1. Spirit Fanfics >
  2. Duality >
  3. As fotos

História Duality - Capítulo 7


Escrita por:


Capítulo 7 - As fotos


Fanfic / Fanfiction Duality - Capítulo 7 - As fotos

Eu acordei com a luz da manhã que vinha da fresta da cortina que eu havia deixado aberta, procurei o relógio para saber as horas, ainda eram quase 7 e pouca da manhã, ele disse que levantaria ás 9, pois tinha que estar cedo no alojamento. Peguei um papel e lhe deixei um bilhete avisando que iria descer para comprar um café, fiz minha higiene e troquei de roupa. Não tinha muita coisa em casa para comer, precisava fazer as compras do mês ainda, e queria lhe agradar, desci para ir no café que ficava em frente ao meu prédio, estava um pouco cheio por conta do horário. Comprei 2 cafés grandes e algumas coisas pra comer.


Consegui abrir a porta com um pouco de custo, estava enrrolada com tanta coisa na mão, quando eu entro a cortina estava totalmente aberta iluminando bastante a sala e ele já estava acordado sentado na minha cadeira do computador apoiando os cotovelos nos joelhos e com umas fotos na mão, sua cara não era uma das melhores. Meu corpo gelou ao ver aquela cena, eu sabia que fotos eram aquelas, mas eu precisava ter calma, e explicar tudo a ele.

- Bom dia, trouxe café pra gente. - Coloquei as coisas que havia comprado em cima da mesa, lhe dei um beijo na bochecha, e sentei no chão em frente a ele, estendi a mão para que me desse as fotos mas ele não entregou, dei um gole no meu café e suspirei fundo.


- Toma antes que esfrie e você precisa se alimentar. – Ele pega o café e começa a tomá-lo, mas sem soltar as fotos ainda – Me deixei ver que fotos são essas, e podemos conversar sobre se você quiser. - Ele me entregou as fotos sem olhar pra mim, eu não precisava ver para saber quem estava nas nelas, mas queria saber quais eram.


- Então você conhece o Got7? – Ele aponta pras fotos – Na verdade parece conhecer muito bem, principalmente o Youngjae e o Jackson!– Ele provavelmente se referia a uma foto que estavam todos juntos e eu estava sentada no colo do Youngjae, e mais alguma fotos que eles me abraçavam por trás. Apesar de tudo, seu ciúme era fofo.


- Eles são como irmãos pra mim. Eu deveria ter te contado isso antes, mas as coisas aconteceram tão rápido que isso nem passou pela minha cabeça – ele me olha atento esperando toda a explicação  - Talvez você se atrase um pouco hoje. 


Eu me levanto e pego o restante das fotos que estavam no mural, e uma caixa que havia mais delas. Comecei a procurar algumas em específico pra poder explicar a situação.


- Vamos do começo, mas por favor, come enquanto eu falo, okay? – eu respiro fundo e termino de tomar meu café, e ele finalmente começa a comer – Você já sabe que desde nova eu sou apaixonada pela música, alem do clube que eu participei, eu tinha um grupo de amigas que faziam cover de grupos famosos, tudo entre a gente, mas o que eu via como meu futuro era debutar em um grupo, o que se tornou um sonho. 

Fiz teste para várias empresas, e com 15 anos entrei como treinee na JYP para dar início a esse sonho – seus olhos ficaram arregalados junto com sua expressão de surpresa, eu lhe entrego uma foto dessa época e continuo a falar.

Meus pais não aceitaram no começo, principalmente devido aos fracasso dos testes anteriores, mas quando passei pra JYP eles tentaram me apoiar. Tive que me mudar para Seul, e eles investiram muito em mim. Foi nessa época de treinee que eu conheci o Jackson, nos tornamos amigos e ele me apresentou pro resto do grupo, desde daí eu nossa amizade só foi crescendo. - lhe entreguei mais fotos, e agora ele já tinha terminado de comer.

Quando eu terminei o colégio eu percebi que eu não queria ser uma idol, era uma vida perfeita que eu não era capaz de fingir, e eu gostava de trabalhar por trás de tudo isso. Nessa época estava tento teste para novos dançarinos na empresa, e eu decidi me candidatar, tinha dedicado anos da minha vida como treinee, e era o que eu sabia fazer, ia ser difícil começar uma faculdade sem dinheiro e precisava de um emprego rápido, meus pais não aceitariam quando eu desistisse, e parariam com a ajuda financeira. Os meninos me apoiaram muito nessa época, eu conversei muito com eles antes de tomar uma decisão, mas basicamente eu tinha que seguir meu coração. 

Fui aceita como dançarina sem mesmo fazer um teste, eu já era conhecida na empresa, meus treinadores entre outras funcionários ficaram um pouco chocados com a minha decisão, mas todos me entenderam e também me apoiaram. No começo eu dividi apartamento com o Chun, e depois ele comprou aquela casa que estávamos na festa, morei mas um tempo com ele, até conseguir me estabilizar financeiramente e profissionalmente. 

Eu nunca deixei de produzir minhas músicas, mas o Chun era o único que as conhecia. Um dia o Jackson descobriu algumas mexendo no meu notebook e pediu uma copia delas, eu relutei em dar a ele, mas sem entender muito seus propósitos eu aceitei. Só que ele mostrou pros meninos, eles gostaram e queriam ela no álbum deles, apresentaram pra equipe que também gostou e aceito, então eles me chamaram pra uma reunião, até aí eu não sabia de nada, fui lá achando que era sobre o trabalho de dançarina, mas era pra fechar um contrato pela música, eu só teria que fazer algumas modificações para combinar com o conceito do álbum, eu claro aceitei, esse era o meu real sonho, até aí eu só produzia músicas por hobby, nunca tinha imaginado vendê-las. Depois dessa volta toda que eu dei na minha vida, foi nesse momento eu descobri o queria de verdade. 

Eu continuei como dançarina, mas desde daquele dia eu comecei a ajudar eles com algumas músicas, depois fui dando algumas ideias de coreografias e conceitos, fui me tornando próxima da equipe, e quando me dei conta meio que já estava envolvida nisso tudo. Então me veio uma proposta para deixar de ser dançarina e trabalhar como staff do Got7, não tinha uma posição certa, eu continuaria a fazer tudo que fazia antes, só que agora eu me dedicaria totalmente a isso oficialmente. Minha vida se tornou o Got7, tanto profissionalmente quanto pessoalmente.– lhe mostrei fotos de varios anos com os meninos.


Ele ficou calado observando as fotos, não conseguia decifrar sua expressão, e tinha medo do que ele iria falar. Sei que deve ser muita informação pra processar, e pode ser algo que ele não goste. Ele finalmente quebra o silêncio – Você já namorou algum deles? – Eu queria rir da forma infantil e fofa que ele me perguntou isso, de tantas coisas que ele poderia querer saber, essa foi a primeira.


– Não, como eu disse, eles são como se fossem irmãos pra mim. - Eu esperei sua resposta, eu estava com medo de verdade de tudo acabar.


- Eles nunca falaram sobre você. E por que nunca nos apresentaram, se você é fã do Monsta x, já podia ter nos conhecido a muito tempo! - Ele tinha uma mistura de raiva e dúvida, seus ciúmes também eram claros.


- Não foi por falta de proposta, mas eu nunca quis. Era errado eu me aproveita disso, seria antiprofissional, mas não adianto de muita coisa, Chun fez esse favor. - Ele ficou pensativo por um tempo, se levantou e sentou no sofá. Dei um tempo para ele pensar e digerir tudo que havia escutado.


Ele da dois tapinhas na sua coxa para eu sentar em seu colo, isso foi um alívio. Sentei e ele envolveu os braços na minha cintura afundando o rosto no meu pescoço. Conversamos mais um pouco sobre o meu passado, ele tinha muitas perguntas sobre aquela época, só que agora eram mais curiosidades do que ciúmes. 


- Agora eu entendo por que o Chun disse que você sabia muito bem lidar com a situação. - ele da uma pausa e faz um cafuné em mim. - Sabe, sinto que somos iguais agora, e que você sempre vai me entender. 


- Não entendi o que você quis dizer - eu lhe encaro.


- Você já foi treinee, já conheceu parte dessa vida, você trabalha e convive diariamente com um grupo, você está inserida nessa vida, sabe todos os lados ruins, pra você não existe a figura perfeita do Idol. - Em partes ele tava certo, eu via o que os meninos passaram, e sei o quão duro e o treinamento, mas eu jamais vou saber de verdade as dores dessa vida, por mais que eu veja e esteja presente nisso. 


Ficamos conversando um pouco mais até que rapáramos na hora, estávamos os dois atrasados. Ele começou a se arrumar pra ir embora e eu para o trabalho, e claro que ele não pode deixar de me dar uns últimos beijos antes de irmos embora. Ele queria me deixar na empresa mais eu achei melhor ir sozinha, ele desceu para garagem e eu segui para o ponto de ônibus.

Me sentia aliviada depois de lhe contar tudo, minha intenção nunca foi esconder nada, mas as coisas entre nóis escalaram tão rápido, que não tive a oportunidade de contar com calma. Mas finalmente aconteceu, bem, tudo tem sua hora


Notas Finais


Esse cap foi praticamente para contar a história da Yun, mas ele é muito importante pra tudo que vai acontecer daqui pra frente.
Me digam o que acharam!
Gente tá chegando o lançamento de all about love! Vamos dar muita stream pra esse álbum, é muito importante para carreira internacional deles!
Até o próximo cap 😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...