1. Spirit Fanfics >
  2. Een kans in Amsterdam >
  3. 06

História Een kans in Amsterdam - Capítulo 6


Escrita por:


Capítulo 6 - 06


Sábado amanheceu nublado e frio, quando me levantei mamãe já estava de pé, ela terminava de calçar os sapatos quando saí do quarto rumando ao banheiro. Assim que abri a porta vi Namjoon me olhar assustado enquanto se engasgava com o creme dental, rapidamente tranquei a porta e me encostei na parede suspirando, algo na minha cabeça gritava que essa convivência é uma péssima ideia. Quando ele saiu mal me olhou e eu rapidamente entrei e tranquei a porta, depois de me arrumar fui a cozinha tomar café e vi que mamãe já estava de saída.

- tenha um bom dia – depositei um beijo em sua cabeça e me acomodei na cadeira que estava mais longe de Namjoon, me servi de suco e logo Emma chegou pegando um copo térmico e o enchendo de café, ela passou por nós dando um beijo em Namjoon e em mim no entanto só eu lhe retribui. 

- está vendo Nam, deveria aprender com a Anne. Você não é carinhoso com sua querida mãe. – ri de drama de Emma e Namjoon me olhou falso ressentimento indo até a mãe e lhe dando um abraço e um beijo no topo da cabeça. 

As matriarcas saíram aos risos enquanto eu fiquei hipnotizada pela forma fofa que ele ficou depois do gesto gentil. Terminamos nosso café da manhã em silencio e eu fui lavar a louça suja enquanto ele foi para o quarto. Quando já estava terminando me dei conta de que nós provavelmente passaríamos o dia todo sozinhos dentro de casa e foi impossível minha mente não criar cenas românticas e talvez um pouco eróticas com a possibilidade. Mesmo tentava com as ideias que se passavam na minha cabeça as ignorei me recordando de que eu já havia desistido dele e de que combinamos de ser amigos, eu não seria como Aniek que não conseguia desapegar desse sentimento unilateral.  

Fui a meu quarto e peguei meu sketchbook e estojo, sentei novamente no degrau que tinha e fiquei olhando o balanço enquanto decidia o que desenhar. Por fim acabei o desenhando, Namjoon versão adulto em seu balanço de criança, usei minhas tintas em aquarela para lhe pintar e por descuido acabei deixando cair tinta rosa em cima da parte do cabelo, mesmo que eu nunca tenha pensado nele com um cabelo nesse estilo o jeito que ficou me agradou bastante, terminei o desenho adicionando mais elementos e o deixei como uma cena de um mangá de romance japonês. 

Quando voltei para dentro da casa olhei as horas e se passava das 13h, devo ter ficado umas três horas pelo menos trabalhando naquele desenho. Fui ao quarto de Namjoon o procurar e o mesmo estava com a cara enfiada nos livros, sua dedicação era sem dúvidas admirável fiquei o admirando até que ele se virou para a cama e me viu em pé na porta. 

- quer algo para almoçar? – lhe perguntei desviando o olhar envergonhada por ter sido pega o espiando. 

- que horas são? – mesmo ele me perguntando foi pegar o celular e checar – perdi a noção do tempo, quer sair para comer? Acho que não tem nada pronto. 

- não tem mesmo, eu olhei na geladeira. Tem algum lugar por perto? 

- tem uma cafeteria a duas esquinas daqui. – acenei que sim e saí para pegar um casaco e a bolsa, quando voltei ele estava na sala. Saímos e fomos andando em silencio até chegar a pequeno estabelecimento, ao entrarmos o lugar tinha poucos clientes mas possuía uma atmosfera relaxante. Namjoon foi a frente e escolheu uma mesa de duas cadeiras perto da janela, assim que nos acomodamos a garçonete chegou e anotou nossos pedidos. – não sabia que era vegetariana. 

- achei que Emma tinha lhe contado. Eu e mamãe somos a uns cinco anos já. 

- que legal, mãe já tentou mas não durou uma semana. Deve ser um pouco difícil não é todo lugar que tem boas opções vegetarianas.

- realmente, fiquei bastante surpresa por aqui ter. – paramos de conversar assim que nossos lanches chegaram, comemos em silencio até Namjoon pedir um pedaço do meu sanduiche de grão de bico. Ele se inclinou e mordeu um pedaço assim que estendi a mão, sua expressão ao comer era de certa forma adorável e me recriminei por pensar em algo assim pois a cada pequeno gesto dele meu coração se apertava. 

Voltamos para casa e me joguei no sofá querendo dormir mas liguei a televisão colocando em um canal onde passava reformas de casas, reconheci o episódio sendo da terceira temporada de irmãos a obra. Fiquei assistindo até Namjoon voltar com caderno e livros, no qual ele jogou em meu colo e desligou a televisão.

- eu estava assistindo. 

- prova de literatura, lembra? – bufei indo pegar meu caderno. Ficamos na sala estudando até pouco mais das 15h40, minha cabeça parecia não querer armazenar mais nenhuma informação então comecei a ignorar as explicações dele e a focar apenas no movimento que sua boca faz ao abrir para falar. – vai me beijar de novo?

-  o que? Não. – desviei meu olhar para a outra extremidade da sala completamente constrangida, principalmente por querer o beijar depois dele recordar desse fato. 

- então pare de encarar minha boca. 

- eu não estava.. 

- sério? – sussurrei um pedido de desculpas e o ouvi bufar, e voltar a explicar o assunto. Minha atenção voltou ao conteúdo da matéria e não ousei o encarar de novo. – esse assunto é horrível, se não se concentrar não vai tirar uma boa nota.

- eu sei, mas é muita coisa para estudar minha cabeça está explodindo. – deitei a cabeça no meu caderno e o senti tocar meu cabelo em um leve carinho. – para com isso, por favor. 

- você não gosta? 

- o problema não é esse. – virei o rosto e o olhei, ele ainda estava com a mão entre meus fios castanhos movendo a ponta dos dedos em meu coro cabeludo. – se você continuar com isso minha vontade de te beijar vai aumentar. 

- ah entendi, eu não estou facilitando. – ele logo se afastou de mim e começou a arrumar os materiais, suas bochechas tinham um leve com corado e passei a rir ao perceber que tinha o deixado constrangido. 

Ficamos assistindo a série de reformas que eu estava vendo até nossas mães chegarem, elas haviam comprado comida italiana e nós juntamos a mesa para jantar. Ao fim do jantar mamãe saiu para atender uma ligação de papai e Emma e eu ficamos preocupadas a esperando enquanto Namjoon arrumava a cozinha. Quando ela voltou tinha perdido o sorriso feliz do jantar e estava com uma expressão chorosa.

- mãe? 

- está tudo bem querida. Seu pai quer passar o dia com você amanhã, tudo bem? – lhe abracei e disse que sim, não estava nos meus planos mas eu realmente queria o ver. Emma a acompanhou até o quarto e as deixei conversarem, tomei meu banho e fiquei na sala de estar até começar a ficar com sono. 

Pela manhã fui a primeira a acordar e depois de preparar um café fiquei no jardim até dar a hora de ir ver papai, ele mandou uma mensagem a noite pedindo para que eu fosse a delegacia pela manhã e de lá ele passaria pelo menos a manhã de folga comigo. Quando deu umas 7h Emma me pediu para acordou Namjoon para ele me levar até o ponto de ônibus já que eu ainda não conheço o bairro, fiquei com um pouco de pena de o acordar, mas sua cara de sono fez o arrependimento passar pois ele estava simplesmente adorável. Quando cheguei ao ponto ele ficou comigo até a condução chegar e depois simplesmente foi embora sem se despedir. 

Quando entrei na delegacia ela estava bem calma, fui andando pelo local a procura dele mas não o achei até avistar dois policiais tomando café em uma cozinha, quando me aproximei o mais novo me olhou dos pés a cabeça enquanto o outro veio me abraçar.

- pequena Anne, vejo que não cresceu muito – o senhor que aparentava ter uns quarenta anos disse ao me soltar ainda rindo, o olhei até reconhecer o primeiro parceiro de patrulha de meu pai, o senhor Robbins sempre ia nós visitar nos dias de folga. – procurando pelo Dean? 

- sim, papai disse que queria conversar comigo. 

- ele está na sala de interrogatórios, vou chama lo.- ele saiu entrando em um corredor e me deixou com o outro policial que me indicou uma cadeira na qual me acomodei. Ele logo preparou um café e se sentou na cadeira ao meu lado. 

- obrigada policial.

- Ambrosius Morgan, senhorita Anne. – sorri e fiquei bebendo meu café, eu tinha a impressão de que ele estava me olhando demais no entanto preferi fingir não ter percebido. Quando papai voltou com o Sr. Robbins ele parecia estressado e me olhou brevemente antes de voltar sua atenção ao outro policial. 

- ocupado Morgan?

-não senhor, já ter...

- ótimo. Anne, apareceu um caso de última outra, tenho que resolver algumas pendências, o policial Morgan vai te levar de volta. 

- não precisa pai, posso voltar sozinha. 

- ele vai te levar, é uma ordem. – foi a única coisa que ele disse antes de jogar as chaves do próprio carro para Ambrosius que a pegou no ar. Não fiquei mais chateada do que já estava pois imaginei que se qualquer coisa aparecesse ele daria mais atenção a isso do que a passar cinco minutos com a filha que não vê a dias. 

Entrei no carro e dei o endereço a Ambrosius, passei quase o percurso todo mexendo no celular, apesar de saber que ele estava vez ou outra me olhando não tinha interesse em conversar consigo.

- quantos anos você tem? Parece tão nova. 

- tenho 17. 

- uhm... já está se preparando para a faculdade de direito?

- direito? Não é o que eu quero.

- Mas seu pai acha que é – voltei meus olhos a janela e ficamos em silencio até chegarmos em frente a casa de Emma, ao virar para agradecer a ele o mesmo me olhava com intensidade, sua mão se aproximou do meu rosto e fez um leve carinho em meu maxilar descendo para o pescoço, ele aproximou seu corpo enquanto me puxava pela nuca – você é tão bonita Anne. 

- er, obrigada policial Morgan e obrigada por me trazer. – lhe disse me desvencilhando de suas mãos e abrindo a porta do carro.

- disponha, fique à vontade para me chamar se quiser. Você tem namorado? 

- ahn... tenho sim, é...tchau. – depois de sua investida saí as presas do carro atravessando a rua e só parando quando cheguei a porta de casa, antes de entrar me virei e vi que ele ainda estava estacionado no mesmo local. Avistei Namjoon vindo pela calçada com uma sacola em mãos e acenei para ele que devolveu o aceno, o esperei para entrarmos e quando ele chegou a minha frente dois degraus abaixo vi o policial sair do carro e nos encarar. – me desculpa. 

Antes dele questionar meu pedido, coloquei minhas mãos em seus ombros e depositei um beijo no canto de sua boca, ele tocou meu braço com a mão livre e me afastei de si dando um sorriso e pegando sua mão, abri a porta e o puxei para dentro a trancando em seguida. Me encostei na porta e suspirei, ao erguer o olhar ele tinha uma expressão séria e estava com os braços cruzados. 

- vai me explicar? – ele me perguntou enquanto eu abria a porta para verificar se ele tinha ido embora. 

- viu o carro preto que estava no outro lado da rua?

- não é isso que quero saber Anne.

- eu sei – me vire para ele depois de fechar a porta – me desculpa, eu não pensei direito. Eu só fiquei um pouco apavorada.

- com o que? ... seu pai fez alguma coisa? 

- não, ele estava ocupado e mandou um dos policiais me trazerem, esse foi o problema. – eu disse isso de cabeça baixa envergonhada e passei por ele mas Namjoon segurou meu pulso e ao olhei para seu rosto que demonstrava uma raiva que eu nunca havia visto.

- o que ele fez? 

- não foi nada demais mas me assus...

- o que ele fez Anne? – contei a Namjoon que ficou ainda mais irritado e me mandou ligar e contar tudo a meu pai porém me recusei dizendo que não havia necessidade e além do mais não o encontraria de novo. Mesmo Kim ainda ficando chateado ele aceitou minha decisão com certa relutância. 


Durante o jantar fiquei receosa sobre Namjoon contar o que havia acontecido, mas ele não comentou a respeito e fiquei aliviada. Estava assistindo uma comedia romântica com mamãe e Emma quando Namjoon me chamou para estudar para a prova dizendo a mamãe que eu não sabia quase nada da matéria, ficamos até tarde estudando e Kim só desistiu de estudar mais depois que notou que eu prestava mais atenção no post-it do caderno do que nele.  

- minha boca não é mais atraente para você?

- ahn? – voltei minha atenção a ele e automaticamente a sua boca, ele se aproximou de mim e olhei seus olhos – o que voc...

- boa sorte amanhã.- ele disse isso depois de se afastar pegando o estojo para guardar os materiais. 

- você é malvado. – me levantei com o rosto corado, por um segundo realmente considerei que ele iria me beijar e agora me sentia uma tola por querer tanto. 

- já sabe como vai parar de gostar de mim? – agora ele estava sentado na cama arrumando a mochila, quando terminou olhou para mim e desviei meu olhar negando.

- seria mais fácil se você não fosse tão você. – fechei a porta do quarto e fui ao meu indo dormir. 


Quando amanheceu eu já estava de pé preparando café, assim que Emma acordou ela me ajudou a preparar o resto do café da manhã, Namjoon foi o último a acordar e o primeiro a se sentar para comer, mal terminamos de comer e ele pegou nossas mochilas para irmos, nesse momento vi que já era 7h40 e me adiantei em calçar os sapatos. 

- que horas o ônibus passa? – lhe questionei quando ele já estava indo a porta.

- nós vamos de bicicleta, é a uns 10min daqui.

- mas eu não tenho bicicleta. – ficamos nós encarando até nossas mães chegarem a sala. 

- eu posso comprar para você querida, mas só amanhã. 

- Nam, leva ela hoje na sua. 

- ok, vamos. – as olhei assustada, eu nunca tinha andado de bicicleta com outra pessoa – Anne, vamos logo.

Saímos e depois de certa relutância de minha parte subi na garupa de sua bicicleta, mesmo Namjoon pedalando em uma velocidade segura minha única vontade era de pular dali e ir correndo, no entanto enquanto eu entrava em desespero imaginando uma queda dolorosa e vergonhosa nós chegamos a escola e eu só notei quando ele falou que eu já podia solta-lo. Entramos na escola sob o olhar de praticamente todos os alunos e até alguns funcionários, ouvimos cochichos enquanto íamos para a sala mas Namjoon não pareceu se importar, antes de entramos Aniek passou por nós arrastando Namjoon no processo, fiquei olhando eles se distanciarem e vi Ryan entrando em sua sala. Suspirei entrando e vi Lisa e Andrew me olhando com caras de curiosidade.

- você chegaram juntos.

- sim.

- então?

- então nós chegamos juntos.  – ri das suas caras de desapontamentos e vimos Namjoon entrar sendo seguido por uma Aniek aborrecida.

- ela surtou? – ele se sentou acenando que sim e rimos. – a Anne não quer contar porque vocês chegaram juntos...

- depois da prova nós contamos. – ele me olhou e eu apenas o ignorei. Lisa e Andrew correram para seus lugares assim que a professora entrou na sala. Mesmo a prova estando difícil fui uma das primeiras da sala a sair, me dirigi ao banheiro feminino e ao sair quase cai de susto ao ver Ryan do lado de fora conversando ao celular, quando ele me olhou lhe mandei um aceno e um oi antes de voltar a andar.

- Como está indo o plano de parar de gosta do Kim? - Parei de supetão ao ouvir suas palavras e olhei ao redor vendo que não tinha mais ninguém em volta.

- Como voc... – Me aproximei para lhe questionar mas ele passou reto por mim com um semblante sério. 

- Quando quiser saber o que é um beijo de verdade me procure, Anne Marie. – Minha voz sumiu com suas palavras e só fiquei o vendo ir embora enquanto eu tinha um surto interno ao me dar conta de que ele havia ouvido e visto minha declaração. Se ele realmente gosta de mim deve ter se sentido horrível e eu sei exatamente qual deve ter sido a sensação dele, o desconforto de ver a pessoa que você gosta se declarar seu amor a outro. 

Ainda estava pensando em Ryan quando retornei ao pátio e vi Namjoon e Aniek sentados juntos conversando, olhei ao redor vendo Lisa e Andrew juntos abraçados, me senti excluída e fui caminhar pela escola. Passei alguns minutos sentada na mesma escada de antes, mas dessa vez meus pensamentos estavam em Ryan, uma parte minha queria ir me desculpar com ele mas não tinha motivos concretos para isso já que náo havia lhe dado alguma esperança. Fui tirada de meus devaneios quando senti alguém se sentar ao meu lado.

- achou que ia conseguir fugir de nós? 

- valia a pena tentar. – declarei a Lisa a vendo revirar os olhos. Os meninos estavam sentados nos degraus abaixo e Namjoon me olhou como se me incentivando a contar – meus pais se separaram e nós mudamos para a casa da melhor amiga da minha mãe. 

- que é a minha mãe. – ele se pronunciou enquanto Lisa me abraçava querendo saber se eu estava bem com a situação dos meus pais, lhes tranquilizei e passamos a conversar sobre assuntos banais até que eu vi Ryan se aproximar e subir as escadas sem nem ao menos nos olhar. Senti Lisa me cutucar e a olhei depois ergui o rosto olhando para o topo da escada mesmo sentindo que deveria conversar com ele preferi ficar ali com meus amigos e principalmente com Namjoon que ele estava com a cabeça encostada em meu joelho enquanto ouvi Andrew contar do desespero de ter conhecido o irmão mais velho de Lisa que havia o visitado no fim de semana quando o mesmo foi almoçar na casa da namorada. 




Notas Finais


Obrigada por ler
Críticas e sugestões são bem vindas ❣️
Até o próx~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...