1. Spirit Fanfics >
  2. E se tudo fosse diferente? >
  3. Me perdoem

História E se tudo fosse diferente? - Capítulo 31


Escrita por:


Notas do Autor


Oiie mores, turu pom?
Capítulo de hoje cheio de emoções e reviravoltas, espero que gostem...
Falo com vocês nas notas finais!!
Boa leitura!

Capítulo 31 - Me perdoem


   LEIAM AS NOTAS FINAIS, BJS

PVD LILY

Meu coração se destruiu quando eu vi Becky caída no chão cheia de cortes e muito sangue ao seu redor com Pedro chorando e pedindo para que ela não o deixasse, céus, oque fizeram com a minha amiga?

Me recuperei o máximo que eu consegui do choque e fui junto deles enquanto os aurores presentes na festa e os outros membros da Ordem prendiam os comensais que estavam desacordados e alguns que tentaram escapar quando o lorde das trevas caiu. Pedi para Tonks fosse até o St. Mungus e chamasse sua mãe e mais medibruxos enquanto nós levávamos Becky para dentro de casa. Ela concordou e Lupin foi com ela como sempre, aparataram os dois e Pedro levou a namorada para sala. Eu e Kattie fomos ir ajudar os que estavam feridos e verificar as crianças, graças a Merlin nenhum de nós tinham se machucado muito, tirando é claro Becky, os pequenos estavam bem e nossos amigos trouxas também. Depois de me certificar que todos estavam bem corri para procurar meu marido e meu filho, achei os dois perto do lago que havia no quintal da Toca, Harry estava no colo do pai e James o mostrava coisas na água clara. Sorri para aquela imagem agradecendo a todas as divindades por cuidarem deles e não tirarem ele de mim. Não sei oque eu faria se estivesse no lugar do Pedro, sinceramente acho que eu não aguentaria perde-los.

- Está tudo bem aqui? - perguntei enquanto eu me aproximava mais. Jay virou para mim sorrindo e Harry estendeu os bracinhos pedindo colo.

- Melhor agora que você chegou. - meu marido respondeu e me deu um breve selinho. - Fiquei preocupado com você!

- Estou bem agora ou quase bem, estou com medo de Becky não sobreviver. - falei sorrindo triste para ele.

Ficamos mais alguns minutos ali só nós três, quando ouvimos barulhos mais para cima e voltamos para a Toca. Entramos pela porta dos fundos e fomos para a sala, estava cheia de gente, umas chorando e outras apenas se cabeça baixa. Andrômeda estava ajoelhada ao lado da minha amiga que estava deitada no sofá, a mulher mais velha avaliava toda a situação de Becky com um semblante preocupado. Foram sem dúvidas os minutos mais angustiantes do meu dia inteiro, quando achei que nada iria acontecer Andrômeda falou:

- Temos que levá-la agora para o St. Mungus ou ela não vai sobreviver. Tyler e Brandon coloquem ela na maca com cuidado e aparatem com ela direto na sala de cirurgia no quarto andar , expliquem o ocorrido e digam que eu já estou indo. - dito isso os ajudantes fizeram exatamente o que ela mandou e logo mais nenhum deles estavam mais aqui. - Se quiser pode me acompanhar Pedro, o restante eu mando notícias assim que possível. - ela falou e estendeu o braço para que Peddy o pegasse e foi oque ele fez prontamente e os dois aparataram.

- Enquanto minha mãe resolve esse problema, oque vamos fazer em relação a Bellatrix? - perguntou Tonks e nessa hora Bella entra na sala de cabeça baixa.

- Por favor, antes de qualquer coisa, antes de qualquer julgamento, me deixem falar sobre a minha mudança de lado e tudo que me fez chegar até aqui, nessa sala. - ela pediu e alguns não gostaram nem um pouco dessa idéia e iam negar quando eu interrompi.

- Pode falar, precisamos ouvir oque você tem a dizer e saber a sua versão dessa história. - eu disse e ela sorriu para mim, algo que eu não estava esperando. Ela se sentou em um dos sofás e olhou ao seu redor.

- Muito obrigada Lilian. Bom, acho melhor que eu comece pelo começo, fui obrigada a me casar com Rodolphus Lestrange, no começo eu o odiava, na verdade eu odiava a ideia de ter sido obrigada a me casar sem ter escolha, sem me casar por amor, eu estava revoltada com meus pais por me obrigarem a fazer isso, eu sentia tanta raiva, que acabei cometendo a loucura de procurar pelo lorde das trevas, e me aliar a ele. E talvez por estar tão confusa e com raiva, eu acabei criando a fantasia de que eu estava apaixonada por ele, criei na minha cabeça que ele me amaria de volta um dia, eu sei foi burrice da minha cabeça e eu me arrependo amargamente disso. Depois de ser obrigada a me casar e morar junto de Rodolphus eu passei a conviver com ele e acabei me apegando muito a sua presença e companhia, criei um carinho grande por ele, eu não sabia na época mas agora eu percebo que estava completamente apaixonada por aquele homem e eu sabia que ele também me amava, mas não admitia isso para mim mesma, na minha cabeça eu tinha uma explicação por estar tão atraída pelo meu marido que eu odiava, eu pensava que estavado louca, por que meu verdadeiro amor era o lorde das trevas, aquele mesmo homem que me olhava com nojo e me rebaixava e me tratava como lixo, mas era ele quem eu amava e nenhum outro. Me tornei uma comensal, recebi a marca negra, fui incumbida de tarefas que se fosse me dadas hoje eu não teria coragem de fazer. Fomos nos envolvendo cada vez mais, ele dizendo que me amava e eu estava nas nuvens, estava vivendo oque eu sempre sonhei, com o home que eu "amava". Mas tudo acabou quando eu disse que queria mudar de vida, que eu queria me separar de Rodolphus e me casar novamente, mas dessa vez com ele, queria ter uma família, queria construir um vida inteira ao seu lado, e aí foi quando ele me contou sobre as horcruxes, vocês devem ter visto esse dia, nas minhas lembranças que eu emprestei a Dumbledore. Foi nesse dia que eu percebi que não o amava coisa nenhuma, a única coisa que eu conseguia sentir era raiva dele, por que eu percebi que ele me enganava, dizendo que me amava, que viveria a eternidade comigo, que nos casariamos, eu fui uma tola por acreditar nas palavras dele, me odiei por meses por ter acreditado nas mentiras que ele me fez acreditar que eram verdades. Foi aí que eu fui me distanciando o máximo que eu consegui dele e de tudo que o envolvia. Eu estava na minha casa, em uma tarde chuvosa, Rodolphus tinha saído para uma viagem a trabalho que Voldemort havia lhe dado, quando Alvo Dumbledore veio até mim, até a minha casa e pediu minha ajuda, me pedindo para fazer um papel de agente duplo para derrotar o lorde das trevas, me pediu a lembrança que ele mostrou a vocês. Ele me instruiu para que eu me reaproximasse do lorde e assim eu fiz, me reaproximei de Voldemort e o fiz me contar todos os seus planos, fui passando tudo que eu sabia para Dumbledore, eu queria destrui-lo , fazer ele sentir a dor que eu senti, passar todo o meu sofrimento para ele, mostrar que ele não me afetava mais... - Bellatrix chorava e soluçava enquanto contava tudo e eu pude ver pela primeira vez que ela era uma humana, como todos nós, com sentimentos e dores reais. Ela continuou.- Fiz tudo que estava ao me alcance, contei tudo o que estava fazendo para Rodolphus e ele me apoiou em tudo. Pedi para que ele se juntasse a mim e que fosse um espião duplo e graças a Salazar ele concordou comigo e fingiu ser um dos mais fiéis comensais que o lorde das trevas já havia visto. Ele cedia nossa mansão para reuniões importantes e sempre estava presente nessas mesmas reuniões, quando eu não podia participar de alguma delas, ele saia de lá e me contava tudo e eu passava tudo que eu sabia para Alvo. Rodolphus me apoiou quando ninguém mais quis, ele me amou nos meus melhores e piores momentos. Eu espero que possam me perdoar por tudo que eu tenha feito, sei que fiz coisas muito ruins, torturei inocentes, matei pessoas que não tinham nada haver com a guerra e eu me arrependo tanto disso. Mas se vocês estiverem dispostos a me perdoar, eu juro fazer o meu melhor. - ela terminou de falar e um silêncio se instalou na sala. Achei ela não falaria mais nada, mas ela continuou, com a voz mais rouca por causa das lágrimas - Perdoem a mim e o resto da minha família, por favor, Narcisa nunca quis se aliar ao lorde das trevas, só fez isso por causa de Lucius, ele é outro homem horrível, ele a chantageava, fala que se ela não fosse a esposa que ela tinha nascido para ser, ele machucaria Draco, e ela não podia permitir que seu filho sofresse, por mais que Cissa nunca tenha amado Lucius de verdade, ela ama o filho e não queria que o pequeno se machucasse, então ela fez tudo oque o marido mandou e sofre com isso até hoje, sofra talvez mais que eu, mas agora com Lucius foi preso e não podendo mais machuca-la ela com certeza se juntará a nós. Cissa é um amor, se vocês a conhecerem de verdade vão ver isso. Rodolphus também merece perdão, não sei se posso pedir isso tudo a vocês e esperar que nós aceitem e nos perdoem por tudo que fizemos, mas eu só peço essa chance para mostrar que não somos esses monstros que todos pensam. Era isso que eu tinha para falar, obrigada por me ouvirem. - ela terminou de falar e a sala estava silenciosa, todos quietos parecendo pensar, olhei ao redor e percebi que as mulheres choravam e percebi também que eu chorava. Me aproximei de Bella que ergueu o rosto para mim, sorri para tranquiliza-la, decidindo que ela estava sendo sincera, não é possível criar um história como essa sem todo o sofrimento que ela transmitiu sem ser verdade, era muita dor para ser apenas fingimento.

- Eu não sei oque é passar por tudo que passou, eu definitivamente não desejo esse sofrimento a ninguém. Eu acredito que todos deveriam ser amados e felizes, todos deveriam ter a chance de terem uma família, terem pessoas que os ame incondicionalmente. Por isso, eu estou de peito aberto para receber, não só a você, mas Narcisa e Rodolphus na minha vida, estou disposta a deixar vocês entrarem na minha família, para serem amados e cuidados, para serem quem vocês realmente são. Aqui na nossa família, nós cuidamos uns dos outros, não julgamos o passado e nem oque já fez de ruim, apenas aceitamos que agora, no presente vocês querem mudar e farão o possível para não cometer os mesmos erros do passado, eu espero que a partir de hoje possamos ser uma família. - falei com a voz embargada pelo choro mas sempre com um sorriso no rosto, com um ato que me deixou surpresa Bellatrix sorriu e se levantou do sofá onde estava sentada e me abraçou, fiquei alguns segundos parada mas logo correspondi ao abraço.

- Muito obrigada Lilian, eu sabia que você tinha um coração enorme. - ela sorriu, um sorriso tão bonito e sincero.

- Lily, por favor, somos uma família agora. - sorri e ela concordou sorrindo também. Mas um corpo se chocou com o dela derrubando-a no sofá.

- Eu sabia que você era uma boa pessoa, eu sabia que um dia veria que aquilo tudo era uma burrada e viria para o lado do bem! - Kattie exclamou feliz abraçando Bella e beijando seu rosto.

- Eu deveria ter te ouvido antes, no dia em que nós discutimos, você estava certa esse tempo todo, me desculpe por não ter te escutado antes quando você estava tentando me ajuda. - Bella falou com lágrimas nos olhos novamente e abraçou Kattie mais uma vez.

- O importante é que você está aqui comigo agora prima! E fico mais feliz ainda por saber que Dolph e Cissa estão do nosso sala também. - Katherine disse sorrindente.

- Quer dizer que temos mais membros da família Black na nossa família postiça? - Sis perguntou e colocou um dos braços ao redor do pescoço de Kattie. - Eai prima?

- Oi Sirius. - Bella disse tímida e em seguida franziu o cenho. - Vocês estão juntos?

- Siim, a quase um ano. Esqueci que faz tempo que não nos vemos. Preciso te apresentar a duas pessoas! - exclamou Kattie sorridente e puxou Sis consigo até onde suas gêmeas estavam nos colos de Jen e Lice. Ela pegou uma das meninas e Sirius a outra e voltaram para perto de Bella e de mim. - Essas aqui são Viollet e Vallerie, são nossas filhas.

- Filhas?! - Bella perguntou boquiaberta. - Como assim você teve filhas e não me disse nada?

- Desculpe! Estava evitando conflitos e discussões, e também estava esperando o momento certo, elas têm um mês apenas. - Kattie disse dando de ombros e sorrindo.

- Seus pais sabem? - Bella perguntou e Kattie a olhou e arregalou os olhos.

- Não e espero que nunca saibam, não vou deixar que eles fação parte da vida das minhas meninas. - Kattie respondeu mais séria do que eu já tinha visto antes.

- A partir de hoje então vou ter minhas tias presentes na minha vida? - Tonks perguntou e se aproximou de todos nós junto com os outros membros na nossa família que era só oque sobrará na sala, todos os outros já haviam saído.

- Ninfadora? - Bella perguntou e Tonks torceu o nariz por ser chamada pelo primeiro nome.

- Ninfadora não tia pelo amor, Dora está de bom tamanho! - ela respondeu e a tia riu.

- Tudo bem então Dora, se depender de mim e se sua mãe não me bater, eu adoraria estar presente na sua vida! - Bella disse e sorriu.

- Porque não busca a Cissa e o Dolph para que eles todos conheçam de verdade nossa família Bella? - Kattie perguntou e todos olhamos para ela.

- Não sei se é uma boa ide.... - ela ia falar algo mais Alice a interrompeu.

- É uma ótima idéia, pode ir buscá-los, quero conhecer todos e descobrir se eles são essas mil maravilhas que vocês duas falam! - Lice exclamou fazendo todos da sala rirem.

- Se é assim, o que acha se ir até em casa prima? - Bella perguntou e olhou para Kattie.

- Eu adoraria! Lily, pode segurar a Viollet para mim por favor. - Kattie pediu e estendeu a pequena na minha direção e eu peguei. - Já voltamos eu prometo. - ela falou e se despediu rapidamente de Sis e aparatou com Bella.

Muitos minutos se passaram desde que as meninas saíram e nós que ficamos arrumamos os estragos na casa causados pela batalha e Molly se dispôs a fazer algo para comermos, ela não parecia muito mal pelo seu aniversário ter sido estragado pelo babacão das trevas. A comida estava quase toda pronta quando ouvimos barulhos de aparatação e em poucos segundos Kattie e Bella entravam na cozinha acompanhadas de uma mulher loira que eu sabia ser Narcisa Malfoy com uma criança no colo que eu julguei ser seu filho Draco e um homem alto, magro e de cabelos e olhos escuros que só poderia ser Rodolphus Lestrange. Esses últimos pareciam desconfortaveis demais por estarem aqui conosco, num lugar onde nunca estiveram antes e com pessoas que eles pensavam que os odiavam. Mas esse desconforto não durou muito, logo Kattie já jogou todos na mesa e começou a fazer um interrogatório divertido tirando todo o clima pesado que tinha a poucos minutos atrás. Depois desse almoço divino, as mulheres colocaram os homens para limparem a cozinha enquanto íamos conversar na sala com os novos membros da família.

- Eai Cissa, oque achou daqui? Não é tão ruim não é? - falou Kattie enquanto brincava com Vallie em seu colo.

- É tudo maravilhoso, é uma energia tão leve e risadas fáceis. É tão estranho para mim estar em um local tão alegre assim, eu sempre vivi em lugares onde todos estavam sérios o tempo todo e não haviam essas brincadeiras que vocês fazem uns com os outros, eu realmente adorei e sem dúvidas faria parte de uma família assim, grande e feliz como a de vocês. - Narcisa disse tudo sorrindo amplamente olhando tudo ao redor parecendo muito curiosa e encantada.

- Ficaremos felizes em ter você na nossa família Cissa! - Lice disse sorridente segurando Draco em seus braços e fazendo cócegas nele que gargalhava abertamente.

- Eu fico muito feliz de saber que sou bem vinda aqui, de verdade! - falou ela olhando para todas nós juntas.

- Volte sempre que quiser querida, minha casa está de portas abertas para você e sua família! - Molly disse alegre.

- Muito obrigada por tudo, eu nunca vou conseguir agradecer o suficiente por tudo que vocês fizeram por nós! - Bella disse e eu virei para ela.

- Pare de agradecer mulher, parece que estamos fazendo um favor! Por Merlin, nós escolhemos amar vocês! - respondi divertida e todas as outras riram.

Estavamos em um clima tão leve e divertido que eu nunca achei que teríamos com aquelas pessoas. E no final as meninas estavam certas, Cissa e Dolph eram realmente pessoas boas e amáveis e Draco, bom, o pequeno é meio anti-social mas é uma gracinha todo loirinho e com olhinhos cinzas brilhantes. Já era de noite quando resolvemos ir embora, dessa vez não ficamos para comemorar na Toca como sempre, mas é porque foi um dia exaustivo para todos, a batalha que resultou na morte de um dos maiores bruxos das trevas, as vítimas que essa guerra causou, tudo começou a pesar e eu, por mais que quisesse continuar ali e comemorar até não lembrar meu nome, ainda sim preciso de um longo banho, de uma bela massagem e da minha cama confortável. Mas não achem que íamos embora assim de boa, não, claro que não, nada que é bom dura muito não é? Estavamos de saída quando Andrômeda aparata na sala e se depara com suas irmãs ali, foi uma choradeira sem fim e pedidos de desculpas imensos, mas depois disso tudo e que elas estavam mais calmas e juntas novamente, Dromeda nos pediu para irmos até o hospital, dar uma força para Pedro, Becky ainda estava na sala de cirurgia e não se tinha notícias sobre seu estado ainda e nem se ela sobreviveria. Meu banho, minha massagem e minha cama confortável vão ter que ficar para depois, porque agora eu só quero correr até o St. Mungus para confortar nosso pobre amigo.


Notas Finais


Eaii, me digam oque estão achando???
Oque será que aconteceu coma Becky?

Antes de vocês irem, queria dizer que não sei se eu vou conseguir postar o capítulos tão rápido agora, eu voltei para a escola e eu fico o dia todo lá oque vai me tirar bastante tempo, vou tentar escrever nas minhas horas vagas, mas não se preocupem não vou parar com fic, ainda tem MUITA coisa para acontecer... Muito obrigada por me acompanharem, vejo vocês no próximo capítulo, um enorme beijo e
Malfeito, feito!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...