História EARTHCHILD ; jkjm - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), TWICE
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jihyo, Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Momo, Park Jimin (Jimin), Tzuyu
Tags Bangtan Boys (BTS), Boyxboy, Gay, Jeonjungkook, Jikook, Jjk, Kookmin, Mitologia Grega, Parkjimin, Pjm, Pjo
Visualizações 7
Palavras 4.083
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Fluffy, Lemon, LGBT, Magia, Misticismo, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


E aí, solzinhos?

A foto que eu coloquei no capítulo de hoje é puramente para facilitar a imaginação de vocês. Chama-se manticore e irá aparecer ao longo do episódio.

Boa leitura!

Capítulo 4 - CAPÍTULO DOIS: Welcome


Fanfic / Fanfiction EARTHCHILD ; jkjm - Capítulo 4 - CAPÍTULO DOIS: Welcome

"Mordo a minha língua, espero o meu tempo
Usando um aviso de perigo."


you should see me in a crown; Billie Eilish


🥀


Voar de Pégaso era algo incrível, Jimin mal podia acreditar. O vento nos cabelos, o jeito que ele se sentia livre... Era mágico.

Ele estava agarrado a cintura de Jeongguk, segurando firme em sua armadura. O bronze brilhante o fazia perceber como ficava bem nele.

Eles conversaram durante muito tempo sobre o acampamento, talvez tempo demais.

Descobertas feitas sobre o Acampamento Meio-Sangue:

-Todos os semideuses começaram a ser reclamados graças a Kim Taehyung.
-Kim Taehyung salvou o Olimpo.
-Ele e Namjoon foram parar no Tártaro e tiveram que passar através das Portas da Morte.
-Solar é uma semideusa romana.
-O diretor do Acampamento, Quíron. É um centauro.

Basicamente o acampamento é um lugar muito bom. Mas Jeongguk não mora lá. Aparentemente, ele não gosta de ser trancafiado em um lugar. Ele passa apenas o verão lá. Ou os finais de semana. E por pura coincidência ele também estuda na Sky High School.

Jimin não negaria que estava feliz por conhecer uma pessoa a mais na Sky, mas ele ainda não sabia se era uma boa ideia permanecer perto dele, por mais que ele tenha sido tão legal. Legal até demais.

"Então... O que você irá fazer?" Jeongguk perguntou, assim que se sentaram em uma mesa ao ar livre do lado de fora de um café.

"Em relação à...?"

"Acampamento ou irá morar na sua casa?" Ele perguntou. "Olhe, eu posso não morar no Acampamento, mas ficar fora dele talvez não seja uma boa opção. Ainda mais para um semideus poderoso como você." Ele diz, tomando um gole de seu café. "Olha eu vou ser sincero, acho que você merece isso. Eu não sou o maior fã do acampamento, mas ficar fora dele talvez não seja bom no seu caso."

"Você também é muito poderoso. E não tem problemas com monstros." Jimin deu de ombros. "Porque não continuar morando em casa?"

"Talvez porque você é o único semideus filho de Gaia?" Ele fita Jimin com seriedade. "E eu tenho problemas com monstros. Muitos. Precisei de treinamento."

"E você é quase tão poderoso como eu." Jimin toma um gole de seu cappuccino, dando de ombros.

"Talvez." Ele repete o gesto de Jimin, com um sorriso convencido mínimo e confiante.

Jimin revira os olhos. "Convencido."

"Ei, talvez devêssemos ir voando. Acho que talvez Sungjae esteja preocupado."

Jimin olhou o celular. "Faz apenas duas horas que nós saímos."

"Duas horas?!" Ele arregalou os olhos.

"Sim..." Jimin estranhou. "O que foi? Vai me dizer que o filho de Zeus, rei do Olimpo, tem hora para chegar em casa?" Ele debochou.

"Temos que chegar ao acampamento o mais rápido possível." Ele disse, puxando Jimin pela mão, montando no Pégaso o mais rápido possível.

Eles chegaram de volta à escola em menos de cinco minutos. Ray, até deitou-se para descansar assim que aterrissaram.

Pela cara de Sungjae, Jimin soube que estavam encrencados. E ele estava acompanhado daquele anão com menos de um metro e meio que não havia dito nenhuma palavra.

"Pelos Deuses! Onde vocês estavam?!" Sungjae perguntou aflito. "Pensei que tinham sido sequestrados!" Ele disse vendo os meninos, examinando-os da cabeça aos pés.

"Nós só fomos dar uma volta de Pégaso, Sungjae. Nada demais." Jeongguk disse sério.

"Graças aos Deuses vocês estão bem." Ele disse indo até os meninos. "Isso é muito incomum." Sungjae disse para Jeongguk. "Você raramente fica em uma conversa por mais de cinco minutos, e você conversou com Jimin por horas."

Jeongguk corou furiosamente. "O tempo passou voando, meu chapa."

"Bem, vamos para o Acampamento Meio-Sangue. Irei apresentar Quíron e..."

Jimin cortou a fala do professor delicadamente. "Na verdade, não pretendo conhecer o Acampamento. Tive sonhos muito ruins relacionados a isso. Prefiro ficar com Dahae e Hoseok. Acho mais confortável para mim. E outra, não tem um Chalé para filhos de Gaia." Ele deu de ombros.

"Você poderia dormir no meu Chalé." Jeongguk disse subitamente

"Jeongguk, você tem certeza do que está dizendo?" Jimin questionou surpreso. "Eu não posso dormir no seu Chalé! Não sou filho de Zeus. Sou filho de Gaia. Eu basicamente sou tio-avô do seu pai. Isso é esquisito."

"Então, vamos conhecer sua nova casa?" Sungjae disse para o menino de cabelos acinzentados.

"Na verdade não. Jeongguk me contou que não mora no Acampamento, então em pensei: porque eu teria de ir?"

Sungjae revirou os olhos. "É claro que ele disse."

"Jimin-ah." Jeongguk o chamou pelo apelido que nunca havia sido chamado antes, o qual ele também nunca tinha feito até agora. "Acho que você devia ficar no Acampamento pelo menos durante essa semana"

"E por quê?" Ele questionou petulante.

"Porque agora que você sabe que é uma semideus, e dos poderosos, senão o mais, fica mais fácil dos monstros sentirem a sua presença. É mais seguro no Acampamento por agora." Ele estava sério. "Eu vou com você." Ele disse subitamente, surpreendendo-o.

"Jeongguk. Você não ia para casa?" Sungjae perguntou confuso.

"Os garotos podem esperar. Não vou deixá-lo sozinho lá. Ele ainda não conhece ninguém. Além disso, se ele ficar no meu Chalé, eu vou ficar lá. Não vou deixá-lo sozinho na primeira noite." Ele disse e chamou Ray. Ele subiu no mesmo e ofereceu a mão para o menino. "Vamos, Jimin."

Ele subiu no Pégaso e antes que Sungjae tivesse tempo de falar algo, Ray levantou e voou pelo fim da tarde.

Ei moço bonito, você pode avisar o chefe que eu vou parar no início da Colina Meio-Sangue para fazer um lanche?

"Claro." Jimin concordou.

Jeongguk perguntou, virando a cabeça e o olhando pelo canto dos olhos. "Com quem você está falando?"

"Com o seu Pégaso. Ele pediu para avisar que irá pousar no início da Colina Meio-Sangue para fazer um lanche. Seja lá onde isso fica." Ele deu de ombros.

"Ok. Entendido."

"Ei, podemos passar na minha casa?"

"Para que? Seu amigo não gosta de mim." Ele riu ironicamente

"Se eu irei passar a semana toda lá, tenho que pegar roupas não acha? E o Wonho não mora comigo."

"E onde é sua casa?"

"Bem ali." Ele apontou para uma casa perto de onde estavam. A casa dos Park.

"Ray amigão, sabe o que fazer." Ele disse e o Pégaso mergulhou e pousou no quintal. "Pode descansar campeão." Ele desceu do Pégaso e Jimin depois dele, que estava acariciando o cavalo alado de uma forma que parecia gostar muito.

Ambos foram até a porta de entrada.

"Espere." Jeongguk disse interrompendo os pensamentos de Jimin, ao colocar sua mão sobre a dele. "Seu pai está em casa?"

"Não, meu pai está em Los Angeles." Ele entrou sem bater.

Assim que abriu a porta, ele viu Rosário, a empregada que sempre considerou como uma mãe.

"Jimin meu bem, que surpresa te ver aqui! Achei que passaria a semana na casa de seu amigo." Ela disse se referindo a Wonho. "Quem é esse, meu filho?"

"Jeon Jeongguk, muito prazer em vê-la." Ele disse, olhando-a com os olhos azuis e abrindo um sorriso mínimo, mas simpático.

"Meu Deus! Que educado! E muito bonito." Ela disse para Jimin, que corou. "Então, o que estão fazendo aqui? Você não ia passar a semana na casa do Hoseok?" Ela disse e Jeongguk se moveu desconfortavelmente, nitidamente não gostando dele no meio da conversa. O que diabos há com ele?

"Mudança de planos, mãe. Vou passar a semana no Acampamento com Zayn. Pode me ajudar a fazer a mala?" Ele disse para ela. Ao chamá-la de mãe, ele viu como seus olhos mudaram.

"Que acampamento?" Ela questionou.

"Acampamento Meio-Sangue." Jeongguk disse antes que o menino pudesse pará-lo.

"Jeongguk!" Ele exclamou.

"Meio-Sangue? Ah, Deuses. Seu pai disse que esse dia chegaria. Venha, vou te ajudar a fazer as malas." Ela o puxou para o quarto, deixando-o perplexo.

"Como assim? Você sabia sobre tudo?" Ele a questionou.

"Pegue o arco de bronze meu amor." Ela ordenou assim que chegaram ao quarto.

"Mas o papai disse para não usá-lo." Ele mencionou. "Ele foi perfeitamente claro quando disse que isso podia causar a minha destruição. Ele vai me matar se souber que eu peguei."

"A hora de aprender a usá-lo chegou. Tenho que te explicar como ele funciona." Ela estava séria.

Jimin andou até o fundo do closet e pegou o arco de bronze que estava pendurado.

Ele nunca sequer havia colocado uma flecha no arco. O que era um desperdício, o arco era lindo.

Quando voltou já tinha meia mochila preenchida pelas roupas e Jeongguk estava segurando a besta. Assim que o viu, abriu um sorriso mínimo e caloroso, mas em seguida ficou sério e pálido.

"Isso que você está segurando é..." Ele disse e não conseguiu terminar de falar.

"É um presente da minha mãe. A única coisa que ela já me deu em toda a minha vida foi esse arco que nunca tive a chance de usar."

"Você não faz ideia do que esse arco é, pois não?" Ele o olhou.

"Muita calma, meu amor. Eu irei explicar isso para ele. Logo depois que a mala estiver pronta. Enquanto isso porque você não troca de roupa meu príncipe? Roupas adequadas para o acampamento. Não acho que a viagem vai ser tranquila." Rosário disse para Jimin, doce como sempre e ele a obedeceu.

Pegou uma calça preta, tênis brancos, uma camiseta preta, a cinta liga para colocar a adaga, a alijava da besta e a adaga. Vestiu tudo e saiu do closet.

"Agora sim parece o meu Jimin!" Rose bateu palmas com um sorriso caloroso.

"Jimin, você está... Muito bonito." Jeongguk me disse, olhando-o.

"Hã... Obrigado, eu acho." Ele disse envergonhado disse indo até a cama e pegando o arco.

"Ele é muito escuro para ser de bronze." Jimin observou pela primeira vez com bastante atenção.

"Isso é porque ele é feito de bronze celestial e ferro estígio. Ou seja, seu arco foi banhado no Rio Estige, que é o rio da invulnerabilidade. O que significa que seu arco jamais irá se quebrar, e por isso tem essa cor mais escura." Jeongguk explicou, o surpreendendo.

"Estige não é um dos cinco rios do Mundo Inferior?"

"Sim. O material de seu arco é extremamente raro. Só vi uma pessoa com uma espada de ferro estígio até hoje." Ele respondeu e Jimin assentiu pasmo.

"Então... Alguém vai me explicar sobre o arco?"

"Chama-se Arco de Esparta. Não consta na mitologia grega ou na romana, mas ele foi criado por Hefesto, que estava sob a influência de sua mãe há muito tempo atrás. Ele mesmo com a ajuda de Apolo foi até o Rio Estige e banhou o arco no mesmo. Os gêmeos Ártemis e Apolo o testaram e ficaram abismados com o que o arco era capaz de fazer. Então sua mãe teve você. Ela o chamou de Arco de Esparta por dois motivos: ele foi forjado em Esparta, em uma das forjas que Hefesto tem lá e por causa da educação militar muito rígida na cidade. Só existe esse em todo o mundo. Hefesto se recusou a fazer outros. Disse que o arco é a arma mais poderosa já criada por ele." Rosário explicou.

"Como você sabe de tudo isso, Rosário?" Jimin questionou surpreso.

"Ah, meu guerreiro... Eu sei de muita coisa. Assim como seu pai. Sabe, ele amava muito sua mãe. Ele sabia que o pessoal do Acampamento Meio-Sangue viria atrás de você um dia. Eu sei que você é filho da Deusa Gaia. Sei também que você irá morar no Acampamento... Mas isso é história para outro dia. Você sabe como o arco funciona?" Ela mudou de assunto muito rápido.

"Não. Jamais encontrei flechas para ele." Jimin disse confuso.

"O segredo é que o Arco de Esparta não precisa de flechas. Hefesto é um Deus muito habilidoso, criou um mecanismo que produz as próprias flechas. Assim como o raio-mestre de Zeus." Rosário explicou.

"Mas como eu faço para as flechas aparecerem?" Jimin perguntou visivelmente ansioso.

"Essa é a parte mais legal de todas. Só finja que tem uma flecha. Puxe a corda como se realmente estivesse posicionando uma flecha. E ela irá aparecer. Só tome cuidado ok? Vá onde você costuma treinar e atire lá até se acostumar e depois volte aqui. Eu tenho algumas coisas para fazer por aqui, eu amo você meu bebê." Ela disse e deixou um beijo na bochecha dele e em seguida beijou a de Jeongguk, surpreendendo-o. "Cuide bem dele durante o caminho. Odiaria se algo acontecesse o meu bebê." Ela disse.

"Eu irei. Prometo que cuidarei dele, Rosa. Pode ficar tranquila." Ele disse sorrindo minimamente para ela.

Ao chegarem no campo de treinamento nos fundos da casa, Jimin parou em frente a um alvo grande e fez exatamente o que Rosário explicou.

Posicionou os dedos pela corda do arco e a puxou para trás, vendo uma flecha feita do mesmo material do arco surgir e reluzir e ele perdeu o fôlego.

Jimin soltou a flecha, que foi rápida como as setas de sua besta. Ela atingiu o alvo rapidamente e no centro. O alvo explodiu em uma fumaça verde, o assustando. Memórias daquele dia infeliz inundaram a mente o filho de Gaia, as quais ele afastou rapidamente.

"Você viu aquilo?!" Ele exclamou para Jeongguk.

"Aquilo explodiu em fumaça de fogo grego." Ele se espantou. "O Chalé de Apolo irá enlouquecer assim que ver o Arco de Esparta."

"Por falar nisso, temos que ir para o Acampamento. Está ficando tarde e eu queria chegar antes do jantar. Depois que anoitece a colina enche de monstros." Jeongguk coçou a nuca.

"Ok. Vamos. Só vou avisar o Wonho." Jimin disse e Jeongguk bufou. De novo. "Qual é o problema com Wonho, afinal?!" Eu disse o olhando.

"Nenhum! Ele que não gosta de mim." Jeongguk revirou os olhos. "Ele pode ser filho de quem for, se encostar em você eu rasgo a garganta dele." Ele citou a frase que Wonho disse para o filho de Gaia. "Você achou que eu não iria escutar?! Eu não gosto de ser ameaçado. Ainda mais por um lobisomem." Ele disse sério e seus olhos se dilatam, deixando apenas um anel azul elétrico em volta de sua pupila.

"Será que você pode aquietar?" Jimin revirou os olhos. "Eu não tenho paciência e nem sanidade para isso agora."

A fala parecia ter irritado Jeongguk profundamente. "Você realmente vai falar assim comigo?"

"Assim como?!" Jimin debochou. "Me poupe." Ele revirou os olhos.

"Não gosto do seu jeito debochado." Jeongguk disse simplesmente, fazendo o menino de cabelos acinzentados erguer as sobrancelhas.

"E eu não gosto do seu estrelismo, filho de Zeus." Ele debochou ainda mais, sentindo-se irritado. "Você está me irritando e você não quer me ver irritado."

O olhar de Jeongguk era cínico. "Talvez eu queira."

"Se você quer manter a sua vidinha, você não quer." Ele se aproximou dele. "Você só está vivo porque eu estou me controlando. Não faça com que eu me arrependa." Ele semicerrou os olhos.

"Besteira." Jeongguk revirou os olhos.

"Se eu quisesse, a sua alma estaria no fundo do Tártaro." Ele se aproximou, sentindo a ponta dos dedos formigarem. Jimin estava enfurecido e sem nenhum motivo aparente. "Você não sabe do que eu sou capaz." O filho de Gaia sentiu os olhos arderem, sabendo que haviam mudado de cor.

Jeongguk pareceu surpreso. "Seus olhos..." Ele ficou confuso.

Jimin respirou fundo, afastando-se sutilmente. Ele precisava de calma. "Não me provoca. Eu já tive um dia de merda." Ele sentia a raiva diminuir gradativamente.

"Vamos indo... Já é tarde." Jeongguk mudou de assunto, andando até o jardim na companhia de Jimin.

Ao lado de Ray estava Rosário, as malas e a besta de Jimin. Ele pendurou o Arco de Esparta nas costas e colocou a besta dentro da mochila.

Jeongguk subiu no Pégaso e Jimin deu um longo abraço em Rosário. O filho de Zeus o ajudou a subir no mesmo oferecendo-lhe a mão e Ray voou pelo céu alaranjado pelo pôr do sol.

Quando chegaram a Colina Meio-Sangue, Jimin se amaldiçoou por não estar usando coturnos. No meio do caminho seus pés começaram a latejar e eu gemeu.

"O que foi?"

"Meus pés estão me matando." Ele franziu o nariz.

"Meus Deuses, mas já? Ainda estamos na metade do caminho e..." Ele disse e ambos escutaram um som estridente. Como o rugido de um leão. "Não... Não pode ser."

"O que diabos é isso?" Jimin se aproximou de Jeongguk sutilmente.

"Eu realmente espero que não seja o que eu estou pensando. Porque se for... Estamos mortos."

"O que você está pensando que é?"

"Pelo som, possivelmente um manticore."

"O que é..." Antes que pudesse terminar a frase, escutou o rugido mais alto e mais próximo deles.

"Vamos andar mais rápido. Bem mais rápido." Ele disse ao ouvir o rugido mais uma vez. Cada vez mais próximo.

Jimin puxou o arco das costas e andou mais depressa, quase correndo.

"Jimin, vá até o acampamento e chame por Min Yoongi. Vou tentar conter o monstro."

O menino o olhou incrédulo. "O que?! Não vou te deixar! Vamos conter o monstro juntos e..." Ele foi surpreendido quando Jeongguk desembainhou sua espada e saltou sobre ele, indo em direção ao monstro.

Ele agarrou o arco firmemente por entre os dedos e o posicionou. "Merda!" Ele não iria conseguir acertar o monstro sem atingir Jeongguk.

Ele pegou a adaga e esperou até Jeongguk sair da frente do monstro. Mas quando o manticore avançou em direção a ele, Jimin gritou, chamando a atenção do monstro.

"Você quer a mim, não é?! Então venha pegar!" Ele gritou.

Quando aquela coisa virou na sua direção, ele congelou e quis ir chamar Min Yoongi.

Ele tinha corpo de leão, rosto humano e uma cauda rija que continha espinhos. E vinha em sua direção sem hesitar um segundo.

Ele segurou na ponta da adaga de prata e a lançou. Ela planou em linha reta e acertou o meio dos olhos do monstro. Mas este não pareceu sentir dor.

"Bronze celestial." Uma voz ecoou em sua cabeça.

A voz da mãe.

"Seu arco, use-o contra a fera." A voz de sua mãe disse, aconselhando-o.

Rapidamente ele pegou o arco, mas antes que pudesse atirar, o manticore saltou para cima dele, fazendo com que caísse de costas na grama, com um animal do tamanho de um leão em cima de si. Ele não sabia o que aconteceria se usasse o arco com um alvo tão próximo.

Foi então que ele teve a ideia mais idiota e mais genial de todos os tempos.

Esticou o braço sobre o chão de terra, sentindo-a por entre os dedos. Tentou puxar a terra como se estivesse agarrando uma alma. O que o surpreendeu foi que funcionou. O manticore pisou em seu tornozelo que explodiu em dor. Ele gritou alto e um raio cortou o céu, que rapidamente se nublou, dando a impressão que iria cair o mundo.

Ele olhou para Jeongguk que estava sob o ataque dos espinhos da cauda de um segundo manticore. E então explodiu em raiva. Levantou uma massa de terra grande e a lançou sob o monstro em cima de si, que voou cerca de vinte metros. Ainda no chão, ele se virou de lado e apontou o arco para aquela coisa que vinha novamente. Puxou a corda o máximo que pode e soltou. A flecha voou rápida e atingiu o mesmo lugar que a adaga havia atingido.

Assim que a flecha acertou o manticore, ela explodiu em fogo grego contido, transformando o monstro em uma pilha de poeira e a adaga.

Jimin escutou Jeongguk gritar e olhou em sua direção. Ele tinha um espinho da cauda do animal passando entre as suas pernas e desviava dos outros com sua espada. Ele não poderia usar o arco, pois o filho de Zeus estava muito perto.

Então concentrou sua energia sentindo a terra abaixo de si e levantou uma parede de terra sólida entre os dois. Ele mal podia mexer o tornozelo, então ainda estava caído. Jimin levantou o arco e mirou em direção à fera e atirou. Fazendo dele uma montanha de pó. Em seguida derrubou a parede de terra com um movimento do braço e tentou se levantar. O tornozelo não se movia, latejava e queimava. Ele gritou com a dor lacerante.

Jeongguk veio correndo e observou o estrago. Sangrava absurdamente. "Por Zeus! O que aconteceu?"

"O manticore... Pisou em meu tornozelo." Ele tentou se levantar novamente e a dor explodiu. "Não consigo levantar." Ele disse lutando contra a dor. Jeongguk o pegou no colo, tomando o devido cuidado com o tornozelo machucado e começou a subir o restante da colina.

"Jeongguk, não precisa..."

"Quieto, filho de Gaia. Hoseok irá te ajudar." Ele disse ao chegar a um grande arco de pedra escrito "Acampamento Meio-Sangue" em grego antigo. "Jung Hoseok e Lee Felix!" Ele gritou a dois meninos que estavam perto do arco. Eles correram e voltaram em menos de um minuto, trazendo dois meninos de pele bronzeada.

"Mandou chamar, Jeongguk?" Um deles disse.

"Felix. Está vendo esse arco? Guarde com você. É o Arco de Esparta. Você conhece a lenda. Cuide com a sua vida, ok?" Ele alertou.

"Arco... De Esparta?" Ele gaguejou estupefato. "É impossível Jeon." Ele negou com a cabeça.

"Assim que terminar aqui, te explico tudo. Jimin-ah, entregue o arco para o Felix. Eu confio nele de olhos fechados. "Ele disse e Jimin o entregou.

"Hobi, ele não consegue andar. Um manticore pisou em seu tornozelo. Consegue curá-lo?" Jeongguk perguntou para o menino de cabelos alaranjados e pele bronzeada.

"Enfermaria. Agora." Ele disse ávido e correu em uma direção e Jeongguk seguiu atrás.

Ele andou cerca de seis passos antes de ouvir uma voz feminina.

"Jeongguk!" A voz feminina fez-se presente.

"Caralho, justo agora?" Jeongguk bufou.

"Jeongguk, meu herói!" A menina disse.

Ela era linda. Japonesa, com cabelos escuros e olhos castanhos claros, ela usava uma camiseta laranja do acampamento, com um short e sapatilhas. Mesmo simples ela parecia incrível. Ela parou a frente deles e Jimin percebeu que havia algo na voz dela.

"Drew, eu não irei cair no jogo idiota do seu Chalé de quebrar o coração de alguém. Eu não tenho tempo para você." Ele disse ao tentar passar por ela.

"Você tem cara de filho de Afrodite." Ela disse andando ao lado deles. Ela era persistente.

"Cai fora." Jeongguk esbravejou seco e a deixou para trás.

Ao chegarem à enfermaria, Hoseok estava coletando algo e colocando um pouco de um líquido dourado em um copo.

"Deite-o nessa cama, Jeongguk." Hoseok disse e o menino obedeceu.

"Preciso que o segure, terei de examinar o tornozelo e isso irá doer. Então segure na cintura dele que eu irei examinar a gravidade." Ele avisou.

"Ok." Jeongguk disse e passou um braço pela cintura de Jimin e outro pelas coxas. "Jimin-ah, se precisar pode me apertar." Ele disse indicando seu braço com a cabeça. Mais que depressa Jimin agarrou seu braço assutado e Hoseok começou a mexer em seu tornozelo. As mãos de Jeongguk o mantinham parado e ele tinha as pequenas unhas cravadas em seus músculos. Ele gemeu de dor enquanto Hoseok anestesiava o local, fazendo uma tala para o tornozelo em seguida.

"Jeongguk..." Jimin sussurrou após alguns minutos com os olhos cheios de lágrimas. Ele o olhou suavemente.

"Hobi consegue trabalhar mais rápido? Ele está chorando de dor." Ele disse desesperado. "Que porra de anestesia é essa que não funciona?!"

"Quase acabando, Jeon." Ele disse apressado. "E... Terminei!" Ele disse e ofereceu o copo com o líquido dourado para Jimin, que olhou desconfiado para o copo e Jeongguk riu baixinho.

"Pode tomar, é gostoso. Chama-se néctar. É a bebida dos deuses."

Ele tomou um gole e percebeu que tinha um gosto doce muito agradável. Ele tomou outro gole, e outro, até que o copo estivesse vazio. Jeongguk sorriu para ele.

"Muito bem, seu tornozelo estará curado em cerca de uma hora. Mas como o ferimento foi grave e tinha um corte bastante fundo, talvez demore mais. " Hoseok olhou para Jimin. "Ah, e bem vindo ao Acampamento Meio-Sangue." Ele piscou e saiu da enfermaria.

🥀





Notas Finais


Bom, é isso por hoje nenéns. Não tenho uma data planejada para o próximo capítulo, pode ser meio de semana que vem, talvez mais, talvez menos i don't know.

O que acharam da Drew?

Quem vocês acham que mandou o manticore atrás dos Jikook?

Até a próxima!

Love y'all, g.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...