1. Spirit Fanfics >
  2. Efeito Borboleta >
  3. Pedro e Maria Lúcia

História Efeito Borboleta - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


esta é a história dos Pais da Alyssa

Capítulo 1 - Pedro e Maria Lúcia


Fanfic / Fanfiction Efeito Borboleta - Capítulo 1 - Pedro e Maria Lúcia

Esta é a história de um Jovem, filho de um jardineiro com uma cozinheira, e uma Moça, filha de um politico,sua mãe morrera assim que ela nasceu, e tudo oque ela tinha era o seu pai
_Lúcia, querida
_Papai o senhor chegou!!
_Eu disse que não demoraria querida
_Senti a sua falta
_*beijo a testa dela* eu também pequena
O pai de Lúcia cobiçava o cargo de governador e por isso não parava em casa, ela quase não tinha amigos e só vivia trancada dentro de casa, a moça era noiva, seu pai havia arranjado um casamento com o filho de outro polico, para fazer aliança e unir partidos com o casamento;
_E como foi por lá?
_seu noivo João Marcelo perguntou por você
_Hm *Olho para ele desapontada*
Lúcia não gostava muito da ideia de ser usada para fins políticos, além disso ela nem ao menos conhecia o futuro noivo, só o via em compromissos públicos para manter a aparência nas câmeras, seu pai dizia que moças de familia se davam o respeito, e ela não queria contrariar o pai, o amava muito;
_*Vou para pegar um pedaço de bolo na mesa*
_*Dou um tapa na mão dele*
_Ai mãe!
_O bolo é pro patrão
_voltou foi?
_Tomara que ele ganhe logo a eleição, a pobre menina só vive pelos cantos da casa
_Sim...
_Vai chamar o seu pai pra almoçar
_Sim senhora *Saio correndo*
Já Pedro foi criado na mesma casa, mais não conhecia Lúcia, os pais trabalhavam ali a anos, pedro sonhava em ir para a faculdade de direito, se tornar algo mais do que a vida o reservou, como Motorista ou jardineiro como o seu pai;
_Pai?
_Oi meu filho
_A mãe pediu pra eu chamar o senhor
_Ainda bem, já tava azul de fome *guardo a tesoura* vamos?
Ele tinha orgulho dos pais também era amoroso com eles, só que... ele queria MAIS bem MAIS
e eles nunca trocaram uma palavra até o dia em que...;
_*Corro até o carro do papai* como assim adiantar meu casamento?
_Lucia minha filha, não vou discutir isso com você
_isso oque? a minha vida?
_não precisa se preocupar com nada
_É sempre assim, eu não preciso mover um dedo, você sempre toma minhas decisões por mim
_Oque?
_Eu não quero me casar, nem ao menos o conheço
_não precisa nem olhar na cara dele, *olho para ela* Lúcia, se acabar com o casamento estará jogando o nome da familia na lama junto com a minha carreira
_Um casamento de fachada?
_Sim querida, você nem ao menos vai se mudar de casa *beijo a testa dela* agora eu preciso realmente ir
_Adeus papai... *observo ele indo embora* (eu sou só uma carta na manga pra campanha?) *meus olhos se enchem de água* (eu realmente não importo?) *saio correndo até chegar a ponte do rio e fico na berada do parapeito, prestes a me jogar* (pelo menos deste geito não vou desafiar o papai nem vou me casar) *Fecho os olhos e tento me jogar mais algo me segura*
_Você está bem?
_Estava até você me segurar
_a senhora ia cair *puxo ela*
_é Senhorita, e eu não ia cair, ia me jogar
_E oque leva alguém a tirar a própria vida?
_Angustia
_A senhorita já viu o tanto de pedra que têm ali em baixo?
_Oque quer dizer?
_Dolorosa e pela altura seu cadáver iria ficar irreconhecivel
_não pensei por este lado...
_Sou pedro *estendo a mão para a cumprimentar*
_Lúcia *pego na mão dele e balanço*
_Bem Lúcia, acho que salvei a sua vida
_Obrigada
_Quer ir tomar um copo de suco com sanduiche?
_Aceito
_*Começo a andar* então... vai me contar oque aconteceu ali?
_Bem...
E foi ali que eles ficaram amigos, depois de um tempinho eles descobriram q eram empregado e patrão, mais para eles pouco importava
Eles acabaram se apaixonando e como o pai dela só vivia viajando eles não viam problemas até que...
_*sirvo o pudim*
_*como* Obrigada dona flor, tá ótimo *Derrepente me bate um enjoo e eu corro para vomitar no vaso*
Lúcia sabia, estava atrasada e logo contou a pedro que estava grávida, ele ficou muito feliz e preocupado, ele mal sabia que o maior problema que eles enfrentariam nem era o bebê mais sim o pai dela;
_Como assim GRÁVIDA Maria Lúcia?
_Eu assumo o filho é meu
_E de um EMPREGADO maria Lúcia?
_*Olho para o chão envergonhada*
_Eu investi tanto no seu futuro e você joga tudo fora por... um filhote de jardineiro com cozinheira?
_Pai...
_é por isso aue não quis se casar?
_sim papai
_Não me chame de pai, você é uma irresponsável e agora eu vou ter que encobrir e arrumar esta bagunça *olho para ela* lembre-se de que tudo de ruim que acontecer será culpa sua
Os pais de pedro tinham 20 anos trabalhando na casa, foram demitidos, Lúcia viajou para paris e Timóteo, pai de Lúcia ofereceu dinheiro para os pais e a faculdade de direito paga para pedro, assim ele sumiu
Lúcia passou longos 8 meses em Paris até voltar no nono mês, aonde deu a luz dentro de casa a um bebê que tinha uma marquinha atrás do pescoço, um sinal de nascença no formato de um coração;
_É uma menina!!
_Posso pegar?
_*Olho para o pai dela e ele conscente com a cabeça* Sim... *Dou a ela*
_*Pego a minha filha* Louise
_*Pego a criança da mão dela* não dê nome a esta praga
_*Tento pegar o bebe e não consigo* Oque vai fazer com a minha filha?
_Colocar ela no lugar que ela pertence
_Por favor!! *Começo a chorar enquanto vejo ele se afastar, tento me levantar mais estava fraca demais e acabo apagando*



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...