1. Spirit Fanfics >
  2. Duskwood - Revenge >
  3. Início de suspeita

História Duskwood - Revenge - Capítulo 7


Escrita por: Jalink

Capítulo 7 - Início de suspeita


Nós saimos e estavamos em um galpão no meio da floresta, já estava de noite e haviam várias sirenes. Nathaniel e Louise vieram direto me abraçar, dava pra perceber que Louise estava chorando, mas uma coisa chamou mais minha atenção, Jake ele estava lá, mas tinham dois agentes um de cada lado dele, e as mãos dele estavam para trás, ele estava chorando, então mexeu a boca formando as palavras " bom trabalho, eu te amo". E depois disso os agentes o levaram, eu tentei ir atrás dele mas estava muito fraca e Nathaniel me impediu, sinto as lágrimas queimarem meus olhos e ele se foi dentro de uma viatura.

•| ━━━━━━━❪✇❫━━━━━━━ |•

Vários médicos vieram até mim, mas eu não me importei, não estava me importanto com mais nada, eles levaram ele. Eu entrei em uma ambulância, Nathaniel, Louise e Phil entraram comigo, os médicos me mandaram par ao hospital por eu estar muito fraca, eu não tinha comido nada antes de ir pro hospital então eu estava com "desnutrição" de acordo com os médicos.

S/n: — Phil o que aconteceu?

Phil: — O Jake se entregou, o seu celular estava desligado, é muito mais complicado rastrear um celular desligado, e ele não tinha equipamentos suficientes para isso, então ele fez um acordo com as pessoas que estavam atrás dele, eles achavam você e depois poderiam levar ele, foi o único jeito que ele achou.

S/n: — Ele se sacrificou por mim é isso? — falo e ele da um aceno de cabeça e eu deito a cabeça no colo de Nathaniel e ele começa a acariciar meu cabelo.


Quebra de tempo

 

Nós estávamos no hospital, os médicos prefiriram me deixar internada por um tempo, por conta do liquido que ele inseriu em mim prefiriram fazer uns exames para ver se estva tudo bem.

S/n: — Nath, liga pro Joe por favor, fala que eu quero que ele venha pra cá, explica o que aconteceu.

Nathaniel: — Tá bom — ele falou e saiu do quarto.

S/n: — Vocês já falaram pros outros o que aconteceu?

Louise: — Ainda não ia fazer isso agora, vou aproveitar e gar algo para comer.

S/n: — Phil, posso te fazer uma pergunta?

Phil: — Claro.

S/n: — Por que você não gosta da sua irmã?

Phil: — Não vai ter como escapar disso né? — ele pergunta me olhando e eu nego com a cabeça — eu gosto da Jessy, eu amo ela, mas quando a gente era mais novo eu falei coisas horríveis pra ela, eu culpava ela pela separação dos nossos pais, e eu só não sei como pedir desculpa pra ela, é por isso que eu ajo desse jeito.

S/n: — Apenas peça desculpa, ou então não fale nada, só demonstre.

Phil: — Obrigado S/n.

Nessa hora a porta abre e o grupo entra com uma enfermeira claramente irritada por eles terem entrado todos de uma vez.

S/n: — Pode deixar eles aqui moça, vão me ajudar a melhorar — falei com um sorriso e ela saiu do quarto bufando.

Jessy: — Como você está? — ela perguntou me abraçando.

S/n: — Bem, mas ainda querem que eu fique um tempo aqui.

Dan: — Agora você vai saber oque eu sofri com a comida daqui.

S/n: — Ai cachaceiro vai jogar praga em outro.

Thomas: — Que bom que você ficou bem. Você se tornou alguém realmente importante. — ele disse com um sorriso.

S/n: — Obrigada Thomas — falei retribuindo o sorriso —  onde está a Cleo?

Lilly: — Ela teve que ajudar a mãe dela.

S/n: — Entedi, sinto muito Lilly, o Jake...

Lilly: — Não se preocupe ele fez o que achou que era certo, e ele vai ficar bem.

Antes que eu pudesse falar mais alguma coisa aqueles três agente entraram no quarto.

Williams: — Olá S/n, acho que se lembra de nós certo? — ele pergunta e eu acinto com a cabeça — Bom nós queremos fazer umas perguntas, e para isso precisamos que vocês saiam.

Dan: — Qualquer coisa chame a gente.

S/n: — Certo — falei e esperei o grupo sair do quarto — o que querem?

Johnson: — Fazer umas perguntas do jeito que ele disse.

Williams: — Bom o sequestrador era Uric Barret.

S/n: — Disso eu sei.

Williams: — Queremos saber se ele falou algo.

S/n: — Não — não falei sobre a ligação que ele havia feito, não queria que eles se metessem em mais coisas.

Miller: — E também queremos falar sobre o Jake, ele limpou toda sua barra, então você não será acusada de cúmplice.

Miller: — No momento ele está preso em Colville, ele terá um julgamento para definir a pena exata, queremos sabe sobre advogado, ele tem algum?

S/n: — Sim, chegará dentro de algumas horas.

Miller: — Ótimo, quando ele chegar diga para entrar em contato — ele falou me entregando um cartão — bom descanso.


Quebra de tempo

 

Já estava algumas boas horas dentro daquele lugar, e não estava mais suportando, agora eu entendo o que o Dan passou. Ouço a porta se abrir e vejo Joe, seus cabelo castanhos estavama  despenteados, seus olhos eram quase cinzas estavam cansados ele deveria estar trabalhando muito ultimamente ele ficou me encarando e depois veio correndo me abraçar.

Joe: — Como você está?

S/n: — Bem agora.

Joe: — Fizeram algo com você?

S/n: — Não Joe, eu estou bem — falei nos separando — não aconteceu nada, eu só passei um tempinho com o sequestrador.

Joe: — Que bom, quanto tempo vai ficar aqui?

S/n: — Acho que no máximo dois dias, e você? Fica quanto tempo aqui?

Joe: — Até você melhorar, tenho tido bastante trabalho ultimamente.

S/n: — Acho que eu vou te dar um pouco mais de trabalho — falo com um sorriso fraco.

Joe: — Como assim?

Explico todo o caso do Jake para ele, e do sequestro também, entrego o cartão do agente.

Joe: — Tudo bem, eu vou falar com o  agente e com o Jake.

S/n: — Vai conseguir tirar ele de lá certo?

Joe: — Vou fazer o possível.

S/n: — Vou fazer o possível — falo imitando ele e ouço ele dar uma risada — acho que agora eu tô gostando do seu trabalho.

S/n: — Ainda mantenho minha opinião de-

Joe: — De que você nunca trabalharia com isso, por que você nunca defenderia um bandido, eu sei, você fala isso desde que eu levantei a hipótese de virar advogado.

Joe: — Bom eu vou ter que ir agora, vou ver o caso dele — ele falou se levantando e dando um beijo na minha testa — é bom se recuperar logo.

S/n: — Vou me recuperar.

Logo quando ele saiu uma enfermeira entrou e me explicou tudo, disse que eu estava bem, que o liquido não causou nenhum dano permanente e que amanhã eu já sairia de lá.


No dia seguinte

 

Eu já tinha recebido alta, Nathaniel, Louise e Jessy haviam ido me buscar, eu Nathaniel e Louise iriamos para casa da Jessy por questões de segurança, eu havia contado a eles três sobre a lligação que o Barret fez, e que ela provavelmente significava que havia mais de um Homem sem rosto. Nós já haviamos chegado na casa de Jessy e arrumado nossas coisas.

Nathaniel: — Quando pretende contar aos outros dessa ligação? —ele perguntou se sentando no sofá e eu me sentei ao lado dele.

S/n: — Não sei, acho que logo.

Nathaniel: — O que aconteceu ?

S/n: — Como assim?

Nathaniel: — Eu sei que tem algo te incomodando.

S/n: — Naquele dia que eu desmaiei, quando nós passamos em frente a floresta eu tive um sonho estranho, e quando o Barret injetou aquele liquido em mim eu tive de novo, só que eu acho que são lembranças, e não sonhos.

Nathaniel: — Que sonhos? — contei os sonhos para ele e ele me olhou confuso — então você já morou aqui?

S/n: — Creio que sim.

Nathaniel: — Por que você não pergunta pro Joe?

S/n: — Por que se eu realmente tiver morado aqui, significa que ele tá mentindo pra mim esse tempo todo, e eu não quero brigar com ele agora.

Nathaniel: — Tudo bem, mas seria o melhor, afinal ele é o único que pode saber.

S/n: — Tá tá — odiava quando ele estava certo —  eu vou falar com grupo daqui a pouco.

S/n: — Eu também quero saber um jeito de lembrar do resto sabe? Quero saber oque aconteceu, talvez ajude a achar a Hannah.

Nathaniel: — Mais um motivo pra falar com o Joe, se ele te contar talvez você se lembre.

S/n: — Nath eu vou falar com ele uma hora. Talvez se eu for na floresta eu me lembre.


Nathaniel: — E eu que sou o retardado depois né? Nunca vi você dar uma ideia pior que essa.

S/n: — Tá Nath, eu arrumo outro jeito então.

S/n: — Vou falar com o grupo, vou adicionar vocês também.

✇ Bate papo em grupo on

S/n adicionou Nathaniel, Louise

S/n: Ei pessoal fiquem online.

Nathaniel online
Louise online
Dan online
Lilly online
Jessy online
Cleo online
Thomas online


Jessy: Oi.

S/n: Oi, bom acho que vocês já sabem que o sequestrador é o Barret, pelo menos um deles.

Dan: Como assim "um" deles? Pegamos o cara não pegamos?

S/n: Essa é a questão. Quando ele me pegou eu fiquei em um quarto amarrada em uma cama, em um momento eu ouvi ele em uma ligação com alguém, falando que havia me pegado e que eu ficaria desacordada.

S/n: Resumindo, ele tem um cúmplice.

Cleo: Isso foi realmente inesperado.

Thomas: Mas faz sentido.

Thomas: Hannah não estava no mesmo galpão que S/n.

Jessy: O que nós vamos fazer agora?

S/n: Vou continuar procurando por ela

S/n: Eu vim para cá para isso, e não vou embora até achar ela.

Cleo: Como você pode ser tão motivada?

S/n: Eu sempre fui assim Cleo.

S/n: Era só isso.

S/n: Tomem cuidado.

S/n offline
Nathaniel offline
Louise offline
Dan offline
Lilly offline
Jessy offline
Cleo offline
Thomas offline

✇ Bate papo em grupo off

Me jogo na cama pensando em tudo aquilo e depois de um tempo tentando de tudo pra lembrar de mais alguma coisa ouço meu celular tocando e era Joe.

✇ Ligação on

S/n: Oi Joe.

Joe: Oi, então, tô te ligando para avisar que o julgamento do Jake vai ser amanhã às 10:30, caso você queira ir.

S/n: Obrigada Joe, eu vou ir sim.

Joe: Tá tudo bem?

S/n: Tá sim, amanhã a gente se fala, tchau te amo.

Joe: Tchau.

✇ Ligação off

Estava tão cansada que acabei dormindo ali mesmo abraçada com o moletom de Jake.


Notas Finais


✇ Desculpe erros.
✇ Obrigada por ler ;)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...