História Dupla Confusão - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias Lukas Marques & Daniel Mologni (Você Sabia?)
Personagens Daniel Mologni, Lukas Marques
Tags Revelaçoes
Visualizações 3
Palavras 945
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Drama (Tragédia), Festa

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 6 - Um pouco de sossego


P.v. Daniel

Segunda-feira e cá estamos na escola de novo, e desde que Lukas me falou sobre toda a descoberta e oque tinha acontecido, eu ñ tenho parado de pensar no assunto. Eu disse pra ele tentar arrancar alguma informação de Laura, sobre o seu querido irmãozinho, mas acho que ele está muito animado em fazer isso, pois o mesmo deve estar pensando que talvez ela desconfie e como tudo para o irmão dela, e aí sim, estaremos tratados, temperados, fritos, mastigados, engolidos e digeridos. Pode até parecer exagero, mas, levemos em consideração que estamos falando de um dos traficantes mais perigosos da região por favor.

Antes de por o plano em prática, fui dar mais um pouco de apoio moral.

- cara, fica de boa, vc vai ver, vai dar tudo certo, e ainda estaremos um passo a frente dele. - eu disse tentando transparecer confiança.

- eu ñ sei. E se ela desconfiar? Pior, e se ela estiver com o mesmo plano que eu, e tentar tirar alguma informação minha pra passar pro irmão dela? Sei ñ...

- primeiro vc precisa relaxar, e pensar que vai ficar tudo bem. Olha se te ajuda eu irei ficar por perto,pode ser?

- pode ñ, deve né. Escuta, eu estava pensando em gravar a conversa com o celular, que tal?

- viu só? Vc relaxado pensa muito melhor. Faz isso. Assim já teremos uma prova.

- então eu espero que seu plano dê super certo, pois ñ sei se o mundo está preparado para perder uma pessoa, lindo, sexy e gostoso.

Fiz uma careta pra ele

- tá se achando muito ñ tá ñ ô gostosão.

- admite que até vc me acha gostoso.

- sai fora, seu gay.

Foi ótimo termos esse papo, pois assim ele estaria mais relaxado, pois assim executaria nosso plano com perfeição. Ele tinha marcado de se encontrar com Laura no intervalo, e assim que visualizei eles indo em direção a quadra da escola, os segui e os vi sentarem nas arquibancadas. Dava pra mim ficar bem perto deles, pois as arquibancadas eram de madeira, eu poderia ficar bem ali embaixo deles, ouvindo tudo de camarote. Só espero que ñ resolvam falar sobre o que tanto que eles fizeram no motel no último encontro deles.

P.v. Lukas

Apesar de eu estar um pouco nervosofui atrás das tais informações de que Daniel tanto disse. Mas devo confessar q essa sainha que Laura está vestindo, está mexendo as minhas cabeças. Acho que deve medir um palmo da minha mão e olhe lá. Percebi qnd Daniel se aproximou e ficou debaixo da arquibancada, escondido o suficiente para Laura ñ o visse.

- hey gata, eu e me amiguinho sentimos a falta de vc e sua amiguinha. - eu sabia que Daniel se zangaria se eu ficasse falado sobre o que fiz e o que eu ñ fiz com Laura.

- huuummm... Tbm sentimos a falta de vcs dois. - dosse ela no mesmo tom de safadeza. - quando que a ge00nte vai repetir dose?

- na hora que vc quiser, é só me dar um toque.

- maravilha! - dou um beijo na mão dela...

- então... - dou outro beijo dessa vez no pescoço. - me fala um pouco mais sobre vc. - mordo de leve a sua orelha...

- sobre mim? - aceno com a cabeça e dou um beijo no seu queixo. - o que vc quer saber? - Ela fala devagar e ofegando.

- qualquer coisa. Fala sobre a sua família. - e dou um beijo bem molhado na sua boca.

- bom... - ela disse depois do beijo enquanto eu dava pequenos selinhos em sua boca. - sou só eu, meu irmão e minha mãe. Meu pai faleceu quanto eu tinha 5 anos e desde então minha mãe sustenta a gente trabalhando como doméstica. 

Dou outro beijo em sua boca e depois continuo:

- sinto muito pelo seu pai. - disse sincero.

- tudo bem. - ela respondeu sorrindo. - desde que ele se foi, meu irmão cuida de mim e da minha mãe com todo o carinho do mundo. É claro que... Ah esquece.

- pode falar. Desabafa comigo. - dei outro beijo. 

- bom. É claro que, depois que ele começou se envolver com um pessoal da pesada, ele mudou um pouquinho. 

- mudou como? 

- é melhor a gente deixar isso pra lá. N gosto muito de falar disso.

- Laura... - beijei na sua testa para lhe passar confiança. - pode falar, ok? Eu prometo que tudo q estamos conversando aqui vai ser segredo.

- tudo bem. - ela disse, e comemorei internamente. - como eu te disse a droga que eu consumo é meu irmão que me dá. Eu ñ sei como ele consegue, eu só recebo e uso , eu nem pergunto de onde vem. 

- mas isso já gerou algum problema pra vcs? Digo, as drogas?

- ñ que eu saiba. Mas eu posso te contar um segredo?

- claro.

- uma vez eu me meti numa confusão por causa de um cara. Ele era um colega do meu irmão e me estuprou. E quando contei isso a Luís, ele foi a casa do cara e o matou. Depois desse dia, Luís mudou ainda mais, mas ele cuida super bem de mim e da minha mãe. 

- por acaso, ele trabalha?

- sim, mas eu ñ sei de nada sobre os esquemas dele.

- é melhor vc ñ dizer a ele que contou essas coisas pra mim, vai que ele ñ gosta, né? Mas fique sossegada, ñ vou contar a ninguém

- tudo bem, então.

Dei uns pegas nela e depois deixamos a quadra. Logo que nos separamos, fiquei mais sossegado e com um pequeno peso na consciência. Tentei afastar esse pensamento e fui de encotro com Daniel. E no meu celular estava gravada toda a conversa...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...