História É sempre tempo para amar - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Fairy Tail
Personagens Cana Alberona, Erza Scarlet, Jellal Fernandes, Loki, Lucy Heartfilia, Mavis Vermilion, Natsu Dragneel
Tags Fairytail, Jerza, Nalu, Romance
Visualizações 103
Palavras 2.317
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Hentai, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


2º Capítulo fresquinho para vocês =)

Espero que gostem!

Capítulo 2 - Festa de aniversário


Erza on

Depois que a Lucy saiu, eu e o resto das meninas ficamos tomando o café da manhã, quando todas acabamos eu levantei a mesa para me preparar para lavar a loiça

–Vá se vestir Mavis, eu e a Erza vamos limpar a cozinha para sair – Cana falou. Mavis, Wendy e Coco saíram da cozinha, onde uma ia as outras iam também, não consegui esconder um sorriso – tá rindo do que sua maluca? – Cana perguntou

–Das nossas meninas, é tão bom que elas se amem tanto umas às outras não acha? – agora era a vez da Cana ter um sorriso no rosto

–É fascinante como tem relações que são mais fortes do que as de sangue não é?

–Tem razão – eu falei e comecei a lavar a loiça e a Cana limpava e arrumava – e então Cana, você vai tentar arrumar um namorado para a Lucy?

–Claro que vou, foi a Mavis que pediu e para falar a verdade eu acho que a garota tem razão, a nossa Lucy merece alguém do lado dela

–Eu também acho – eu falei lavando o último prato – vou falar com o Jellal, talvez ele possa trazer um amigo para o aniversário da Mavis amanhã

–Porque você é a primeira a tentar arrumar um homem para ela?

–Você consegue arrumar alguém até amanhã?

–Não – ela falou fazendo beicinho

–Aí está a sua resposta – eu falei piscando o olho para ela – durante o almoço eu falo com a Lucy para saber se não tem problema de trazer um amigo, pois se fazemos isto sem o conhecimento dela ela é bem capaz de nos matar – eu falei imaginando a cara da Lucy brava e estremeci

–Estamos prontas – Mavis falou entrando na cozinha, eu sai do meu transe ao ouvir a voz dela – onde vamos primeiro? – ela perguntou com um sorriso no rosto

–Vamos a minha casa primeiro – eu falei – vamos buscar o Jellal, ele entende de mitologia, assim ele vai connosco para que nos ajudar, que me diz? – eu falei colocando meu rosto ao nível do dela

–Concordo – ela falou rindo, aquela garota era como a mãe, sempre mostrando um sorriso lindo para tentar esconder a tristeza que vai no seu coração. Assim nós saímos de casa da Lucy e fomos até à minha.

A minha casa fica a 10 minutos da casa da Lucy, quando eu e Jellal decidimos comprar casa eu quis comprar nesse bairro, pois queria ficar perto da minha amiga para ajudar ela, meu marido aceitou logo.

Quando entramos em casa Jellal estava sentado no sofá lendo

–Oi amor – eu falei me aproximando dele e dando um selinho nos seus lábios

–Oi – ele falou surpreso – pensei que iriam passar todo o dia nas compras, que aconteceu?

–Viemos buscar você – eu falei com uma voz sensual para ele ganhar vontade de vir com a gente, ele ficou com um olhar surpreso e me lançou um sorriso malicioso – a Mavis quer que a festa dela tenha o tema de mitologia, ninguém melhor que você para nos ajudar, que me diz? – ele se levantou e se aproximou de mim, ele me abraça e sussurra em meu ouvido

–Espero ser recompensado por isso – eu corei, ele me largou e olhou para a Mavis que tinha um brilho no olhar – vou só buscar o meu casaco e já saímos. Ele falou saindo da sala e indo ao quarto, eu fiz sinal para a Cana esperar ali com as meninas e segui o Jellal

–Jellal – eu chamei quando entrei no quarto, ele me olhou confuso – preciso perguntar algo para você – ele fez sinal para prosseguir – você conhece alguém para apresentar para a Lucy? – ele me olhou confuso e eu expliquei para ele o que a Mavis nos tinha pedido

–Entendo, acho que fazem bem em ajudar ela, eu acho que tem alguém que é perfeito para ela, é também professor de literatura na universidade, eu falo com ele – ele falou pegando no celular, eu me aproximei e coloquei minha mão em cima do celular dele e ele me olhou

–Preciso falar com a Lucy primeiro, se eu apareço lá com alguém sem ela saber ela me mata – ele olhou para mim e riu

–Tem razão, no almoço falamos com ela e depois eu ligo para o Freed – Jellal pegou no seu casaco e saímos. Cana e as meninas nos estavam esperando com um ar empolgado, algo me dizia que eu me iria cansar de andar às compras com elas.

Lucy on

A manhã tinha corrido bastante bem, tive muitos clientes então o tempo passou bem rápido, quando consegui olhar no relógio já era hora de almoçar. Fechei a loja e liguei para a Erza, ela me disse onde elas estavam e fui até lá.

Quando cheguei lá vi elas cheias de sacolas, aquela gente deve ter gasto o dinheiro todo do mundo numa manhã só.

–Que é isso tudo? – eu falei me aproximando da mesa onde eles estavam sentadas, eu dei um beijo na Mavis e me sentei do lado dela

–É tudo para a festa mãe – ela falou com um sorriso

–Vocês me vão levar à falência fazendo compras desse jeito, você não conseguiu controlar elas? – eu falei olhando para o Jellal e ele corou

–Ele foi o pior de nós todos Lucy, se for para matar alguém mate ele – Cana falou rindo, eu ri também, ver o Jellal envergonhado era muito fácil mas sempre tinha graça. Pedimos a nossa comida e eles me ficaram contando como passaram sua manhã. Eu fiquei triste por não ter estado com eles, pois me pareceu que se divertiram bastante, estávamos todos conversando e rindo até que Jellal me chama

–Lucy? – eu olhei para ele e ele parecia estar com vergonha novamente

–Jellal eu estava brincando à pouco, vocês não me vão levar à falência, estava brincando

–Eu sei, eu conheço você – ele falou e eu fiquei confusa, ele estava com vergonha porquê afinal? – bem Lucy será que você se importaria que eu levasse um amigo para a festa amanhã?

–Um amigo? Porquê? – eu vejo ele corando e ficando quase que da cor do cabelo da Erza

–Penso que você gostaria de conhecer ele – ele falou baixo mas consegui ouvir, eu senti que meu rosto estava vermelho agora

–Você me está tentando arrumar um encontro? – eu perguntei baixinho para a Mavis não ouvir

–Estou – ele falou tentando ficar sério – está na hora de você arrumar alguém Lucy, não tem sentido você ficar sozinha para sempre não acha? É sem compromisso, se você gostar dele marca um encontro, se não gostar não marca, não precisa se sentir pressionada, que me diz?

–Está bom, eu topo, mas veja lá que tipo de pessoa você me vai apresentar viu? Nada de pessoas pervertidas – eu falei apontando a faca para ele e ele levantou seus braços

–Pode deixar, eu irei trazer um bom rapaz – ele me falou piscando o olho. Tenho que confessar que tenho medo de me apaixonar novamente, mas também é verdade que estou cansada de me sentir tão sozinha, talvez essa ideia de me arranjarem uns encontros não seja uma péssima ideia.

***

No dia seguinte eu me levantei bem cedo e fui até ao quarto da Mavis, ela ainda estava dormindo, eu me sentei na cama e fiz festas no seu cabelo, aquela minha filha era muito linda, eu amava muito ela, eu dei um selinho na testa dela e a chamei, ela abriu seus lindos olhos e me encarou

–Parabéns meu amor – eu falei para ela, ela se levantou e me deu um abraço

–Obrigado mãe – nos desfizemos do abraço e eu entreguei um pequeno embrulho para ela, ela logo o agarrou e o abriu, era um colar em forma de coração, o coração abria e tinha lá uma foto minha com ela – eu amei mãe, obrigado – ela falou sorrindo e me abraçando novamente e me enchendo de beijos

–Vá se arrumar Mavis, temos muita coisa para arrumar até seus amigos chegarem – eu falei e ela logo obedeceu.

A manhã passou a correr, Erza, Jellal e Wendy tinham vindo mais cedo para nos ajudar, arrumamos tudo antes de almoçar. Depois do almoço Cana, Loke e Coco chegaram com o bolo, ele era simplesmente perfeito, tinha a imagem de um dragão e de uma fada e claro que estava coberto de morangos para a Erza. Os amigos da Mavis começaram a chegar pouco depois das 14 horas, Mavis fazia questão de abrir a porta para todos os convidados, rapidamente a minha casa se encheu do barulho de crianças brincando e rindo, eu e os outros pais ficamos observando e nos garantindo que nenhuma criança comia doces em excesso.

Alguém bateu na porta e Mavis foi abrir, era um homem alto, bonitinho e de cabelo verde, aquele deveria ser o Freed, o amigo do Jellal. Eu me aproximei dele o cumprimentei

–Oi, eu sou a Lucy – eu falei estendendo minha mão, ela agarrou ela e me cumprimentou

–Eu sou o Freed, o amigo do Jellal – ele me falou lançando um sorriso. Eu o convidei a entrar e a se colocar confortável, ficamos falando e trocando informações. Assim como o Jellal ele era professor de literatura na faculdade, ficamos falando sobre os livros que amávamos e pude ver que tínhamos os mesmos gostos, mas algo era estranho nele, não sabia dizer exatamente o quê, mas me parecia que ele não era muito interessado em mulheres. No entanto ele era um cavalheiro, muito educado e com gostos literários fantásticos. Quando estávamos falando da obra “Romeu e Julieta” meu celular tocou, eu pedi desculpa para o Freed e atendi

–Alô

Alô Lucy, é o Sting, de os parabéns para a Mavis tá? Adeus

–ESPERA – ele não desligou a chamada – espera só um segundo – eu corri para o meu quarto pois na sala estava muito barulho, tranquei a porta e me sentei na cama – Sting está aí?

Estou – ele estava com voz de quem tinha acabado de acordar

–Está falando sério que nem vai dar um oi para ela?

Ah Lucy não comece não

–Quando eu engravidei e você me abandonou eu sempre disse que não queria saber se você estivesse presente ou não, nunca quis o dinheiro do seu pai e nunca te exigi nada, mas foi você que decidiu começar a ligar para o aniversário dela, se era para ignora-la eu preferia que você nunca tivesse feito contacto. Lhe custa assim tanto falar com a sua filha para desejar um feliz aniversário? – eu falei tentando conter as lágrimas

Você sabe perfeitamente que eu só ligo porque meu pai me obriga, eu não quero saber dessa garota para nada eu nunca escondi isso de você, mas só para você não me encher mais o saco me passa logo ela

–Sintg…

Nem vem Lucy, ou se cala e me passa ela ou eu desligo, qual vai ser?

–Eu vou passar ela – eu estava com raiva daquele Sting, como é possível eu alguma vez me ter apaixonado por alguém assim, eu desci até a sala e encontrei a Mavis – filha, é seu pai – eu falei passando o celular para ela

–Oi – ela falou – obrigado. Sim tá, adeus – ela falou e me entregou o celular e saiu correndo para ir brincar com seus amigos, eu me encostei na parede observando ela e tentado conter minhas lágrimas

–Tia – alguém me chama, eu olho para baixo e vejo a Coco, ela me abraça e eu fico surpresa com aquilo – depois da minha mãe você é a melhor mãe do mundo tá? – ela falou e se esticou para me dar um beijo na bochecha e saiu correndo para brincar também.

–Tudo bem Lucy? – Erza falou se colocando do meu lado

–Sting ligou – eu falei

–Nossa, dessa vez ele conseguiu acertar o dia? Estou impressionada – ela falou surpresa

–Com certeza foi o pai dele que o lembrou, afinal o pai dele ama a Mavis, sempre lhe liga pelo menos 1 vez por mês, manda presentes e tenta vir às festas dela, mas como ele está muito ocupado com as empresas ele não pode vir tantas vezes como ele quer

–É bom pelo menos o avô gostar tanto dela assim – Erza falou

–Tem vezes que eu não acho que seja bom. Eu não tenho problemas nenhuns com o senhor Eucliffe, ele sempre foi muito gentil e sempre me quis ajudar financeiramente, eu que sempre disse que não, quem tinha que me ajudar era o Sting não o pai dele, mas ele quer que o filho se importe e isso acaba fazendo minha filha sofrer. Como você acha que ela se sente ao saber que é rejeitada pelo pai? Acha que ela não sabe que ele só fala com ela por obrigação? Ela é mais esperta do que aquilo que deveria ser. Minha filha esconde a tristeza por trás de um sorriso e eu odeio isso

–Me pergunto onde será que ela aprendeu a esconder a tristeza por trás de um sorriso – ela falou num tom irónico – as crianças aprendem com os exemplos que tem em casa Lucy, e você é como ela, está sempre sorrindo quando eu sei que está aí sofrendo – eu baixo minha cara, eu sabia que a Erza tinha razão, mas não o queria admitir – mas me diga e que tal o Freed?

–Não me pareceu uma má pessoa, mas eu não acho que ele esteja na onda de mulheres Erza – eu falei olhando para ele

–Sério??? Nossa pode ser que a Cana tenha mais sorte tentando arranjar alguém para você

–Como assim? – eu perguntei confusa

–Ela não contou para você? Ela marcou um jantar para ela, Loke, você e um amigo do Loke amanhã, a Mavis vem dormir na minha casa, ela não falou para você?

–NÃO – eu falei surpreendida com aquela notícia

–Ah bom, então agora já sabe, por isso já sabe se coloca bem bonita – ela me falou piscando o olho e saindo do meu lado, essas duas andavam mais loucas que o normal.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...