1. Spirit Fanfics >
  2. E Se... >
  3. Wendy Deinert Urrea

História E Se... - Capítulo 18


Escrita por:


Capítulo 18 - Wendy Deinert Urrea


Fanfic / Fanfiction E Se... - Capítulo 18 - Wendy Deinert Urrea

Outubro de 2041

Sinto uma mão delicada fazer carinho no meu cabelo e acordo do meu sono com as costas doendo, olho para cima e vejo minha irmã Angie olhando para a frente completamente em outro mundo e apenas passando a mão no meu cabelo de modo mecânico, como se fosse apenas para passar a ansiedade da mesma. Levanto minha cabeça do seu colo e me endireito na cadeira novamente, olho para o relógio na parede e o horário de visitas já vai começar.

Wendy - Angie, você tá bem? Tá em outro planeta de novo...

Angel - Desculpa, meu amor.- diz ela olhando para mim com carinho. - Já está quase no horário né? Você tem que ir lá logo e não demora, porque hoje eu que tenho que te levar na escola.

Wendy - Ok, seus pais vão chegar hoje?

Angel - Vão sim com o Noah*.

Wendy - Ok, então, vou lá.

Me levanto da cadeira e saio andando pelo o caminho que já decorei por conta desses últimos meses, as paredes sempre brancas, e as enfermeiras e os médicos que já me conhecem. Vejo um quarto no fim do corredor, e o sobrenome Urrea na porta sempre faz meu coração gelar. quando entro vejo meu pai dormindo com olheiras enormes sentado em uma cadeira desconfortável com a cabeça apoiada na cama, sua mão apertava forte as mãos da loira que estava deitada na cama, mais pálida do que quando vim visitar ontem. Dei a volta na cama, e subi na mesma desviando dos fios que ali se encontravam, porque a única coisa que eu queria nesse momento era me aninhar na minha mãe.

------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Acordo e levanto meu rosto, já sentindo um torcicolo horrível, me viro e encontro Angel sentada no sofá do quarto lendo um livro, me levanto e dou um beijo no topo da sua cabeça.

Noah - Bom dia, minha princesa, não deveria tá na faculdade?

Angel - Não tive coragem de tirar a Wendy dali. - diz ela olhando para a cama.

Me viro para a direção em que ela olhava e vejo minha filha Wendy, de 10 anos, aninhada na mãe dormindo na cama do hospital, se eu já estava acabado, aquela cena me destruiu por completo, havia alguns meses em que nós estávamos praticamente morando nesse quarto, mas eu sempre tentava manter Wendy longe daqui, eu não queria que ela tão pequena já ficasse tendo esse tipo de experiência que nem eu tive, por isso Angel estava ficando lá em casa com ela, enquanto eu ficava no hospital, mas eu também não podia me esquecer que Wendy era só uma criança que sentia falta da mãe e eu não podia afastá-las mais para tentar preservar minha filha. Sina estava doente, desde que Wendy nasceu a saúde dela nunca mais foi a mesma devido a grandes complicações no parto, mas recentemente descobrimos que ela estava com câncer e tivemos que lidar com tudo o mais rápido possível.

Noah - Sei... - digo olhando ainda a cena. - Mas Angie se precisar ir pode ir, você não tem algo importante na faculdade não?

Angel - Tenho não, vou ficar esperando aqui, até dar o horário de buscar minha mãe, o Beauchamp e o Joshua.

Noah - Haaa é nem estava lembrado que eles vinham...

Angel - Mamãe, comprou a passagem na mesma hora quando soube, mas só pôde vir agora por causa do colégio do Beauchamp e dos shows.

Noah - Sim, eu sei, ela me falou, saudades dela e do Beauchamp, não os vejo desde o ano passado, ele deve estar enorme.

Angel - Está sim, está doido para vir para o Brasil de novo para ver a Tiara.

Noah - Coisa estranha esse rolo dele, com a filha da Sofya e do Bailey, eles são primos.

Angel - Olha, quem fala, pai kkkkkkk Você e a mamãe foram criados como irmãos e já namoraram.

Noah dá um sorriso debochado para a sua filha de consideração e ri.

Noah - É totalmente diferente.

Escutamos um som vindo do rumo da cama e vejo que é o celular da Wendy tocando, pego o celular da minha filha e vejo o nome Diego na tela, faço uma careta no mesmo instante.

Noah - Falando da linhagem, esse garoto não deixa mais a Wendy em paz.

Angel começa a rir mais alto do que é permitido num hospital o que acaba acordando Wendy e Sina.

Sina - Oi, meu amor - diz ela acordando e beijando o alto da cabeça da filha. - Desculpa não ter acordado antes é que eu estou tão cansada.

Wendy - Tá, tudo bem, mamãe - diz ela abraçando a loira, deixando seus longos cabelos castanhos claros meio dourados caírem sobre o rosto da mãe.

Sina - O que era toda essa felicidade? - ela olha e pergunta para Angel e Noah.

Angel - Meu pai, tá com ciume do pretendente da Wendy aqui.

Sina - Pretendente? kkkkk - diz ela olhando para a filha.

Wendy - Só se for o Peter Pan de pretendente kkkkk

Angel - Haaa é? E o Diego?

Noah - É, e o Diego.

Wendy - Diego???????? Ele é praticamente meu irmão, nada haver, e se for contar que nós somos praticamente irmãs, ele é meu primo, então piorou.

Angel - Que forçação em dona Wendy, mas... Eu tenho que ir, já deu o horário, tenho que ir no aeroporto. - chego perto de Sina e lhe dou um beijo na testa.

Sina - Foi bom te ver querida, dá um oi para o Noah*, o Josh... e na Any também. - Faço uma careta quando o nome do meu pai biológico é citado e percebo a exitação dela em falar o nome da minha mãe, mas só ignoro.

Angel - Falo sim.

Sina - Wendy, você deveria ir com ela, você também Noah, vão dar um passeio, respirar um ar fresco, eu vou ficar fazendo exames mesmo agora, vocês só iam ficar ali sem fazer nada, e já que a Wendy já perdeu a aula vocês podiam dar uma passeada.

Noah - Meu amor, eu não sei não. - digo enquanto chego perto dela.

Sina - Faz isso por mim, você prometeu. - diz ela depois de ter me puxado e falado no meu ouvido.

Noah - Ok então, mas eu volto daqui algumas horas. - digo dando um selinho na minha esposa e passando a mão nos seus cabelos ralos devido a medicação;

Sina - Ok, vou estar te esperando.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Estou assistindo um filme de romance na tela do avião com a cabeça encostada no ombro de Josh, Noah* está com fones de ouvido olhando para a janela do avião me ignorando como sempre, ele está numa fase rebelde, desde que nos mudamos para o Canadá a uns 4 anos, ele me detesta por ter feito ele se mudar e ficar longe do "pai" dele, isso era um assunto que já estava mais que desgastado e eu e Josh já desistimos disso, para os meus filhos o pai deles era o Noah e eu não podia fazer mais nada sobre isso, então eu ter voltado com o Josh, foi a explosão da terceira guerra mundial na família, principalmente para o Beauchamp, ele queria ficar com a irmã no seu apartamento, pois ela está na faculdade, mas eu me recusei a deixar meu filho em outro país, conhecendo ele bem, se o Noah não tivesse passando por tudo isso agora, ele ia pedir para morar com ele.

Josh acorda do meu lado e sorrio para o rosto confuso dele.

Any - Bom dia, raio de sol, não acordava mais.

Josh - Bom dia - diz ele me dando um selinho e sorrindo, enquanto correspondo só sinto uma careta de um garoto loiro do meu lado e rio ainda mais me afastando depois.

Any - Do jeito que você olha, nem parece que ele é seu pai. - digo para Noah*.

Noah* - Ele não é meu pai. - diz indicando Josh com o rosto. - A gente não tem nada haver um com o outro.

Any - Nãooo claro que não, só é a cópia um do outro, você parece filho do Josh com o Noah isso sim, tem a aparência de um e o jeito do outro. A única coisa minha em você são os cachos - digo passando a mão nos cabelos do meu filho, ele me olha brigando por pegar no cabelo dele, mas também não pede para eu parar.

Josh - Haaa eu já deixei de mão isso a muitos anos, me chama como quiser.

Noah - É só isso que você faz mesmo, desistir da gente.

Any - Noah, chega, já deu, espera chegar no Brasil para começar o round 2.

Se passaram mais meia hora até o avião pousar no aeroporto, descemos do mesmo e sinto Josh pegar na minha cintura em sinal de posse, já se garantindo de quem poderia vir buscar a gente.

Any - Josh, relaxa, é só a Angie que vai vir...

Noah* - Nossa a gente tem que passar todo esse tempo no avião e a primeira pessoa que tem que ver no país ainda é a Angie, que eu fiz para merecer isso?

Any - Noah*, deixa de ser chato - digo empurrando ele de leve - aposto que está morrendo de saudades da sua irmã.

Noah* - Com certeza não.

Vamos andando para fora da área de desembarque e imediatamente vejo minhas duas meninas, a menor vem correndo até mim e abaixo para pega-lá no colo.

Any - Oi, meu amor, que saudades. - digo enquanto a abraçava e fazia carinho no seu cabelo, percebi que ela me apertava mais forte do precisava e que ela estava descarregando tudo o que aconteceu naqueles meses naquele abraço. - Eu sei, tá tudo bem agora, eu estou aqui com você. - Senti ela mexer o rosto concordando no meio do meu cabelo e continuei com ela no colo. Minha filha se aproximou também e a abracei.

Angel - Oi mãe.

Any - Oi, minha princesa, saudades. Você veio sozinha com a Wendy? Já tá dirigindo?

Noah* - Você tem um carro? Deixa eu dirigir.

Angel - Nem se eu tivesse, você iria dirigir, não estou pensando em destruir nada ainda não. - diz ela para o irmão fazendo ele fechar a cara. - Mas eu não tenho carro ainda não, dirigi com o do meu pai, to treinando.

Any - Hum... Ele tá aqui? - Josh faz uma careta do meu lado e Angel dá um sorrisinho de lado.

Angel - Está ali. - diz ela apontando e fico impressionada de como não ter visto, ele estava olhando fixamente para mim como sempre e apesar da distância eu podia ver seus lindos olhos verdes brilhando apesar das olheiras. Me soltei da mão do Josh, e fui com Wendy no colo até Noah.

Any - Oi Urrea. - digo dando um meio sorriso, de um modo meio agridoce pelo o motivo de eu estar ali.

Noah - Oi Gabrielly - diz dando aquele sorriso torto que eu conheço desde criança, e que fazia meu coração perder o compasso até hoje, fico corada instantaneamente como se fosse uma adolescente e ele percebe, nós tínhamos uma conexão que nada nessa vida podia tirar, nós eramos alma gêmeas, a pessoa um do outro. Wendy se vira ao ouvir a voz do pai e entrego a menina dos cabelos dourados para o pai, me fazendo lembrar que não era minha.

Wendy - Papai, a mamãe vai ficar bem? - Noah olha para mim com desesperança nos olhos, mas eu só nego com a cabeça e depois afirmo, Noah entende tudo que eu queria dizer para ele num olhar.

Noah - Claro, meu anjo, a mamãe vai ficar bem sim...

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...