1. Spirit Fanfics >
  2. Duas Vezes Dona De Você >
  3. Capítulo 37

História Duas Vezes Dona De Você - Capítulo 37


Escrita por:


Capítulo 37 - Capítulo 37


Jaime se levantou e limpou a mão.

_ o que você quer Cirilo?

_ a diretora Olívia já ligou para você?

_ sim.

_ então já sabe que ela tirou sua suspensão.

_ é óbvio.

_ queria te pedir desculpas, por te beijado a Fernanda, não foi minha intenção.

_ mas beijou.

_ eu sei que não justifica, mas estava com raiva da Maria Joaquina e Marcela não me deu bola, foi impulso.

_ como falou, não justifica.

_ não vai falar comigo mesmo?

_ não sei, Cirilo, você me traiu.

_ e o trabalho?

_ faremos, mas isso não indica que voltaremos que éramos antes.

_ tudo bem, não vou força você fazer nada, pois sou muito acostumado com a rejeição.

Cirilo se levantou e sério, assim falou.

_ o trabalho de português, é para próxima semana, junto com as provas.

_ ok, amanhã nós fazemos isso.

_ tá bom!

Cirilo saiu do local.

_ está fazendo muito mal, Jaime!

_ o Cirilo traiu a nossa amizade

_ você fez o mesmo com ele, e nem por isso ele deixou falar com você.

_ ele não gostava dela.

_ não, importa, mas estavam juntos e mesmo você ficou com ela, não tem do que reclamar.

Jaime olhou para seu pai e ficou quieto.

Enquanto isso, Cirilo foi voltando muito cabisbaixo, pois não conseguiu a amizade de Jaime volta. Ele chegou em casa, quando sua mãe viu ele triste.

_ filho, o que houve?

_ não foi nada, mãe!

_ como você está muito cabisbaixo.

_ só estou cansado, vou me deitar um pouco.

_ tudo bem!

Quebra de tempo.

Uma semana depois, Cirilo e Maria Joaquina não se falaram mais e a mesma coisa com Jaime, mas o Palilo teve que abrir exceção, pois teria que fazer o trabalho com Cirilo.

Na escola.

Já era hora saída, quando estava todos na arquibancada.

_ faremos o trabalho quando Jaime?

_ hoje a noite, pois passarei a tarde trabalhando.

_ tudo bem!

_ já estou vendo, esse vai ser o pior trabalho da turma.- Jorge.

_ não nos subestimar, Jorge, pois podemos tirar notas melhores do que a sua.- Cirilo.

_ duvido!

Ele falou se gabando, se levantou e falou.

_ Jaime, quando for na minha casa me avisa.

_ já vai, Cirilo?

_ vou ir trabalhar na empresa do meu pai.

_ sério, não é mais o guarda costa da quiquina?

_ não.

_ hum!

_ valeu, galera!

_ valeu!

Cirilo saiu e Carmen perguntou.

_ não vai mais desculpa o Cirilo Jaime?

_ sim, mas não agora.

_ ele está sofrendo muito.- Fernanda.

_ só você mesmo Jaime, troca amizade por causa de mulheres e ainda mais alguém que nem era sua, continua o mesmo burro.- Paulo.

_ o que você sabe sobre amizades?

_ mais do que você que ficou bravinho com Cirilo, por uma coisa sem sentido.

_ isso ele tem razão, Jaime!- Valéria.

_ eu sei, quando fazermos o trabalho, falo com ele.

_ hum!

_ agora já vou.

_ também já vamos.

Ficando apenas, Bibi e Maria Joaquina.

_ não sabia, Majo! Que o Cirilo tinha deixado ser guarda costa?- Bibi.

_ ele deixou de ser semana passada.

_ por que?

_ não sei, ele nem fala mais comigo.

_ você fez alguma coisa?

_ não que eu saiba, bom vou embora, pois tenho que terminar meu trabalho com a Fernanda.

_ vocês duas amigas.

_ não inventa, nunca vou ser amiga daquela garota.

_ ela parece ser legal, Maria Joaquina!

_ mesmo assim!

_ vamos embora Bibi, o meu motorista já chegou.

_ ok!

As duas se levantaram e foram para casa.

Tempo Depois, mansão Rivera.

Já era de noite, Cirilo estava deitado em sua cama, quando bateram na porta do seu quarto.

_ pode entrar!

_ fala ai, maninho!

_ fala, Jaime!

Cirilo sorriu, pois seu amigo voltou a falar com ele.

_ como vão as coisas?

_ agora melhores, pensei que não ia mais falar comigo.

_ não diga isso, eu fui um idiota, mas deixa pra lá.

_ tudo bem, vamos fazer o trabalho.

_ vamos cala a boca daquele, mauricinho!

Jaime e Cirilo ficam fazendo o trabalho.

Mansão Medsen.

Maria Joaquina e Fernanda terminavam de fazer o trabalho, quando Maria Joaquina ficou encomendado e perguntou.

_ Fernanda!

_ oi!

_ você sabe me dizer, por que o Cirilo não quer mais ser meu guarda costa?

_ ele falou que está cansado, de você tratá-lo mal.

_ sério?

_ sim.

_ o que você sente por ele?

_ vejo, Cirilo como um irmão.

_ mas já foram namorados.

_ foi bom enquanto durou, mas terminamos sem ressentimento, assim seguimos em frente.

_ hum!

_ gosta dele né?

_ não… Não!

_ olha eu não quero nada com Cirilo, pois estou apaixonada pelo Jaime, mas isso não indica que ele vai ficar sozinho.

_ como assim?

_ a Marcela está em cima, qualquer dia ele pode entregar a ela.

_ agora bruaca?

_ ela pode ser o nome de coisa, mas Cirilo sente seguro com ela e você já sabe o resto.

_ isso não me importa.

_ então, tá bom.

As duas ia terminando o trabalho.

Horas Depois.

Maria Joaquina e Fernanda já tinha terminado o seu trabalho, quando ela foi para sua casa, enquanto isso Cirilo e Jaime resolveram dá uma parada no trabalho e fazer um lanche.

_ vamos comer alguma coisa!

_ não vejo a hora!

Jaime ia saindo do quarto, quando deu de cara com a Fernanda subindo, os dois ficaram se olhando.

_ oi, Jaime!

_ oi, Fernanda!

_ está tudo bem?

_ sim.

Cirilo ficou olhando, mas saiu os dois sozinhos.

_ ainda está fazendo trabalho?

_ sim, você terminou o seu com a Maria Joaquina.

_ sim, agora!

Os dois ainda se olhavam.

_ Jaime, me desculpa, por ter falado aquilo.

Ele apenas a puxou e a beijou, Fernanda retribuiu o beijo, ele encostou ela na parede.

_ eu te amo, Jaime!

_ eu também Fernanda!

Assim continuaram o beijo, mas foram interrompidos por José.

_ meninos!

Os dois se separaram, um tanto envergonhados.

_ oi, seu José!- Fernanda.

_ desculpa, interromper, mas vim chamar para jantar.

_ tudo bem, já vamos!- Jaime.

Os dois desceram de mão dadas, quando Cirilo lhe olhou.

_ caramba, até que fim de resolverem.- Cirilo

_ sim, agora só falta você e a Maria Joaquina.- Jaime.

_ isso não vai acontecer.

_ por que?- Fernanda.

_ ela não gosta de mim e deixou bem claro.

_ Maria Joaquina é complicada, mas sei que ela ama você.

_ só se for pra ser capacho dela e isso já me cansei.

_ vocês são muito cabeça dura.

_ vamos jantar?- Paula.

_ sim.

Eles ficaram jantando, depois Jaime e Cirilo foram terminar de fazer o trabalho.

No outro dia, de manhã.

Jaime tinha dormido na casa de Cirilo, pois terminou o trabalho tarde, naquela manhã José e Paula estava com as malas prontas, pois iriam voltar para o interior.

_ filho, assim que sair para escola, voltaremos para a capital.

_ tudo bem, pai!

_ não quer voltar com a gente, filho?

_ não mãe, só nas férias vou ir ver a vovó.

_ tá bom!

_ mas se cuida Cirilo!

_ pode deixar!

_ eu cuidarei dele, tia!

_ obrigado, Jaime!

_ muito bom, ver vocês unidos de novo.

_ foi uma grande burrice que eu fiz.

_ mas já foi!- José.

_ tchau, Fernanda!

_ tchau, dona Paula! Tchau, seu José!

_ agora vamos pessoal!- Cirilo.

_ vamos.

Eles foram para a escola, minutos depois chegaram na porta do colégio, quando alguém chamou pelo nome do Cirilo.

_ Cirilo! Cirilo!

_ Marcela, o que faz aqui?

_ estou indo para minha escola, e te vi passando e vim te dar boas aulas.

Ela se aproximou dele e lhe beijou na boca, o mesmo retribuiu. Nesse mesmo tempo ia chegando, uma pessoa que viu o beijo e abaixou a cabeça com um pouco de lágrimas 





Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...