História Eclipse - Solangelo/Wico - Capítulo 10


Escrita por:

Postado
Categorias Percy Jackson & os Olimpianos
Personagens Annabeth Chase, Apollo, Bianca di Angelo, Hades, Hazel Levesque, Jason Grace, Leo Valdez, Nico di Angelo, Percy Jackson, Perséfone, Piper McLean, Rachel Elizabeth Dare, Reyna Avila Ramírez-Arellano, Thalia Grace, Will Solace
Tags Hdo, Heróis Do Olimpo, Nico Di Angelo, Pjo, Solangelo, Wico, Will Solace
Visualizações 141
Palavras 1.181
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção Adolescente, Lemon, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi, Galerinhaaa. Saudades de vocês S2
E aí, como vocês estão?

Aqui está um capítulo quentinho saindo do forno que eu fiquei até meia noite escrevendo haha

Boa leitura!

Capítulo 10 - X- The talk


Nico's POV on

E foi assim que eu morri. Juro, nunca senti um arrepio tão grande e frio correr minha espinha. Eu estava parado com a mochila nas costas e Will segurando meu pulso enquanto me olhava (quase) assustadoramente sério, apesar de estar um pouco vermelho.

-O-oi?

-Eu preciso falar com você... Em particular...

Ele falava firme e claramente, mas parecia nervoso como se tivesse ensaiado isso várias vezes antes

-Ah... Tudo bem...?

Ele me puxa pelo pulso pra um canto da sala, que já estava praticamente vazia, até que paramos no fundo.

-Nico, eu... Você tem me olhado estranho, a princípio estranhei, mas agora sei o porquê...

Meu coração pulou uma batida. Eu estava olhando pra ele estranho? Eu não queria forçar ele a falar comigo, sabia que ele estava bravo. Deve ser sobre isso que ele quer falar. Me dizer o quanto foi bobeira minha. Ou talvez ele queira falar sobre depois da queda... De qualquer modo eu não sei o que dizer. Talvez eu devesse esperar ele falar algo antes. Ou eu devia falar antes? Não sei.

-Will, desculpa, eu...

-Você não tem que pedir desculpas, sou eu quem devo desculpas a você.

-Calma. Então você não está bravo comigo? — franzo o cenho, ainda que feliz.

-O que?! E por que eu estaria? Foi culpa minha a gente  ter caído. Eu não devia ter investido sobre você! Eu devia ter sido mais cuidadoso ao invés de ser bruto daquele jeito.— ele fala um pouco mais alto e depressa, também com o cenho franzido. — Eu podia ter realmente te machucado...

-Não não não. Isso era parte do jogo. A culpa não foi sua, foi minha! — aponto pra mim com as duas mãos — Eu quem não devia ter te segurado. Se eu tivesse, simplesmente, te deixado passar eu não te derrubaria e eu não cairia no s... — me paro antes de lembrá-lo de que caí em cima dele. No COLO dele.

-No meu o que?

-Nada! — falo rápido — Continua. — tento mudar o foco dele que franze o cenho, mas volta ao normal e continua.

-Você não tem culpa. Tava fazendo o seu trabalho! Era sua função não me deixar passar. Eu quem não devia ter forçado...

Rio dele que resmunga:

-Qual a graça? Eu passei esses últimos dias me sentindo culpado achando que você estava bravo comigo...

-Eu sei, eu também achei que você estivesse bravo comigo...

-Tá, calma. Se você não tava me olhando daquele jeito por raiva, era por que então?

"Porque você é lindo." foi a primeira coisa que me veio à cabeça e eu abri a boca pra falar isso até perceber o que eu falaria. Travo por alguns instantes enquanto guardo esses pensamentos e crio outro motivo qualquer.

-Sei lá. Achei que você quem estava bravo comigo então ficava pensando no que fazer...

Ele sorri, se aproxima de mim e, rindo, passa seus braços por baixo dos meus e me abraça, me levantando até sua altura (ou quase) e fazendo com que eu ficasse na ponta dos pés. A surpresa me deixa sem reação por alguns segundos, mas em seguida o abraço sem tanta força enlaçando seu pescoço e deixo minha cabeça pender e repousar na curva de seu pescoço fazendo com que, ao inspirar, seu cheiro invadisse minhas narinas.

-Que bom que você não me odeia — ele diz calmamente e sorri.

Suspiro. Ele dá uma última apertada e me solta um pouco nos afastando alguns centímetros com as mãos, agora, na entrelaçadas atrás da minha cintura. Olho pra sua boca, depois para seus olhos que me encaravam e me perco nestes por um instante. Ele respira fundo e solta minha cintura, me fazendo descer e, consequentemente, me afastar.

-Bom... Então até amanhã, Nico. — ele sorri um pouco, bagunça meu cabelo e vai na direção da porta, onde Piper o esperava com o celular na mão.

Arrumo meu cabelo devagar enquanto gritava internamente "o que foi tudo isso, Will Solace?!".

Will's POV on

Saio de perto dele com meu coração acelerado e vou em direção a Piper que me esperava na porta.

Eu estava nervoso e sabia o porquê: eu havia acabado de abraçar um um garoto. Quer dizer, eu não tenho o menor problema com isso e ele, aparentemente também não, já que ele não brigou comigo nem nada. Mas o real problema seria se alguém visse essa cena. Poderia complicar pros dois, se alguém dissesse que viu a gente se pegando ou sei lá, ou pra ele de vários jeitos diferentes (desde encherem o saco dele por não reagir negativamente ao abraço até acharem que ele gosta de garotos pelo mesmo motivo e ele ter que se afastar/ficar na defensiva pra evitar isso).

Chegando mais perto da porta, consigo ver o sorriso maldoso de Piper. Espero nos afastarmos um pouco da sala e pergunto:

-Por que você tá sorrindo desse jeito?

-Desculpa, mas é muito fofo ver um clima daquele entre duas pessoas que se gostam. Eu tô surpresa que vocês não se pegaram ali mesmo...— ela fala e sorri ainda mais maldosa.

Sinto meu rosto em brasa, mas tento manter uma cara neutra.

-Ah claro, eu gosto de um garoto que eu conheço há menos de uma semana... — digo com um sarcasmo gritante, mas ela ignora e continua.

-Eu sei disso. Já até tirei fotos pro vídeo de casal de vocês...

-Quê?! — praticamente grito no corredor e as poucas pessoas que sobraram me olham assustadas enquanto olho pra Piper surpreso.

-É ué. Olha aqui. - paramos e ela me mostra as fotos e eu fico ainda mais vermelho, se é que era possível, e o pior: eu realmente achei as fotos fofas.

Tento pegar o celular da mão dela, mas ela tira antes que eu alcance.

-Piper. Apaga. Isso. — falo com a voz mais firme e com a cara mais brava que consigo, mas ela simplesmente me olha sorrindo.

-Não. —ela fala calma — Não adianta fazer cara de bravo, que a propósito não funciona (não comigo).

-Piper, por favor, é sério, apaga isso!

-Nope, e não adianta pedir de novo.

-Ughhhh — suspiro exagerando no barulho — tá bom. Você pode, pelo menos, me mandar...? — olho pro lado, já sentindo meu rosto ruborizar.

-Claro. — ela diz e sorri satisfeita — Mas pra quê? Você não queria que eu apagasse?

-É, mas se você vai ter uma foto dessa, pelo menos eu quero ter uma também...

-Hum, sei. — a vejo enviar a foto e sinto meu celular vibrar no bolso. — Até amanhã então. — nos despedimos com um beijinho — E não deixa ninguém ver essa foto! — grito enquanto me afasto andando de costas e a vejo fazer "joinhas" com as mãos.

Começo meu caminho até o ponto de ônibus pensando em quanta merda aquela foto poderia causar se vazasse, mas logo coloco o fone de ouvido e deixo a música levar esses pensamentos pra longe. E algo me dizia que eu passaria o dia todo assim: fugindo desse pensamento, mesmo que, ironicamente, eu nem mesmo tentasse parar de pensar naquele abraço.


Notas Finais


Awwn eles são muito fofos né?
Quem tá afim de ver a Pipes narrando? Pq eu tô!!

Obrigado pelo amor, pelas mais de 1500 views e pelos mais de 50 favs

Até o próximo capítulo

Deixem seus comentários e, como prometido, o soneto está aqui em baixo.






Sob o pesado fardo desse amor eu me afundo
Num oceano de dor e lamento profundo.
E mesmo tentando várias vezes respirar
Você está sempre perto, pronto pra me afogar.

E é tão irritante o jeito como você age,
Como me olha nos olhos, mas ainda não reage
E pensando em tudo que passei contigo junto
"será que isso não valeu de nada?", me pergunto.

E, embora o sentimento venha duma antiga era,
A lágrima derramada é sempre sincera
Como a gota de orvalho que escorre até o chão.

É mesmo que ao fazê-lo me inunde com dores
Continuo a procurar entre tantos amores
Alguém por quem valha a pena ter coração.

(sim, é bem triste e meloso)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...