História Duas Faces De Um Mesmo Eu - Yoonmin (hiatus) - Capítulo 24


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin)
Tags Taekook, Vhope, Yoonmin
Visualizações 59
Palavras 1.041
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Fluffy, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olar, turubom?
Olha quem finalmente resolveu dar o ar da graça aqui no spirit.
Me desculpem pela demora para aparecer, mas eu estava cheia de trabalhos para fazer e não estava conseguindo escrever. Estava quase ficando doida com tanta coisa para fazer ;u;, mas finalmente acabou (pelo o menos por enquanto) e eu consegui vir aqui trazer capitulo novo para vocês.
Decidi que iria att duas faces de um mesmo eu primeiro pois estava a mais tempo sem fazer isso, então se você lê 13º Distrito e está por aqui saiba que hoje ou amanhã também terá att.
Agora que está tudo esclarecido vou parar de falar de falar e deixar vocês com o cap.
Boa leitura <3

Capítulo 24 - Jung Hye Min


Fanfic / Fanfiction Duas Faces De Um Mesmo Eu - Yoonmin (hiatus) - Capítulo 24 - Jung Hye Min

Duas semanas foi o tempo que demoramos para ler boa parte dos diários. Todos os dias Maya vinha para casa e me ajudava com tudo isso. Começamos a perceber que se quiséssemos pegar o pai de Jimin nós teríamos que ser mais espertos que ele e descobrir tudo o que ele fez para saber onde procurar. Pegamos um grande quadro branco e  colocamos na sala, tudo o que achávamos de novo nós íamos anotando no quadro para depois tentarmos fazer uma ligação entre os fatos.

Traição, desvios de dinheiro, extorsão, estelionato, falsificação de documentos, era uma lista bem extensa de coisas que ele havia feito e todos eles por um acaso estavam nos diários de Jimin. Ele ouvia uma conversa do pai, um documento, algo que ele via, algo que ele falava para si e anotava no diário como se tivesse medo de esquecer tudo o que estava acontecendo. E o pior? O homem havia saído impune de todos os crimes. Não haviam testemunhas, vítimas, não havia nada. Suspirei terminado de ler mais uma página e fechei o diário deixando-o sobre a mesinha de centro e me sentando ao lado de Maya no sofá, encarando o quadro cheio de palavras vermelhas.

— O que vamos fazer? Não podemos ficar sentados aqui observando este quadro que não vai servir de nada se continuar só aqui.

— Não podemos fazer nada com isso por enquanto Maya. Não temos provas.

— Como assim não temos provas, Yoongi? — Se levantou com raiva e pegou um dos diários. — Tudo isso aqui é o que?

— Especulações de crimes de um homem morto e em alguns momentos da mãe de Jimin ser cúmplice. Não temos muita coisa aqui, não vão levar a sério a palavra de alguém que estava em um hospital psiquiátrico.

— Então temos que provar que Jimin não tem nenhum problema, que foi internado injustamente.

— E como faremos isso? — A outra parou por um momento olhando pensativa para o quadro.

— E se conseguíssemos provar que o hospital está recebendo algo com tudo isso?

— Como assim?

— Nós precisamos de um motivo para investigarem o hospital e você pode conseguir. Nós só precisamos seguir o dinheiro, pegar tudo o que pareça suspeito e tentar usar contra eles. Você não acha estranho que o hospital tenha crescido do nada?

— Lógico, mas não temos provas de verdade.

— Ainda não.

— O que você quer dizer com isso?

— Nós temos que achar motivos para começarem a investigar o hospital.

— Acho que sei como fazer isso. — Me levantei e peguei um casaco logo indo em direção a porta.

— Onde vai, Yoongi?

— Eu tenho um plano.

— E o que eu faço?

— Fique de olho no seu celular, eu posso te ligar a qualquer momento.

— Onde vai?

— Vou falar com Jimin. — Sorri para a ela e saí da casa fechando a porta atrás de mim.

. . .

Cerca de meia hora depois eu estava em frente ao hospital. Entrei no prédio e fui até a recepção onde uma mulher simpática me atendeu e liberou a minha entrada, me entregando um crachá e me indicando o quarto de Jimin. Caminhei pelos corredores brancos do hospital até chegar no quarto de Jimin o vendo comer o café da manhã que a enfermeira havia deixado ali para si.

— Jiminie. — Fechei a porta e fui até o mais baixo que ficou surpreso ao me ver já que da última vez ele havia praticamente me expulsado do quarto.

— O que faz aqui? — Questionou surpreso e eu me sentei na poltrona ao lado da maca.

— Eu queria te ver para saber se você está bem e te perguntar algumas coisas. Antes que você me expulse daqui novamente eu quero dizer que não é nada sobre o motivo de você ter vindo parar no hospital e sim sobre Hobi.

— O que quer saber dele? — Perguntou surpreso mordendo um pedaço do bolo que até agora estava esquecido sobre a bandeja.

— Você se recorda de ele ter falado algo sobre ter uma irmã?

— Pra que você quer saber da Hye Min?

— Por acaso ele comentou sobre uma casa no centro da cidade ou algo assim?

— Acho que sim, mas por quê você quer saber, Yoongi?

— Eu não posso te contar, Minie. — Tentei segurar sua mão mas ele a afastou. — Por quê é tão teimoso? Eu não vou fazer nada de ruim para o Hoseok, ele depende disso para sair da prisão. Não só ele depende de você, mas também praticamente todos que estão internados naquele hospital. Eu sei que essa parte de você não gosta nem um pouco de mim mas não pense nisso como algo para mim ou para você, mas sim para todos que estão naquele inferno, Minie. Por favor…

— Ok, tudo bem… — Ele suspirou e olhou para mim. — Eu sei onde fica a casa dela. — Pegou a caneta em meu bolso e um guardanapo escrevendo o endereço.

— Obrigado, Jiminie. — Beijei a sua bochecha e guardei o guardanapo no bolso.

— Me promete uma coisa?

— Claro, o que quiser.

— Me promete que vai fazer de tudo para tirar o Hobi daquele lugar.

— Eu prometo que darei o meu melhor para tirar o Hobi daquele lugar. Se cuide Minie, tome os seus remédios, se alimente, se hidrate e fique bem. Nada de aprontar. — Deixei um selar na sua testa e me afastei do menor indo até a porta.

— Se cuide, Yoongi. — Sorri para o menor e saí do quarto pegando o celular no meu bolso e discando o número de Maya.

— Decidiu me contar o que vai fazer?

— Preciso que você vá a um lugar comigo.

. . .

— Acho que é aqui. — Paramos em frente a porta de uma casa relativamente grande no centro da cidade.

— Tem certeza?

— É o endereço certo então sim, eu tenho. — Toquei a campainha e alguns segundos depois a porta foi aberta por uma garota de cabelo castanho escuro muito parecida com Hoseok com um semblante confuso.

— Posso ajudar?

— Claro. Você é Jung Hye Min, certo? Irmã de Jung Hoseok? — Perguntei e ela pareceu surpresa, terminando de abrir a porta e se apoiando no batente.

— Sim, mas ele já morreu tem algum tempo...por que querem saber?

— Pode parecer loucura, mas o que você me diria se eu te falasse que seu irmão está vivo e eu sei onde ele está?


Notas Finais


Espero que tenham gostado
Beijinhos e se tudo der certo até semana que vem :3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...