1. Spirit Fanfics >
  2. E se fosse o que precisávamos? >
  3. É tão particular o meu encontro quando é com você

História E se fosse o que precisávamos? - Capítulo 3


Escrita por:


Notas do Autor


Oi gente! Nossa eu quero primeiramente agradecer pelos favoritos e os comentários, significa muito quando a gente escreve porque é bom sentir seu trabalho reconhecido, então eu agradeço de coração por tudo!

Eu peço perdão pelo capítulo que não está lá essas coisas, mas eu recompensarei vocês no próximo com uma escrita romantizada de Gicela, então por agora se contentem com o que temos para hoje e em breve voltarei com algo melhor! beijos e boa leitura!

Capítulo 3 - É tão particular o meu encontro quando é com você


Fanfic / Fanfiction E se fosse o que precisávamos? - Capítulo 3 - É tão particular o meu encontro quando é com você

Cozinha Vip, 2:45 pm

 

— Gi, eu queria te perguntar uma coisa, mas não queria ser invasiva. – Thelminha falou quando as duas finalmente ficaram a sós.

 

— Pode perguntar.

 

— Você e a Marcela estão ficando? – a morena baixinha perguntou.

 

— Sim, mas a gente ainda não quer contar pra casa toda por motivos óbvios, acho que em breve a gente vai assumir. – Gizelly deu de ombros enquanto comia.

 

— A eliminação do Hadson deixou todo mundo mais confortável por questões de justiça, mas também fortaleceu a auto confiança do Daniel, acredito que ele vá tentar aproximação com a Ma de novo já que ele não sabe que a gente contou sobre as intenções dos que entraram. – Thelma pontuou. — Mas a tecla que eu quero bater com você é o autocontrole, vocês estão juntas agora e a Marcela sabe, então Gi, deixa ela tomar as devidas providências, preze pelo seu autocontrole, é um conselho que eu tô te dando.

 

— Eu agradeço, mas se o bebê chegar perto da Marcela eu acho que eu não aguento, é capaz de eu soltar tudo que tá engasgado aqui dentro.

 

— Eu sei amiga, mas a Marcela é uma mulher bem resolvida, ela vai saber colocar um basta nessa situação, você tem que confiar. – Thelminha orientou e Gi assentiu.

 

— Tudo bem, eu vou tentar. – Gi disse enquanto colocava o prato na pia e lavava.

 

Neste momento Marcela entrou na cozinha e fez um sinal para Thelma não falar que ela estava ali, a morena riu prevendo o que iria acontecer. Marcela caminhou de fininho e abraçou Gizelly pela cintura e puxou-a para mais perto de si, a mais baixa soltou um grito escandaloso e logo a gargalhada de Marcela preencheu o ambiente.

 

— Tá louca menina? quer me matar, me fazer ter um infarto antes de ver você subindo no altar vestida de noiva? – Gizelly disse colocando as louças para secar e Marcela se encostou no balcão observando.

 

— Você vai mesma passar uns dias em São Paulo comigo depois que acabar isso aqui? – a loira perguntou cruzando os braços.

 

— Claro que vou, eu já ia antes sem estar com você imagina agora, se preocupa não que a gente vai testar todos os seus brinquedos. – Gizelly se aproximou de Marcela prendendo ela contra o balcão enquanto movia a língua de forma obscena.

 

— Eu vou amar. – a médica disse e sorriu maliciosa logo selando os lábios das duas.

 

— Vocês tem um fogo, minha nossa senhora, vou procurar a galera. – Thelminha disse se levantando e saindo da cozinha fazendo as duas rirem.

 

— Ai Ma, minha mãe vai me deserdar, quando eu sair daqui não vou mais ter família. – Gizelly disse e caminhou até a câmera mais próxima. — Mãe, não me deserda, eu te amo! Mas eu também amo a Marcela e eu não tenho culpa se ela me deixa lésbica das ideias. 

 

— Amor já chega, você tá impossível, nem sóbria você se controla mais, saí da frente dessa câmera. – Marcela puxou a advogada pelo braço para fora da cozinha.

 

Piscina, 4:28 pm

 

Todos estavam reunidos perto da piscina conversando, depois da eliminação de Hadson, Prior e Lucas tinham se aproximado mais do restante do pessoal, o clima de briga tinha amenizado bastante e estava mais tranquilo a convivência, só estava um pouco chato entre Bianca, Guilherme e Gabi. 

 

Estavam sentados em rodinha, e Daniel escolheu ficar perto de Marcela, como sempre, o salsichão forçava cada vez mais deixando a médica desconfortável, Marcela não queria abordá-lo sobre a situação nem julgar precipitadamente, a fala de Gizelly havia sido coerente sim, mas ela não queria ser chata nem magoar ninguém. A loira havia se metido em uma sinuca de bico, não sabia o que fazer, ainda mais agora que estava com Gizelly quando havia omitido de Daniel que o problema não era não querer se envolver dentro do programa e sim não querer se envolver com ele, mas agora era tudo mais complicado e isso sobrecarregava a mente de Marcela.

 

Daniel não mediu esforços e passou o braço ao redor da loira a abraçando e Gizelly imediatamente fechou a cara, Thelminha era a única que estava a pá da inconveniência do momento, estava preocupada com o desfecho dessa história. Gizelly observou que Daniel sussurrou algo no ouvido de Marcela enquanto interagia com o restante do pessoal, fingia não se importar para não agir de maneira incoerente e imatura, a médica sorriu sem mostrar os dentes e tirou o braço de Daniel de sua cintura recuando um pouco e isso atraiu olhares de alguns membros do grupo.

 

— Oh Daniel, não quer tomar banho de piscina não? – Gizelly levantou indo sentar no meio dele e de Marcela. — Deixa que eu fico do lado da Marcela.

 

O pessoal começou a rir achando que era mais uma questão de ciúmes típico de Gizelly.

 

— A Gi é muito ciumenta. – Marcela riu abraçando a advogado e deitando a cabeça no ombro dela. 

 

— Ai cara meu Deus! Não precisa de ciúmes Gizelly, a gente é só amigo. – Daniel disse rindo e segurou a mão de Gi dando um beijo. 

 

— nÃo PrEcIsA dE cIúMeS a GeNtE é Só AmIgO. – Gizelly puxou a mão imitando o gaúcho fazendo todo mundo rir.

 

— Então é real? vocês tão juntas? E o Daniel? – Prior perguntou chocado. 

 

— Porque? Cê quer ele? – Gizelly rebateu desconversando. Ainda não sabia se Marcela queria assumir.

 

— Não cara, claro que não que isso, não sou dessas coisas. – Prior falou sem jeito e todos começaram a zombar dele.

 

Mais tarde alguns deixaram a rodinha restando apenas Thelminha, Marcela, Gizelly, Manu, Pyong, Rafa e Babu, a conversa mudou de rumo, agora discutia-se sobre a prova do líder. A tarde passou muito rápido em meio de conversas e logo estavam todos reunidos na sala com Tiago no telão, a prova do líder seria no dia seguinte e estavam todos muito ansiosos pela liderança, as meninas tinham receio que um dos meninos ganhassem a prova porque não esperavam mais nada sensato deles e o clima era de apreensão.

 

— O que foi que você tá tão pensativa minha sereia? – Gizelly perguntou ao entrar no quarto e ver Marcela sozinha deitada na cama olhando para o nada.

 

— Estou me sentindo sobrecarregada de emoções. – a loira desabafou e sentiu um bolo se formar em sua garganta e seus olhos se encherem de lágrimas, Gizelly não pensou duas vezes ao deitar-se ao lado da mulher e a abraçar em forma de acalento.

 

Marcela deitou a cabeça no peito de Gizelly e desabou em choro, a advogada acariciava os cabelos loiros enquanto ouvia os soluços de sua amada, mas sabia que no momento não cabia palavras e sim o afago físico, o coração de Gizelly se partia em pedaços ouvindo aquilo, mas por um lado ficava aliviada pelo fato de Marcela estar colocando seus medos e inseguranças para fora, e especialmente por ser com ela. A médica chorou até adormecer e Gizelly acabou fazendo o mesmo, amanhã perguntaria sobre isso.

 


Notas Finais


Deixem o que acharam nos comentários!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...