História E se fosse verdade (Jikook) - Capítulo 9


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin)
Visualizações 16
Palavras 1.425
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Fluffy, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 9 - Parte VIII


Fanfic / Fanfiction E se fosse verdade (Jikook) - Capítulo 9 - Parte VIII

Narrador:

"Só um conselho, moço." Hoseok se direcionou a Jimin. "Você deveria mostrar um pouco de respeito pelos mortos."

Jimin congelou no lugar. Teria sido ele imbecil a esse ponto? 

Ele observou Hoseok sair do apartamento, fechando a porta atrás de si. Não perdeu mais nenhum segundo e foi em busca de Jungkook, ele precisava se desculpa de alguma forma. 

Procurou por todos os cômodos, sem encontrá-lo. Ao sair do quarto principal, viu a porta de vidro que levava ao terraço aberta. Subiu as escadas correndo, sendo recebido pelo vendo frio da noite bonita, com o céu estralado e o brilho da lua crescente contrastando com as luzes amareladas da cidade. 

Jungkook estava ali, próximo ao parapeito, com a cabeça baixa e os braços envolvendo a si mesmo. Aquela cena fez o coração de Jimin se apertar. Como ele pode ser tão insensível? Ele se aproximou em passos lentos e silenciosos, até que ficasse próximo as costas largas do moreno. 

"Jungkook, me perdoa. Eu acabei de perceber como fui babaca... a gente acabou de se conhecer, eu não sabia. Me desculpa." 

O maior permaneceu em silêncio, sem responder e sem levantar a cabeça.

Jimin olhou ao redor, "Eu aluguei esse lugar aqui por causa desse terraço. Queria fazer um jardim... um dia. Eu adoro flores. Mas nunca tive tempo... Aish, eu tô falando demais. Sabe, as pessoas que perderam alguém acham útil conversar sobre isso."

"Só que eu não quero falar sobre isso" Jungkook respondeu ríspido, agora encarando Jimin.

"De quem ele estava falando?" Jimin perguntou ainda com a voz doce e reconfortante. Não lembrando em nada aquela pessoa controladora que estava sendo até o momento. 

"Jaebum... Seu nome era Im Jaebum." Jungkook respondeu, se virando novamente de costas para Jimin. Ele não queria que o menor visse seus olhos cheios de lágrimas. 

"E quem era Jaebum?" Perguntou, com medo da resposta que ouviria. 

"Ele era meu marido"

Jungkook então deixou o terraço, deixando o menor para trás, que colocou uma das mãos pequenas na altura do coração, fazendo uma pequena massagem para tentar aliviar a dor que estava sentindo. Dor por ter magoado tanto o Jungkook, e dor por saber que ele tinha perdido o seu companheiro. 

-- 

Jungkook desceu as escadas correndo, alcançando a rua em poucos segundos. Ele precisava esquecer daquilo tudo e só tinha um lugar onde ele poderia ir. Dobrou a esquina, já pronto para abrir a porta do bar, quando ouviu uma voz aguda o impedindo.

"Não faça isso! Isso não vai resolver nada!"

"Como sabe? Já esteve em algum bar depois de morto?" Respondeu acidamente. Girou a maçaneta da porta pesada e entrou naquele lugar já tão conhecido. 

Taehyung também estava ali, como quase todas as noites. Mas Jungkook não se importou em cumprimentá-lo, ele precisava de algo antes.

"Garçom. Whisky. Duplo. Sem gelo."

Em poucos instantes o copo surgiu em sua frente, e ele tomou tudo de uma só vez, o líquido rasgando a garganta seca. 

"Kookie! Olha, quero te apresentar algumas pessoas. Esses aqui são Mark, Jackson, Lisa e Jisoo. Pessoal, este é o Jungkook. Ele finalmente saiu da toca!" Taehyung se aproximou animadamente. 

O moreno acenou timidamente para o grupo e se voltou para o garçom novamente, pedindo mais uma dose de whisky.

"Chega, Jungkook! Beber não vai apagar seus problemas." Jimin tentava convencer o moreno a largar o copo. Ele passava uma de suas mãos pela mão do maior, fazendo com que Jungkook tivesse dificuldade em segurar o objeto. Ele tentava desviar dos toques de Jimin, mas o loiro era persistente e o obrigada a ficar se mexendo de um lado para o outro, as vezes se abaixando, as vezes levantando o braço. Era uma cena cômica, ou assustadora aos olhos de Taehyung, que encarava o amigo com os olhos arregalados. 

"Jungkook, despeça-se dos seus amigos e vamos para casa colocar alguma coisa nesse seu estômago."

"Você não é minha mãe." Jungkook gritou para o seu lado que estava vazio aos olhos de Taehyung.

"Tá tudo bem, cara? São aquelas alucinações de novo?" Perguntou receoso.

"Ah, não. Não se preocupe. São só problemas com o sono." Deu uma desculpa para disfarçar o seu diálogo com Jimin.

"Não tem dormido bem?"

"Aigoo, ele dorme mais de 12 horas. Viciados em ópio são mais alertas do que você, Jungkook!" Jimin disse revirando os olhos. 

"Cala a boca." Gritou novamente, deixando Taehyung apreensivo por ver seu amigo falando sozinho. 

Jungkook se virou para o balção do bar novamente, segurado o copo com a bebida que tinha pedido com ainda mais força, como se temesse que ele fosse ao chão. 

"Para, você não vai beber." Jimin ordenou.

"Ah, é? E o que você vai fazer para me impedir." Sussurou e olhou para os lados para ver se alguém mais tinha escutado. 

As bochechas de Jimin se inflaram, ele fechou os punhos e tomou impulso em direção a Jungkook, fundindo os dois corpos. O maior se contorceu com a sensação esquisita, mas teimou em segurar o copo, levando o mesmo até bem próximo dos lábios. Mas, como se ele tivesse perdido controle dos seus movimentos, sua mão foi levada para longe de seu rosto, batendo forte contra o balção, chamando a atenção de todos ao seu redor. 

Jungkook ainda tentava bravamente ter domínio de suas mãos, mas não estava sendo fácil. Jimin controlava seus movimentos, tentando fazê-lo soltar o copo. Até que a mão direita do moreno foi de encontro ao seu rosto, em um tapa estalado, deixando uma marca avermelhada na sua bochecha. 

"Cara, o que é que tá acontecendo com você?" Taehyung agora não escondia mais sua preocupação. Tentou se aproximar do outro, mas ele não esperava o que vinha a seguir. 

Em um movimento rápido, Jungkook jogo todo o conteúdo do copo em Jisoo, molhando toda a sua blusa branca. A garota deu grito, irritada por agora cheirar a álcool. Ela encarou o moreno com desprezo e seguiu para o banheiro para tentar secar aquilo. 

Jungkook não teve nem tempo de se desculpar, seu corpo foi arrastado para fora do bar. 

Assim que a porta fechou, Jimin saiu do corpo de Jungkook, batendo as mãos umas nas outras em sinal de satisfação com seu trabalho. 

"Por Deus, Jimin!" Jungkook encarava o loiro incrédulo. 

"O que foi? Você ainda vai me agradecer por isso." Jimin cruzou os braços.

"Agradecer? Por me fazer parecer um maluco na frente dos outros?" Jungkook passou as mãos no rosto frustrado. Ele não sabia mais como reagir. Saiu caminhando apressadamente, queria se afastar daquele lugar. 

Avistou um ponto de ônibus vazio, se largando nos bancos. Mas ao se virar, suspirou derrotado ao ver Jimin novamente ao seu lado. 

"Por que ainda está aqui?"

Jimin tinha ficado diferente. Ele estava sentado, com o corpo inclinado para frente, apoiando os braços nas pernas. Seu olhar era vago, e aquela pose de durão parecia ter sumido. 

"Essa pergunta me assusta." Ele começou dizendo baixinho, como se fosse para ele mesmo. "Eu não sei. E por que você é o único que consegue me ver? Quando eu não estou com você, é como se eu... é como se eu não existisse. Meu Deus, talvez eu realmente esteja morto!" Jimin abaixou a cabeça, a apoiando nas mãos. 

Jungkook se entristeceu ao fitar a figura menor. E seu coração falhou uma batida ao escutar soluços baixinhos, que escapavam por entre as mãos tão delicadas do loiro. Não queria vê-lo assim, de alguma forma aquilo o machucava. 

"Jimin, me desculpa. Eu não deveria ter tido que você está morto. Talvez, você esteja apenas... muito magro." Jungkook se estapeou mentalmente por ter dito aquela bobagem. 

O menor levantou o rosto, olhando nos olhos de Jungkook. "Se pelo menos eu soubesse quem eu sou, ou quem fui... talvez esse mistério acabasse. Mas eu não consigo me lembrar, eu tento, mas eu não consigo sozinho." Deu ênfase na última palavra, fazendo um biquinho logo em seguida. 

Jungkook riu pelo nariz, balançando a cabeça em descrédito. "Não vai me dizer que está pedindo a minha ajuda?" 

O rosto de Jimin se iluminou e Jungkook pode ver o brilho dos seus olhos voltar. 

"Olha, você pode escolher entre duas realidades. A primeira é de um homem que entrou na sua vida por meios pouco convencionais e que está precisando da sua ajuda. Agora, a segunda é a de uma pessoa, que está louca e falando sozinha em um ponto de ônibus." 

Jungkook paralisou por alguns segundos. Suspirou pesado se rendendo. 

"Eu acho que prefiro a primeira."

"Tá bom! Então, vamos descobrir quem eu sou!"



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...