1. Spirit Fanfics >
  2. Efeito Borboleta - Noah Schnapp >
  3. I'm in love

História Efeito Borboleta - Noah Schnapp - Capítulo 27


Escrita por:


Capítulo 27 - I'm in love


De repente um barulho estridente de algo caindo no chão, e rapidamente nos separamos. Eu olhei para o lugar de onde havia vindo o barulho e meu coração gelou.

Havia uma lâmpada quebrada no chão.

Estávamos num sofá vermelho.

A lâmpada quebrou no meio do beijo.

- Eu estou fodendo com o tempo. – Sussurrei.

- O que...? – Perguntou Noah confuso.

- Eu...eu preciso ir. – Me levantei e saí correndo.

- Ir para aonde? CAT! – Ele começou a correr atrás de mim. – CAT! Você está ficando aqui. Para onde você vai? CAT!? – Ouvi ele gritar da porta enquanto eu me afastava o mais rápido possível. – CAT! VOLTA AQUI!

- Pensa. Pensa. Pensa. Pensa. – Repetia enquanto tentava recordar o que havia acontecido e o que ele havia falado naquele vídeo de outra realidade.

“Nós estávamos conversando”. “Nos conhecemos pela internet”. “Nós estávamos falando sobre tudo”. “Sobre o que iríamos fazer, sobre o que íamos falar um para o outro”. “Quando nos vimos pessoalmente”. “Viemos de volta para a minha casa”. “Nós estávamos naquele sofá vermelho”. “A lâmpada quebrou enquanto nos beijávamos”.

- Foi isso que aconteceu comigo, com a gente, nessa realidade. E também aconteceu com ele, com outra pessoa, em outra realidade. Por que esses acontecimentos estão se conciliando? – Minha cabeça se enchia de dúvidas enquanto caminhava.  – Como eu não percebi isso? – Parei de repente ao vir uma lembrança à minha mente. – A stranger con! A Mary me empurrou, mas na Stranger con do ano passado, ela tinha empurrado outra garota. Meu Deus...será que eu estou ferrando com as realidades? Por isso, isso está acontecendo? Não. Não pode ser.

 Eu falava sozinha pelas ruas, as pessoas achavam que eu estava doida.

Talvez, eu realmente estivesse.

Doida de amor.

Era como uma doença.

Agora que começou, por mais que eu lute contra isso, ela não iria embora facilmente.

Chegou rápido, mas vai embora devagar.

Talvez nem fosse embora.

Talvez ficasse ali para sempre.

Eu vou ter que aprender a conviver com isso.

Ou lutar contra isso.

Eu queria, mas ao mesmo tempo não.

Não queria que a chama se apagasse.

Mas ao mesmo tempo sim.

Eu queria que isso fosse embora.

Quando eu mudei o curso do destino eu queria isso?

Eu planejava isso?

Era isso o que eu queria?

Era um milhão de perguntas, para o total de zero respostas.

 

(POV) Narrador.

Enquanto Catarina pensava no que estava acontecendo, Noah estava desesperado e triste. Ele achava que ele tinha culpa, por tudo que estava havendo. Mas não sabia nem da metade do que estava acontecendo, e que aquilo não era culpa dele. Na verdade, a culpa não era completamente de Catarina também. Mas ela estava tão cega por estar perto de seu ídolo, que não enxergava que estava destruindo as realidades.

Estava ferrando com destino.

Estava mudando o curso de tudo.

Estava causando o caos.

E tudo tendia a piorar.

Tudo que Catarina pensava era se estava fazendo algo errado, mas sempre que a resposta era “sim”, ela sempre encobria, ignorando os sinais.

Enquanto isso Noah pensava em tudo que havia feito de errado, o que ele causou para isso ter acontecido. Ele estava jogando todos os problemas de sua amizade com Catarina, nas suas próprias costas. Mas ele nunca conseguia encontrar algo que ele fez para isso ter acontecido, talvez seja, porque nada daquilo era culpa dele.

 

- Olha Noah, sei que voltei mais cedo do que combinamos, mas já são sete horas e a mamãe mandou eu voltar. – Falou Chloe entrando em sua casa. – Noah? – Ela se aproximou ao perceber que seu irmão nem ligou que ela havia chegado mais cedo. – Noah...? – Ela parou ao ver que seu irmão estava chorando. – Noah, o que aconteceu?

- Nada. – O garoto simplesmente saiu dali, se segurando para não desabar ali mesmo. – O que foi que eu fiz? O que foi que eu fiz? – Noah se perguntava enquanto mergulhava sua cabeça em seu travesseiro. – Isso é tudo culpa minha. O que foi que eu fiz?

- O que foi que eu fiz? – Catarina parou de repente. – Aonde eu estou? – Ela começou a olhar ao redor e perceber que não conhecia o lugar onde estava. – Onde eu estou? – Ela se perguntou.

A garota estava numa rua deserta e escura.

Completamente perdida.

Sem ninguém.

Sem celular.

Sem nada.

- E agora? – Perguntou desesperada. – De onde eu vim?

A esperança dela era de ter algum estabelecimento aberto para poder pedir ajuda, mas naquele lugar estava tudo fechado.

- Oi. – O desespero de Catarina subiu a mil a ouvir isso por trás dela.

Era uma voz desconhecida. E ali mesmo, naquele momento ela viu que iria dar merda.

 

- CAT! – Noah suspirou de alívio ao ver sua amiga na frente da porta de sua casa. – Chad?

- Oi, Noah. – Chad o cumprimentou distante.

- Noah! – A garota correu e o abraçou, enquanto suas lágrimas saíam copiosamente.

- O que aconteceu? – Perguntou preocupado.

- A gente pode conversar? A sós? – Perguntou Chad.

- Ok...CHLOE! CHLOE! – Noah a gritou.

- O que foi? – Perguntou sua irmã descendo as escadas. – Catarina? O que está acon...-

- Leva a Cat lá para cima, eu preciso conversar com o Chad.

- C-Chad..? – Chloe gaguejou ao ver o garoto na frente da casa dela. – O q-que vocês vão conversar? – Perguntou nervosa.

- Só leva a Cat lá para cima. – Disse seu irmão impaciente.

- Tudo bem...vem Cat...arina. – Chloe a levou para o seu quarto, enquanto seu irmão ficou para conversar com Chad.

- O que aconteceu? – Perguntou Noah preocupado.

- Eu a encontrei perdida perto da minha casa, ela estava com uns caras que moram lá perto.

- Como assim?

- Eles estavam a abordando de uma maneira...errada? Agressiva sabe? Se eu não tivesse chegado, eu nem sei o que teria acontecido.

Pronto. A culpa que Noah sentia de repente se multiplicou por mil. Ele estava pensando o que poderia ter acontecido com Catarina se Chad não tivesse chegado.

- Obrigado. De verdade, obrigado. – Falou com lágrimas nos olhos. – Eu nunca me perdoaria se algo tivesse acontecido com a Cat.

- Não foi nada. Eu teria feito isso por qualquer pessoa. – Ele sorriu. – Eu já vou indo, cuida bem dela. A Catarina é uma garota especial. – Ele se virou e foi embora.

Assim que Noah fechou a porta, ficou encarando o chão, pensando em um milhão de coisas diferentes.

 

Ao passar dos dias, os dois se evitavam mal conversavam. Não tinha coragem de chega um no outro e falar: E aí? Vamos falar sobre o beijo que rolou entre nós?

Eles decidiram escolher o silêncio, e isso os devorava por dentro.
Aquilo não estava sendo saudável para nenhum dos dois, a cada momento que paravam para refletir sobre tudo que estava havendo, as lágrimas saíam involuntariamente. Os dois sabiam da situação um do outro, mas nunca tocavam no assunto.

Nunca tentava resolver isso.

Nunca faziam contato visual.

Nunca pensava no que seria melhor para eles.  

Tudo que eles desejavam era um ao outro.

Um nos braços do outro.

Mas não assumiam

Não tomavam coragem para assumir o que sentiam.

Não tomavam responsabilidade por seus sentimentos.  

Eles se torturavam, e sabiam disso.

Mas o medo abrangia toda a mente deles.

E agora, eles teriam que conviver com essa escolha.

Conviver com o silêncio.

Conviver sem o outro.

Conviver com lágrimas.

Conviver com um vazio no coração.

Conviver sem felicidade.

 

...


Notas Finais


Um capítulo para vocês sentirem raiva da Cat. KKKKK não sei se vocês vão sentir, mas um pouco vai.
Vocês acham que o Noah vai perdoar Chad pelo o que ele fez?
E como vai ficar o relacionamento da Cat e do Noah?
Quero saber de tudo.
Espero que tenham gostado
Coloque sua opinião aí em baixo (pls)
Até quinta
:)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...