História Edge of desire - Parte 3 - Capítulo 61


Escrita por:

Postado
Categorias Hora de Aventura
Personagens Finn, Jake, Marceline, Marshall Lee, Mordomo Menta, Princesa De Fogo, Princesa Jujuba, Rei Gelado
Visualizações 68
Palavras 1.949
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção Adolescente, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Violência, Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 61 - A sós


Fanfic / Fanfiction Edge of desire - Parte 3 - Capítulo 61 - A sós


MARCELINE POV:



Frio. Era tudo o que eu conseguia sentir, além de um desconforto tremendo pelo meu corpo inteiro, que me fez soltar um resmungo baixinho mas ainda não tinha forças o suficiente para abrir meus olhos. 


- Calma... tá tudo bem... - ouvi a doce voz da Bonni sussurrando.


Abri meus olhos lentamente e demorei um curto tempo para identificar onde eu estava, até reconhecer a luz fraca do abajur ao lado da minha cama. 


- Estamos... em casa? - perguntei, com a voz um pouco trêmula por conta do frio que parecia invadir meus ossos.


- Sim, Marcy. Simon me ajudou a te trazer até aqui. 


- E onde ele está agora? O que aconteceu comigo? Foi mais alguma...lembrança que me fez apagar?


- Simon aproveitou que conseguiu alterar a senha da entrada da caverna de modo que possa entrar sem ter você perto e disse que precisava fazer uma “faxina”. Estamos sozinhas agora então descanse... você está com fome?


Consegui fazer um esforço e me sentar na cama. Esfreguei as mãos no rosto para tentar recuperar os sentidos e consegui observar Bonni melhor. Ela estava com uma expressão cansada e levemente abatida. 


- Não... só com frio. O que aconteceu? - a olhei. 


- Bom... tecnicamente, aquela sala era programada para fazer você perder a cabeça. - sorriu de canto, olhando para baixo e mexendo em suas próprias mãos.


“A não... se eu perdi até minha consciência significa que não aconteceu coisa boa...”


- Eu... machuquei você? - segurei seu queixo delicadamente, fazendo com que virasse seu rosto para mim e eu pudesse a olhar melhor.


- Não se preocupe com isso... - sorriu fraco e não conseguiu manter seus olhos nos meus.


Suspirei.


- Eu te assustei... não é....? - foi nítido pela forma como minha pergunta a surpreendeu que no fundo eu havia realmente feito aquilo, e antes que ela pudesse responder, a puxei para um abraço. - ...me perdoe... você sabe que eu jamais te machucaria e... jamais tive intenção de te machucar... por favor, me perdoe...


Eu sabia que parecia desesperada, mas já havia deixado de lado a ideia de tentar disfarçar o quanto eu me preocupava com a possibilidade e perdê-la. Não se tratava mais de um jogo de conquista e meu orgulho havia sido deixado de lado faz tempo, pois é isso que as pessoas que amam fazem...


E eu já havia dito um milhão de vezes que a amava...


- Marcy, não se preocupe. Eu sei que você estava fora de controle. - senti a ponta de seus dedos acariciarem minhas costas. 


Afastei levemente o abraço e encostei minha testa na sua, acariciando seu rosto com uma das minhas mãos.


- Eu não quero que tenha medo de mim. 


- Eu não tenho. 


Ela colocou suas mãos delicadamente em minha nuca e aproximou nossos lábios. Céus, depois de tê-la beijado tantas vezes eu realmente não esperava que sentir seu hálito fresco de menta tão próximo de mim ainda me causaria aquelas borboletas idiotas no estômago. 


Resolvi matar a pouca distância que havia entre nossos lábios e a beijei lentamente. Depois de ficarmos basicamente sem fôlego, ela sorriu e depositou três selinhos ainda em minha boca, então se afastou um pouco e ajeitou seu cabelo. 


- Você está abatida... 


- Ah, deve ser só cansaço, nada demais...


Me ajeitei por trás dela e comecei a massagear seus ombros. 


- Marcy... o que está fazendo...? - perguntou, levemente corada.


- Qual é... você tá sempre cuidando de mim... é minha vez agora. - continuei massageando e eu juro por Glob que havia prometido em silêncio para mim mesma dar a melhor massagem da vida dela. 


- Isso... é muito bom...


Sorri enquanto meus polegares faziam movimentos circulares e firmes por trás de seus ombros.


- Não se preocupa com mais nada. Eu vou compensar todo o estresse que eu te dou... - ri baixo. 


- Oh Marcy, você não precisa compensar nada... 


- Shhh, para de falar e relaxa, tá bom? Você está cansada e independente de eu precisar compensar algo ou não, você é uma Rainha e merece ser tratada como tal... 


- Ah é? - pude perceber que ela estava sorrindo pelo tom de sua voz. 


- Sim... minha Rainha. - dei ênfase no “minha”. 


...



Bonni havia pego no sono enquanto eu fazia massagem nela, então depois de ajeitá-la na minha cama e cobrí-la, resolvi tomar uma ducha quente para aliviar o estranho frio que ainda sentia por dentro do meu corpo. Durante o banho, fiquei tentando me lembrar das coisas que Simon havia dito antes de colocarmos a coroa novamente em sua cabeça. A ideia de que ele ainda poderia nos ajudar era real, principalmente pelo fato de ele ter poderes e ter carinho e consideração por mim e pela Bonni. Mas apesar daquele momento ser totalmente propício apenas para boas sensações, meu estômago ainda estava embrulhado com a ideia de ter assustado a Bonni. Já perdeu a consciência por algum momento de raiva ou falta de sobriedade, fez algo que pode ter machucado a pessoa que ama e depois ficou remoendo aquilo APESAR da pessoa te dizer que está tudo bem? ... se sim, era exatamente o sentimento que eu estava cultivando naquele momento.  Como isso poderia piorar?... eu me lembrei do fato d ainda estarmos em perigo e ainda não tínhamos a menor ideia do que ou de quem poderia estar por trás disso, representando ameaça para nós. 


... o que me lembrou que antes de Simon ter aparecido, tínhamos decidido que seria uma boa conversar com Marshall para confirmar se ele realmente não sabia o que poderia estar acontecendo. 


“Droga. Eu havia me esquecido completamente.”


Saí do chuveiro, me sequei, enrolei meu cabelo na toalha e fui até o quarto, abrindo o guarda roupa cuidadosamente para garantir que Bonni não acordaria com meus possíveis barulhos. Vesti minhas roupas íntimas, uma calça de moletom preta e uma regata branca. Depois, procurei pelo meu celular e graças a Glob Bonni havia trazido ele e o deixado no criado mudo ao lado da cama. Achei o contato do Marshall e mandei mensagem.



Meu número: e aí, tudo bem?


Mashall: Fala Marcy, tudo na boa...?


Meu número: Aham. Preciso que você cole aqui em casa. 


Marshall: Opa, vai ter festa?? Já vou comprar umas brejas haha



Revirei os olhos. Por mais que eu também não gostasse de levar a vida muito a sério, Marshall precisava parar de pensar que a vida era só diversão. 



Meu número: Não, é que eu e a Bonni precisamos conversar com você. 


(Alguns minutos sem responder)


Marshall: Conversar oq? Ahh já seu já sei, vocês decidiram casar e precisam de alguém como testemunha, é isso? Kkkk


Meu número: Só vem logo aqui e para de putaria. É importante.


Marshall: Blz mana, eu to meio ocupado ultimamente mas quando der eu vou aí. 



Ele conseguiu me irritar um pouco, mas tudo bem. Respirei fundo, coloquei o celular no bolso na calça e fui até o banheiro novamente. Tirei a toalha do cabelo, pendurei a mesma e comecei a pentear meus cabelos. Olhei pelo espelho e vi que Bonni ainda dormia feito uma pedra na minha cama, então deixei escapar um sorriso.


“É bom finalmente estar sozinha com ela.”


Fui até a cama, fiz carinho em seu rosto e ajeitei novamente a coberta por cima de seus ombros para garantir que ela não sentisse frio. Deixei um beijo delicado em sua bochecha, então resolvi fazer algo para ela comer. 


Fui até minha sala (que estava relativamente bagunçada). Respirei fundo, comecei a organizar as coisas. Então abri meu livro de receitas, comecei a procurar algo que não fosse tão complexo para cozinhar. 


“Depois desse caos todo, aposto que ela vai acordar cheia de fome. Aqui está. Spaghetti com molho à bolonhesa me parece...atraente.”


Juntei os ingredientes necessários e comecei a preparar a comida. 


Depois de algumas horas, já havia arrumado a mesa, separado um bom vinho, acendido velas para deixar o clima mais romântico e dava os toques finais ao jantar





BONNIBEL POV:




Havia sido realmente difícil guardar o que eu havia visto nas memórias de Simon. Como poderia o próprio irmão de Marceline nos trair daquela forma?? Eu havia chorado tanto que meus olhos estavam inchados. Porém, depois de ter pedido a Simon que me ajudasse a descongelar Marcy e nos levar até a cada dela, o mais difícil ainda havia sido esconder dela o que eu havia descoberto. Se eu deveria falar ou não era a dúvida que martelava constantemente em minha mente, pois estava sujeita a inúmeras possibilidades, como a de ela surtar e simplesmente querer matar ele, ou não acreditar em mim, ou se afastar de mim, ou surtar... 


Enfim, depois de ter pensado muito e decidido pensar melhor a respeito, Marcy fez uma massagem divina em mim ao ponto e me deixar completamente relaxada e Glob, eu estava simplesmente exausta, tanto que acabei pegando no sono. 


Acordei assustada ouvindo o barulho do meu próprio estômago roncando. 


“Nossa...eu acho que dormi demais”.


Me espreguicei, senti um cheiro incrivelmente agradável vindo da cozinha e sorri ao ouvir de longe a voz da Marcy cantarolando alguma música. 


“Ela está tão atenciosa...”


Resolvi tomar um bom banho. 


Depois de me secar, vesti roupas íntimas Rosa claro que eu havia deixado na casa da Marcy em momentos anteriores (por garantia), então vesti um shorts jeans meio rasgado e peguei emprestado uma das camisas xadrez vermelha da Marcy. Obviamente, aproveitei para sentir seu cheiro em sua roupa, que fez com que eu sorrisse e meu coração palpitasse. Prendi o cabelo e desci as escadas. 


- Ahh, vejo que minha princesa acordou... - ela sorriu e veio ao meu encontro prontamente, fazendo um gesto de reverência e segurando uma das minhas mãos, o que era extremamente fofo.


- Amor... o que é tudo isso? - perguntei um pouco tímida, ao me deparar com a mesa do jantar toda arrumada e a luz de velas. 


- Isso, meu amor, é um jantar especial que preparei para você. - depositou um pequeno beijo na minha mão e eu ri baixo


- Ah Marcy, você é inacreditável...


- E você é linda. - me puxou pela cintura delicadamente e me deu um selinho. - agora vem, senta aqui. - afastou uma das cadeiras para que eu pudesse me sentar e eu assim o fiz, agradecendo. 


- Está tudo tão lindo. - sorri 


- Bom, agora eu espero que o gosto esteja tão bom quanto a aparência - riu, enchendo uma taça de vinho e me entregando. 


- Aposto que estará divino. 


Ela sorriu, então se sentou ao meu lado e aproximou cuidadosamente sua taça cheia de vinho até a minha.


- Então... o que vamos brindar? - perguntou


- Que tal... a nós e... a um momento sem preocupações? 


Ela sorriu e então brindamos.



Tomamos um gole do vinho mantendo contato visual uma com a outra. 


- Bom, se me permite... - pegou o prato que estava a minha frente e antes que pudesse colocar o spaghetti, ouvimos a campainha ser tocada. 


- Aaaargh, tá de brincadeira!!!!


Sorri de canto, não podendo evitar me sentir decepcionada pela interrupção também. 


- Não sei quem é, mas dá um jeito nisso, por favor... - sorri e pedi gentilmente. 


- Pode deixar! 


Então Marcy apoiou novamente meu prato na mesa e correu para atender a porta. 


- O que você tá fazendo aqui??? - Marcy perguntou. 


- Ué, você falou que eu deveria vir assim que possível, então eu cheguei! Como você tá, maninha?!












Meu sangue ferveu de raiva ao observar Marshall entrando pela porta da sala e abraçando Marceline como se tudo estivesse...normal...



Notas Finais


Por favor não me matem, mas comentem o que estão achando pra eu saber se está ficando bom ou não ><



Ps: Fiquem de olho nas Atividades aqui do Spirit, todos os dias eu comento algo lá sobre o andamento dos capítulos e as vezes rola até uns spoilers :3

Beijinho <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...