1. Spirit Fanfics >
  2. É complicado >
  3. Único

História É complicado - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Bem, cá estou eu com uma nova fic kkk
Atualmente, estou participando daquele desafio dos 100 temas, mas com uma modificação: Eu não planejo fechar a lista em um ano, a minha meta é usar todos os temas independente de quanto tempo demore.
O tema que selecionei foi escrever sobre uma fandom da qual eu nunca escrevi antes.
Boa leitura,rs

Capítulo 1 - Único


Gumi mexia distraidamente em seu celular, hora ou outra curtindo qualquer post que suas amigas publicavam por puro desespero e falta do que fazer. Não que isso a incomodasse de fato, chegava até ser engraçado. O fato de que ela não estava nada bem e que fingia estar entediada não enganava nem a si mesma.

Tudo havia começado com aquele maldito órgão, vulgo bombeador de sangue – Este que deveria ser a sua única função – que a privava da paz que precisava no momento. Há muito havia prometido a si mesma que nunca, nunca mais se apaixonaria. Depois de ter o coração esmagado pela última quedinha que teve, chorou por duas noites inteiras, se arrependendo de ter se confessado ao dito cujo que havia tomado conta de seus pensamentos. Pobre ingênua.

O pior de tudo é que o que já havia sido feito não iria se desfazer, se explodir, tanto faz. Com as mãos suadas e corpo tremendo dos pés à cabeça, questionava-se o motivo de ter sido tão precipitada. Mandar uma mensagem dessas para o garoto que estava apaixonada repentinamente assim provavelmente o assustaria e ela acabaria se ferindo novamente. Por que nunca aprendia a lição? Seria tudo mais fácil.

Ela arremessou o celular em sua cama, querendo nunca mais olhar para o maldito aparelho. Como iria encara-lo amanhã durante a aula? Burra, burra! O pior nem era isso, mas sim os boatos que correriam pelos corredores daquele colégio sem noção. Não bastava ser alvo de brincadeira e fofocas nesse lance de nunca “pegar” ninguém, ainda tinha que ser zoada pelo seu círculo de amizades, que por acaso incluía o rapaz por quem ela havia se apaixonado.

A esverdeada andava em círculos pelo quarto, pensando na desculpa que daria a ele. Pessoa errada? Não, ele iria querer saber para quem era... Brincadeira? Talvez ele ficasse mais bravo ainda... Corretor? O que colocaria no lugar de “eu te amo”?

Por que raios havia se declarado via mensagem? Não soava nada romântico.

Talvez se faltasse pelo resto da semana, ele se esqueceria da mensagem. Talvez desse até tempo de apaga-la!

De supetão, Gumi se atirou na cama e desbloqueou o celular, com uma sensação ruim. Torcia intensamente para que ele não tivesse lido a mensagem ainda. Quando entrou no aplicativo, viu que havia recebido algumas mensagens de suas amigas, mas não havia tempo para distrações. Só que uma delas parecia irresistível demais para não ser lida... Luka havia lhe enviado algo que começava com um: Você precisa saber disso! Seria rapidinho, não é?

Entrou na conversa da amiga e leu a gigantesca mensagem: "Você precisa saber disso! Sabia que cerca de 3,9 milhões de atuns são pescados por mês de forma ilegal? Precisamos de você nessa batalha, por favor, apoie a ONG T.U.N.A para ajudar essas pobres criaturas. Acesse o link abaixo e assine o...."

Gumi olhava surpresa e arrependida para aquela mensagem genérica que Luka provavelmente havia enviado para todos de sua lista de contatos. E o pior é que aquilo havia sido sim uma perda de tempo, já que quando entrou na conversa que queria, reparou naqueles dois risquinhos azuis. Pânico, pânico total! Gumi pensou em atirar o aparelho pela janela, apagar a mensagem mesmo após ele ter a visto, deletar o aplicativo, se esconder debaixo da cama...

Ela mesma teria que inventar uma desculpa enfarrapada, culpar o irmão mais novo que nem tinha, sei lá. Apenas precisava enrola-lo. Quando estava prestes a digitar, a resposta dele apareceu de supetão na tela, a assustando e a fazendo derrubar o celular em cima da própria cara.

“Eu também te amo.”

Ela arregalou os olhos e deu um berro. Não poderia ser, deveria ser mentira. Nunca em toda a sua vida algum interesse amoroso seu havia lhe dito algo parecido, por isso que estava em dúvida sobre a veracidade daquilo.

“Podemos nos encontrar na praça em frente à sua casa daqui a meia-hora?”

Desta vez, ela foi rápida ao digitar uma resposta. Chega daqueles pensamentos ruins, talvez devesse se permitir mais.

“Podemos sim, Kamui-kun.”

Esta foi a última coisa que fez antes de correr ao guarda-roupa bagunçado. Nunca havia chegado tão longe, o que deveria vestir?!


Notas Finais


Sla, eu gosto de imaginar a GUMI assim
E não, eu não escutei todas as 219392933 músicas dos vocaloid, mas algumas são legais sim :)
JSNJDJSAJ essa história tá muito cliché pro meu gosto kkk


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...