História Eddsworld (Tomtord)- Nosso mundo em guerra. - Capítulo 20


Escrita por:

Postado
Categorias Eddsworld
Personagens Edd, Eduardo, Jon, Mark, Matt, Patryk, Paul ter Voorde, Personagens Originais, Tom, Tord
Tags Anjos, Eddsworld, Guerra, Tom Uke, Tomtord, Tord Seme
Visualizações 123
Palavras 2.692
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Ficção, Hentai, Lemon, LGBT, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


°•EAE RAPAZIADA! Tudo tranks?. Bem, aqui está mais um capítulo de Tomtord pra cês ^^. Bom, esses são os dias que posto Capítulos de Tomtord:
- Quinta
- Segunda
Vamos ao capítulo!•°
By: Naomi Fanfiqueira 7w7

Capítulo 20 - Câncer


Fanfic / Fanfiction Eddsworld (Tomtord)- Nosso mundo em guerra. - Capítulo 20 - Câncer

Tord On~

°•Eu olhei pra porta que foi por onde Tom foi embora. Eu chutei um pequeno banco que tinha na área vip.

- MAS QUE PORRA! "Não tente entrar na minha vida como uma paixão." EU BEIJEI ELE! EU ADMITI PRA MIM MESMO QUE O AMO E ELE AINDA FALA ESSA PORRA!? VAI SE...! ARGH!- Eu comecei a andar de um lado pro outro -... Se eu não tivesse feito aquela merda antigamente, Tom ainda acreditaria que eu o amo...! Mas claro...! Eu tinha que ser um merda e fazer isso acontecer...!- Eu soquei a parede de pedras. Eu joguei o roupão longe e olhei pra terma.-... Que... Merda...- Eu suspirei e fui até o roupão logo o pegando e o vestindo. Eu saí da área vip e da salinha pequena que tem antes da área pública e da área vip. Eu entrei no elevador e ele fechou. Quando ele chegou no térreo eu saí dele e fui até as escadas logo as subindo e indo até o quinto andar. 

Eu cheguei no quinto andar e fui até meu quarto logo entrando nele. Eu tirei o roupão e fui até o armário logo pegando minha roupa de líder.

-... Não tem um jeito de mudar tudo...? O fato de eu ser líder... O incidente que aconteceu com os pais do Tom... A "morte" da irmã do Tom...- Eu me lembrei da garota que eu havia mostrado ao Tom. -... Talvez se eu...- Eu fui até minha escrivaninha e liguei o computador. Eu entrei na pasta de pessoas dos países e achei a tal garota com o sobrenome "James".- Ok... Vive na Polônia... Desaparecida desde o ano passado dia 27/05. Corpo encontrado há muitos anos numa lixeira de um hospital... Família não encontrada...- Eu fui até a minha cama e peguei meu celular logo ligando pro Haskel(Líder azul).-... Alô? Haskel? Sim, sou eu. Tord. Eu preciso de ajuda. 

|||||||||||||

Nesse momento estou no meu escritório vendo sobre a base e sobre a tal garota parecida com Kim. Eu ainda estou falando com Haskel pelo telefone.

-*O código é: #######*

- Certo. Fale agora o endereço.

-*Ok. O endereço é: ###### ###.*

- Tá... Achei. Haskel, poderia ir buscar ela na cidade que te falei?

-* Hum... Ela está sumida... Eu sei que eu que trouxe ela pra cá mas... Depois do dia da lixeira eu não achei mais ela...*- Ouvi ele suspirar -*... Certo. Vou pedir para meus soldados procurarem ela.*

- Certo. Agora preciso ir, tenho que ver uma coisa sobre uma certa pessoa...

-*Ok.*- Eu desliguei a chamada e me levantei logo indo até a porta e a abrindo. Eu saí do escritório e olhei prós lados.

- PAUL! PATRYK!- Eles subiram as escadas segundos depois e vieram até mim.

- Sim, líder?- Paul perguntou ofegante.

- Oque vou pedir agora é importante, mas antes... Patryk, como Agnes está?

- Ah, está bem. Ela nos contou mais um pouco sobre oque lembrava. Eu assimilei um pouco do que ela falou e consegui o endereço do local onde ela disse que foi... Torturada?- Ele perguntou olhando pro Paul.

- Isso. - Eles voltaram a me olhar.

- Certo. Ah... Tá. Eu preciso que vocês invadam o sistema de segurança da prefeitura de Polônia.

- Oque? Como assim?

-... Eu não posso falar mais nada, só invadam. Quando conseguirem, procurem por garotas com o sobrenome "James".

- Ah... Certo?- Eu acenei com a cabeça e fui até as escadas logo as descendo. Eu senti meu celular vibrar. Eu o peguei e eu havia recebido uma mensagem do Roy(Líder Branco).

A mensagem diz: 

"Caso sério.

Essa mensagem será passada para vocês só uma única vez, então prestem atenção e tenham cuidado para não apagar ela sem querer. 

Jin será executado daqui 4 dias, ou seja, na terça da próxima semana. Então, iremos o resgatar 1 dia antes de terça. Os soldados não poderão ir por conta de não podermos arriscar. Se algo der errado, um de nós talvez seja capturado também, então, não arriscaremos mais nada além de resgatar o Jon.

Outra coisa... Essa é para o líder Vermelho, então, os outros já podem parar de ler por aqui.

...

Tord Åke Larsson. Eu sinto que você não está querendo mesmo colaborar com a terceira guerra, mas deixe eu te avisar uma coisa. Se você não colaborar, não será só você que estará em perigo, como também... Sua família. Agora, você pensa: "Mas Todd morreu, e eu matei meus pais..." Bem, seus pais não estão mortos. Você os confundiu. Primeiro, no dia do fogo na casa que era para matar seu pai, ele estava com visita, e a visita que morreu no lugar dele. E no caso da sufocação, que era para ter matado sua mãe... Ela não te contou, mas ela tem 2 gêmeas idênticas a ela, e você matou uma das gêmeas, e a outra gêmea morreu de ataque cardíaco ao saber da morte da irmã. Sua mãe e pai estão vivos, já não posso dizer do Todd, né...?

...

Bom, se qualquer outro líder que não era o Tord leu tudo aquilo, eu aconselho não se meter na vida dele e não tocar no assunto. Me deixem resolver isso sozinho.

Assinado: Roy Faure Carpentier(Líder Branco)."

Eu fiquei parado na escada encarando meu celular. Eu botei a mão na minha cabeça e desci rapidamente as escadas até o térreo. Quando eu cheguei eu fui até a recepção.

- JENNY!- Alguns soldados que estavam na recepção me olharam, mas pararam quando perceberam que eu estava sério. Eu fui até Jenny e botei as mãos no balcão.- LIGUE AGORA PARA O ROY!

- P-Por que...!?

- SÓ LIGUE, JENNY! - Como eu pedi, ela fez. Ela me entregou o telefone.

-*... Alô?*

- SEU FILHA DA PUTA, DESGRAÇADO, CUZÃO, SEM VERGONHA E VADIO! QUE PORRA VOCÊ QUIS DIZER COM: "Sua família ainda está viva." HEIN!?

-*Oh, você leu.*- Ouvi ele rir-* Bem, foi oque eu disse. Sua família está viva. Bem... Menos dois deles...*

- Oque...!?

-* Nada. Bem, se só queria falar isso...*

- EU NÃO VOU AJUDAR NA GUERRA!- Ele ficou em silêncio.

-*... Oque disse...?*

-... EU NÃO VOU AJUDAR NA GUERRA! FOI ISSO QUE VOCÊ OUVIU! VAI FAZER OQUE!? PODE MATAR MINHA TAL "FAMÍLIA MORTA VIVA"! VÁ EM FRENTE! MATE OS!- Roy ficou em silêncio.

-*... Tord. Você não sabe com quem está aumentando seu tom de voz... É melhor parar de bobagem.*

- VAI. SE. FODER!- Eu desliguei a chamada e entreguei o telefone pra Jenny. Eu olhei pro lado e alguns soldados estavam me olhando -... OQUE FOI!?- Eu gritei e logo depois saí da recepção. Eu subi as escadas e dei de cara com Alexandre.

- Ah, líder...

- NÃO FALE NADA! NÃO ESTOU EM CLIMA PRA NENHUMA DESSAS MERDAS QUE VOCÊ FALA, OK!?- Eu disse subindo pro segundo andar. Quando eu cheguei eu fui até a sala de experimentos e entrei nela. Patryk e Paul estavam longe um do outro mas ainda trabalhando. Eles me olharam.

- Ah... Oi líder.- Paul disse cabisbaixo. Seus olhos estavam vermelhos e ele parecia ter acabado de chorar.

- Oque deseja?- Patryk perguntou no mesmo estado de Paul.

Tord Off~

Paul On~

Poucos minutos antes do Tord chegar~

Eu acabei de dar um calmante que Patryk falou para dar a Agens que dormiu logo depois de eu injetar ele nela. Eu olhei para Patryk que estava vendo alguns frascos.

-... Patryk.- Ele me olhou surpreso.

- Ah... Sim...?- Ele disse largando os frascos na mesa.

-... Você disse que me traiu com seu irmão, certo...?- Nós ficamos quietos.

-... Uhum...- Eu fui até ele que se virou totalmente pra mim. Eu botei minhas ambas mãos na mesa, cada uma de um lado dele. Eu me aproximei mais de Patryk.

- Posso saber o por quê?- Ele olhou pra janela que havia na sala de experimentos e saíu dos meus braços logo fechando a cortina. Ele suspirou e voltou a me olhar.

-... Paul... Eu... Só queria experimentar algo novo, ok?

- Ok, queria experimentar me trair? Que legal da sua parte...

- Paul... Não foi isso que quis dizer...

- Ah, então está querendo dizer que me traiu "sem querer"...!?- Eu disse batendo na mesa.

- Você está se alterando Paul... Se acalme e me deixe explicar... Por favor...

- DEIXAR VOCÊ SE EXPLICAR O MEU CÚ!- Eu fiquei quieto depois que vi que Patryk ia chorar.

-... EU ACHEI QUE VOCÊ ACEITARIA OK...!?- Ele começou a chorar- EU NÃO QUERIA TE TRAIR! MEU IRMÃO ME ESTUPROU! E PRA PIORAR FEZ COM QUE EU COMEÇASSE A AMAR ELE! NÃO É MINHA CULPA QUE EU SOU UM IDIOTA QUE SE APAIXONA POR QUEM ME FAZ SOFRER!- Ele disse cruzando os braços e virando a cabeça pro lado.- DESCULPE, OK!?- Nós ficamos quietos e eu comecei a sentir lágrimas rolarem pelo meu rosto.

-... Então eu te faço sofrer...?- Ele me olhou surpreso.

- Oque...!? Não...!

- Então... Você nunca me amou...- Ele arregalou os olhos e ficou quieto-... Isso... É mentira né...? Me diga que é...- Ele negou com a cabeça. Eu suspirei e voltei pra perto da Agnes. -... Nunca mais... Fale comigo...

Atualmente~

Paul Off~

Tom On~

Eu estou na minha cama deitado tocando qualquer coisa que venha na minha mente.

- As vezes nós nos machucamos tão perfeitamente...~ Que nem sequer percebemos...- Eu respirei fundo-... Eu estou em pedaços...~- Eu parei de tocar e cantar logo deixando a guitarra de lado. Eu me virei pra parede.- (Por que sinto que eu fui um idiota...?)- Eu suspirei e senti uma dor no coração. Eu rapidamente me sentei e fui até o espelho que fica na frente da minha cama. Estava saindo gosma pelos meus olhos e boca. Eu caí no chão e comecei a tossir(autª/alerta de desmaio). Eu tentei me levantar mais acabei caindo. A última coisa que vi antes de desmaiar(autª/ Eu falei) foi eu mesmo no espelho.

|||||||||||

Tom sonho On~

Eu acordei novamente só que num lugar branco que ficou preto de repente. Eu olhei prós lados e ouvi um barulho de relógio. Eu olhei pra trás e havia um grande olho com pupila de relógio marcando as horas. O olho foi se aproximando aos poucos e então marcou 00:00.  Eu comecei a ouvir um choro de várias crianças e algumas estavam até pedindo ajuda.

-*SOCORRO!*

-*NOS AJUDE!*

-*EU QUERO MINHA MÃAAAAE!*

-*NOS TIRE DAQUI! POR FAVOR!*- Eu comecei a ouvir barulhos de algemas. Eu olhei pra trás novamente e havia uma enorme cela com silhuetas pretas com um grande olho branco no rosto.

-*NÓS VAMOS MORRER!*

-*É CULPA DELE!*- Eu senti alguém segurar no meu pescoço e começar a me enforcar. A pessoa que estava me enforcando apareceu na minha frente. Ela era totalmente sem cor. Ela tinha um olho preto gigante e uma boca enorme com dentes afiados. Ela abriu a boca fazendo com que ela ficasse aberta mais ou menos do tamanho da cabeça de uma criança de 13 anos. Ela se aproximou de mim e fechou a boca na minha cabeça logo a arrancando fazendo com que um monte de sangue jorrasse pelo local preto. As vozes continuaram só que dessa vez estavam rindo.

Eu abri os olhos e agora estava novamente em um lugar preto só que molhado. Como se fosse um mar de gosma. Eu olhei para minha mão que estava com garras. Um espelho pequeno começou a cair na minha frente. Antes dele ir mais fundo que eu, eu consegui me ver no espelho. Eu estou com somente um olho com gosma saindo, dentes afiados, chifres, um rabo de monstro e com algumas pintas roxas que aparecem quando me transformo em monstro. O vidro quebrou e foi mais fundo que eu.

-*Você está o ajudando...*- Eu olhei pra trás e minha irmã estava lá de cabeça abaixada. Quando eu percebi eu estava onde morava na minha adolescência no dia que Kim foi... "Morta". - *Você está ajudando... Quem me matou...*- Enquanto ela se aproximava de mim, a cada passo o chão quebrava como vidro.-*Você não se importa que ele tenha me matado...?*- Ela chegou na minha frente -*Você não se importa...*- Ela levantou a cabeça revelando seus olhos negros e seu rosto com sangue -*... Que eu tenha morrido...?*

- Kim...

Tom sonho Off~

Eu acordei chorando. Eu me levantei do chão frio e me apoiei no espelho. Eu vi meu reflexo e só consegui sentir... Medo. Eu botei as mãos na boca e olhei pro chão que estava sujo de gosma.

-(Merda, merda, merda, merda...!)- Eu repeti isso na minha mente por vários segundos enquanto encarava a gosma no chão. Eu olhei pra janela e já está escurecendo. Eu ajeitei minha roupa e peguei meu "óculos" logo o botando. Eu saí rapidamente do meu quarto e senti meus olhos escorrerem gosma de novo. Eu não me importei muito e corri pras escadas logo as subindo até o quinto andar pra procurar ajuda do Alexandre ou do Patryk. Quando cheguei não havia quase ninguém. Eu suspirei.- (Vai ter que ser lá...!)- Eu fui até o escritório de Tord e o abri rapidamente. Tord estava vendo alguma coisa no computador. Ele me olhou e arregalou os olhos logo se levantando e vindo até mim.

- Tom...! Você está bem...!?- Ele disse segurando no meu rosto.- Oque houve...!?

- Eu... Preciso de ajuda do Alexandre ou do Patryk...- Tord olhou pra porta do escritório.

-... Certo...!- Ele soltou meu rosto e foi pra fora do escritório-*PATRYK! ALEXANDRE!*- Ele voltou pra dentro do escritório e ficou na minha frente logo segurando no meu rosto novamente oque foi muito estranho. Ele começou a acariciar meu rosto. Ele passou o dedão de uma das mãos pelo meu lábio inferior.- Oque houve...? Você ainda não me disse...!- Eu me senti ficar quente. Eu segurei na mão dele que estava no meu rosto e NÃO estava passando o dedão pelo meu lábio inferior.

- Eu... Eu só preciso que eles me ajudem... Só isso...- Tord suspirou. Eu tossi gosma na roupa dele e me senti ficar leve. Eu ia cair mas Tord me segurou. Eu deitei minha cabeça no peito de Tord e ouvi a porta abrir.

- Oi, líd---

- LEVEM AGORA O TOM PRA SALA DE PUNIÇÃO OU PRA SALA DE EXPERIMENTOS! AGORA!- Depois de eu ouvir Tord gritando eu(Autª/Já sabem.) desmaiei.

|||||||||||||

Eu acordei deitado no que parecia uma cama. Eu olhei pro lado e percebi que estava na sala de experimentos.

-*É... Não tem como fazermos mais que isso...*- Ouvi a voz de Patryk.

-*Mas...! O Tom pode...!*

-*Eu sei, Alexandre... Mas... Temos que correr o risco... Ele não pode ficar aqui durante anos só pra nós tentarmos concertar... "Isso".*

-*... Certo...*- Eu me sentei. Alexandre e Patryk saíram de trás de meio que uma cortina e me viram.- Tom...!- Ele ia me abraçar mas Patryk o segurou pelo braço.

-... Não...- Alexandre olhou pro lado e Patryk o soltou.-... Tom...- Ele suspirou-... Você... Como digo isso...?- Ele suspirou-... Você tem estresse pós traumático e...- Ele olhou para o Alexandre mas logo voltou a olhar pra mim -... E câncer de pulmão...- Alexandre fez um pequeno grunhido quando Patryk falou isso.-... Nós poderíamos fazer a cirurgia mas seria muito arriscado no seu caso por conta das "células diferenciadas" que agora existem em seu corpo... E também é muito perigoso normalmente com ou sem as células de monstro... Tom... Nos desculpe... Não achamos que simples células de monstro iriam fazer isso... Nos desculpe mesmo...- Eu olhei para minhas mãos e comecei a sentir dificuldade em respirar.

- Eu... Oque...?

Continua...


Notas Finais


°•"NÃO É MINHA CULPA QUE EU SOU UM IDIOTA QUE SE APAIXONA POR QUEM ME FAZ SOFRER!"
Patryk Dudulewicz 2019.

Eu TD dia kkkkkkkkkk... Eu vô chora TvT.
Então, quem mais sentiu falta dos desmaios do nosso amigão Tom? :D

Bem, agora, eu percebi que mais pessoas preferem o Tom passivo e o Tord ativo, então será assim. E o Tord também irá usar "brinquedos" durante ALGUMAS interpretações de sx.

Bom, até o próximo capítulo!•°


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...