1. Spirit Fanfics >
  2. D.U.F.F - Você conhece, tem ou é ? >
  3. Capítulo IV

História D.U.F.F - Você conhece, tem ou é ? - Capítulo 4


Escrita por:


Capítulo 4 - Capítulo IV


Fanfic / Fanfiction D.U.F.F - Você conhece, tem ou é ? - Capítulo 4 - Capítulo IV

    

                                                             Por: Haru-chan_369





   Capítulo IX - D.U.F.F


     [  Midoriya Izuku ♧ ]





A cama Queen-size de Denki  estava incrivelmente quente. As almofadas eram suaves, e eu sentia que podia cair nesse colchão macio e viver ali para sempre. Mas não conseguia dormir. Ficava me revirando no meu lado da cama, tentando não acordar o Denki. Contei carneirinhos. Fiz aquela coisa onde você relaxa cada parte do seu corpo desde o dedão até em cima. Eu até imaginei uma das palestras divagadoras do Sr. Aizawa  sobre políticas publicas.

         Ainda estava bastante acordado. Eu estava guardando meus sentimentos de novo, mas não tinha nada a ver com papai agora. Eu tinha tirado isso do meu peito depois que Denki e eu tínhamos deixado Eijiro mais cedo essa noite.












         -  Estou ficando preocupado com meu pai, - eu disse a ele. Eu tinha esperado até Eijiro  esta fora do carro para falar sobre isso. Eu sabia que ele não teria entendido. Eijiro era de uma família feliz e saudável com ambos os pais. Denki por outro lado, já tinha visto a relação de seus pais desmoronar. -  Ele é tão sem noção. Quero dizer, não é evidente, que não está dando certo? Eles não deveriam apenas pedir a porra do divórcio e acabar com isso?

    -  Não diga isso, Izuku, -  ele me advertiu. - Sério, nem sequer pense dessa maneira.

         Dei de ombros.

       -  Vai ficar tudo bem, - ele disse, chegando mais perto e apertando minha mão à medida que acelerávamos para sua casa. A neve não tinha começado a cair ainda, mas eu podia ver as nuvens se movendo através das estrelas no céu escuro sobre nossas cabeças. -  Ela vai voltar para casa, e eles vão conversar e fazer sexo de reconciliação...

        - Deus! Que grosseiro, Denki!


        -  ... e tudo vai estar de volta ao normal. - Ele fez uma pausa quando eu entrei na garagem dele. - E por enquanto, pode contar comigo. Se precisar conversar, você sabe que eu vou escutar.


           - Sim, eu sei.

        Era o mesmo discurso ―  "Denki  Salva o Dia" que eu tinha escutando durante doze anos, em qualquer momento em que o menor problema aparecia em minha vida. Não que eu precisasse disso aquela noite, de verdade. Honestamente, desde que nós havíamos saído do Nest, papai não tinha estado muito em minha mente. Tinha liberado todo aquele estresse quando beijei o Todoroki. 


E isso era o que me impedia de dormir. Não podia parar de pensar no que eu tinha feito no Nest. Minha pele formigou. Meus lábios estavam estranhos. Além disso, não importou quantas vezes escovei os dentes no banheiro de Denki  (depois de meia hora, ele bateu na porta para assegurar-se de que eu estava bem), o sabor repugnante, do filho da puta mulherengo ainda estava na minha boca. Ugh! Mas a pior parte era saber que eu tinha feito aquilo comigo mesmo.



         Eu tinha beijado ele. Sim, ele me apalpou, mas o que eu realmente esperava? Todoroki Shoto  não tinha exatamente a reputação de ser um cavalheiro. Ele pode ter sido um imbecil, mas eu tinha que assumir a culpa dessa situação. E esse conhecimento não me caiu bem.


          - Denki, - eu sussurrei. Bom, então acordá-lo às três da manhã não era muito legal da minha parte, mas era ele que sempre me dizia para compartilhar, desabafar ou o que seja. Então, tecnicamente, ele pediu por isso. -  Ei, Denki?

       -  Hmm?


       -  Está acordado?


        -  Mmm...mmm.

      - Se eu te contar algo, você jura não contar para ninguém? -  Eu perguntei. -  E jura que não vai surtar?

         -  Juro, Izuku, - ele murmurou. -  O que é?


        -  Eu beijei alguém essa noite,-  eu disse.


         -  Bom para você. Agora volte a dormir.


        Tomei uma profunda respiração. -  Foi o Todoroki ... Todoroki Shoto.



         Denki levantou com tudo da cama. -  Whoa! - Ele sacudiu a cabeça e esfregou o sono dos seus grandes olhos dourados. -  Certo, agora estou acordado. - Ele se virou para me encarar, seus cabelos loiros curtos espetados para todos os ângulos possíveis. Deus, como ele consegue fazer até essa aparência ficar bem? -  OHMEUDEUS! O que aconteceu? Achei que você odiasse o cara.


     -  Eu odeio. Eu sempre vou odiá-lo. Foi só um momento de... estupidez imatura, descuidada. - Me sentei e abracei meus joelhos junto ao peito. - Me sinto sujo.


    -  Se sujar pode ser divertido.


      - Denki.



         -  Desculpe, Izu, mas não vejo qual é o problema, -  ele admitiu. -  Ele é gato. É rico. É provavelmente um beijador fantástico. Ele é? Quero dizer, ele tem esses lábios que só me fazem pensar....

        - Denki! - Coloquei minhas mãos sobre meus ouvidos. -  Pare! Olha, eu não estou nem um pouco orgulhoso disso. Eu estava chateado, e ele estava ali, e eu só... Deus, eu não consigo acreditar que fiz aquilo. Isso me torna uma puta?


      -  Beijar Todoroki? Dificilmente.

       -  O que eu faço, Denki ?

       -  Beija ele outra vez?–

         Olhei-o friamente antes de cair de novo no meu travesseiro. Rolei para não ficar de cara para ele. -  Esquece, -  eu disse. - Eu não deveria ter te contado.

        - Oh, Izu, não fique assim, - ele disse. - Sinto muito, mas eu acho que você deveria olhar o lado bom pelo menos uma vez na sua vida. Quero dizer, você não tem um namorado desde... -  Ele parou. Nós dois sabíamos o nome, depois de tudo. - De qualquer forma, já era hora de você começar a ter um pouco de ação. Você nunca fala com nenhum cara, exceto o Yagi, e ele é muito velho para você. E agora que sabemos que Shinsou está fora do mercado, qual é o problema se você namorar com o Todoroki? Isso vai te matar?

           -  Eu não estou namorando com ele, - sussurrei. - Todoroki Shoto não namora, ele fode, com todas e todos, a propósito. Eu só beijei ele, e isso foi tão estúpido...estúpido, estúpido, estúpido! Foi um grande erro.

          Ele deitou de novo do seu lado do colchão. - Sabe, eu sabia que até mesmo você não podia resistir aos encantos dele para sempre.


      -  Desculpe, -  eu disse, virando para olhá-lo. -  Estou resistindo muito bem, obrigado. E sabe o quê? Não há nada que resistir. Eu o acho repugnante. Essa noite foi só um erro de juízo e nunca mais acontecerá novamente.

       -  Nunca diga nunca, Izu.

          Ele estava roncando em poucos segundos. Resmunguei para mim mesmo por alguns minutos, e logo adormeci, amaldiçoando interiormente tanto Denki  quanto Todoroki. Por estranho que pareça, aquilo foi reconfortante.





                                                 °°••○●♧●○••°




Papai tinha acabado de chegar do seu trabalho na Tech Plus, uma loja super- cara da Best Buy•, quando entrei pela porta na tarde seguinte, sacudindo a neve fresca do meu cabelo. A tempestade não tinha sido tão grande quanto o homem do tempo havia previsto, mas os flocos continuavam caindo lá fora. O sol estava brilhante, no entanto, então a neve estaria derretida ao entardecer. Tirei a jaqueta e olhei para papai, que estava no sofá, folheando o Diário de Hamilton  com uma xícara de café quente na mão esquerda.


      Ele levantou a vista quando me ouviu entrar. -  Ei, pequeno -  ele disse, colocando a xícara sobre a mesa de café. -  Se divertiu com o Denki e o Eijiro ?

       -  Sim, -  eu disse. -  Como foi no trabalho?


     -  Dia cheio, - ele suspirou.-  Você sabe quantas pessoas nesta cidade compram laptops para o Natal? Tenho certeza de que não, então só vou te dizer que muitas. Sabe quantos desses Laptops estavam quebrados?

          - Muitos? - Supus.

            -  Bingo. -  Papai sacudiu a cabeça e começou a dobrar o jornal. -  Se você não tem dinheiro para gastar em um bom Laptop, por que se incomodar? Só guarde dinheiro e compre um melhor depois. Você só vai acabar gastando dinheiro extra com os reparos, se você não fizer isso. Lembre-se disso, pequeno. Se te ensino uma coisa na vida, deixa que seja essa.

        -  Claro, pai.

            De repente me senti como um idiota. Como pude ter ficado tão irritado ontem à noite? Está claro que foi por nada. Quero dizer, sim, ele e mamãe estavam tendo problemas, mas eles provavelmente iam ser superados como Denki  disse. Ele não estava deprimido ou triste, nem remotamente perto de tocar numa gota de álcool.


         Ainda assim, eu sabia que a última ausência da mamãe estava atingindo-o meio que forte. Então eu pensei que devia tentar tornar isso mais fácil para ele. Eu sabia que provavelmente ele estava se sentindo um pouco só ultimamente, e acredito que em parte, era culpa minha também.

       -  Quer assistir TV? -  Eu perguntei. - Não tenho muitos deveres para amanhã, então eu posso fazê-los mais tarde.

    -  Soa bem,-  Papai disse. Ele pegou o controle remoto da mesa lateral. -  Há uma reprise do velho Perry Mason agora.

             Eu fiz uma careta.- Uh... está bem.


-  Estou brincando, pequeno, -  ele riu, navegando pelos canais. -  Eu não faria isso com você. Vamos ver... Oh, olha. Tem uma maratona de Family Ties• na Tv Terra. Você amava essa série quando você era pequeno. Você e eu costumávamos assistir os novos episódios quando você tinha uns 4 anos.


         - Eu lembro. - Me sentei no sofá ao lado dele.  -  Eu te dizia que queria ser um republicano quando fosse jovem porque achava que o Michael J. Fox• era lindo.

              Papai bufou e ajustou os óculos de aro grosso. -  Isso não aconteceu. Meu pequeno  é um liberal agora. - Ele sabia sobre minha sexualidade e não me julgava, ele colocou um braço ao redor dos meus ombros e apertou. E eu sabia que isto era o que ele precisava. Ou talvez nós dois precisávamos. Basta um pouco de tempo de ligação para que a casa não se sentisse tão vazia. Quero dizer, eu gostava do silêncio, mas muito disso poderia te levar à loucura depois de um tempo. -  O que acha de assistirmos alguns episódios?

                 Sorri. - Claro, pai.


            Na metade do primeiro episódio, tive uma estranha revelação, eu sempre soube que gostava de garotos. Está bem, quando eu era criança, eu tinha uma grande queda pelo Alex P. Keaton (personagem super republicano de Michael J. Fox em Family Ties), mas doze anos mais tarde, eu estava gostando do Shinsou Hitoshi, um jovem democrata. Eu tinha alguma coisa com os políticos ou o quê? Talvez eu estivesse, tipo, destinado a ser marido de um senador... ou talvez terminar como " Primeira Dama", ou não é claro.


            Não. Os políticos não se casam com as/os Duff‘s. Eles não eram bonitas (os) o suficiente à margem dos debates. E eu não era do tipo que casa, de qualquer forma. Tinha uma melhor oportunidade de ser a versão masculina de  Monica Lewinsky• do futuro. Eu me asseguraria de queimar todos, uhm, roupas incriminatórias.

      Hey, Obama em certa forma era sexy para um cara velho. Talvez eu tivesse uma chance.


        Mordi o lábio quando papai riu de uma das piadas da série. Como foi que inclusive Family Ties me trouxe de volta essa palavra?


             Duff.


Deus, Todoroki e sua maldita classificação, simplesmente não me deixariam em paz. A palavra zombava de mim, inclusive na minha própria casa. Encostei-me mais sobre papai, tentando me concentrar no programa. Em nosso tempo juntos. Em qualquer coisa exceto o Todoroki e aquele estúpido rótulo. Tentei esquecer sobre aquele maldito beijo e de como tinha sido idiota.




              Tentei, tentei, tentei.




              E, claro, fracassei miseravelmente.




                                      °°••○●♧●○••°°


Notas Finais


Best Buy•: é uma rede de loja de eletrônicos.

Family Ties: é uma conhecida comédia norte-americana da NBC, originalmente transmitida na década de 80, entre os anos de 1982 e 1989.

Michael J. Fox• :
http://www.espacoseries.com/wp-content/uploads/2008/07/michael_j_fox.jpg -> Ator de Family Ties e De volta para o Futuro.

Monica Lewinsky • :
Acusada de ter um caso com o ex-presidente dos EUA Bill Cliton. Mais detalhadamente, acusados de terem feito sexo oral na sala oval da casa branca. Ai foi gravado conversas telefônicas incriminando os dois e tas.


Até o próximo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...