1. Spirit Fanfics >
  2. E se fosse real? >
  3. 1- poderia ser como vocês?

História E se fosse real? - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


eu sei que três histórias de uma vez é estranho mas eu li a sereia ontem e fiquei imaginando coisas aleatorias... sabe quando voce le um livro e queria muito, muito mesmo, que fosse real?
bem...
eu sou assim com quase todos os livros, mas os da Kiera cass conseguem superar...
entao resolvi escrever como se fosse real, porque nao é
essas sereias nao existem ta! pq se existissem ou a historia fosse real, as irmas iriam descobrir e NAO iriam brigar com ela
certo?
entao...
nada é baseado em fatos reais OK?!
voce ainda deve fazer passeios de barco ou navio...
entao boa leitura
desculpa qualquer erro

Capítulo 1 - 1- poderia ser como vocês?


Fanfic / Fanfiction E se fosse real? - Capítulo 1 - 1- poderia ser como vocês?

Eu estava em um navio, meu primeiro Cruzeiro, tudo lá me lembrava perfeitamente o livro da kiera, eu queria que fosse real....imaginava que seria legal, e assustador. Era divertido lá, e como se não tivesse como ficar mais parecido com o livro, estava tendo uma tempestade lá fora.
   Eu sentia algo dentro de mim, como se uma parte de mim queria que as histórias fossem reais, essa parte me dominava.

   Em alguns segundos eu escutei vários passos passando pela porta e logo depois vi várias pessoas ao mar pela janela do quarto, eu fiquei em choque, logo tapei completamente meus ouvidos e fui para o convés.
   Lá de cima eu vi o que eu esperava, várias pessoas caminhando como se nada mais importasse e se atirando contra o mar.
   De longe eu via três meninas sentadas sobre a água, já sabia o que elas eram. Eu sabia o que aconteceria se eu me jogasse, então esperei não ter muitas pessoas no convés e gritei para as meninas:
           - ei! Se eu me jogar, poderia ser como vocês?

Eu ainda estava com os ouvidos tapados, não queria me render sem saber o que aconteceria.

   A menina parou de cantar por uns estantes enquanto só estava eu no convés, mas eu gritei avisando pra ela não parar, não queria que o pior acontecesse com ela, ela me olhou confusa mas voltou a cantar, com isso uma das meninas encarou a água e parecia conversar com ela sem frases, que mágico! Logo depois a menina me encara e balança a cabeça em sinal de positivo. Agradeço abrindo um sorriso.
   Quando estava a beirada do convés, me detive. Eu não conseguia pular, era muito alto. Então respirei fundo, meu objetivo era destampar os ouvidos e a música me levar até Ela, mas não aconteceu nada. Simplesmente sorri a perceber a linda voz delas, mas não sentia uma louca vontade de fazer nada.
   Encarei as meninas confusa, não sabia como, mas então tive que tomar coragem - se demorasse demais talvez ela desistiria do meu pedido - e saltei para fora do barco, quando senti meu corpo se molhar e vi minha cabeça descendo para baixo d'Água, ela havia mentido? Eu me afogaria ali? 
          -Você não vai se afogar, se acalme.- soube na hora que era Ela, Ela percebeu que eu á reconhecia:
          - como? Não há mais medo na sua mente, porque? Porque você não parece assustada?
   Ela parecia ter várias perguntas mas me estava acabando o ar.
         - não estou conseguindo respirar! Depois,  eu prometo que Te explico todos os detalhes, a primeira coisa que fiz foi confiar em você e nelas...
          - certo! Sua respiração! Me desculpe!
   Eu senti algo me agarrar, e em poucos segundos estava sentada á cima d'Água com as outras garotas.
          - ela falou com você? - uma garota com pele clara e cabelos escuros me perguntou.
          - sim, ela quase me deixou com falta de ar por perguntas...
         - ela não é a única que tem perguntas. - uma garota de cabelos claros com um sorriso simpático avisa, apesar de seu sorriso eu via a tristeza pela morte de tanta gente em seus olhos. - mas vamos deixar isso para depois, precisamos fazer um mini discursinho moral lá mas não se preocupe.
   A menina de cabelos escuros olha feio para ela fazendo eu abrir um sorriso, elas pareciam bem legais. A menina que até agora não havia abrido a boca a não ser para cantar se manifesta:
            - Você pediu para viver certo?
           - sim - disparei antes que ela continuasse. Eu já sabia o que ela ía dizer, que eram cantoras e tals e serviam a Água...
          - então... nós somos cantoras - previsivelmente ela disse, eu só concordo com a cabeça - sereias, servimos a Água, nós á alimentamos, você viverá assim por cem anos, não envelhecera um dia e não poderá se machucar.
   Eu ficava só a encarando, continuando a concordar com a cabeça e fingir que nao sabia de nada que elas falavam. 

-enquanto a Água não vem posso lhe fazer uma pergunta? 
            - pode fazer milhares se quiser. - exclamo com um longo sorriso e ela sorri também.
          - você estava com os ouvidos tapados e parecia saber o que aconteceria se escutasse a música, e também parecia que você sabia sobre nós! - Eu confirmo com a cabeça. - certo, mas como?
            - um livro...
            - o que esses livros fala...
            - UM livro, não era livroS era apenas um - eu corrigi a menina de cabelos claros, tentando não parecer grossa.
           - a certo... então o que esse livro falava?
          - bem... eu não me lembro de todos os detalhes mas ele dizia sobre uma menina, uma menina que pediu para a Água poupar sua vida, mas 80 anos depois ela acabou se apaixonando - as meninas se entreolharam mas eu continuei - ela voltou a ser humana, para nao morrer, pois nenhum dos dois sobreviveria se ficassem afastados, mesmo eu achando essa escolha meio burra mas ok...
         - porque você acha burra? - a menina de cabelos negros me questiona.
        - bem... depois eu falo, deixa eu continuar sobre o que o livro falava... a menina voltou a ser humana mas ela possuía três irmãs, não de sangue, acho que os nomes eram... ha! Elizabeth - a menina de cabelos negros ergueu os olhos e os fixou em mim, com muito medo neles - outra era huum... Padma! E a outra bem... Eu não lembro direito mas acho que era Mi...
        - Miaka.- a garota loira completou, confirmando minha teoria. - Elizabeth, Padma e Miaka.
   Eu sorri, elas eram as garotas. A Água estava demorando mas não foi nem 1 segundo depois de eu pensar isso que escutei ela nos chamando.
         - você quer mesmo isso? - ela pergunta como se eu tivesse com cara de dúvidas - se dizer sim, terá sua vida comigo por 100 anos.
         - ela sabe Água, ela sabia antes de nós a falarmos, por um livro.

   Eu só assenti com a cabeça confirmando.
         - tenho várias perguntas a ela, mas depois resolvemos isso. - ela disse em quanto me envolvia como em um abraço.
   Segurei firme minha respiração, quando senti algo gelado correr pelo meu corpo, fazia cocégas, não aguentei e dei risada... pela minha surpresa não engasguei ou fiquei sem ar, isso era divertido, e pelo visto a Água notou meu entusiasmo porque logo me pediu o porque de eu estar tão feliz, eu só a disse que era legal, respirar em baixo d'Água, conversar com ela, e outras coisas.
   Logo depois nadamos até nossa casa, Ela só me fazia perguntas mas eu sempre dizia que depois, eu explicava tudo, só eu e Ela. No início Ela insistia em dizer que seu segredo estava correndo riscos mas eu negava, ninguém, ninguém, ía imaginar que Kahlen e suas irmãs existiam de verdade, algumas pessoas, como eu era antes podiam talvez até desejar e sonhar que era verdade, mas ninguém comentaria ou espalharia que é real, pois o mínimo que iria acontecer com essa pessoa, é que iria ser tachada de louca, por isso, kiera decidiu ecrever, ninguém poderia julga-la de louca, pois por mais que o que ela escrevia era verdade, ninguém acreditaria nisso, bem... talvez no futuro eu também escreveria, podia contar o que aconteceu sem ser taxada de nada, mas provavelmente em um aplicativo, não em um livro, algo que não chame tanta atenção...
         - no que você está pensando? - Elizabeth parecia notar que eu estava meio quieta - eu sei que é um pouco difícil, mas nós estamos aqui, não precisa se preocupar com nada.
         - obrigada- eu digo com um enorme sorriso. - você nem sabe quanto é bom saber que posso confiar em vocês... depois que eu li o livro, só queria, mas queria muito que fosse verdade e bem, aqui estou eu. Você não sabe o quanto eu estou felizes Elizabeth!
         - posso te fazer uma pergunta? - Miaka me assusta surgindo do meu lado. - desculpa te assustar, mas quando você destapou os ouvidos, você não pulou imediatamente no mar, na verdade nem parecia estar sendo levada pela música...
        - e eu não estava! Eu pulei porque quis, não sei como, mas simplesmente não senti nada, nem entrei em transe ou coisa assim com a canção.
        - que estranho é como se...
   Vem aqui, eu preciso conversar com você, estou me sentindo sozinha!
   Eu logo avisei ás meninas que Ela havia me chamado e elas entenderam, eu queria mesmo ir até Ela, me sentia feliz lá.
        - sua mente está tão cheia, calma.
        - eu sei, me perdoe, eu estou animada.

   Ela me levava cada vez mais ao fundo, até que me deitei na areia num ponto bem profundo do mar.
        - você sabe porque quando eu escutei a música eu não entrei em transe?
        - eu realmente não sei querida, talvez porque você sabia quem éramos,  mas eu não tenho certeza.
        - você acha que se Kahlen tivesse contado a ele talvez ele não ficasse doente e ela ainda estaria aqui?
        - também não sei amor, talvez nem seja por isso que você não estava em transe, era melhor não arriscamos
        - já teve algum garoto? Algum garoto que implorou por vida e Você o ajudou?
- eu perguntei tentando manter o fato de o que eu teria feito se tivesse aqui antes de Kahlen se transformar em humana novamente em um canto bem guardado da minha mente - talvez a muito tempo atrás...
        - onde você está tentando chegar? Não vejo nenhum objetivo para essas perguntas em sua mente.
        - bem... Eu sei quanto Você amava Kahlen, e sei que não gostou de vê-la partir, então... se algum garoto já tivesse  estado ao nosso lado, eu teria feito com que Akinli se transformasse, seria uma pessoa a mais para lhe ajudar e você poderia ter ela por um longo tempo, já que eles provavelmente não gostariam de voltar a ser humanos e esquecer de que amavam ao outro, e assim, ela seria feliz para sempre.

   A Água parecia completamente intrigada, ela parecia desejar ter pensado nisso antes, agora, era tarde.
       - mas... para compensar isso, eu vou tentar ser Sua melhor amiga, prometo me esforçar máximo, para que esse cem anos sejam os melhores de Sua vida, Você confia em mim para esse grande trabalho Água?
       - claro que confio!
- ela parece mais animada. - você parece querer me deixar feliz, isso é algo tão bom de sua parte.
    - certo! Então... se vou ser Sua melhor amiga, tem algum jeito que posso lhe chamar? Pois Água, por mais que seja um nome extraordinário, não é nada comparado a um dos milhoes de apelidos carinhosos que melhores amigas se chamam.

        - pode me chamar de aky? Conheci uma menina chamada assim, e achei interessante...
        - claro aky! Bem... vou dormir, mesmo não precisando, eu gosto de sonhar...

Eu estava tão cansada que logo depois do Boa noite dEla eu dormi.
   Ela era legal, não entendia direito sobre os sentimentos, sobre o que sentimos quando Ela está tentando nos dar obediência, mas isso porque ninguém teve o trabalho de ir conversar com Ela sem ser chamada, dar a Ela atenção, a única que fez isso foi Kahlen, mas agora, ela está com Akinli, e nem se lembra mais da Água, acha que tudo foi um sonho...um incrível e terrível sonho...
 


Notas Finais


bem.... nao podem me taixar de louca pq é só uma história, como eu disse antes, nada real..........


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...