História Duality - Yoonkook - Capítulo 3


Escrita por: e _mgy_jjguk_

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Red Velvet, Stray Kids, Tomorrow X Together (TXT)
Personagens Irene, Jeon Jungkook (Jungkook), Jongho, Joy, Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Yang Jeong-in, Yeonjun, Yeri, Yunho
Tags Duality, Jungkook!top, Lemon, Stripper, Sugakook, Yaoi, Yoongi!bottom, Yoonkook
Visualizações 121
Palavras 3.731
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


oikk então, eu acho que quarta e sexta são dias mt bons para postagem dessa fanfic, então vai ficar nisso, ok?

quarta e sexta, prometo não mudar maiskk 😜 (cap bem grandinho pra compensar os 5 diaskk)

Boa Leitura!💜

Capítulo 3 - Capítulo 02


Fanfic / Fanfiction Duality - Yoonkook - Capítulo 3 - Capítulo 02


Jungkook



Horas antes…



Jeon acorda assustado, olhando para seu criado-mudo, pega o seu celular e vê que tinha passado da hora de acordar, se levanta tropeçando em quase tudo que "via" pela frente e vai para o banheiro, toma um banho rápido e ao sair pega um terno de cor grafite junto de uma blusa social branca - sua preferida - e se veste com o seu look preferencial.


Quando sai de seu quarto vai para a cozinha. Arregalou os olhos arredondados após olhar a imensa bagunça que estava o seu apartamento. Suspirou pesado pegando a chave do carro, chutou as coisas que estavam no chão para debaixo do sofá, e saiu como se nada tivesse acontecido.



— Droga… - Jeon resmungava baixo enquanto tentava limpar com as mãos o lugar manchado por café. Estava visivelmente furioso com o baixinho que não prestou atenção por onde ia.


Mas não ia perder seu tempo indo atrás do garoto, ele tinha coisas mais importantes para resolver. Saiu da faculdade onde tinha ido se encontrar com seu sobrinho, Jeongin, e foi à procura do carro.



15 minutos depois…


— Hoje o dia com certeza vai ser um dos piores! — exclamou para Namjoon que ria sem parar no outro lado da linha. — Tive que visitar Jeongin, a mãe dele está doente e ele precisa ir visitá-la no hospital à noite…


— Ah, falando em piores…


— Lá vem. — disse Jeon suspirando pausadamente.


— A Irene me mandou uma mensagem, e disse que está vindo pra cá. — Namjoon gargalhou, ele parecia adorar ver o chefe, e também amigo, se dando mal.


— Oh, céus! Eu já estou chegando, não deixe aquela maluca entrar até eu chegar aí! — Respondeu com a respiração afoita após correr uma quadra inteira até o seu carro.


— Pode deixar.


— Essa louca não me dá um tempo. Até logo Nam.


— Até. 


Desligou o celular, olhou no relógio e viu que estava mais atrasado do que nunca, extremamente atrasado para uma reunião que teria antes do almoço. 


Era assim, toda vez que Jiyoo ia pra casa da mãe. Jungkook um adulto atarantado mal conseguia acordar no horário certo sem ter a filhinha por perto. 


— Que saudades filha. — murmurrou ligando o carro e logo deu a partida.




— Está atrasado! — disse Namjoon. 


— Não foi a minha intenção, mas acontece que eu fui atingido por café. — Jungkook se explicou abrindo os braços para que o mesmo pudesse ver o 'pequeno' estrago que o baixinho de horas atrás tinha causado. — Ah, por que eu estou lhe dando explicações? Você trabalha pra mim.


— Mas nós nos conhecemos desde os nove anos. — diz Namjoon cruzando os braços magoado.


— Não começa pelo amor de deus, Namjoon. — disse dando um tapinha de leve no ombro do amigo. — Vou indo pra minha sala.


— E a Irene??? — exclamou preocupado.


— Ah bem… Só não deixe que ela entre. — piscou sorrindo de lado e logo entrou no elevador.


— E como sempre sobrou pra mim. 



Jeon arrumava as centenas de papéis que estavam sobre sua mesa esparramados. 


Uma total desordem


Suspirou afrouxando um pouco a gravata preta que o incomodava bastante e logo o telefone tocou.


— Alô Namjoon?— disse Jungkook se levantando da poltrona.


— Irena está fazendo o maior escândalo aqui, ela insiste em dizer que quer falar com você, e não vai sair daqui até falar oque ela tem pra falar. — respondeu Namjoon. Ao fundo da ligação podia se ouvir os gritos da mesma, como sempre querendo chamar atenção.


— Mande-a ir embora, estou cheio de trabalho e compromissos, você sabe. — suspirou tentando se manter calmo, mas foi em vão, logo ele estava puxando os cabelos tentando descontar toda sua raiva e frustração em si mesmo. — Com quem está a Jiyoo? — Jeon prendeu a respiração esperando que Namjoon o respondesse.


— Ela disse que está na casa da Joy, parece que Jiyoo passou mal e Irene pediu pra que a amiga ficasse por um tempinho com a menina. — Namjoon parou suas falas e fechou os olhos esperando o surto do Jungkook, feito isso…


— OQUE? — sorriu sarcástico, isso era um quão assustador de se ver — Irene só pode está de brincadeira. Mande ela subir imediatamente! 


— Ok – Respondeu rezando para que os Deuses tivessem misericórdia de Jungkook.




Passasse um tempo e logo a porta do escritório foi aberta, dando para Jungkook a visão de uma mulher soada com os cabelos bagunçados sobre o rosto e uma jaqueta de pele. É, era ela. Irene, à própria.


— Jungkook olha aq…


— Como você pode ser tão desnaturada a tal ponto? — Perguntou interrompendo a mesma. Caminhou pela sala pondo as mãos na cabeça, Jeon parecia que iria explodir a qualquer momento. — Porque deixou Jiyoo sozinha?


— Eu não deixei, idiota! — disse cruzando os braços se sentando na poltrona à frente da mesa de Jeon — ela tá com a Joy.


— Joy é tão desnaturada quanto você! — gritou.


— Eu? desnaturada? Essa foi boa. 


— Jiyoo passou mal e você deixou ela na casa da sua amiga maluca!! — suspirou voltando para seu assento. — Oh, céus… a minha pressão. — gemeu pondo a mão no peito.


— Ela não passou mal, babaca. — revirou os olhos — ela só correu um pouquinho com a emy e teve que usar a bombinha, você sabe como ela gosta daquela cachorrinha. — respondeu simplista, cruzou as pernas e tirou um masso de cigarro da bolsa.


— Nem pense em acender isso aqui dentro — Disse sério quase entrando em um colapso


— Aish


— Como ela está?


— Quem?


— A minha filha!


— Sua? Ela é nossa, n-o-s-s-a!! — exclamou.


— Que seja. 


— Ela está bem, Jin me disse para levá-la amanhã de tarde no consultório dele. — disse falando baixo nas suas ultimas palavras.


— Oque foi? — Jeon perguntou desconfiado.


— Ah, bem… eu terei que fazer uma viagem pra Nova York e ficarei uma semana por lá. E… como o tratamento da Jiyoo é aqui eu preciso que você fique com ela... de novo. — suspirou pausadamente.


— Mas a Jiyoo está passando as férias de verão na sua casa, e ela está gostando disso! — respondeu elevando o tom de voz.


— Eu não posso recusar essa viagem Jeon. É meu trabalho – suspirou brincando com a caneta encima da mesa do maior – Eu sinto muito em não poder ficar com a Jiyoo esses dias.


Sua carinha de coitadinha não comovia nenhum pouco o coração de Jungkook, que estava revoltado pela decisão de última hora da mesma.


— Que se dane… — murmurrou.


— Jeon!


— O que é?! — gritou se virando para encarar a mesma


— Eu prometo ficar bastante tempo com ela quando eu voltar…


— Irene, você não tem que prometer isso pra mim, e sim pra Jiyoo! Ela estava tão feliz, e você como todas as outras vezes vai deixar ela de lado por causa do seu maldito trabalho, francamente… — respirou fundo logo dando um gole na xícara de café.


— Eu não tenho culpa!


— Sim você tem, ah se tem! — sorriu se levantando da poltrona com brutalidade. — Mas não tem problema. - sorriu — Peça para alguém já ir levando as coisas dela para a minha casa, de novo. E você, fique mais tempo com a sua filha numa próxima vez.


— Está se precipitando demais, Jeon!


— Eu? Me precipitando? 


— É só uma viagem, deixe de fazer essas suas cenas ridículas, elas não combinam com você – riu – Aliás, amanhã ela e o dr. Jin vão estar no consultório te aguardando, eu já avisei eles que você vai ir para lá – Disse fazendo Jungkook encara-la rapidamente com um olhar mortal


— Ok, eu não estou afim de discutir mais, por favor vá embora!


— Eu vou, Sr. Chato — se levantou, pegou a bolsa e saiu batendo os saltos na mármore escura, deixando apenas Jungkook e seus pensamentos ali naquela enorme sala.



Já eram 23:43 da noite, Jungkook não via a hora de chegar em casa e desabar na sua cama fofinha, Mas tudo isso só ia acontecer se aquele maldito trânsito andasse. Sentia tantas saudades de Jiyoo, e não fazia três dias sequer que eles tinham se visto. 


— Eu devo ter sido amaldiçoado. — choramingou — Eu quero ir pra casa… 


Soltou o volante e parou o carro para atender uma ligação do seu velho amigo, Jimin. 


— Oi, Park.


— Meu deus, que algazarra é essa? — Jimin perguntou.


— Ah, deve ser porque eu estou na estrada do inferno e os carros não param de buzinar. — Disse debochado e com vontade de chorar — Eu estou morrendo de dor de cabeça, eu só queria dormir!


— O drama – disse baixo – onde você está?


— Num engarrafamento.


— É, isso eu já entendi, Jungkook! – Respondeu irritado.


— Ah, espera um pouco… — disse pondo sua cabeça para fora do carro — Perto do restaurante em que eu pedi a maluca da irene em casamento. — respondeu sonolento fazendo Jimin gargalhar.


— Vamos nos encontrar para beber? Estou nesse exato momento indo buscar o Namjoon, se quiser vir com a gente…


— Como eu vou sair daqui, gênio?


— Não sei?


— Então esqueça.


— Você não pode abandonar seu carro na pista? Depois volta pra buscar ele… — sugerio segurando sua vontade de rir.


— Eu já retorno sua ligação. Até logo. — desligou o celular e pensou… pensou… e pensou. Ele só queria ir embora dali, esse barulho era muito perturbante. 


Ligou o carro novamente e dirigiu a não muito longe – já que não era possível – estacionou no meio fio, pegou a carteira, as chaves de casa e saiu. 


Atravessou a rua ignorando as e os motoristas que gritavam para o mesmo voltar pro carro ou sair do meio da rua. 


Não demorou muito e ele já estava na frente do tal restaurante.


— Quantas recordações ruins. — murmurrou tirando o celular do bolso e discando o número do Jimin.


— Oi de novo — Disse Jungkook olhando de longe o seu carro.


— Conseguiu? – Perguntou o moreno.


— Aham, estou na frente do restaurante.


— Ok, eu e Namjoon estamos à caminho.


— Tudo bem.



Estava andando em circulos sentindo-se seu estômago drobrar e sua cabeça começar a doer. Ele deveria ter ido embora quando tinha chance, o arrependimento bateu. 


Talvez fosse um castigo ou alguem querendo sacanear sua vida, mas começou a chover. Cobriu a cabeça com o blazer procurando um lugar para se esconder. E finalmente tinha encontrado, não um esconderijo, e sim seus dois amigos, que correram até Jungkook que estava furioso.


— Tá chovendo muito! – disse Namjoon recuperando o ar.


— Sério? – Jungkook gargalhou sarcástico – Por onde vamos? – Desceu o olhar para Jimin que secava os cabelo.


– Hoje vamos ir num lugar onde vocês dois vão adorar, só espero que não esteja vazio. – sorriu olhando pro tempo chuvoso que já acabava – Vamos!


– Eu tenho que voltar cedo, ok?! Só três bebidas e nada mais – Jungkook falou mas foi ignorado por seus dois amigos.


– Não se preocupe, vamos voltar cedo. – Namjoon respondeu dando tapinhas leves no ombro do moreno.



...


00:03



Depois de um bom tempo os três já tinham chegado no tal lugar que, na verdade, era uma boate. Mesmo sendo dia de semana ela estava lotada. A música era muito alta, e o cheiro de álcool fortíssimo. Mal tinham adentrado no local e Jungkook já tinha se perdido dos amigos. 


Quando viu os dois amigos sentados na cadeira do bar, ao fundo. Caminhou até lá tentando desviar das pessoas que dançavam loucamente por ali. Sentiu um corpo roçar atrás do seu e mãos finas e pequenas segurarem sua cintura.


– Quer dançar? – a voz feminina perguntou fazendo Jungkook sorrir de lado.


– Não. – Jungkook sorriu de canto afastando a garota para longe – Muito obrigado. – deu uma breve referência para a mesma e saiu de perto, indo até seus amigos que riam vendo o mesmo naquela situação. 


– Tão d-desajeitado – Namjoon se pronunciou de forma embolada.


– Quantos copos? – Jungkook perguntou percebendo que seu secretário já estava alterado.


– Aqui só foi um. Bebemos em um bar antes de nos encontrarmos com você – Jimin gargalhou ajeitando o corpo no sofá – e esse é o seu – entregou um copo com whisky para o Jeon que pegou e agradeceu – Se prepare que o show já, já, vai começar! – acrescentou esticando o copo para um brinde.


– Show?? – brindou confuso.


– Ah, é fascinante. – Namjoon ponderou e minutos depois todas as luzes foram apagadas.


– Isso é um apagão? – Jeon perguntou assustado, enquando seus dois amigos olhavam tranquilamente para o centro do palco, logo podendo ouvir barulho de olofotes ligando – Ah...


Suspirou ansioso, não sabia o que era e sequer tinha seus palpites. A única coisa que sabia é que aquele whisky era muito forte.


– Mais um por favor – Disse para a garçonete que rapidamente preparou outra bebida para Jeon que num intante tomou todo o líquido, sentindo sua garganta queimar. 


– Ei, silêncio! – Jimin murmura com seus olhos fixados no mesmo lugar. O palco. 


Este que logo recebeu um banho de cores quentes avermelhadas, uma música sensual, e um garoto de porte bonito que se apoiava no ferro comprido ao seu lado. Enquanto a voz de Zachary começava baixa, o garoto se preparava para começar sua dança. Jungkook não podia ver seu rosto, aliás, ninguém podia. O baixinho estava com um véu de seda cor dourada no rosto, uma saia curta transparente – também feita de seda – deixando suas belas coxas um pouco à mostra e, algumas pinturas pelo corpo deixando-o mais charmoso e fazendo arrepios serem causados nos homens velhos e excitados dali, sem contar nos dois amigos e inclusive o próprio, Jeon, babavam pelo mesmo. E as mulheres, cheias de inveja e ciúmes.


_You're a poison and I know that is the truth_


Jungkook, já tinha ouvido “i feel like i'm drowning” diversas vezes com seus amigos tarados, mas nunca se deu o trabalho de concentrar-se na letra dela.


_All my friends think you're vicious_


E isso não era mentira. O jeito que o Park olhava para o garoto com os olhos brilhantes, isso chegava a causar um pouco de desconforto em Jeon. Este que voltou sua visão para o garoto que com movimentos lentos e sexy rodopiava pelo ferro. Olhando para cada pessoa, uma por uma, com seus olhos manipuladores junto de seu charmoso puxadinho de gatinho.


 Ele logo jogou o corpo no chão e com um movimento lento fazendo seu quadril subir de forma provocante, aquilo foi o ponto de loucura para Jeon querer pegar o mesmo, e apertar com força aquela cintura. O baixinho logo desceu da barra de ferro e começou a utilizar as mãos, passando as mesmas pelo pescoço e descendo até a barriga, provocando os que assistiam.


Jeon sentiu um frio grande na barriga e seu coração acelerar, se deu conta de que a dança já estava acabando.


Jungkook estava com seus olhos fixados no garoto, e o mesmo em si, esse que logo foi parando um pouco para recuperar o fôlego, e saiu do palco. Os minutos tinham se passado como a velocidade da luz, e Jeon estava encantado, louco, e com seu membro já ereto. Definitivamente queria mais, essa sensação, ele queria sentir de novo.


– E-eu preciso ir no banheiro. – Jeon disse para os dois amigos que apenas riram do mesmo.


– Isso sempre acontece, pode ir lá. – Jimin disse se aconchegado no sofá.


Jeon riu sem graça logo tirando o seu blazer de si e pondo na frente de seu quadril. Correndo sem pensar duas vezes para dentro do banheiro. Quando o mesmo já se encontrava dentro aproximou-se da pia para molhar o rosto, e logo depois levantando seu olhar para encarar-se por longos segundos no espelho; suas bochechas estavam coradas, a boca vermelhinha, sentia-se quente e tenso.


– Isso foi tão... – Levou a mão no peito – Estranho?


– Eu fui tão ruim assim, uh? – Uma voz rouquinha ecoou atrás de si, fazendo o moreno saltar assustado. – Desculpe... – o garoto rio baixinho ao ver Jeon boquiaberto. 


– S-sim... digo, n-não! Não. – Respondeu embolado ajeitando as próprias madeixas de cabelo – Desculpe. – Levantou o olhar para o baixinho que estava escorado na parede, com a mesma roupa e o mesmo olhar de antes, isso deixava Jeon Jungkook extremamente pirado.


– Hm, achei que não tivesse lhe agradado... – Disse num quase susurro se aproximando aos poucos do moreno, Jeon podia sentir malícia no mesmo, muita.


– Você agradou. – rio pondo as mãos no bolso da calça social, ele precisava se controlar – Até demais.


– Que bom. – parou de andar ficando à frente de Jeon, sem desviar os olhares por um segundo sequer. – Vejo você na apresentação de sábado? – o baixinho perguntou soltando vários risinhos. 


– Claro! – Respondeu no automático.


– Ok. – Deu as costas para Jeon sentindo o olhar do maior fitar seu corpo inteirinho por trás, enquando ele andava para fora dali – E... desculpa por ter lhe causado esse probleminha. – Virou o corpo para Jeon, encarando o meio de suas "pernas", e com uma risadinha rouquinha saiu dali, deixando Jeon Jungkook, um divorciado extremamente rico com sua fama de homem durão, envergonhado. Ele até iria perguntar o nome do garoto, mas quando se deu conta o mesmo já tinha desaparecido da sua vista.


 Entrou no último box do banheiro e lá fez o que não fazia a tempos, precisava acalmar seus ânimos. Abriu o zíper da calça e com uma exata pressa abaixou a roupa íntima que vestia, deixando-a no meio de suas coxas, segurando firme seu membro e começando a masturbalo com um certo desejo, não tirando do pensamento o dançarino. 




Minuto depois...




– Onde você estava? – Jimin perguntou num grito.


– Eu tive que resolver umas coisas, era uma... uma ligação u-urgente. – Mentiu sentindo as bochechas queimarem lembrando de minutos atrás. Segurou o braço do amigo puxando o mesmo para o canto.


– O que foi? – O ruivo perguntou se soltando do maior.


– Você... hm, sabe... – começou incerto – ... o nome do danç...-


– NÃO. – Disse de forma firme e com uma expressão séria no rosto, deixando Jungkook um pouco assustado pelo seu ato.


Ele sequer deixou o moreno terminar sua pergunta.


– Uh, calma ai! – brincou nervoso – Era só uma pergunta, não tenho interesse em homens.


Não tenho interesse em homens.


Jeon Jungkook realmente não tinha.


Mas, sentiu-se estranho, ele desejou um homem pela primeira vez na sua vida.


– Desculpe, mas eu prometi pra ele que não iria contar a não ser se fosse necessário. – O ruivo respondeu sorrindo fraquinho.


– Tudo bem, entendo você nao confiar em mim. – Murmurou baixinho magoado, ofendido.


– Não é isso, Jeon! – Suspirou – Quer dizer, é o trabalho dele entende? 


– Ok, não vamos mais falar sobre isso, era só uma curiosidade boba, desculpe-me. – Sorriu para o baixinho tentando afastar deles aquele clima ruim.


– Tudo bem. Vamos procurar o Nam?


– Ele não estava com você? – Jeon perguntou olhando ao redor.


– Estava, mas umas garotas perguntaram dele se ele queria companhia... e você já sabe né? – rio sem graça passando a mão na sua nuca.


– Me polpe dos detalhes – revirou os olhos – Vamos esperar? 


– Eu ia procurar por ele nos quartos... – balançou a cabeça tentando afastar as imaginações sobre o que Namjoon estaria fazendo.


– Ok, pode ir lá, eu espero – Jeon sorriu se sentando.


– Argh, tudo bem! – Revirou os olhos e foi emburrado a procura de Namjoon, enquanto Jungkook retirou o celular do bolso.



Ligação on: 



– Alô? – Uma voz feminina se fez presente assim que a chamada se completou.


– Boa noite, Irene está? – Perguntou brincando com a barra da calça.


– Sim, vou chamá-la. – podia se ouvir várias vozes na outra linha, o que significa que todos naquela casa estariam acordados – Alô? – disse a voz da ex esposa do, Jeon.


– Oi, Irene. – suspirou – Bem, preciso que você leve Jiyoo amanhã bem cedo, vou tirar um dia de folga pra ficar com ela, tudo bem? – perguntou calmo.


– Oh, tudo bem, mas porque isso tão derrepente? 


– Nada, só estou com saudades... – disse sorrindo pequeno encarando o chão.


– Ah... Ok. – respondeu possivelmente sorrindo também – Você... hm, quer falar com ela?


– Claro! – disse animado se ajeitando no sofá.


– Ok. – alguns barulhos e gritos, provavelmente estaria fazendo uma pequena festa, até que a voz doce e meiga de Jiyoo se torna presente, fazendo o Jeon sorrir de orelha a orelha. – Oi, é o papai? 


– Oi, princesa, é ele sim! – respondeu com os olhos brilhantes e o coração apertado de saudade.


– Eu estou sentindo sua falta... – murmurou triste fazendo com que os olhos do moreno ficassem rapidamente marejados e tristes, sem brilho.


– Vamos nos ver amanhã, uh? 


– Sim, sim...


– O que foi? – já estava agoniado com tanta estranheza, algo estava acontecendo.


– Nada, p-papai... – disfarçou.


– Jiyoo. 


– Eu perdi minha bombinha, papai – respondeu rápido com a voz trêmula, só estava no aguardo das broncas de, Jungkook – m-me desculpa, p-papai...


– Ei ei, pare de chorar. – disse calmo e carinhoso – está tudo bem, minha princesa. Eu posso comprar outra, não precisa chorar, ok? 


– Me desculpa, papai. 


– Não precisa se desculpar, certas coisas acontecem, não foi sua culpa. Agora, trate de já ir para cama, hm? 


– Ok, vou dormir pois nao vejo a hora de fazer lindos penteados em você, papai! – disse alegre contagiando de felicidade o moreno.


– Também não vejo – rio – Durma bem, papai te ama.


– Jiyoo também ama o papai, papai. – gargalhou logo em seguida desligando a chamada. Mais uma de muitas chamadas gostosas que já teve com a filha.


Ligação off.



Guardou o celular no bolso com um sorriso enorme no rosto, finalmente iria rever, Jiyoo. Teria que chegar em casa logo para que pudesse arrumar tudo pra quando a pequena chegasse. Se levantou agoniado de esperar os dois, já ia entrar no corredor onde ficava os quartos se não fosse os dois aparecerem bem na hora.


– Finalmente! – respondeu aliviado.


– Me ajude com ele – Jimin resmungava enquanto os braços de Jonnie ficavam em volta do seu pescoço.


– Ora pois... onde ele estava? – perguntou ajudando o amigo.


– Nem queira saber, vamos logo pra casa.


– Hyungs... – Namjoon murmurou, era quase incompreensível entender o que ele dizia.


– Oi, Jonnie.


– Eu preciso... – apontou pro balde ao lado de Jimin.


– Namjoon, nem pense nis-


Era tarde demais, Namjoon já tinha feito o maior estrago na camisa do baixinho. E enquanto Jimin passava um enorme vexame, Jungkook ria, ou melhor, gargalhava até a barriga doer. 








– Eu odeio vocês! – gritou furioso e logo formando um bico fofo em seua lábios carnudos - espero que morram!



Notas Finais


eh mole n ter alguém pra betar sua fanfic man👀

esse é particularmente o meu capítulo favorito, ele é um misto de coisinhas que eu fico- aaaa💜💜💜

yoonie apareceu, amo??huehueh eu só queria dizer que: Irene e Jimin ainda vão causar muito, se preparem😶

dêem suas opiniões sobre esse cap, é muito importante pro desenvolvimento da fanfic, e também para que eu e a manu possamos ver se ela está agradando vcs :))

até o próximo! 💜


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...