História É pra sempre - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias The Seven Deadly Sins (Nanatsu no Taizai)
Personagens Arthur Pendragon, Ban, Cain, Cenette, Diane, Dreyfus, Elaine, Elizabeth Liones, Escanor, Gelda, Gilthunder, Gowther, Griamor, Guila, Hauser, Helbram, Jericho, Jillian, King, King Liones, Margaret, Meliodas, Merlin, Personagens Originais, Veronica, Zaratras, Zeldris
Tags Melizabeth
Visualizações 58
Palavras 1.518
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Drama (Tragédia), Ecchi, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Spoilers, Suicídio, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Heeey tudo pão?
Mais um capítulo saindo do forno para voxeesss.

Boa leitura^^

(Perdoem qualquer erro)

Capítulo 4 - Morrer...?


Narrador

_ senhorita Liones- Doutor denzel diz entrando na sala onde se encontrava Elizabeth e Meliodas. A platinada estava dormindo de mãos dadas ao seu amado- Senhorita Liones?


_ Doutor, perdão cai no sono- ela passa a mão em seus olhos e senta corretamente na poltrona.


_ Trouxe um café para você, não está se alimentando corretamente- Ele entrega o copo de café com leite a Elizabeth


_ Obrigado Doutor- momento em que Elizabeth ia soltar sua mão de Meliodas, ela é apertada- Meliodas?- a mão era apertada fortemente por ele, Elizabeth não podia conter as lágrimas- Eu sabia que voltaria para mim.


P.V Meliodas


Era tudo tão escuro, uma escuridão profunda, eu só escutava vozes ao meu redor,  mas não reconhecia nenhuma.

_ senhorita Liones?- algum homem chamava


_ Doutor, perdão cai no sono- era ela. Eu reconheceria sua voz doce e delicada em qualquer lugar


_ Trouxe um café para você, não está se alimentando corretamente


_ Obrigado Doutor- ela ia soltar a minha mão e eu não queria que ela saísse de perto de mim, sabia que eu não tinha forças para pedir e nem a puxá-la. Eu só consegui apertar fortemente sua mão- Eu sabia que voltaria para mim- Ela estava chorando, por que?


_ Tem certeza Elizabeth?- O homem que Elizabeth chamou de doutor diz


_ sim, eu tenho muita certeza- ela apoia sua outra mão sobre meu peito- De outro sinal, você consegue por favor- Eu não consigo.

  

   Meu olhos abriram minimamente, me dando visão apenas aos lábios de Elizabeth. Como eu queria beija-los, eu queria a abraçar e a encher de beijos, mas so mexia a mão. Eu sinto a escuridão me puxando novamente.


Narrador


Ele apagou completamente novamente, ele estava bem, isso doutor Denzel podia confirmar.

_ Ele se recuperou rápido


_ Obrigado por estar bem- Elizabeth não queria soltar sua mão, ela não queria sair de perto de Meliodas. - Huuf- ela soltou um suspiro de alívio


_ Por que não vai para casa senhorita Liones?- Denzel


_ Estou bem aqui


_ Qualquer coisa, chame as enfermeiras- Dr Denzel se retira, deixando Elizabeth lá.


              ⏰⏰⏰⏰⏰⏰⏰


Eram 2:35 da madrugada, Elizabeth dormia na poltrona ao lado de Meliodas. Ela ainda segurava sua mão, apertando ela para se sentir segura.


_ O que eu perdi?- Elizabeth desperta com essas palavras


_ An?- Ela se levantou, sentando-se na poltrona- Meliodas?- ele estava com os olhos meio abertos, olhando para a grande janela que havia na frente de sua cama.


_ Eu não me lembro- fez uma pequena pausa- de nada


_ Meliodas- Elizabeth não pode conter seu choro, seu coração doía de tanto medo e felicidade- Eu sabia que voltaria, que logo abriria seus olhos


_ O que está dizendo? - Ele parecia um tanto confuso


_ Você, você tentou me deixar


_ Por que eu te deixaria?


_ Você tentou se matar, isso seria me deixar


_ Eu tentei me matar? E-eu não faria isso- Sua cabeça doía muito, e o mesmo do seu estômago- Que dor


_ Eu te encontrei cheio de sangue, com um corte na sua barriga, eu não sabia, o que fazer, tive tanto medo- Os delicados dedos de Elizabeth foram a macia pele do rosto de Meliodas. Ele estava meio frio, não tinha o natural calor dele.


_ Eu não fiz isso- Ele fechou os olhos. Ele sentia uma dor impossível na sua cabeça, nunca sentira tanta dor assim antes- Minha cabeça dói demais


_ Eu vou chamar alguém- Ela vira suas costas para sair da sala, mas o loiro segurou sua mão


_ No momento só preciso de você, Elizabeth


    Casa Ban


  Ban andava de um lado para o outro, King e Elaine permaneciam sentados na sala. E Diane estava no banheiro, provavelmente chorando.


_ Se acalma Ban, ele saiu bem da cirurgia como as Meninas disseram- King tentava acalmar o amigo


_ Ele pode ter tido complicações, por que Elizabeth não dá notícias? - Ban ainda preocupado caminhava na sala e na cozinha.


_ Bate na boca Ban, ele está ótimo tenho certeza disso. Elizabeth é a que mais está sofrendo você tem noção disso? Ela nem deve lembrar do telefone neste momento- Elaine se aproxima de Ban o abraçando



    Hospital


_ Você logo melhora, Meliodas, essa dor de cabeça é por conta dos analgésicos que estão no soro e os que você tomou logo depois da cirurgia- Graças a Deus Dr Denzel ainda não tinha partido, Elizabeth estava tão aliviada, aquele peso em seus ombros sesaram - Se continuar assim dentre 2 dias estará em casa novamente


_ Só queria saber quem fez isso comigo- Meliodas se perguntava, não foi tentativa de suicídio, ele não faria tal coisa com Elizabeth


_ Está dizendo que não tentou se matar?- Dr Denzel


_ Não faria isso com Ellie


_ Vou ver o que posso fazer, mandarei um email para os investigadores, e falar que o caso terá que mudar- Dr Denzel se retira da sala


_ Como se sente agora?- Elizabeth


_ Não sei explicar, dor e felicidade por não ter morrido e te deixado


_ Se você morresse- Meliodas coloca seu dedo indicador na frente da boca de Elizabeth


_ Eu não morri, então não fique se lamentando- Elizabeth se aproximou dele lhe dando um selinho nele- So isso?


_ Idiota, eu vou ir para casa, mas eu volto para tomar café com você


_ Passa na minha casa, e tranca ela se ainda tiver coisas la dentro


_ Ja foi trancada, a nossa casa- Meliodas ficou pensativo por alguns segundos


_ Quer dizer que…


_ Que agora eu vou te encher todo dia quando acordar- Elizabeth sai da sala.



               Ligação On📞

_ Diane, pode vir me buscar no hospital? Não quero sair na rua de madrugada

_ Em 5 minutos apareço ai bebe


               Ligação Off📞


 Elizabeth ficou esperando sua amiga do saguão do hospital, já que estava de vestido e pantufa, não era bom ficar naquele frio.


_ Cheguei- Diane diz abraçando sua amiga


_ Foi rápida


_ Como ele ta?- Diane expressava preocupação


_ Explico melhor quando chegarmos em casa


               

                  ⏰⏰⏰⏰⏰⏰⏰


_ Graças Elizabeth- Elaine fala indo ao encontro de sua amiga


_ Oi gente- Elizabeth senta-se no sofá de Ban.


_ Como ele tá? - Ban


_ Ele, está ótimo- Elizabeth que algo estava errado, se Meliodas não tentou seu suicídio,  alguém o tentou matar?


_ Ai que bom, aquele cara é forte-  King dizia pegando alguns biscoitos na mesa de centro


_ Não sei se é tão forte sentimentalmente- Elizabeth mais do que ninguém, que ele era fraco de alma, ela olhava para a longa cortina que balançava com o vento- Melhor eu ir para casa


_ Posa aqui hoje, ficar sozinha naquela casa não te fará bem- Diane disse olhando para sua amiga


_ Se tiver lugar, eu poso


_ Eu e King vamos visitar ele, fiquem a vontade meninas- Ban disse se levantando do sofá


_ Vamos?- King


_ Vamos, Diane vou pegar seu carro- Ban ja ia pegar a chave do carro da morena, mas ela da um tapa em sua mão


_ Se você for dirigindo não, você ja ganhou multa umas 45 vezes já- Diane entrega a chave ao King- Dirigi você amorzinho


_ T-Ta- King e Ban saíram pela grande porta de madeira que havia na sala.


 

Elizabeth sentia seu coração bater fortemente ao pensar nele, ela estava inquieta. A brisa suave batia em sua pele morna, seus cabelos voavam junto dessa brisa.

  

   Diane percebeu que sua amiga não estava bem, que ela estava fora de si. Mais era verdade, os pensamentos da platinada só levavam a Meliodas



_ Ele logo estará em casa, e vocês dois vão poder aproveitar a vida de noivos normalmente. Por que não vai descansar?- Diane chegou ao lado da sua amiga e abraçou



_ Bom acho melhor eu descansar mesmo, eu estou meio exausta- Elizabeth se levanta do sofá, se separando dos braços de sua amiga- Em qual quarto vou dormir?


_ Siga-me- Diane sai da sala, e Elizabeth vai atrás. Elas chegam em um corredor da casa de Ban onde haviam três portas de um lado e duas do outro. Todas em um tom marrom escuro. As paredes tinham um relevo e eram na cor bege

 _ Ve se dorme viu- Diane abre a porta para um dos quartos, e logo em seguida sai.


_ Tenta dormir aaa- Elizabeth deita na cama de solteiro se cobrindo.- Quando você acordar vai ver ele, então se acalme-  Ela fecha os olhos caindo em sono


 

             ⏰⏰⏰⏰⏰


Eram 14:03


  Elizabeth levanta da cama após um pesadelo meio bizarro (muito) não acontecia nada com nada. Mas não deixava de ser um pesadelo. Ela caia em uma escuridão profunda e vi todos que amava se perderem no caminho. Literalmente


  Ela se levanta e vai até o banheiro fazer suas necessidades. Coloca uma roupa que Diane arrumou para ela e vai até a cozinha.


_ Bom dia- Diane beija a bochecha de sua amiga


_ Bom Dia, você também dormiu aqui?


_ Dormi, Elaine foi no hospital também e não quis te deixar sozinha- Diane coloca um copo de vidro sobre a bancada americana, e despeja um suco de goiaba


_ Eu odeio goiaba- Elizabeth se senta em um banco em frente a bancada.


_ Quer chã, café? - Diane se vira para pegar biscoitos de polvilho (N/A amo polvilho :V)


_ Eu quero ver o Meliodas


 










Notas Finais


Next to me- Imagine Dragons

Escutem essa música sério
°u°


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...