1. Spirit Fanfics >
  2. E se fosse você? >
  3. Prólogo

História E se fosse você? - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


>GENTE, LEIAM ISSO AQUI ANTES DE IR PRA FANFIC, POR FAVOR!!!!<

Seguinte, como vocês devem ter percebido é uma fic com Jk gêmeos. Mas, diferente das fanfics que eu já vi, o Jimin não vai namorar os dois ao mesmo tempo, só que eu vou dar a vocês os "dois lados da história".

Nossa, autora, mas como assim?
Vamos lá, deixe-me explicar. A proposta dessa história é vocês terem, digamos, os dois lados da moeda; a visão de como seria o relacionamento do Jiminzinho com ambos os gêmeos.

Vamos pensar que vai funcionar como dois universos paralelos, onde os capítulos serão separados por: 1.1 (referente ao primeiro gêmeo, Jungkook) e 1.2 (referente ao segundo gêmeo, Jeongguk).

Eu sei, eu sei, o nome é o mesmo, muda só a escrita, vamos desconsiderar esse clichê ok :')

EU SEI QUE PARECE CONFUSO AGORA, mas eu juro juro que vocês vão conseguir entender como vai funcionar.

Eu baseei essa ideia em um dorama que eu assisti a 5472448 mil anos atrás, que eu não me lembro o nome :( mas basicamente a menina tinha, se não me engano, 7 possíveis pretendentes e 7 finais diferentes, com cada um deles.
É basicamente isso.

Me desculpa por essa introdução giganteeeee, mas é que eu preciso explicar pra vocês como as coisas vão funcionar :(

Boa leitura a todos!

Capítulo 1 - Prólogo


Fazia cerca de cinco minutos que Jimin encarava a tela de seu celular, sem saber o que fazer. 

Aberto em sua tela estava seu WhatsApp, com apenas duas conversas piscando com notificações, estas que foram abertas e não respondidas. Cada uma delas continha, basicamente, a mesma mensagem que deixava Jimin completamente nervoso, estas que eram um “Quer sair comigo amanhã?” 

Nunca pensou que fosse tão difícil tomar uma decisão, em toda sua vida. O que faria, afinal? 

Se envolver-se com irmãos já era ruim o suficiente, com gêmeos era a pior coisa que poderia ter feito. Raios, onde havia amarrado seu cavalinho? 

Claro que não poderia ter previsto esse tipo de acontecimento. Quando começou a se envolver com Jungkook, este aparentemente havia esquecido de lhe contar um pequeno detalhe sobre si; o fato de ter um irmão gêmeo! 

Tudo começou quando acabou esbarrando em Jungkook pela universidade, o encontro, apesar de desastroso – e lhe render uma maquete feita com tanto custo para sua próxima aula, quebrada – lhe beneficiou, no fim, com o número de contato daquele gatinho, estudante de direito. 

A atração de ambos foi instantânea, quase uma cena clichê de filme americano; as coisas de Jimin foram diretas para o chão, ambos se abaixaram para pegá-las, um toque de mãos, uma troca de olhares, e Park já estava com um sorriso envergonhado no rosto corado. Jeon, completamente culpado pela maquete quebrada do calouro de Arquitetura, insistiu em lhe pagar um café no final daquele dia, e ficou de o esperar no prédio de seu curso para irem juntos. 

É claro que Jimin realmente não achou que ele falava sério, e foi para sua sala sabendo que seria esquecido e eles provavelmente não se falariam tão cedo. Uma pena, pensou, já que ele era realmente muito bonito. 

Imaginem sua surpresa quando, ao final da aula, encontrou o sujeito o esperando, como havia prometido? Jimin até mesmo sentiu seu coração acelerado ao ver Jungkook o esperando. 

Ele trajava uma calça preta, junto com uma blusa social rosa bebê e um tênis preto, a bolsa de couro pendurada em um dos ombros, os cabelos perfeitamente arrumados evidenciava algumas mechas rosas presentes, mesmo que discretas, e o rapaz de óculos redondos abriu um grande sorriso ao vê-lo. Park até mesmo sentiu-se sem graça com a beleza alheia. 

— Oi, você. – Jungkook saudou, caloroso e sorridente, ao que Jimin se aproximou de si. 

— Oi…. Não achei que fosse mesmo aparecer. – Park deu um riso sem graça e Jeon o olhou, com curiosidade. 

— Como não? Eu disse que te pagaria um café, estou me sentindo realmente culpado por ter quebrado sua maquete, espero não ter lhe causado nenhum problema. – disse o mais alto, estudando o rapaz em sua frente com um certo brilho no olhar. 

— Não, está tudo bem. – Jimin sorriu — Onde vamos, então? 

E Jungkook o levou para uma cafeteria algumas quadras dali. Tinha uma decoração bem rústica, toda de madeira e em tons de marrom, e não era muito cheia. Sua vitrine era repleta das mais variedades de doces possíveis. 

— Gosto de vir aqui para estudar. É calmo e eu ainda posso desfrutar de um belo doce enquanto estudo. – Jungkook lhe segredou enquanto entravam no estabelecimento, dando uma risadinha feliz. Jimin achou extremamente fofo. 

Ali, puderam conhecer um pouco um do outro, apenas o suficiente para lhes despertar curiosidade e a vontade de continuarem se vendo mais vezes. Não demorou muito para estarem trocando beijos, também. 

Não era nada sério, afinal ainda estavam se conhecendo e não queriam apressar as coisas, mas gostavam da companhia um do outro e Jimin podia sentir seu coração acelerado sempre que estava com o mais velho. Algo em seu íntimo lhe dizia que aquilo poderia, sim, dar certo. 

Isso até, bem, as coisas virarem de pernas para o ar. 

O curso de biologia estava preparando uma festa de confraternização com os outros cursos naquele sábado, fazia cerca de duas semanas desde que estava ficando com Jungkook e este lhe disse não poder ir, pois teria uma prova importantíssima na segunda e precisava estudar. 

Jimin apenas concordou e foi mesmo assim, com seus amigos. A festa estava abarrotada, pessoas de todos os cursos se misturavam ali em meio a muito álcool e coisas que Park preferiu nem saber. Mesmo assim, não demorou muito até que estivesse completamente tonto pela bebida, perdido de seus amigos, andando entre a pista de dança lotada, tentando chegar no corredor que dava até os banheiros da casa. 

Foi quando sentiu seu corpo bater no de outra pessoa e, tonto pela bebida como estava, Jimin perdeu seu equilíbrio e se não fosse por um par de braços o agarrando pela cintura e puxando para perto de um tronco grande e macio, teria ido parar direto no chão. 

— Tome mais cuidado, loirinho. – ouviu uma voz estranhamente familiar sussurrar em seu ouvido e sentiu-se arrepiar por inteiro. Sentia seus sentidos nublados e não conseguia dizer se era pelo álcool ou pelo perfume daquele cara que, puta merda, era bom demais. 

— Me desculpe…. – Jimin começou a dizer, mas assim que levantou seu olhar até o rosto de seu salvador, um sorriso enorme abriu em seu rosto — Jungkook! Você está aqui! Porque não me avisou que viria? – falou, completamente feliz e bêbado. 

Abraçou o corpo mais alto e depositou um selinho rápido em seus lábios. Estava tão bêbado que sequer foi capaz de notar quando o rapaz arregalou os olhos, parecendo chocado. Ou sequer foi capaz de perceber algumas diferenças claras, como os cabelos negros, a falta de um óculos redondo em seu rosto ou, até mesmo, uma tatuagem na mão direita, assim que enlaçou na sua e o puxou para longe dali. Sequer dando tempo para o outro dizer alguma coisa, o interrompendo no mesmo instante que este abriu a boca. 

— Vem, vamos sair daqui. 

E apenas puxou o mais alto para longe daquela pista de dança lotada. Jeon até tentou protestar algumas vezes, dizer que estava acontecendo um mal entendido ali, mas Jimin sequer lhe deu moral, entrando na primeira porta que encontrou destrancada naquele andar. 

— Ei, eu preciso que você me escute, acho que está acontecendo um mal entendido aqui e– quando Jeongguk tentava, mais uma vez, explicar que aquilo era, provavelmente, um grande mal entendido, Jimin fechou a porta do quarto atrás de si e não esperou um segundo sequer para puxar seu rosto para um beijo. 

É claro que havia sacado no primeiro instante que estava sendo confundido por seu irmão, Jungkook. Aquilo sempre acontecia aos desavisados. Por algum motivo que não conseguia entender, seu irmão simplesmente esquecia – ou achava não ser necessário – contar as pessoas que eram gêmeos. Isso acabava os colocando em algumas confusões, como a que estava presenciando. 

Jeongguk tinha certeza de que não era ele quem o tal garoto de cabelos loiros queria estar beijando, nesse momento. E já tinha percebido que tentar explicar alguma coisa naquele momento seria meio difícil, considerando o nível de embriaguez no qual se encontrava. 

Era por isso que evitava esse tipo de festas. 

Não que julgasse o rapaz, longe disso, mas não saberia qual poderia ser a reação dele quando contasse que não era exatamente quem ele pensava ser. 

Maldito fosse Yoongi por ter o feito lhe buscar naquele lugar, só para desistir no último momento falando que ficaria por ali mesmo. 

Ciente que não conseguiria falar com o rapaz naquele momento, estava pronto para afastá-lo de si quando este colou os lábios nos seus. Ali, Jeongguk fraquejou e perdeu os sentidos. 

Droga, o que eram aqueles lábios? 

Smplesmente não conseguiu afastar o garoto loiro de si, não naquele momento, por isso acabou cedendo àquele beijo, sem se deixar pensar de forma racional naquele momento. 

Quando Jeon levou ambas as mãos até a nuca de Jimin, aprofundando o beijo, o mais baixo sentiu todos os pelinhos de seu corpo arrepiando. Canela, aquele beijo tinha gosto de canela, e aquele fora o primeiro momento de estranheza que Jimin teve, pois se lembrava claramente do beijo de Jungkook ser sempre doce, mas o álcool ainda corria por suas veias e, droga, aquele beijo era bom demais para conseguir parar naquele momento. 

Ele se sentia nas nuvens. 

As mãos grandes desceram de sua nuca por toda suas costas até chegarem em sua cintura, onde Jeon guiou o corpo menor até uma mesa de estudos que tinha ali e, com um impulso, o sentou ali, se encaixando no meio das pernas alheias. 

Park sentia seus sentidos completamente nublados, suas mãos percorriam os cabelos escuros e sedosos alheios, descendo por seus ombros e braços firmes, cobertos por um moletom escuro. 

Jamais tinha visto Jungkook usando moletom, constatou vagamente. 

Jimin quebrou o beijo para poder respirar, estava ofegante e completamente fora de órbita com esse beijo tão intenso, e quando abriu os olhos encontrou os semelhantes alheios lhe encarando, tão de perto. Um olhar completamente penetrante e cheio de significados, que o fez suspirar involuntariamente. O quarto estava todo escuro e a única luz fraca que provinha era da lua, pela janela parcialmente aberta. 

Jeon juntou as bocas novamente, em mais um beijo afoito e  completamente inebriante, sentindo as mãos afoitas de Jimin por todo seu tronco, adentrando sua roupa e o causando arrepios pelo toque gelado. O loiro separou o beijo novamente, dessa vez para puxar o moletom alheio para cima, de forma afoita. E foi aí que ele realmente se tocou que algo estava estranho demais. 

Assim que o tecido estava em suas mãos, fora do corpo alheio, Jimin se viu encarando um tronco com tatuagens no peito e ambos os lados da costela e, ali, ele piscou confuso. A visão levemente turva o fez paralisar naquele momento. 

— Não me lembro de você ter tatuagens, Jungkookie. – murmurou baixo e confuso, recebendo como resposta uma risadinha. 

Uma mão, que agora pode notar ter uma tatuagem de coração no dorso, envolveu seu pulso esquerdo enquanto a outra foi direcionada até seu queixo, levantando-o de forma calma até estar encarando novamente aquele rosto tão conhecido e, agora, estranho. 

Conseguia ver as diferenças agora. A falta dos óculos, os fios completamente escuros e longos, o sorriso de coelho e uma pequena cicatriz na bochecha. 

— Vem aqui. – Jeon disse calmo, puxando Jimin de cima da mesa e o trazendo para se sentar ao seu lado, na cama. — Por favor, não me entenda mal, ou se sinta constrangido, eu meio que tentei te avisar, sabe? – começou, de forma paciente, vendo Jimin lhe encarar completamente confuso. 

— Eu estou alucinando ou algo do tipo? Me deram algum tipo de droga que eu não me lembro? – perguntou, perdido. 

— Olha, quanto às drogas, eu realmente não saberia te dizer. – Jeongguk disse, tentando manter o clima calmo — Você provavelmente deve ter achado que eu era o Jungkook, meu irmão, que eu tenho certeza de não ter te contado que tem um irmão gêmeo. 

— O Jungkook tem um irmão? – perguntou, completamente em choque e de olhos arregalados. 

— Aquele filho da mãe não te contou nem que tem um irmão? Ah, eu mato ele. – Jeon disse, mas seu tom tinha o ar de zombeteiro. Era quase como se estivesse acostumado com aquela situação. 

— Não…. – Jimin disse, começando a ficar envergonhado. Céus, tinha estado aos beijos com o irmão de Jungkook? Jungkook tinha um irmão gêmeo?! Porque não havia lhe contado aquilo? Não sabia o que sentir no momento. 

 Constrangimento por ter beijado o irmão de seu atual crush – e, caramba, por ter gostado tanto – ou indignação por ter sido privado de tal informação. 

— Acho que deveríamos começar novamente, certo? Meu nome é Jeon Jeongguk. – o rapaz disse, lhe chamando a atenção para si novamente, e sentiu seu rosto corar — Eu sei, nomes parecidos, rostos parecidos, acredite, você se acostuma. – e continuou a sorrir de forma graciosa. 

Porque ele parecia tão tranquilo com aquela situação? Será que não se sentia envergonhado por estarem se beijando até alguns segundos atrás?  E porque Jimin sentia falta de ter os lábios dele contra os seus?

— Park Jimin. – foi tudo que conseguiu dizer, no momento — Desculpe, eu não sei o que pensar, no momento. – continuou, desconcertado, jogando o corpo para trás e deitando na cama macia de um desconhecido, encarando o teto branco. Jeongguk soltou uma leve risada. 

— Perdoe meu irmão, ele não faz por mal, sabe? – comentou, deitando-se ao lado de Jimin — As vezes ele esquece que nem todos sabem que somos gêmeos, ele é assim mesmo, mas não faz por mal. É só que…. Às vezes é como se fôssemos um só. – riu de forma envergonhada. — E me desculpe por não ter te parado antes, sabe…. Dos beijos. – ele finalizou e parecia meio envergonhado, Park pode ter certeza ao olhá-lo de relance e ver o rosto levemente vermelho. Acabou abrindo um pequeno sorriso. 

— Tudo bem, eu acho…. É claro que se eu soubesse, talvez isso não teria acontecido mas…. Acho que não tem tanto problema. Eu e seu irmão não somos namorados nem nada do tipo, estamos apenas nos conhecendo. – murmurou um pouco envergonhado.  De fato, não havia contado nenhuma mentira. 

— Entendo. – Jeon respondeu. 

Por alguns minutos, permaneceram em silêncio, sem realmente saber o que dizer a seguir. Jimin apenas não queria sair dali, não naquele momento. Tinha acabado de descobrir algo sobre a vida de Jungkook que tinha despertado uma curiosidade muito grande. 

Droga, ele era a cara do irmão, então era impossível não se sentir caidinho por ele igualmente – principalmente depois dos beijos que haviam trocado –, ao mesmo tempo que uma curiosidade de o conhecer crescia dentro de si. 

O quão parecido ele seria do irmão? Ou será que a semelhança ficava apenas na aparência? Quais gostos teria Jeongguk de diferente do irmão? 

Jimin estava inclinado em querer descobrir o que cada um teria de diferente do outro, o que teriam de parecidos, o que os tornavam um só e o que os tornavam duas pessoas. 

Foi por isso que passou as horas seguintes ali, na companhia de Jeongguk enquanto conversavam sobre coisas aleatórias e onde descobriu a paixão que o rapaz tinha pela astrologia. Ali descobriu que as tatuagens em seu corpo se somavam em dez, e, assim que perguntou seus significados, apenas obteve como resposta um: 

— Qual quer saber primeiro? – Jeon o questionou, sentado de frente para Jimin, para que este pudesse ver todas suas tatuagens. 

— Essa aqui. – o loiro apontou para a costela direita, onde continha uma câmera fotográfica tatuada, junto com algumas flores. Jeongguk sorriu. 

— Fotografia. É minha paixão, meu hobbie e, bem, minha profissão. Curso fotografia. – e riu, ao final da frase, observando com curiosidade e fascínio Jimin, que sorriu de volta para si. 

Jeongguk se descobriu viciado naqueles sorrisos. 

— E essa? – perguntou para a que jazia na costela esquerda, e Jeongguk apenas negou com a cabeça. 

— Eu te conto o significado dela, se aceitar sair comigo mais uma vez. – disse, sem muita vergonha do flerte descarado. 

— Está me chamando para sair, Jeongguk-ssi? – Jimin perguntou, arqueando a sobrancelha, um meio sorriso em seus lábios. 

— Se não for um problema para você, sim. – disse, sem vergonha. Jeongguk realmente não tinha muito problema com isso. 

— Vou pensar no seu caso. 

E Jimin realmente passou as próximas horas de conversa pensando no assunto. Estava saindo com Jungkook e o conhecendo, e não viu realmente um problema em conhecer Jeongguk também. A curiosidade sobre eles já era grande sobre si, o que poderia dar errado? 

Foi por isso que, quando Jeon estacionou na frente de sua casa naquele início de manhã, Park deu a ele seu número de telefone e disse que estava curioso demais para saber sobre os significados ocultos de suas tatuagens. 

Eventualmente, Jimin teve com Jungkook a conversa sobre ele ter um irmão gêmeo e não ter lhe contado. Envergonhado, ele riu sem jeito e pediu desculpas, dizendo que muitas vezes realmente esquecia que deveria dizer sobre isso – era tão normal, para si, que se esquecia completamente que nem todos sabiam dessa informação. 

Park chegou, até mesmo, a perguntar se Jungkook se importava dele conhecer seu irmão também, e foi surpreendido quando este lhe respondeu apenas um: 

— Não me importo, Jimin-ah, Gukie é uma parte de mim, de qualquer forma. Só não esqueça que, se você se apaixonar por nós dois, terá uma escolha a fazer. 

E, contra as crenças de Jimin, aquele momento realmente havia chegado. Por mais ganancioso que fosse, sabia que não poderia ficar com os dois. 

Talvez, o que mais lhe deixasse indignidade é a serenidade na qual os dois estavam com a situação. Como podiam estar tão tranquilos enquanto  deixavam a cabeça de Jimin de pernas pro ar? 

Olhou novamente para a tela do celular, respirando fundo e clicando em uma das conversas. 

Era aquilo, sua decisão tinha sido tomada. 

 


Notas Finais


GENTE, o que vocês acharam??
Eu simplesmente AMO essa história, sério, eu mal acredito que ela finalmente está sendo postada :')

Se vocês quiserem, no wattpad tem fotinha dos personagens falando um pouco mais de cada um, junto com fotos de todas as tatuagens do jeongguk <3

https://www.wattpad.com/1028379700-e-se-fosse-voc%C3%AA-importante

Espero que gostem, até a próxima, beijinhosss


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...