1. Spirit Fanfics >
  2. DustTale - Crazy in Love (SansxReader) >
  3. Historia Miller

História DustTale - Crazy in Love (SansxReader) - Capítulo 12


Escrita por: e Tai_Bleh


Notas do Autor


Esqueci de postar Quarta, por que eu tava fazendo lição dai ficou tarde de mais pra vir por pc e escrever, mas aqui está e desculpa por isso. a parte do final tinha sumido por algum motivo então tive que improvisar, espero que tenha conseguido fazer tudo, eu não me lembro direito dos detalhes então desculpa qualquer coisa. Em fim boa leitura~

Capítulo 12 - Historia Miller


Fanfic / Fanfiction DustTale - Crazy in Love (SansxReader) - Capítulo 12 - Historia Miller

- Sans... Oque precisamos para derrotar nosso inimigo? *Pergunto como uma oficial do exercito.

 

- Matar ele? *Ele diz enquanto esta distraído com um caça palavras.

 

- SANS FIQUE FOCADO NO PLANO! *Digo com autoritarismos na voz.

 

- Ah sim, já estou quase terminando aqui... Aonde esta a palavra girassol? Huumm.

 

 

Eu simplesmente pego o caça palavras e o escondo na minha blusa.

 

 

- Agora esta prestando atenção? *Pergunto delicadamente.

 

- Sim senhora, desculpa senhora *Ele responde como um militar.

 

- Obrigado... Então, eu estive pensando, e talvez a melhor forma de derrotar o Fred seria saber mais sobre ele, para chantageá-lo ou coisa do gênero, saber mais sobre ele para pressiona-lo até mesmo todas as coisas horríveis que ele tenta esconder *Digo enquanto estou parada na frente dele olhando atentamente para ter certeza de que ele esta prestando atenção.

 

- E como vamos fazer isso general? *Ele pergunta curioso e desconfiado do meu plano que com certeza era maluco.

 

- Podemos perguntar pras pessoas que conhecem ele, fingo ser uma jornalista que esta fazendo uma matéria sobre o Fred, perguntar sobre a vida dele e essas coisas *Digo um pouco animada, eu adorava esse tipo de coisa quando era assassina de aluguel... Acho que era a unica coisa que eu gostava naquela época.

 

- E se não der certo? *Ele pergunta com receio sobre o plano.

 

- Vai dar certo, eu sou uma profissional lembra? *Digo orgulhosa das minhas habilidades.

 

- Se você diz, mas vou adorar se você errar por que vou poder dizer "eu te avisei" hehehe *Brincadeiras a parte, eu sei que ele esta com muito medo de isso dar errado, mas ele quer confiar em mim também.

 

- Seu maldoso *Até parece que ele é minha mãe pra dizer essas coisas.

 

- Maaas mudando de assunto, eu estive pensando e quero te perguntar algo *Ele fica em silencio por um tempo.

 

- O que eu sou pra você? E o que nós somos? 

 

- Haaamm bom... Não tenho certeza, eu sei que gosto de você, é como o que eu sentia pelo Guil, e isso eu nunca tinha sentido por outra pessoa além dele, então acho que eu te amo kkk *me sentia idiota falando isso, mas entendo o que ele quis dizer.

 

- Nossa me sinto importante agora kkk *Ele diz um pouco corado e sorrindo.

 

- Boboo~ *Digo com um olhar um pouco sério.

 

 

Ele me puxa pra mais perto e me abraça.

 

 

- Obrigada, acho que eu precisava ouvir isso de você... *Ele sussurra pra mim enquanto ainda estou em seus braços.

 

 

Eu estava corada, me sentia um pouco triste por ele, depois de tudo que ele passou acho que é difícil pra ele confiar em alguém de novo.

 

 

- Hehe você é tão fofa Kitty *Ele aperta minhas bochechas.

 

- Naah para isso dói *Digo em protesto.

 

- Achei que você não sentia dor *Ele pergunta confuso pensando que eu estava brincando.

 

- Eu comecei a sentir dor, percebi isso quando cortei meu dedo quando estava fazendo o jantar aquele dia.

 

- Ah sim eu lembro, por que não disse nada? 

 

- Não era nada pra se preocupar, mas eu também estive sentindo dores nos lugares aonde ela me machucou...

 

- .: Já estava achando que tinha se esquecido de mim, devo admitir que você conseguiu me manter longe por um loooonngo tempo mas, me alimentar das suas emoções me deixou mais forte hahahaha :. *Ouso a voz da Tiphane ecoar pela casa, então ela aparece na minha frente.

 

- VAI EMBORA ME DEIXA EM PAZ! *Gritei um pouco mais alto do que eu planejava, mas eu senti tanto desespero, nojo e ódio que acabei extravasando.

 

- Tudo bem Sweethaert?! *Ele coloca uma das mãos no meu ombro devagar, para não me assustar ou algo assim.

 

- É só a insuportável da Tiphane de novo... Achei que havia me livrado de você.

 

-.: Kkkk você nunca vai se livrar de mim, Sofi querida, vou te fazer pagar por destruir meu paraíso:. *A voz irritante e convencida dela é tão ridícula que não sei como ela conseguiu se casar um dia. 

 

- Você é louca, abusando de crianças, as comprando como se fossem objetos sexuais, tirando a alegria e inocência delas *Ela sempre foi sádica, manipuladora, e uma completa vadia, abusando de crianças frágeis e assustadas.

 

- .: Por isso eu te amava tanto, você nunca precisou de pausas, nunca se importou com as coisas que eu fazia com você, você me deixava te tocar, te rasgar e- :. 

 

- CALA A PORRA DA BOCA, VOCÊ SÓ ME USOU E SE APROVEITOU DE MIM, VOCÊ DESTRUIU A MINHA VIDA *Acho que apesar de tudo eu ainda queria acreditar que tinha algo humano nela, queria que ela se arrependesse do que fez e pedisse desculpas por tudo, não só pra mim, como pros outros também.

 

- .: Você nunca esteve viva pra começo de conversa, aquela carinha de morta que você tinha era tão fofa :. *Ela diz zombando de mim.

 

- Manda essa vadia se ferrar por favor? *Sans diz obviamente muito irritado.

 

- Você esta ouvindo ela também?! *Pergunto surpresa, ele não podia ouvi-la antes e agora consegue??

 

- Uma das vantagens de ser louco é que você consegue se comunicar e ouvir os espíritos daqueles que se foram. Isso acontece quando alguém passa por uma experiência traumática dai os chamam de loucos... 

 

- .: Nossa ele sabe de tudo ein, mas ainda não acredito que você transou com um monstro Sofiii, ele abusou do corpo que é e sempre será meu :. *Ela diz com muita confiança, ela tem muita coragem mesmo de acusar alguém de abusador.

 

- Tiphane... Cala sua boca que a unica coisa que sou sua é assassina *Eu acho que não vou aguentar mais um minuto com essa mulher louca.

 

- Alguém da um chá de semancol pra essa mulher? ela ta achando que minha namorada é a escrava sexual dela... Mas agora que eu vi mesmo, vai assombrar idosos e deixa agente em paz sua pedófila *Ele me agarra pelo ombro e voltamos ao plano.

 

- Eu ouvi você dizer "namorada?" *Pergunto para ele com um sorriso bobo no rosto.

 

- Posso não ter te pedido em namoro, mais você é minha agora certo? *Ele me pergunta com um olhar malicioso e brincalhão.

 

- Eu não sei kkkk *Faço cara de quem é totalmente inocente e ele começa a rir.

 

- Okay okay, mais agora voltando ao plano... *Ele diz prestando muita atenção.

 

- Hum bem é isso, sei que acha que não vai dar certo, mas vale a pena tentar né? *Digo pra ele um pouco entusiasmada.

 

- Sim você esta certa, vamos pensar bem nos detalhes para que nada de errado *Ele diz em um tom sério um pouco pensativo.

 

 

Depois de um tempo, decidimos o que faríamos. Eu iria agir e Sans ficaria de vigia para que nada desse errado, então ficamos o dia todo pensando em um plano e preparando tudo para podermos agir no dia seguinte. fomos dormir cedo para acordar cedo e começar a por o plano em pratica, não podemos perder nem um minuto se quer, quanto mais rápido conseguirmos as informações mais rápido vamos saber como lidar com o Fred.

 

- Okay, temos tudo que precisamos. Conseguiu descobrindo aonde a mãe do Fred mora? *Pergunto enquanto reparo tudo para ter certeza de que não esqueci nada.

 

- Sim o endereço está escrito na capa do bloco de notas, lembra tem que anotar tudo que ela disser *Ele da uma piscadela e me entrega o bloco de notas.

 

- Sim, obrigada... Podemos começar? 

 

- Você ta animada pra isso né? *Ele pergunta com um sorriso zombeteiro no rosto.

 

- Claro por que eu não estaria? Eu adoro fazer esse tipo de coisa, ainda mais com você sendo meu parceiro nisso *Digo com um sorriso sincero e gentil.

 

- Huuum posso ser muito mais do que só seu parceiro nesse plano hehe *Ele me olha profundamente como se pudesse ler meus sentimentos e dá um sorriso malicioso. 

 

- Sim você também é um idiota kkk *Digo zombando dele.

 

- Hey eu também posso ser sexy se eu quiser *Ele diz me olhando maliciosamente tentando parecer sexy.

 

- Ah claro, muito sedutor kkkk *Digo com um tom de sarcasmo.

 

- Você está abaixando minha alto estimá, me sinto tão indefeso, Oh o que farei? Ela me afeta tanto com seu sarcasmo *Ele diz se fazendo de vítima e dramatizando tudo.

 

- Isso sim é sarcasmo, o que? Quer um beijinho e um pedido de desculpas? *Pergunto como se estivesse falando com um bebê.

 

- Se você me der não vou reclamar *Ele diz, fingindo que não estava querendo isso.

 

- Foca no plano Sans, depois você pode fazer suas gracinhas *Falo com as mãos no rosto dele para que ele olhe nos meus olhos. 

 

- Ain como ela ta nervosa, okay chefe o que estamos esperando? *Ele diz com o sorriso casual dele. 

 

 

Vou até o endereço que Sans me passou, aonde deveria ser a casa da mãe de Fred, vou perguntar sobre ele a todos que o conhecem, que sejam amigos próximos... Só assim saberei quem ele é de verdade. Chego ao local, uma casa de classe média em um bairro bem bonito e protegido, umas das partes mais protegidas da cidade, toco a campainha e ouso uma mulher dizendo do outro lado da porta. 

 

 

- Só um minuto *E logo depois uma moça que aparentava ter uns 22 anos de idade. 

 

- Ham eu queria falar com a senhora Miller, ela está em casa? *Pergunto educadamente, ela me olha da cabeça aos pés e pede para que eu entre.

 

 

A casa era feita de madeira clara, as janelas tinham feches de madeira escura, quase preta, a pota era branca com algumas partes em video, o portão da garagem era branco e havia algumas plantas e árvores em volta. Por fora parecia um pouco pequena, mas era espaçosa por dentro, com uma decoração moderna, a casa era limpa e arrumada... Provavelmente eles devem ter diaristas e esse tipo de coisa, o que quer dizer que são uma família bem rica. 

 

 

- Antes, me diga por que quer falar com a senhora Miller? *Ela não aparentava ser uma empregada, talvez alguém da família?

 

- Eu gostaria de fazer algumas perguntas sobre o filho dela, é pro jornal.

 

- Sendo assim pode vir comigo, me chamo Felícia Miller, irmã mais nova do Fred *Fico um pouco surpresa, ela me leva até uma sala onde uma senhora com cabelos brancos como algodão estava sentada em uma cadeira de rodas enquanto tricotava.

 

- Mãe, tem uma moça do jornal querendo falar com a senhora, ham qual seu nome mesmo?

 

- Me chamo Elizabeth Schuyler, é um prazer conhece-la senhora Miller.

 

- Muito bem, chegue mais perto jovem, nos de licença Felícia.

 

- Precisar de mim é só chamar mãe *Ela diz saindo da sala.

 

- Então senhorita Schuyler, o que quer saber?

 

- Estou fazendo uma matéria sobre seu filho, e gostaria que a senhora me contasse um pouco sobre ele, tentei entrar em contado com ele, mas não consegui então vim aqui falar com a senhora.

 

- Fred sempre foi um menino muito gentil, quando era pequeno ele dizia "quando eu crescer serei um policial muito famoso, dai vou te proteger mamãe". Sabe o pai dele sempre teve problemas com bebida, e muitas vezes me batia, o Fred odiava ver ele me machucando, então um dia, eu e o pai dele tivemos uma briga feia, e eu tinha certeza de que ele iria me matar, então Fred ligou pra policia, o pai dele foi preso e como eu era desempregada não pude pagar o aluguel e fomos despejados, nessa época ele já era um pré adolescente e eu estava gravida da Felícia, se não fosse por uma amiga minha de longa data teríamos ficado na rua, ela nos acolheu já que era solteira e tinha uma vida financeira boa, depois que Felícia nasceu eu comecei a trabalhar e consegui um lugar pra morar com meus filhos, nunca me esqueci de tudo que essa minha amiga fez por nós. Fred cresceu, estudou muito e conseguiu terminar a faculdade, então entrou pra policia da nossa cidade e até hoje esta trabalhando nisso arduamente, ele é meu orgulho.

 

- Ele tem ou tinha algum amigo ou alguém próximo a ele? *Pergunto anotando tudo que ela dizia.

 

- Bem quando criança sim, mas ele disse que amigos atrapalhariam ele nos estudos e nunca mais vi ele com algum amigo, nem mesmo uma namorada.

 

- Entendo posso ver algumas fotos dele? vou usar alguma pra matéria.

 

- Claro, pedirei para Felícia pegar o álbum de fotos.

 

 

Conversamos mais um pouco e eu vi algumas fotos, só haviam fotos dele, de sua irmã e sua mãe. Peguei uma copia de uma foto de lá apenas para não levantar suspeitas, me despedi e fui embora. No geral parece uma família feliz, mas eu sei que Fred tem muita coisa escondida até mesmo da família, mas talvez essas informações possam ser uteis.

 

 

...

 

 

Fim do Capítulo 12


Notas Finais


bom acho que ficou curto, mas como eu disse não me lembro do final então ficou assim, espero que tenham gostado e até quarta S2


Au by ????, ???? and ????

Fanfic by @AnnaRoseBlack

Correções Ortograficas by @Tai_Bleh


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...