1. Spirit Fanfics >
  2. Drunk in love - YoonMin >
  3. Convite

História Drunk in love - YoonMin - Capítulo 5


Escrita por:


Notas do Autor


.




Boa leitura


Capítulo 5 - Convite


Depois de uma semana Yoongi saiu do hospital. Pena que nessa mesma semana eu não consegui ver ele, só de longe e quando eu chegava no final da tarde com muito trabalho e dores. Essa semana eu iria treinar com alguns meninos e depois íamos nos apresentar em Busan, minha cidade natal.

Era bom já que depois de 1 ano eu conseguiria ver a minha mãe enfim. Passaríamos 4 dias lá e então voltaremos, daí então a minha rotina voltaria ao normal. Apesar de ter sido bem cansativo a semana, eu amava com todas as minha forças o meu trabalho, demorou mas conseguir passar na faculdade.

Foi lá também que eu conheci Kim Namjoon, ele entrou nessa rota pois queria ser um CEO e conseguiu rápido, seus pais eram podres de ricos e foi bem assim que ele conseguiu fundos. Naquela época nós virando ótimos companheiros e melhores amigos, até hoje eu me sinto agradecido por ter conhecido ele, depois que a gente se formou ele voltou a me procurar e foi assim que cheguei até aqui.

Com o trabalho eu tive que vir parar aqui em Seul, minha mãe no começo não gostou e foi contra, mas logo mudou de ideia, já que eu passei anos estudando e fiz uma faculdade de dança. Ela aceitou, até hoje sempre que eu tenho tempo e posso ligo para ela, daí ficamos horas e horas ali ponhando a conversa em dia.

De manhã quando acordei sai de casa e fui caminhar pela praça pública perto de casa, no caminho de volta passei em um mercado e comprei algumas verduras, frutas, macarrão e carne, para fazer uma comida boa de jantar. Assim que paguei por tudo fui andando tranquilamente pelas ruas.

Enquanto descia a rua avistei Min em frente a casa, em suas mãos estavam uma caixa e na outra um saco de lixo, para conseguir passar pelo portão curto de sua casa deixou o saco no chão para poder empurrar, mas foi impedido já que seu portão estava trancado.

Apressei os passos assim que ele voltou andando para dentro de sua casa. Destranquei o portão de minha casa e soltei as sacolas no caminho de cimento do quintal, voltei a trancar e desci correndo pela rua, assim que cheguei lá esperei uns segundos e logo ele saiu com chaves em mãos.

Sua expressão facial falhou e em seguida voltou ao normal, sorriu pequeno para mim que fiz o mesmo só que eu sorri mais que ele. Ele se aproximou e destrancou o portão simples, no mesmo instante que ele desceu para pegar o saco de lixo eu peguei a caixa. A caixa estava cheia de garrafas velhas e vazias, sorri... Ele estava as descartando.

- Tá limpando a casa? - perguntei afim de quebrar o silêncio.
- Estou. Vou fazer uma reforma próximo mês. - Sorriu. - Aliás, obrigado... Por aquilo. - desviou os olhos.
- Não, tudo bem. Apenas esqueça, uh?

sorri e comecei a andar até a lixeira, soltei a caixa lá dentro, voltei a olhar para trás e peguei o saco das mãos de Yoongi, que sorriu envergonhado por minha gentileza. Por um tempo ele me olhou sorridente, dessa vez, Já verdade, pela primeira vez dentre 3 anos ele mostrou bem os dentes em minha direção, para mim.

- Obrigado por isso também. - Continuo sorrindo. - Bom... você tem mais músculos que eu, então tudo bem você carregar mais coisas que eu! - Tampou a boca depois de dar uma boa olhadela em meu corpo. - Diferente de você, eu sou mais magro e não possuo muitos músculos!
- Acho melhor você assim mesmo.
- Você fica bem assim. - Disse como se não quisesse nada. - As mulheres devem amar seu corpo.

Jimin fitou bem o olhar de Min cair sobre si e então mudar completamente para um sorriso sacana. Park sabia muito bem como tirar informações básicas para o ajudar, sem mostrar interesse e muito menos parecer bem óbvio, ele era bom nisso. Afinal ele estava acostumado a fazer isso e depois flertar.

- Mulheres. - Repetiu alto passando por ele. - Aceita um almoço como agrado por ter me ajudado? - abriu o portão esperando Park o seguir para dentro.
- Preciso ir. Que tal uma janta? - Sorri sincero.
- Pode ser. Venha às 19:00 da noite aqui e então vamos jantar ao som de um saxofone. - sorriu. - Eu gravei uma apresentação de Taehyung!

Sem repostas, Yoongi entrou para dentro de casa. Juntei minhas coisas de antes e entrei de volta. Lá mesmo preparei um almoço, depois que comi tudo, lavei as vasilhas, e com o embalo comecei a limpar a casa toda. Quando tudo estava pronto já se passava das 18:20, assim eu vi no relógio o horário corri para o banheiro.

Tomei um banho demorado, depois de banhado vesti uma roupa casual, hoje eu optaria por uma calça moletom e uma blusa manga longa. Desci as escadas, olhei novamente o perímetro e voltei a corri de volta, lá passei um perfume, Eu devia estar cheiroso lá na casa do Yoongi.

Depois que fiz tudo oque precisava guardei tudo, tranquei a porta e caminhei de trás pata frente da minha casa, olhei o relógio antes de por o pé na rua e lá marcava já 18:59, talvez daqui até lá na casa do Yoongi daria uns 2 minutos, ou até mais já que Park andou bem devagar. Pra fazer indiferença.

Seus pés quase o levaram para trás, estava quase que se convencendo que aquilo não devia acontecer, mas a voz de Yoongi surgiu em seus ouvidos, foi ele também que mudou completamente seus pensamentos de novo. Park sorriu curto e então entrou pelo Jardim sorridente, não muito, pois não devia ser tão oferecido, pelo menos Park passava assim.

Sua espinha soprou algumas vezes, pois a última vez que passou ali foi quando correu para salvar Yoongi. Droga... Por que raios ele estava penando nisso agora, logo agora que foi chamado para jantar. Park voltou um pouco os sentidos quando entrou dentro da casa. Estava tudo diferente da última vez.

O ar estava com um cheiro de amadeirado, a sala estava limpa e tudo que estava no chão antes estava pendurado ou colocado na estante de madeira. Yoongi deve que gosta desse estilo, um estilo mais sensual... Era assim que ele achava.

Continuou seguindo o homem até que chegaram na outra sala. Assim que Yoongi virou, Park aproveitou e analisou bem a roupa que Min usava, ele não estava menos interessante e nem menos elegante, Só estava simples e simples era outra coisa que combinava bem com ele.

O jantar já estava sobre a mesa, isso indicava que Min apenas estava esperando a chegada de Min. Park olhou novamente o homem e sorriu quando seus olhos cruzaram, era tão bom quando isso acontecia, pelo menos gostava da sensação gostosa que o olhar de Min o provocava.

                                { ... }

Jimin foi cedo hoje, ele não passou nem mais de 1 hora, como ele mesmo disse antes de ir embora tinha que descansar por conta da apresentação em Busan, Hoseok também me disse que ia lá e me pediu para ir também, Jungkook, Jin e por incrível que pareça até Taehyung iria comparecer lá. Eu também, se estiver melhor até lá.

Depois da janta arrumei tudo e me deitei na cama, liguei um umidificaror, peguei um livro e me coloquei a ler por um tempo, li algumas páginas antes dele ir de encontro com o chão. Era chato... ficar aqui dentro infurnado, mas era melhor do que ir na rua e acabar bebendo que nem um idiota novamente.

E beber não poderia estar mais no meu vocabulário, se eu fosse pego novamente bebendo em algum bar ou se por ventura alguma polícia batesse aqui em casa e eu estivesse fazendo proveito de drogas depressivas eu estava lascado.

Eu já estava ciente disso na minha penúltima overdose, naquela época eu havia recebido um aviso e se eu fizesse de novo como da última vez eu estaria atrás das grades, mas como previsto eu saí dessa vivo e ainda por cima não fui para a cadeia. Hoseok fez com que isso não acontecesse.

Hoseok tinha nome na polícia, conhecia pessoas importantes demais e era por isso também que ele me tirava de várias encrencas, eu agradeci a ele e aos céus por fazer parte da família. As vezes eu ficava com raiva por ele ser tão certinho e eu ser tão descontrolado, mas era assim mesmo, Eu devia entender que os pais dele deram boa educação a ele e os meus? Eles estavam preocupados demais usando drogas e bebidas alcoólicas.

Mesmo sabendo que eles tiveram um final ruim, Eu ainda não parava de beber e a pouco tempo voltei a fazer uso das amtigas drogas, mas devia parar, não só por que eu concerteza vou acabar caindo na cadeia e sim por que eu preciso privar da minha saúde mental e física a partir daqui.

Semana passada, Quando eu acabei de sair do hospital vinheram dois homens, de primeira achei que levaria uma surra ali Mesmo, mas depois quando parei e pensei de novo vi que não, ninguém bateria no pobre coitado em frente de Hoseok, meu irmão postiço.

Quando eles chegaram mais perto me deram outro aviso, mas dessa vez me deram a opção; ou eu entrava numa clínica de reabilitação ou então era preso por posse de drogas ilegais. Bom.. Eu tinha que me decidir até o final desse ano, a minha decisão iria melhorar ou arruinar a vida de muita pessoa aí.

Eu amava Hoseok, na verdade eu o amo, ele é aquele tipo de pessoa não te trata diferente por conta de seus problemas, Aliás ele me comhecia, sabia tudo oque eu tive que passar, sabia como eu me sentia em relação a tudo, sabia meus pensamentos e até meus gostos, eu o adimiro pois só ele mesmo tentou me entender completamente e não invadiu meu espaço.

No começo eu achei que gostava dele, na verdade eu realmente gostei dele, gostei além de irmãos, foi bem com ele que eu me descobri, não que a gente tivesse tido algo, Só que as vezes eu o olhava e sempre tinha um desejo guardado aqui. No começo eu me privei de tudo aquilo, mas depois eu me permiti e acabei fazendo coisas no banheiro depois de um longo dia olhando Hoseok distraído. Ele me exitava.

Mas logo tive que parar, ele começou a ficar com algumas pessoa e eu acordei para a vida. Naquela época comecei a ficar com algumas outras pessoas e então esqueci ele um pouco, depois que conheci Park tudo mudou, não olhei para Hosoek como antes, Eu sentia um pequeno desejo por Park.

No começo eu só queria um sexo rápido e gostoso com Park, mas não sabia bem como chegar nele e fazer o convite para nós dois transarmos, eu também não sabia se ele gostava de homens ou se era bi, Bom... ele ficava me olhando quase todos os dias, pode ser um sinal, ou não. Deve ser coisa da minha cabeça safada.

Depois que ele fez tudo aquilo por mim eu mudei a minha mente, depois que ele me socorreu e não saiu do meu lado enquanto eu estava no hospital, tudo mudou, eu não queria mais apenas transar, eu realmente queria conhecer melhor Park, mas primeiro antes de me iludir atoa, Eu devia saber se ele era ou não gay. Também devia me garantir que não era da minha cabeça que ele estava sendo gentil por querer algo comigo.

Minha cabeça estava confusa. Eu sempre me encontrava confuso quando se tratava de Park Jimin. Ah eu tinha uma quendinha por ele, ainda mais por aquele corpo maravilhoso dele, devia ser tão bom foder aquela bunda grande, e provavelmente lisa como seda das boas, isto é, se ele fosse passivo também né, mas se caso fosse ativo eu dava um jeito e virava flex.

Outras horas eu batia o pé no chão e falava "esse é passivo, com certeza!". Era comigo para saber, Eu devia ir e pergunta... perguntar não por que isso ia soar um pouco grosseiro, mas eu devia descobrir aos poucos a sexualidade dele e se mesmo com a nossa proximidade eu não descobrisse, teria que mudar de planos e mandar Hoseok perguntar na descarada.

Mas vai que ele era gay mesmo e se interessar por Hoseok? Isso seria o verdadeiro fim da linha para mim. Todo mundo sente ou sentiu aquela queda por Hoseok. Aquele nariz pontiagudo, aquele pela lisa bem cuidada e aquela boca perfeita que só ele era digno dela.

Park não ficava para trás. Ele tinha aquela estatura, um corpo pequeno que com qualquer roupa que viatisse ficasse bonito, igual com roupas coladas, elas destacaram bem a cintura do mesmo e suas calças... suas calças mostravam o que Park mais tinha de melhor, tirando a sua bunda, ela seria linda, Eu seria minha se tudo dess certo. Não só apenas na transa, mas seria eternamente minha.

Seu rosto era banco, bem cuidado, sua boca era carnuda como um desenho bem feito, feito por verdadeiros anjos, por que aquele homem não poderia ser real. Era de outro mundo.

Três batidas na porta da minha casa foi o bastante para eu "acordar", levantei do sofá e caminhei pela cozinha e então passei pela última sala de casa, lá cheguei perto da porta, coloquei o olho direito na o"olho mágico" e sorridente abri a porta. Park sorriu aberto enquanto terminava de abrir a porta.

- Não me lembro de ter escutado a gravação de Taehyung que você me prometeu mais cedo!


Notas Finais


Gostou?
Deixe nos comentários oque achou do capítulo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...