1. Spirit Fanfics >
  2. Dulce Sanguis - t a e k o o k >
  3. 2. Kim Taehyung

História Dulce Sanguis - t a e k o o k - Capítulo 3


Escrita por:


Notas do Autor


Oi! Essa história tbm se encontra no wattpad, se alguem usa o app, vai lá me dar uma força por favor?!

Obrigada, boa leitura!

Capítulo 3 - 2. Kim Taehyung


TH

 

Ser um Dulce não era nada fácil, mas Taehyung se sentia muito especial por ter nascido com sangue doce, ele e suas irmãs faziam parte da leva de nascimentos forçados pelo qual o governo incentivava. A porcentagens de sangue doce estava muito baixa, com isso cada vez mais meninas e meninos eram sequestrados e vendidos a preços absurdos para Amaruns de grande poder econômico. 

Além disso a pobreza aumentava, com medo de saírem na rua e serem mortos ou sequestrados, sangues doces eram obrigados a ficar em casa, para a própria segurança acabaram se colocando em uma prisão social. A única forma desse estado de calamidade ser dado por encerrado seria  com o aumento percentual de nascimentos Dulce. O governo garantiria uma boa renda por cabeça, quanto mais um casal tivesse filhos, mais renda econômica poderia alcançar.

Sendo assim, os pais de Taehyung que eram realmente o par um do outro, uma bela e delicada Dulce, e um Amarum forte e responsável, haviam dado à luz a 13 filhos saudáveis. Três meninos e uma garotinha haviam nascido Amaruns, enquanto que Taehyung e suas 8 irmãs restantes eram Dulces delicados e cheirosos. 

O Kim quando nasceu foi prontamente adorado, meninos de sangue doce eram ainda mais raros, essa genética tinha um peso na balança que indicava claramente que o comum eram que meninas nascessem nessa classe, afinal de contas, Dulces além de carinhosos, prestativos e inteligentes, eram ótimas pessoas para criação de filhotes, sua fertilidade era altíssima.

Mas garotos ainda eram garotos, não possuíam órgãos reprodutores, então um garoto Dulce não poderia gerar herdeiros. Eram raros, mas infelizmente não muito bem vistos. Apesar de terem um cheiro ainda mais doce e atrativo, Amaruns sempre buscavam por constituir uma família, e garotos não podiam engravidar, esses meninos de sangue doce não serviam para isso.

Por isso muitas das vezes eram tratados como objetos sexuais.

Mesmo com tantas informações, nascer no meio de toda aquela bagunça parecia algo natural para Taehyung. Nasceu e cresceu em um hospital para Dulces, realizava uma bateria de exames, a ciência queria constatar que os bebês que estavam sendo gerados aos montes nasciam perfeitos e com as características ideais. 

Sua adolescência foi repleta de descobertas sobre a vida, desejos e interesses. Taehyung crescia no meio de muitas meninas, seus gostos eram diferentes, suas vontades também. Enquanto elas se arrumavam e cuidavam do corpo, Taehyung imaginava como seria sua vida no futuro. Será que conseguiria encontrar o seu par? Conseguiria fazer faculdade? Ele seria livre para passear por todos os lugares?

Diferente de muitos Dulces, Taehyung adorava suas capacitações, era amante de arte, sempre que podia, encontrava-se com um lápis e uma borracha em mãos, desenhando e imaginando formas, traçando pontos e retas distorcidas, fazendo suas próprias decorações em seus cadernos de estudo. Queria ser pintor ou fotógrafo, saber que sua classe apoiava essa área de estudos era simplesmente magnífico. Nunca conseguiria se imaginar atras de uma mesa, teclando informações para por em documentos, agendando horários e todo esse envolvimento com negócios. 

Ficava imaginando a vida de seus pais de quando eram humanos, seu pai não havia sido infectado, o senhor Kim contava para ele e seus irmãos  como havia se transformado em Amarum. Havia sido mordido por um sangue amargo, ele estava faminto e quando foi mordido, o simples humano que era acabou se transformando quase que imediatamente por conta da toxina liberada pelas presas. 

Taehyung imaginava como seria sua vida se fosse um humano, pra começar achava que nem estaria ali, talvez seus pais não seriam os mesmos, e se fossem não iriam ter treze filhos seguidos um do outro. Até para sua situação atual eles parecia ser muitos filhotes para cuidar. 

Felizmente gostava de sua vida simples, era encantador a forma que todos ao seu redor lhe tratavam, sempre foi mimado e protegido por seu querido pai, mesmo quando as estatísticas começaram a mudar e Dulces tinham a garantia de que podiam voltar ruas, o senhor Kim continuava levando seus filhotes de sangue doce para todos os lugares.

Talvez se fosse humano, Taehyung não seria tão bem cuidado, mimado e incentivado a cursar fotografia. Sua irmã mais velha era Dulce, tinha 10 anos a mais que si, estava com 29 anos e no 2° semestre de medicina, havia estudado para ser enfermeira, se graduou e consequentemente se apaixonou pela área, cuidar das pessoas e se importar com elas. Mesmo sendo difícil para sangues doces, havia passado e era o orgulho da família.

O mais incrível é que quando o pequeno Kim revelou sua futura área de atuação, seus pais ficaram tão felizes quanto a prestigiada area de medicina da irmã. Nao podia estar mais feliz quanto.


Alguns anos se passaram, a situação com Dulces havia finalmente normalizado, seu pai já não estava compenetrado em lhe proteger 24 horas por dia, e mesmo que estivesse, não conseguiria, Taehyung havia se tornado um sangue doce bastante atarefado. 

Cursava fotografia pela manhã, já estava em seu 4° semestre, faltavam apenas mais quatro para conseguir seu diploma, pela tarde sempre que podia saia com seus amigos, ou ficava de bobeira no parque central da cidade, levava seu caderno de desenhos e rabiscava os traços de pessoas que nunca havia visto antes, mas queria eterniza-los em suas folhas.

Pela noite o pequeno Kim trabalhava, a renda do governo só servia como auxílio até os 18 anos do filhote, depois disso a família não recebia mais nenhum benefício e por isso seu trabalho lhe passava a sensação de dignidade. Não estava deixando seus estudos para serem bancado pelo sei pai, ele mesmo lidava muito bem com tudo. 

O Kim trabalhava numa conveniência que ganhava bastante popularidade entre os de sangue amargo e doce, a famosa casa de produtos naturais.

Na cidade as casas de ervas, plantas e produtos medicinais cresciam muito com a busca por um corpo saudável, forte e bonito. O Kim trabalhava na Nature & Beauty, haviam milhares de filiais por toda a cidade, e tinha muita sorte de ter sido aceito para ser caixa sem nenhuma experiência anterior. N&B possuía o diferencial de ficar aberta 24 horas, além de produtos naturais, a loja também oferecia plantas medicinais e remédios que agiam no âmbito sexual. O cio.

O cio ainda era estudado, mesmo naquele ano de 2058, o pequeno Kim em seus 19 anos nunca havia passado pelo cio, poucos passavam por isso e aquilo se restringia somente aos de sangue doce e amargo. Os remédios que passaram a existir serviam para amenizar as sensações de desconforto já que a pouca parcela que começava a enfrentar essa realidade só conseguia ser completamente satisfeita por seu par. 

E poucos encontravam o par.

Cada dia que passava, o governo e o ministério da saúde ganhavam milhares de dólares para que a produção de sangue sintético prosseguisse.

Amaruns dependiam do sangue, não podiam simplesmente morrer de fome. Mas o sangue não trazia a sensação de satisfação. O cio foi uma resposta a situação precária da sociedade, Amaruns sofriam com seus organismos que biologicamente imploravam pelo par de sangue doce.

Kim Taehyung nunca pensou que poderia encontrar seu par, e que ele estaria entrando na loja completamente entorpecido pelo cio, alucinando e implorando por seus remédios de controle sexual.

Era nítido em seus olhos que ele ansiava por um Dulce, um de sangue tão doce quanto mel, um que pudesse lhe satisfazer por completo.

Naquela noite, Taehyung não foi capaz de explicar para seus colegas de trabalho a sensação que sentia em seu coração. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...