinha acabado de ler que nem percebeu que Lena tinha se levantado. Só deu conta quando ela tirou o papel de sua mão e parou ao seu lado.

- O que diabos é isso? - Kara se virou para Lena de pé completamente nua ao seu lado.
Se não fosse pelo que tinha acabado de ler faria questão de reviver a noite que nem se quer lembrava. Que corpo maravilhoso!

- É isso que eu quero saber, não podemos ter feito isso é loucura. - Lena passou a mão pelo cabelo negro e longo.
Deixou o papel na mesa e não tão abalada quanto Kara ficara, foi até o banheiro.

- Peça ao serviço de quarto café para nós enquanto eu tomo um banho. - Kara se virou boquiaberta sem acreditar.

- É sério isso? Você está mandando eu pedir café da manhã quando acabamos de descobrir que estamos casadas? Ou você é louca ou isso é uma pegadinha.

- Não sou louca, apenas funciono melhor com café. - Lena parou de novo na porta. - Peça também aspirina. - E entrou.

Kara encarava incrédula a porta do banheiro.

- Deus do céu! - Mas fez o que ela pediu, queria a aspirina também. 


Notas Finais


Como vocês leram é uma fanfic AU, teve essa ideia há um tempo e quero por em pratica, mas vou postar ela com menos frequência que o outro lado de mim que é a minha principal aqui e não vou deixar ela de lado, mas quero deixar essa aqui. ME DIGAM O QUE ACHARAM.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...