História Duas Luas - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO, Lu Han
Personagens Baekhyun, Lu Han
Tags Abo, Baeklu, Lubaek
Visualizações 81
Palavras 5.277
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Lemon, Misticismo, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Halelloo everyone! ~baixou a Shangela~
E aí meus amores, como passaram a semana? Espero que bem.
Bom bom, nesse capítulo teremos uma interaçãozinha do nosso casal principal. Can I get an amen in here? Thanks.
Espero que gostem e perdoem os errinhos
EU to indo lá fazer o famoso enem, boa sorte à todos que estiverem na mesma situação que eu
Boa leitura

Capítulo 4 - Capítulo 3 - Café?


 

 

☽✦☾

 

 

‘’Hyung, e se eu nunca fizer amigos na escola?’’, o pequeno Baek Ah perguntou temeroso, um bico manhoso se esboçava em seus lábios e ele parecia desolado com a ideia daquela frase se concretizar.

‘’Eu acho que você logo fará amigos, Baekkie, e se não for na escola, com certeza durante sua vida você fará ótimos amigos, afinal, você é um garoto simpático, inteligente e muito bonito!’’, o maior falou com um sorriso, apertando uma das bochechas fartas do pequeno alfa.

‘’Você me acha bonito?’’, ele sorriu animado, olhando para cima e dando de cara com o sorriso largo de seu professor.

‘’Sim, eu acho’’, ele respondeu tão animado quanto o pequeno. ‘’Muito lindo’’

‘’Então eu acredito em você!’’, Baek Ah respondeu sorridente.

Ambos já estavam próximos ao colégio quando Baek Ah correu em disparada para um bolinho de garotos de sua idade que trocavam seus cartões colecionáveis de um personagem de desenho animado, e Baekhyun sorriu ao ver seus outros alunos dando espaço para ele também.

Mais uma massa de jovens sonolentos podia ser vista andando de forma preguiçosa até o local, o que fez Baekhyun sorrir ao lembrar-se que costumava ser exatamente daquela mesma forma.

Chegou à sala dos professores, cumprimentando seus colegas antes de começar a se arrumar para seguir até sua sala. ‘’E então Byun, como vai hoje?’’, o professor Junmyeon questionou com um sorriso amigável.

‘’Vou bem, e o hyung?’’, Baekhyun perguntou ao que se servia de um copo quentinho de café.

‘’Bem... Na verdade, há algo que eu queria contar, mas não pra todos ainda, só pra você’’, Junmyeon cochichou, puxando delicadamente Baekhyun pelo braço até que se afastassem um pouco dos demais.

‘’O que houve?’’ Baekhyun perguntou já curioso.

‘’Eu acho que estou esperando um filho’’, o mais alto falou em tom de confidência e os olhos de Baekhyun se arregalaram enquanto um sorriso se abriu em seus lábios.

‘’Sério?’’, perguntou animado. ‘’Falou com seu alfa?’’

‘’Não! Eu quero fazer uma surpresa!’’, Junmyeon se encolheu e sorriu. ‘’Na verdade eu estava suspeitando porque o cheiro dele em mim aumenta as vezes, eu ando enjoado, então fiz um exame e vou buscar hoje na hora do almoço’’, falou.

‘’Ah por favor, me mande uma mensagem quando ver o resultado!’’, Baekhyun pediu, já esticando sua mãozinha para colocar sobre a barriga de seu colega com toda a intimidade. ‘’Vocês planejavam ter bebês?’’, questionou, ouvindo seu relógio de pulso apitar, sinalizando que já era momento de se encaminhar à própria sala, por isso juntou seu material junto de seu colega antes de saírem da sala dos professores.

‘’Bom... Na verdade...’’, o beta suspirou. ‘’Já perdemos um bebê’’, explicou, o que fez Baekhyun soltar um murmúrio de tristeza. ‘’E foi muito difícil para nós, porque a gravidez já estava muito avançada, já estávamos com tudo pronto para a chegada dele’’, complementou. ‘’Nós combinamos que não nos preocuparíamos mais com isso, então nem prevenimos e nem tentamos de novo. Já fazem cinco anos’’, encolheu os ombros.

‘’Quantos anos o hyung tem?’’, Baekhyun perguntou com uma sobrancelha arqueada.

‘’Trinta, por quê?’, o mais velho perguntou confuso.

‘’Wow, eu poderia jurar que você tinha a minha idade’’, encolheu os ombros ao que o outro sorriu. ‘’Mas enfim, tudo será como tiver que ser, eu estarei torcendo por você’’, Baekhyun sorriu, se despedindo com um abraço de seu colega antes de tomarem direções separadas nos corredores ainda lotados de alunos que esperavam o sinal para que fossem para suas salas.

Ao chegar em sua própria, Baekhyun arrumava impecavelmente sua mesa grande como fazia sempre de segunda à sexta. Caderno ao centro, estojo acima, uma caneta, uma lapiseira e uma borracha alinhados do lado direito da mesa, diários empilhados no compartimento abaixo e uma garrafa de um litro cheia de água colocada aos pés de sua mesa. Seu casaco estava perfeitamente dobrado sobre o encosto da cadeira, seu jaleco branco perfeitamente abotoado e desamassado. Baekhyun era um tremendo de um perfeccionista quando se tratava de trabalho.

Já estava escrevendo no quadro a data e os títulos da matéria do dia quando ouviu a porta de entrada se abrir e estranhou, afinal, ainda faltavam cinco minutos para o início da aula. Sorriu ao ver que era um de seus alunos do primeiro ano que batia ali, olhando pidão para que seu professor permitisse sua entrada.

‘’Oh, Sr. Kim, em que posso ajudá-lo? Nossa aula é só no quarto período, não?’’, questionou com um sorriso gentil nos lábios, fazendo um sinal para que o mais jovem se aproximasse.

‘’É que... Eu estou lendo um livro para a aula de literatura e... Eu sei que não é a sua área, mas eu o vi com esse livro um dia desses e pensei que talvez... Né...’’ o alfa alto corou enquanto mostrava o livro, o que arrancou um risinho de Baekhyun enquanto lia os dizeres na capa.

‘’É um livro muito bom... Ok, me diga qual sua dúvida’’, incentivou, se aproximando do aluno.

‘’Eu... Eu queria entender o paradoxo da personagem principal e seus dois romances. O professor disse que há um paradoxo óbvio entre a personalidade dela e a forma que ela age mas eu não consigo entender’’, ele reclamou, fazendo um bico fofo.

Baekhyun riu e, pacientemente, explicou para o jovem maior e mais forte o que havia entendido com aquele livro. Notava que a atenção do garoto não estava totalmente presa no que dizia e sim no modo que seus lábios se moviam ao pronunciar algumas palavras, e também notava a forma como o garoto parecia respirar longa e profundamente seu cheiro. Não se importou muito no fim das contas, era apenas um alfa adolescente lotado de seus hormônios.

‘’Entendeu?’’, questionou ao terminar de falar.

‘’S-sim!’’, o Kim respondeu meio esganiçado. ‘’Eu não achava que era assim tão simples, me sinto burro’’, ele coçou a nuca com vergonha.

‘’Você não é burro, Jungho’’, Baekhyun sorriu, usando o nome do menino pela primeira vez, o que arrancou dele um sorriso largo. ‘’Foi só um caso de falta de atenção’’, sorriu gentil, acariciando brevemente os cabelos macios e escuros.

‘’O-obrigado, professor’’, o menino sorriu, se curvando para deixar um beijo demorado na bochecha macia do mais baixo antes de sair correndo da sala.

Baekhyun riu baixinho antes de balançar a cabeça em negação.

‘’Ser professor é algo divertido’’

 

 

☽✦☾

 

 

Lu Han bufava frustrado enquanto ajeitava a gravata em seu pescoço. Seu estômago roncava de fome, sua cabeça doía. Havia se juntado a representantes de outras famílias também responsáveis pelo governo da cidade e se organizaram para fazerem visitas nas principais escolas e só ele mesmo havia ficado com a obrigação de visitar quatro escolas em um dia, e tudo em período de aula. Eram tantos pequenos problemas que necessitavam de solução, eram tantos diretores querendo paparicá-lo ou enchê-lo de perguntas que já começava a ficar zonzo.

Eram cerca de duas da tarde quando se encaminhou para a terceira escola do dia e, já conhecendo o diretor do local, o ômega chamado de Sr. Mung, estava se preparando para uma conversa longa e maçante sobre a família do homem e como seus oito gatos davam menos trabalho que seus cinco filhos a haviam dado.

Passou pelas largas portas de entrada e andou em direção à diretoria do local, se surpreendendo ao ver o dito diretor saindo apressada de sua sala.

‘’Oh! Sr. Lu! O que faz por aqui hoje?’’

‘’Visita de rotina’’, deu de ombros.

‘’Oh, querido! Sinto muito, eu estou de saída, acabaram de me ligar dizendo que meu alfa passou mal no trabalho!’’, informou num tom preocupado. ‘’Mas ah! Há uma turma que saiu para uma aula de biologia em campo hoje então tem algum professor de aula vaga, ou algum secretário não muito ocupado! Eu te levo até a sala dos professores e...’’, o homem baixinho e meigo falou eufórico, já se encaminhando para a dita sala.

‘’Sr. Mung!’’, Han chamou alto, tentando capturar a atenção do homem. ‘’Não se preocupe, apenas diga a quem preciso chamar e vá ver seu marido’’, completou calmamente.

‘’Ahh, nesse período acho que deve ser o Sr. Byun...’’, o outro suspirou, mais calmo. ‘’Obrigado’’, agradeceu

‘’Espero que seu marido esteja bem!’’, Lu Han desejou antes de ver o diretor acenar e sair. Com um suspiro longo, se encaminhou até a sala dos professores. Foi murmurando o sobrenome que deveria chamar sem realmente se dar conta de que já o havia ouvido. Bateu levemente à porta quando chegou ao local, ouvindo uma voz suave o dizendo para entrar.

Sorriu de canto ao sentir o cheiro bem conhecido daquele ômega, e lgoo viu Baekhyun ali, de costas para si enquanto mexia em alguns papéis, curvado sobre a mesa. ‘’Com licença, senhor Byun... O diretor Mung me informou que você poderia me acompanhar na minha visita à escola’’, falou num tom sério, vendo o menor se endireitar e virar-se lentamente em sua direção.

‘’Han?’’, ele questionou surpreso. ‘’O-oi...’’, completou em seguida, não querendo parecer indelicado. A imagem do alfa vestido numa camisa branca perfeitamente arrumada e levemente justa mexeu levemente consigo ao lembrar-se do que sabia haver ali, embaixo daquele tecido fino. ‘’O que faz aqui?’’, assumiu seu tom mais natural quanto possível, se endireitando perante ao outro.

‘’Visita de rotina, os líderes querem sempre saber como andam as coisas nas escolas’’, deu de ombros.

‘’Wow, então além de ser de uma família importante, você também tem uma posição importante?’’, cruzou os braços e sorriu.

‘’Pode-se dizer que sim’’, o alfa deu de ombros. ‘’O diretor Mung teve que sair para cuidar do marido e me disse que você poderia me ajudar. Então... Eu basicamente preciso que você me leve até cada uma das salas e me mostre o gráfico geral do desempenho de cada sala em cada matéria’’, explicou ainda em sua postura séria, vendo o menor assentir.

‘’Bom... Então vamos, né? Aqui tem muitas salas e muitos professores’’, Baekhyun suspirou longamente, envelopando os papéis que até então estava olhando e os colocando em seu armário antes de sair com o maior da sala.

Passaram por todos os andares, sala a sala, cumprimentando desde professores à zeladores e faxineiros. Baekhyun ficou admirado em ver que todos ali conheciam o alfa, os alunos e professores parando suas atividades para se curvarem perante ele. Acabou se sentindo um completo idiota por não conhecer um rosto importante de sua cidade, mas se perdoou ao lembrar-se que até então nunca havia se aventurado muito para fora da zona neutra.

Levaram quase uma hora para ver todas as salas, mesmo que não levassem mais que três minutos em cada sala. Os dois não trocava muitas palavras, Baekhyun só anunciava a sala para a qual se dirigiam e o apresentava ao chegarem. No final do pequeno tour pelo colégio, Baekhyun voltou com Lu Han para a sala dos professores, acessando o computador presente ali para mostrar os gráficos de desempenho ao maior.

‘’Então... É isso’’, Baekhyun encolheu os ombros. Estava sentado numa cadeira com o alfa de pé atrás de si, o cheiro de Lu Han mexendo com sua concentração. Conseguira muito bem viver normalmente seus dias após a noite que tiveram. Claro que se lembrava dos momentos que dividiram, fora uma noite gostosa, afinal, mas nunca as lembranças pareceram tão massacrantes quanto naquele momento.

‘’Ótimo... Por acaso você não conseguiria imprimir esses gráficos pra mim?’’, Han perguntou gentil, mais focado no ômega sentado à sua frente do que na tela. ‘’Por favor?’’, completou num tom mais baixo, se curvando sobre o encosto da cadeira do menor enquanto apoiava suas mãos nos ombros do mesmo.

‘’E-eu... Posso fazer isso’’, Baekhyun respondeu de imediato, praguejando mentalmente por deixar sua voz vacilar.

Com alguns comandos no computador, a impressora colocada atrás do mesmo logo começou a funcionar, imprimindo os papéis dos quais o mesmo precisava. O ômega se levantou e foi até eles, olhando um por um para verificar se estava tudo certo e no final prendendo um clipe nestes.

‘’Então... ’’, Lu Han começou. ‘’Você tem algo para fazer mais tarde?’’, questionou descaradamente.

‘’Eu saio as seis e trabalho num outro colégio das sete às nove’’, o menor respondeu distraidamente. ‘’Por quê?’’

‘’Sei lá talvez eu e você pudéssemos ir comer algo depois. Um lanche, talvez’’, o ruivo deu de ombros e atraiu a atenção do outro.

‘’Pra que?’’, questionou enquanto observava o alfa com um olhar desconfiado.

‘’Conversar’’, Lu Han sorriu.

‘’Olhe... Foi só uma noite’’, Baekhyun falou um tanto temeroso. ‘’Não sei  o que te faz pensar em outra coisa, mas...’’

‘’Ok, sem lanche então... ’’, o mais alto interrompeu e ergueu as mãos em sinal de rendição, vendo o outro suspirar. ‘’Café?’’

 

 

☽✦☾

 

 

Baekhyun e Lu Han caminhavam lado a lado havia cerca de cinco minutos, o menor respirava fundo e batalhava consigo mesmo enquanto se perguntava o porquê de ter cedido e aceitado sair com o insistente alfa, a bicicleta que empurrava ao seu lado fazia alguns barulhos e produzia os únicos sons a quebrar aquele silêncio. Enquanto isso, ao seu lado, Lu Han sorria discretamente, seus sentidos identificando o nervosismo que emanava do menor.

Chegaram a uma simples cafeteria localizada próxima à escola onde Baekhyun daria aulas ainda naquela noite, o alfa afirmando que o local era ótimo além de ficar perto para o mais baixo não andar muito sozinho, essa última parte causando um revirar de olhos do outro. O menor fechou uma corrente em torno de sua bicicleta e a prendeu num dos postes dali, se certificando que esta estava segura antes de entrarem.

Sentaram-se numa das mesinhas mais ao canto, um de frente para o outro. Olharam os pequenos cardápios antes de escolherem o que queriam, o alfa fazendo sinal para que um dos garçons os atendesse. Baekhyun pediu um pão de queijo grande e uma xícara de café puro enquanto Lu Han ficou com um brownie de chocolate e um cappuccino com creme chantilly.

O menor logo passou a encarar o açucareiro enfeitado sobre a mesa, sentindo-se desconfortável. Não sabia como iniciar um assunto e nem se queria mesmo conversar. Sentia-se tão mexido pelas lembranças da noite em que se envolvera com o alfa ruivo que não sabia como agir.

Lu Han percebia o estado do garoto e não deixava de achar adorável a forma que ele desviava o olhar e mordia o lábio inferior. Podia até mesmo sentir a temperatura do ômega aumentar enquanto suas bochechas coravam mais intensamente. Mal acreditava que aquele era o ômega com quem dormira, aquele que havia mandado e desmandado em si sobre a cama e rebolara em seu colo enquanto gemia como se não houvesse dia após aquela noite.

Assim que os pedidos chegaram, decidiu começar um assunto, matando aquele silêncio incômodo. ‘’Então, qual é a sua ocupação no colégio?’’, questionou antes de tomar um curto gole de seu cappuccino.

‘’Eu sou professor de história’’, Baekhyun explicou. ‘’Dou aulas para turmas de onze até dezoito anos’’, completou, mordendo seu pão de queijo com vontade, só então notando o quanto estava faminto.

‘’Ah sim... E leciona há muito tempo?’’

‘’Hmm... Um pouco mais de vinte dias’’, falou sério enquanto olhava para o alfa, arrancando um riso do mesmo. ‘’E você? O que exatamente você faz?’’

‘’Ahh, eu sou... Ahn...’’, se enrolou para responder, comendo um pedaço de seu brownie antes de retomar sua fala. ‘’O líder provisório da minha família, Zhang Yixing... ’’, falou, vendo o menor assentir. ‘’Ele é meu primo. Eu o ajudo no comando, negócios e tudo mais’’, explicou, vendo como o menor parecia admirado.

‘’Wow, isso é incrível!’’, Baekhyun exclamou verdadeiramente. ‘’Estranho, eu jurava que o líder da família Sook era um Lu. Lu Yuo, eu acho...’’, coçou a nuca antes de tomar um gole curto de café. ‘’Me enganei’’, deu de ombros.

‘’Na verdade... ’’, Lu Han interveio. ‘’Meu pai era mesmo o líder, mas está inapto para exercer o governo por agora’’, informou com pesar na voz. ‘’Ele está doente’’

‘’Seu pai tipo... Lu Yuo é seu pai?’’, o ômega perguntou nada acreditado.

‘’É, oras... Eu sou Lu Han filho de Lu Yuo’’, respondeu como se fosse óbvio.

‘’Eu achava que ‘Luhan’ era só seu nome’’, o menor sussurrou. ‘’Mas se você é o herdeiro dele... Por que seu primo está no comando provisório?’’, perguntou curioso.

‘’É complicado... ‘’, Lu Han encolheu os ombros, tomando um longo gole de seu copo. ‘’Coisas de família’’

‘’Entendo... ’’, Baekhyun murmurou, também comendo um pouco. Sentia que até que estava gostando de conversar com o alfa, e como não queria voltar ao silêncio, engoliu o que comia e tomou mais um gole de seu café antes de voltar a puxar um assunto. ‘’Quantos anos você tem?’’

‘’Vinte e cinco, e você?’’

‘’Vinte e três’’, respondeu. ‘’Hyung’’, sorriu.

‘’Agora você parece ainda mais fofo aos meus olhos’’, Lu Han sorriu de volta, esticando seu braço e apertando o nariz fofinho do mais novo com leveza.

‘’Eu não sou fofo!’’, Baekhyun exclamou indignado e sua voz soou esganiçada, o que arrancou uma risada do outro. ‘’Já me bastam aqueles dois imbecis me chamando de bebê... ’’, resmungou mais consigo mesmo.

‘’Dois imbecis?’’, o ruivo questionou curioso.

‘’É... Sabe o alfa, Kyungsoo, que estava comigo no mercado?’’, perguntou, vendo o outro assentir enquanto comia. ‘’Eu vivo com ele e mais um amigo beta, e mesmo eu sendo mais velho que os dois, eu sou o que parece ser mais novo e frágil, mesmo que Kyungsoo seja menor que eu’’, encolheu os ombros. ‘’Genética ômega, né?’’, riu soprado.

‘’Concordo com seus amigos’’, Lu Han sorriu. ‘’Há quanto tempo vivem juntos?’’

‘’Desde sempre, eu acho’’, se encolheu. ‘’Nós crescemos na mesma aldeia’’, explicou. ‘’E quando viemos para cá, só tínhamos uns aos outros. Na verdade, só temos uns aos outros desde...’’, deixou a frase no ar.

‘’Suas famílias devem ser muito unidas’’, o alfa comentou.

‘’Eles eram sim... ’’, Baekhyun murmurou vagamente e um tanto tristonho, atraindo a atenção do maior, que o olhou preocupado. ‘’Era uma aldeia linda. Havia uma escola pequena, mercado, igreja... Tudo no meio de um bosque imenso. Um rio brilhante cortava entre as árvores... ‘’, ele sorriu largo, saudoso, seus olhos miravam um passado já um pouco distante.

‘’O que houve?’’, o tom calmo e baixinho de Luhan o incitou a continuar.

‘’Coisas do mundo... Fomos obrigados a nos separarmos’’, encolheu os ombros. ‘’Acho que não sobrou ninguém além de nós por esses lados’’, riu soprado.

‘’Eu sinto muito, Baekhyun’’, Lu Han murmurou com pesar

‘’Ahh, tudo bem’’, pigarreou antes de levar um pequeno susto e sentiu seu nervosismo secar imediatamente ao sentir a mão quente do mais velho segurando a sua com carinho. Encontrou os olhos brilhantes do alfa sobre si e sentiu a pele arrepiar de leve ao sentir o carinho que era transmitido naquele toque.

‘’Tudo bem, não vamos mais falar nisso’’, Lu Han falou doce e o menor concordou. Teve a mão macia e quente se afastando da sua antes do que desejava, mas não assumiria de maneira alguma seu descontentamento.

Respirou fundo e piscou repetidamente, afastando totalmente o molhado de seus olhos. Continuou a comer tranquilamente com o mais velho a sua frente, vários assuntos surgindo enquanto conversavam, desde programas de televisão à cinema e gêneros musicais, de óperas ao bom e velho rock‘n’roll, ambos descobrindo que possuíam vários gostos em comum. Falaram de comidas, casas, livros, trabalhos, ex-namorados e chefes sacanas, falaram de trapalhadas da juventude, faculdade, e mil outras coisas, o pouco tempo que tinham parecia ter multiplicado exponencialmente.

Discutiram para ver quem pagaria a conta, no final acabando por tiraram na moeda. Lu Han venceu e assim manteve seu orgulho intacto ao pagar pelo que comeram, e Baekhyun acabou por ficar emburrado durante quase todo o trajeto até a escola, trajeto no qual o mais velho fez questão de acompanhá-lo.

‘’Não é justo!’’, murmurou com um bico nos lábios, o qual o maior considerou extremamente gostosinho de olhar e queria muito saber se era gostosinho de provar também.. ‘’Devíamos ao menos ter dividido a conta! Injusto!’’, completou.

‘’Se aceitar tomar mais um café qualquer dia desses, pode ser...’’, Lu Han falou como quem não queria nada, não vendo quando o menor mordeu o lábio inferior e sorriu.

‘’Chegamos’’, este murmurou ao que chegaram na frente da escola, encostando sua bicicleta num poste. Os dois pararam um de frente para o outro, ambos sem saberem exatamente como agir, afinal, como deveriam se despedir da pessoa a qual só se sabe os lençóis e uma xícara de café?

‘’Certo... Foi bom ver você, Baek’’, o ruivo afirmou, arriscando um apelido para o menor.

‘’É... Foi...’’, Baekhyun riu de lado, desviando o olhar enquanto se mantinha absorto em pensamentos. Balançando a cabeça para espantar qualquer ideia que fosse contrária à sua vontade, pegou uma caneta no bolsinho pequeno de sua bolsa e puxou o braço direito do maior, rabiscando em seu pulso uma série de números. ‘’Vamos mesmo tomar café outra vez, qualquer dia desses’’, sorriu para o maior, se afastando um pouco ao guardar a caneta. ‘’E vai ser por minha conta’’

‘’Vamos sim...’’, Lu Han sorriu ao ver o número de telefone em sua pele. ‘’Bom, temos que ir, né?’’, encolheu os ombros. ‘’Até outro dia...’’, se aproximou do menor com a intensão de deixar um beijo sobre sua bochecha, mas se surpreendeu e deteve seus movimentos ao que este virou levemente o rosto para o seu lado, fazendo suas bocas quase se tocarem.

Se olharam por alguns segundos, próximos demais, Baekhyun se perguntando internamente sobre o que estava fazendo enquanto o maior sentia-se totalmente satisfeito, aguardando a próxima ação do moreno. Os olhos pareciam conectados, presos um ao outro, arrepios subiam pelas peles cobertas.

Confiante e impaciente, Baekhyun se esticou um pouco até colar sua boca à alheia num selar nada superficial. Prendeu o lábio inferior do outro entre os seus, morrendo de vontade de aprofundar aquilo. Lu Han pareceu entender sua vontade, pois logo se aproximou e juntou mais as bocas, levando uma de suas mãos à bochecha macia do menor.

Não houve toque entre línguas, não aprofundaram tanto, os lábios úmidos apenas deslizavam uns pelos outros em um contato gostoso, as bocas se abriam pouco apenas para voltarem a se encaixar com cuidado. Só naquele contato, Baekhyun e Lu Han permitiram-se admitir que haviam sentido falta daquilo.

Se separaram alguns longos segundos depois, sorrindo tímidos e sem vontade alguma de realmente se afastarem. ‘’Tchau’’, Lu Han sorriu, mas não se afastou. Baekhyun voltou a se aproximar, mordendo-lhe o lábio inferior e o puxando sem força antes de soltá-lo.

‘’Tchau’’, respondeu com um riso sapeca, e então finalmente se afastaram.

Com um aceno tímido, Lu Han foi se afastando, deixando o menor parado na porta da escola. Baekhyun sorriu pequeno, como que guarda um segredo bom demais para continuar escondido. Se sentia contente, animado.

‘’Ai Baekhyun, o que você está fazendo?’’

 

 

☽✦☾

 

 

‘’Onde estava?’’, Lu Han ouviu a voz séria de seu primo soando atrás de si.

‘’Sabe, eu ainda sou mais velho, ainda me deve respeito’’, revirou os olhos em impaciência enquanto puxava um envelope lotado de papéis de debaixo do próprio braço e o entregava para o outro. ‘’Aqui os documentos sobre as escolas’’, o mais novo pegou de mal gosto, respirando fundo antes de falar.

‘’Precisamos conversar, gege. Venha até a minha sala’’, informou, virando-se e seguindo até o local com o ruivo em seu encalço.

Entraram na sala espaçosa e bem arrumada, Yixing deixou o envelope numa pilha com outros semelhantes e sentou-se em sua cadeira, indicando para que o primo também se sentasse na cadeira do outro lado da mesa. ‘’Então... É sobre o seu pai’’, começou sério.

‘’Meu pai? O que houve com ele? Ele está bem?’’, Lu Han perguntou alarmado, já se levantando.

‘’Se acalme! Ele está bem’’, o outro confortou, vendo o primo se sentar e suspirar.

‘’Então o que é?’’

‘’Sabe que eu faço de tudo para ver seu pai confortável e bem cuidado, não é?’’, perguntou, vendo o menor assentir um tanto desconfiado. ‘’Mas sabe, nós o mantemos aqui com uma duas enfermeiras particulares e... E isso está começando a ficar um pouco caro’’, falou sério. ‘’Eu recebi algumas boas ofertas de ótimos lares para lupus idosos, sabe... Lugares onde seu pai seria tratado como um rei, ainda mais por realmente ser como um, por ser um líder’’, finalizou, seus olhos brilhando em expectativa.

‘’Você está sugerindo... Colocar meu pai num asilo?’’, Lu Han riu incrédulo. ‘’Só pode estar brincando’’

‘’Olhe não deboche de mim’’, Yixing rosnou. ‘’Sabe o quanto custa manter ele aqui com todas as mordomias? Enfermeiras especializadas e treinadas que dão banho e trocam as fraldas dum velho lobo acabado? É caro, Lu Han’’, completou irritado. ‘’Todo esse dinheiro sai das finanças da família’’

‘’Mordomias?’’, o mais velho se levantou, irritado. ‘’Não são mordomias, Yixing, são as necessidades dele! Se você chegar a ser líder um dia, também vai querer ser tratado da mesma forma quando ficar velho, e se fosse o seu pai no lugar do meu, tenho certeza que não seria problema nenhum, não é mesmo, seu hipócrita?’’, acusou. ‘’Reclama do que gasta com o meu pai, mas na hora de encher sua noiva de presentes não mede esforços, ou acha que eu não sei o quanto gastou naquele vestido estúpido que deu a ela?’’

‘’Você não sabe o quanto é difícil encontrar uma fêmea nos dias de hoje... Ainda mais ômega de sangue puro! É quase impossível, Lu Han, menos de 10% da população é fêmea. Eu preciso manter a Krystal!’’, o mais novo rosnou, apontando para o outro.

‘’Que se esforçasse para que ela gostasse de você, não a comprasse como um objeto!’’, o ruivo esbravejou. ‘’Você ainda o chama de velho lobo acabado’’, riu em deboche. ‘’Meça bem suas palavras ao falar do homem que te colocou no comando, porque o povo não sabe, mas eu sei que você é um bastardo, filho ilegítimo do meu tio. Você nem teria o direito de estar numa posição de destaque nessa família. Se meu pai não tivesse escolhido te acolher por piedade do que seu pai fez a você, você nem estaria aqui’’, sussurrou, apoiando ambas suas mãos na mesa e ameaçadoramente aproximando do mais jovem. ‘’Você só está onde está pela benevolência do meu pai e pelo amor que criamos por você, Yixing, e é bom que se lembre disso’’, falou ameaçador antes de virar as costas e sair do escritório, batendo a porta com violência e deixando o outro alfa raivoso para trás.

 

 

☽✦☾

 

 

Já era tarde, Sehun e Kyungsoo conversavam animados enquanto caminhavam pela calçada, os dedos entrelaçados carinhosamente e os corpos coladinhos sob o guarda-chuva pequeno, seus pés se molhando pela água que caía. Riam de alguma piada que não precisava ser entendida por mais ninguém, a presença um do outro já era o bastante para os deixarem abobados e rindo à toa.

Se aproximavam da última esquina antes de chegarem em casa quando Kyungsoo notou o grupo de lupus naquele mesmo bar, todos entrando em silêncio. ‘’Amor, me abrace’’, pediu sério, sentindo o maior passar o braço livre por cima de seu ombro enquanto ele mesmo circulava a cintura fina com seus braços fortes.

Passaram pelo grupo, todos ali os encarando com feições nada amigáveis até que sumissem pela esquina. Sehun sentia seu coração bater extremamente rápido e só permitiu se acalmar assim que entraram no hall do prédio onde viviam e trancarem a porta. Kyungsoo o puxou até as escadas e subiram os lances até o quarto andar em total silêncio, os dedos ainda entrelaçados com força, o guarda-chuva já fechado na mão de Sehun deixava uma trilha de água pelo caminho.

Entraram em casa e Sehun mal esperou para agarrar o menor, o abraçando com força e desespero, soluçando com o rosto enfiado em seu pescoço. Se esforçou para não chorar, mas ainda assim uma pequena gota caiu por sua bochecha. Kyungsoo o correspondeu na mesma intensidade, beijando-lhe os cabelos escuros e aspirando com vontade o cheiro do beta.

‘’Eu já disse que te amo hoje?’’, perguntou baixinho, sentindo o mais novo rir.

‘’Não’’, Sehun sorriu, se afastando um pouco para poder olhar o outro. ‘’Hoje não’’

‘’Eu te amo’’, Kyungsoo falou seriamente, selando os lábios pequeninos do maior com os seus.

‘’Eu te amo’’, Sehun respondeu no mesmo tom, se aproximando para um beijo mais intenso.

‘’Eww, vão para o quarto’’, a voz debochada de Baekhyun soou pelo cômodo enquanto ele abria a porta, assustando os outros dois.

‘’Ai, Baek, que susto!’’, Sehun resmungou.

‘’Nisso que dá ficar beijando na porta’’, o menor reclamou enquanto puxava sua bicicleta para dentro do apartamento. ‘’Não me ouviram? Eu estava vindo do lado oposto e chamei por vocês, ainda buzinei’’, brincou, puxando o sino da bicicleta.

‘’Foi com ela justo hoje, que choveu?’’, Kyungsoo questionou, só então notando que o mais velho estava totalmente ensopado. O ajudou a puxar a bicicleta para dentro e a acomodou no canto ao lado da porta. ‘’Vá tomar um banho quente antes que fique doente’’

‘’Awn que amor, preocupado com o hyung’’, Baekhyun riu, tirando seu casaco que estava ainda mais pesado por estar todo molhado e tirando sua bolsa, a qual envolvera em sacos plásticos para não molhar o conteúdo. ‘’Eu vou mesmo, estou mais do que cansado’’, fungou, notando seu nariz já entupido.

‘’Deixe as roupas na porta para eu lavar’’, Sehun pediu.

‘’Eu vou fazer o jantar... E um chá’’, o alfa sorriu, indo para a cozinha.

‘’Ok...’’, Baekhyun assentiu, detendo-se no caminho até seu quarto ao ouvir o típico toque de seu aplicativo de conversa soando do celular dentro da bolsa.

Seguiu até ela e puxou o aparelho, desbloqueando a tela e olhando intrigado para o que viu ali. Ao perceber do que se tratava sorriu largo e um tanto bobo. ‘’Quem é?’’, o mais novo dentre os três perguntou curioso.

‘’Adorei o café e a conversa, podemos repetir a dose amanhã? Por sua conta dessa vez. Não esqueça de salvar meu número. Boa noite – Lu Han hyung’’, leu em voz alta, o sorriso nunca abandonando seus lábios finos.

‘’Uuuuh, cafezinho com o Han hyung, hein?’’, Sehun zombou, empurrando o ombro do mais velho.

‘’Ahh, me sinto ofendido, por que não nos contou que tinha um encontro hoje, hein?’’, Kyungsoo se juntou ao mais novo, também sacudindo o corpo do mais velho.

‘’Porque não foi planejado. Ele apareceu lá na escola para resolver uma checagem que o líder da família dele mandou e me convidou pra comer algo depois que eu saísse, só isso’’, Baekhyun deu de ombros, não convencendo nem a si mesmo quando a sua falta de interesse no ocorrido.

‘’Só isso hein? Só isso?’’

‘’Nós... Flertamos, eu acho’’, sorriu pequeno, vendo os mais novos o julgando com o olhar. ‘’Aaaah, me deixem em paz, idiotas!’’, esbravejou fingindo estar irritado, seguindo apressado até seu quarto. Separou uma muda de roupas quentinhas e já seguia para o banheiro quando decidiu responder à mensagem.

LuHan said[22:32]: Adorei o café e a conversa, podemos repetir a dose amanhã? Por sua conta dessa vez. Não esqueça de salvar meu número. Boa noite – Lu Han hyung

BBaek said[22:35]:

Ótima ideia, você sabe a hora que eu saio, estarei esperando

Boa noite, hyung

 

Sorria animado e já estava prestes a guardar o celular quando seu celular apitou novamente, e Baekhyun não demorou a abrir a mensagem ao ver de quem se tratava.

K.Junmyeon said [22:35]: Baek, positivo! Vou contar ao Jongdae hoje.

 

BBaek said[22:36]: OMG nem acredito! Estou tão feliz por você!

Me conte tudo amanhã.

 

E seguiu para seu banho.

Com um sorriso animado no rosto.

 

 

☽✦☾

 


Notas Finais


Soooo... O que estão achando da história até aqui? Espero que estejam gostando
Ganho comentários?
XOXO


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...