1. Spirit Fanfics >
  2. Dynasty - Depois da Terra >
  3. Mudanças repentinas

História Dynasty - Depois da Terra - Capítulo 4


Escrita por: e dark_eyes


Capítulo 4 - Mudanças repentinas


Fanfic / Fanfiction Dynasty - Depois da Terra - Capítulo 4 - Mudanças repentinas

《2010》


[09:30 - Manhã]



O dia estava frio e o céu estava nublado. O clima estavaperfeito para quem adora uma chuva.

Pov Lia


Acordo feliz, não sei porquê. Acho que é por conta desse clima gostoso. Olho para o lado e vejo a Moh dormir igual um anjo. Dou um pequeno sorriso e decido me levantar da cama, para fazer algo. Fica sem fazer nada, não era o meu hobbie.

Vou até a sala devagarinho para não acorda ninguém. Tudo que eu menos queria agora era o mau humor do Caio ao acordar de manhã.

_ tá procurando algo? - escuto uma voz familiar e acabo tomando um pequeno susto. Coloco minha mão esquerda em meu coração e me viro para olhá-lo.

_ Que susto, Cadu.

O mesmo rir e eu o encaro

_ não tem graça, você sabia que existem várias pessoas que já morreram por conta de susto e... - o mesmo me interrompe.

_ você é estranha - afirma ele.

_ eu sei, até porque você não me deixa esquece disso - reviro os olhos. Eu não me importava de ser chamada de "estranha", mas ouvir isso a cada passo que dou era extremamente incômodo.

_ tá, mas você ainda não me respondeu - o olho confusa, e ele abre um pequeno sorriso ao ver minha cara de "anta".

_ o quê?

_ o que está procurando a essa hora - ele diz e eu respiro aliviada.

_ E minha rotina acordar cedo, a novidade mesmo é ver você acordado - digo o olhando de cima a baixo. E não, não era deboche... até porque não uso isso, e nem muito menos era para afronta-lo, olhei por olhar mesmo.

_ ah, nem eu sei porque estou acordado - ele rir e eu acabo rindo também.

_ ok, preciso ir - digo simpática

_ fica um pouco Lia, só tem a gente acordado mesmo - pede.

- Você tá bem? - questiono sem entender o motivo dele querer minha companhia. Nós não éramos nada próximos.

Desde que eu me conheço por gente, éramos quase como inimigos declarados. Não como Caio e Monique que só faltavam sair no tapa, mas sempre mantemos distância com algumas provocações.

É totalmente compreensível eu não estar entendendo nada!

Cadu suspira e olha para o lado, enquanto diz:

- Eu não consigo ficar sem fazer nada. Fora que odeio ficar em silêncio!

É verdade. Carlos Eduardo era um belo exemplo de hiperatividade e, por isso, tinha dificuldades em se concentrar ou ficar parado.

- Tá bom. - dou de ombros. - Mas vamos lá para fora antes que atrapalhemos o sono de beleza do Caio. - olho para o moreno adormecido. Olhando assim ninguém diria que é um poço de mau humor acordado.

Cadu rir baixinho e me puxa pela mão, me levando lá para fora.

Observo melhor a floresta e o céu cinza, não conseguindo deixar de admirar o contraste de cores. Nunca pensei que pudesse existir tantas plantas... No meu tempo, já não existe mais natureza.

O pouco que resta, eu multiplico da forma que consigo. Às vezes, eu me sinto inútil sabendo do quanto posso fazer mas eu não consigo.

- No que pensa? - a pergunta de Cadu me faz olhar para ele.

- No nosso tempo. Eu fico admirada com a abundância orgânica nesse século, sendo que no nosso não tem nada. - sinto meus olhos marejarem. - Isso é tão injusto, Cadu.

Para a minha surpresa, ele segura minha mão e a aperta com uma gentileza que julguei não existir logo nele. O calor da mão dele era bem aconchegante.

- Eu também fico revoltado com isso. Mas ai eu lembro é que se fomos parar naquela situação, a culpa é toda nossa. Só que ainda dar tempo de mudar isso.

- E se não conseguirmos?

- Não existe essa possibilidade! - ele diz determinado. Algo me dizia para confiar nas palavras de Carlos.

- Você parece a Moh falando assim. - digo e ele faz uma careta como se eu tivesse xingado toda a sua família.

- Não precisava ofender, né?

- Não foi uma ofensa. - garanto.

- Para mim foi. - ele diz e eu arqueio uma sobrancelha. - Eu sei que é sua amiga e tudo. Mas você precisa reconhecer que a Monique é uma pessoa difícil de se lidar. Parece um soldado pronto para uma guerra que vai acontecer a qualquer momento.

- Ei! Ela é legal, ok? Vocês nunca se deram o trabalho de conhecê-la de verdade para a julgar assim. - sem intenção, acabo aumentando consideravelmente a voz, isso faz com que Cadu me olhe surpreso. - Desculpa, não quis levantar a voz. Eu só não aceito que falem mal dela na minha frente. Vocês só sabem de um lado da história dela, não viram o que eu vi. Não sabem de metade de tudo o que ela sofreu!

- Ouo, tudo bem. Eu que peço desculpa. Não sabia que a defesa dela era tão grande assim. - o olho seriamente. - Eu te entendo, ok? Também não aceito que falem do Caio.

- Talvez... - recomeço procurando as palavras certas. - Talvez isso seja algo que tenhamos em comum. Nossa lealdade aos nossos amigos.

- É verdade. - concorda. Cadu logo percebe que ainda estava segurando minha mão e a solta rapidamente, coçando a nuca. - E... Do que mais você gosta?

Sorrio e me afasto um pouco.

- Eu gosto de dias nublados. Adoro chuva! É sempre tão refrescante, gosto de dias assim. - digo.

- Eu também. - ele diz baixinho, mas eu escuto.

- Como? - pergunto só para ter certeza.

- Eu também gosto de chuva e de dias nublados. - ele confessa.

- Por essa, eu não esperava.

- Por que?

- Achei que gostasse de sol.

- Ainda não fiquei doido, Magnólia. Fora que é um clima ideal para correr! - ele logo sai correndo em alta velocidade e o vento faz meus cabelos voarem, logo ele volta.

- Entendi. - rir baixinho e ele sorrir.

- O que estão fazendo aqui fora? - a voz de Caio me faz dar um pulinho pelo susto.

- Eu vim pegar um ar e a Magnólia... Eu não sei. - Cadu responde rapidamente e olha para mim. Sua resposta me deixa chateada. - O que veio fazer aqui, garota?

- Estou me perguntando a mesma coisa, Carlos Eduardo. - digo não escondendo minha chateação na voz.

- Vocês estão estranhos. - Caio diz franzino o cenho.

- O que tá fazendo acordado? Não é você que ama dormir e que precisa do seu sono de beleza. - Cadu diz desviando do assunto. A expressão do outro moreno se fecha e ele me olha.

- Sua amiga não sabe o significado de respeitar o sono alheio. - Caio diz alto para Moh escutar. A mesma passa por ele feito um raio, quase o derrubando no chão.

A morena me abraça fortemente e eu sinto o ar me faltar.

- Sua cretina! Você acordou e saiu sem me dizer nada. Eu fiquei preocupada! - ela diz emotiva e eu logo estranho.

- Moh, eu preciso respirar. - digo com dificuldades e ela me solta, fazendo o oxigênio passar pelos meus pulmões. Olho para ela e vejo melancolia em seus olhos.

Essa não... De novo, não. A pego pela mão e a levo para um lugar onde podíamos ficar sozinhas.

Pov Cadu


A Mag era legal, em poucos minutos de conversa com ela se percebe isso.

Claro que nunca ninguém vai ficar sabendo disso. Até porque, sempre vai ser eu e o Caio, contra ela e a Monique. E nada vai mudar isso. Eu apenas tenho que voltar a ser o "Cadu de antes".

Porém, uma coisa eu tenho que admitir: Foi horrível ver a carinha de decepcionada que ela ficou, a minha intenção não era magoá-la, isso eu juro. Mas o que ela queria que eu falasse? "Opa! Olha aqui a minha nova amiga, meu companheiro do peito"

_ terra chamando Cadu.- o mesmo movimentava sua mão sobre meu rosto em tentativa de chamar minha atenção.

_ que foi cara? - digo ao sair do transe.

_ Me responda algo.- o mesmo me olha sério e eu arqueio uma de minhas sobrancelha. - Rolou algo entre você e a Magnólia?

Na hora sinto minha garganta da um nó. Tá bom, talvez eu tenha gostado da amizade da Mag, mas ai chegar a ter algo, já era demais… o Caio bebeu?

_ que? - responde nervoso - eu nunca teria nada com a Magnólia, tá doido cara? - eu estava aflito, e não sabia o porque, já que eu realmente não tive nada, além de uma conversa com a Lia.

_ e por que está nervoso?

Merda! Pra que tantas perguntas?

_ não estou nervoso, só não estou entendendo essas suas perguntas nada haver - minha testa já estava suando e olha que nem sol estava fazendo - e… você percebeu como as meninas saíram daqui? - troco de assunto

_Ou estão falando mal da gente ou estão aprontando algo… ou melhor, devem está fazendo coisas chata de meninas- o mesmo revirar os olhos ao falar e eu acabo soltando uma bela gargalhada.

Ufa! Acho que finalmente consegui fazer ele calar a boca em relação a Magnólia. Não estava aguentando mas.

_ você não muda mesmo - digo - mas você já parou para pensar que elas podem ser legais?

_ claro. De boca calada, elas são maravilhosas. - diz ele totalmente irônico, o que acaba me fazendo olhar para as plantas que continha na floresta. - qual foi cara? Tá desviando para o lado delas?

_ claro que não! - afirmo e o mesmo me olha com uma certa dúvida em seu olhar.

_ só queria algo para fazer - o mesmo bufa de tédio. Ele tinha razão, ficar nessa casa era um saco.

_ Que tal uma corridinha? O tempo está perfeito para isso! - sugiro com um enorme sorriso no rosto, quem me conhece sabe que eu amo correr.

_ ah, não. Você sempre sai na frente e me deixa para trás e hoje eu estou sem paciência nenhuma para isso! - ele afirma e eu envieso os olhos.

_ você nunca está com paciência para algum esporte Caio, você é todo sedentário. Tem preguiça até de falar, sei nem porque ainda tento mudar isso. - tiro minha camisa, jogo no chão da varanda mesmo e me disponho a sair da casa.

_ Aonde você vai? - escuto o Caio perguntar de longe.

_ Correr ue - grito de volta e me encaminho para o meio da floresta!

Acho que foi até bom o Caio não ter vindo comigo. Não que eu não goste da companhia dele, pelo contrário, eu gostava muito de sua presença. Mas acho que agora eu preciso de um momento meu para pensar um pouco.

(….)

Acho que estou com muita coisa na cabeça, cara. Você não sabe como é horrível ver seu "tempo" ser destruído por coisas extremamente bizarras e você e mais três adolescentes serem a "salvação" para o mundo não acabar por completo! Tem noção da responsabilidade?

Também tem a Mag. Tá… eu ainda não tirei aquela situação de mais cedo da cabeça, eu sinto que a magoei de algum jeito e me sinto mal por isso.

Eu não me importo com ela, não é isso…. Eu… eu… eu só não acho certo o que fiz, nada além disso. Pelo menos é o que eu quero acreditar.

Por que é tão difícil expressar sentimentos? Eu não me refiro a Magnólia. E sim, de tudo isso que está acontecendo em meu redor.

~ quebra de tempo ~

Depois de algumas horas correndo por aí, decido voltar para a casa. Uma hora dessas, o pessoal já deve está arrumando as coisas para continuarmos a nossa caminhada. Até porque temos um longo caminho pela frente e temos consciência que não será nada fácil. Só espero ter capacidade para ir com isso até o fim.

Chego na casa em alguns instantes e encontro Magnólia com a minha camisa em mãos. O olhar dela é reprovador e conforme eu vou me aproximando, eu já me preparo para uma possível discussão pelo o que aconteceu mais cedo.

Frente a frente com ela, a mesma me analisa da mesma forma que fez hoje pela manhã.

- Você precisa vir comer para podermos ir. E, por favor, não fica jogando suas roupas por ai. É horrível ficar arrumando a bagunça dos outros. - as palavras dela fazem eu sentir algo estranho. Algo como a decepção.... Só queria entender o porque desse sentimento.

- Não te pedi para fazer nada por mim. - resmungo em uma tentativa de afastar tal sentimento.

- Não, você não pediu. Foi apenas um pedido, mas já que não quer... Tudo bem. - deu de ombros, enquanto me estendia a camisa. A expressão dela é neutra, me pergunto o que ela está pensando. Como eu queria ter o dom do Caio nessas horas!

Eu realmente esperava uma reação bem oposta a essa indiferença.

Sem ter o que dizer, pego a camisa.

- Você está bem? - pergunto receoso.

- Eu tenho motivos para não estar? - questiona franzindo o cenho e saindo.

Suspiro pesadamente e entro em seguida.

Ao entrar na casa, eu me pergunto se realmente entrei na casa certa. De um lado estava Caio comendo uma fruta despreocupadamente e do outro estava Monique parecendo estar completamente fora desse mundo, simplesmente parada e sem reação.

Devagar, eu vou para o lado do meu amigo e pego uma laranja da minha mochila.

- Tá tudo bem por aqui? - pergunto um pouco confuso com o silêncio. Pelo o horário, eles deveriam estar tentando matar um ao outro e não nessa calma atípica.

- Tá ue. - Caio diz indiferente. - Por que a pergunta?

Olho para Magnólia e vejo a mesma conversando baixinho com Monique. A segunda está bebendo água e apenas assente ao que quer que a outra diz.

- Porque está tudo tranquilo e tranquilidade e nossos nomes na mesma frase não existe. - respondo.

- Se te serve de consolo, elas estão assim desde cedo. Te garanto que eu não fiz nada! - Caio se defende e eu respiro fundo.

- Você deve concordar que a atitude delas é, no mínimo, suspeita.

- Concordar, eu concordo. Mas o que quer que eu faça? - olho para ele com um olhar de "jura que você perguntou isso?" - Acha que já não tentei ouvir os pensamentos delas? O problema é que Monique sabe quando eu estou na cabeça dela! É mais fácil fazer um leão virar vegetariano do que saber o que se passa na cabeça dela. - dar de ombros. - Mas eu garanto que tem haver com um garoto.

- Por que acha isso? - pergunto sentindo o nervosismo me dominar. Caio me olha de sobrancelha erguida.

- Porque a Lia não para de pensar nas palavras "idiota" e "estúpido". - ele diz e me olha de um jeito inquisidor. Engulo em seco. - Aconteceu alguma coisa entre vocês dois?

- Claro que não. - respondo e ele continua com aquele olhar. - É sério. - garanto. Antes que ele continue o interrogatório, me antecipo. - Vamos embora, pessoal. Temos muita estrada pela frente. - digo me dirigindo até a porta, já com a mochila nos ombros. Vejo as duas levantarem e Monique olhar de Mag para mim de um jeito questionador e até mesmo desconfiado.

Ah, não! Mais um, não!

Minha sorte é que a morena decide não falar nada e, em um silêncio tenso, seguimos estrada a fora. Porque querendo ou não, temos uma humanidade para salvar.


Notas Finais


Capítulo novo! O que acharam da interação da Lia e do Cadu? Só nós que achamos a atitude do Cadu muito idiota? E a Monique? O que será que aconteceu? Será que ela e o Caio vão descobrir da breve aproximação dos amigos?
Nos digam o que acharam nos comentários!

Próxima atualização na sexta-feira!

Cast da fic:

https://docs.google.com/document/d/12I6GgQxI-P2SngsyFAmzVzD9TWUw8zVSToFBcNgY1ro/edit?usp=drivesdk


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...