História Efêmero - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jungkook, V
Tags Hopekook, Hoseok!bottom, Jungkook!top
Visualizações 323
Palavras 2.658
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Porque o mundo precisa de mais Hopekook S2

Espero que gostem e tenham uma boa leitura.

Capítulo 1 - Começo


Fanfic / Fanfiction Efêmero - Capítulo 1 - Começo


Uma cabeleira ruiva era vista a correr pela quadra, os saltos que o garoto de estrutura mediana exercia eram altos, podendo assim realizar um bom contra ataque e logo a bola estava a bater no concreto do lado oposto, indicando o ponto que faltavam para ganhar, era apenas um treino, mas se tinha algo que Jung HoSeok odiava seria perder. Logo o garoto apoiou as mãos sobre os joelhos, curvando levemente seu corpo e respirando de forma pesada, estava cansado.

— Vem logo HoSeok – ouviu a voz de Jimin gritando por sí e sorriu.

O ruivo logo se pôs a seguir o baixinho em direção ao vestuário, adentrou uma das cabines e retirou sua roupa, para em seguida ligar o registro do chuveiro e sentir a água gelada dar um descanso a seus músculos, ao tomar banho sempre se perdia em pensamentos e dessa vez não foi diferente, uma canção qualquer era cantarolanda pelos lábios cheinhos do garoto, cujo estava no seu próprio mundo, porém acabou sendo assustado ao sentir dedos calejados em seu ombro, virou-se rapidamente e engoliu o palavrão ao ver a face raivosa de seu treinador, algo raro o homem sempre estava sorridente.

— Como assim você ficou em recuperação em duas matérias Jung HoSeok ? – a voz soou dura, fazendo garoto se encolher.

— Ah sou pessimo em exatas, mesmo que estude nada entra, NamJoon – suspirou e pegou a toalha, enquanto enxugava seu corpo, um bico se fez presente em seus lábios – mas o que isso tem haver com você ? – olhou para o mais velho.

— Talvez o fato de você precisar tirar um dez tanto em física como matemática, já que o único trato que o time tem com o diretor é de manter as notas na média, mas você, o capitão do time, ficou em recuperação nos dois bimestres e acumulou nove pontos – sorriu sarcástico – você prefere sair do time ou ter aulas extras com o carrasco?

— Que? – suspirou pesado e saiu da cabine, ficando assim de frente para NamJoon – nem fodendo que passo meu tempo livre com aquele demônio – quase gritou.

— Bom saber do meu novo apelido – uma voz rouca se fez presente no local.

Rapidamente HoSeok desviou seus olhos para o local, podendo assim fitar o moreno que se escorava em um dos armários, Jeon Jungkook, o professor de matemática conhecido pela escola como O Carrasco, o homem que por um simpes 0,2 deixava alunos em recuperação. Ninguém diria que aquele ser tinha 27 anos, o rosto era jovial e seu corpo malhado, mesmo sendo um demônio, o ruivinho não poderia mentir, o Jeon era bonito.

— Fico feliz que tenha gostado senhor – disse sarcástico e viu o Jeon franzir o senho.

Logo o mais novo dali vestiu o fardamento da escola, mas esse não percebeu o olhar de certo alguém sobre seu corpo, Jungkook observava de forma sedenta as coxas do menor, eram delineadas e portavam leves músculos, ótimas para morder e marcar, o moreno acabou balançando a cabeça em um tentativa de se livras desses pensamentos.

— Eu não tenho o dia todo criança – falou sério – mas se prefere sair do time, que assim seja – sorriu e se virou, rumando para a saída do vestuário.

O Jung suspirou pesado e olhou para NamJoon, que sorria como se dissesse " a escolha é sua", um tanto chateado e com um bico nos lábios foi até o professor de matemática e segurou no pulso alheio, aquilo fez Jungkook parar de andar e se virar, quis rir ao fitar a face emburrada do ruivinho, era extremamente fofo. Em sala de aula o garoto que chamava atenção por ser do time e ter fios vermelhos, tinha um mau comportamento e não fazia exatamente nada em suas aulas, a não ser dormir, isso levava o moreno a querer o matar.

— Eu só tenho tempo livre a noite, pela tarde trabalho ou treino na escola – sussurrou o ruivinho e soltou o pulso do maior.

— Tudo bem, só me passe o endereço de sua casa e não precisa me pagar, o NamJoon já vai fazer isso – colocou as mãos nos bolsos da calça social e escutou o endereço dito pelo mais novo – vamos começar hoje mesmo – disse e seguiu seu caminho.

HoSeok bufou e bateu o pé no chão como uma criança birrenta, voltou ao vestuário e pegou suas coisas para logo sair da escola sem fazer questão de se despedir de Namjoon, mesmo que não estivesse com raiva do treinador, apenas um pouquinho magoado. O garoto caminhava em passos lentos para seu emprego, não ficava longe dali, em poucos minutos chega ao mercadinho e logo ocupa o caixa.

[….]

O ruivinho abre a porta de casa e acende as luzes, como sempre não havia ninguém ali, seus pais faleceram a anos atrás em um acidente de carro e seus avós moravam no interior, por isso optou por morar na casa que seus progenitores o deixaram, cuja se localizava em Busan. Subiu para seu quarto e jogou a mochila em um canto qualquer, depois se pôs a retirar suas roupas enquanto seguia para o banheiro, adentrou o box e tomou uma ducha demorada, precisava relaxar seus músculos.

Desligou o registro e suspirou pesado, mas com um leve sorriso já que seu corpo estava leve, se enxugou e voltou ao quarto, escolheu vestir apenas uma camisa branca longa que batia na metade de suas coxas e uma boxer preta, logo se pôs a descer as escadas correndo, estava realmente com fome. Porém foi impedido de realizar seu desejo ao ouvir a campainha tocar, bufou e foi atender, acabou mordendo o inferior ao ver Jeon Jungkook ali, o maior vestia uma calça de couro preta colada, cuja marcava suas coxas grossas, seu tronco era coberto por uma camisa social branca com botões abertos e calçava um coturno.

Porque ele tem que ser tão gostoso ?

— Posso entrar ou você quer tirar uma foto antes ? – o moreno sorriu e lambeu os lábios, era uma tentação ver o corpo do menor tão a mostra e novamente naquele dia o Jeon se culpou, afinal seu marido estava no Canadá a trabalho e ele ali quase comendo um adolescente com os olhos.

— Desculpe – sussurrou baixo e deu espaço para o mais velho, que logo se acomodou sentado no chão de frente para uma mesinha.

HoSeok fez bico e se sentou ao lado do professor, acabou levando as mãos a barriga, é não seria agora que poderia comer. Observou o Jeon por várias listas sobre a mesa e logo os exercícios começaram, o moreno explicava tudo que o pequeno não entendia e tentava não xingar quando o garoto errava questões básicas, ele era realmente péssimo em exatas.

Duas horas haviam se passado e eles continuavam na primeira lista, HoSeok suspirava com a cabeça deitada na mesinha e Jungkook massageava a testa.

— Posso ir comer ? – o ruivinho pedia baixinho, sua cabeça doía de tanto refazer cálculos.

— Não até terminar essa lista – Jeon disse sério.

O mais novo fechou os olhos e levou uma das mãos até a calça do maior, apertou o tecido e choramigou baixinho, Jungkook olhou para o pequeno e viu os cílios molhadinhos de lágrimas, aquilo o fez se sentir mal.

— Estou com fominha Kookie-ah – disse manhoso.

E ali estava o verdadeiro HoSeok , um adolescente manhoso e necessitado de carinho, todos seus amigos íntimos conheciam sua verdadeira personalidade, o Jung era um garoto doce e amigável, sempre sorridente, mas na escola ele virava um ser frio e desleixado, apenas para não ser vítima de preconceito, como no fundamental.

Jungkook sorriu e um tanto relutante levou a mão até aos fios vermelhos do garoto acariciando, o menor fez mais pressão em sua coxa e quase ronronou, precisava tanto daquele carinho, afinal seu dia havia sido cansativo e uma senhora brigou consigo quando exercia seu trabalho.

– Mais professor – pediu baixinho, suas bochechas coraram, com toda certeza o Jeon estava achando-o estranho, mas o homem apenas pensava o quanto queria morder aquelas bochechinhas avantajadas.

O que aquele garoto tinha de tão mágico para o deixar assim? Poxa, não era nem assim com Jimin.

— Tão manhoso – a voz do mais velho sairá rouca, estava se segurado para não olhar novamente para as coxas do pequeno, estavam tão a mosta.

Estou virando um pervertido, pensou o moreno.

— Não sou – fez um bico e fitou o Jeon, logo arrumou a postura e aproximou seu rosto do alheio, vendo-o virar para o lado, sorriu e beijou a bochecha de Jungkook.

— Te deixo desconfortável professor ? – continuou.

— Não – o moreno suspirou ao sentir a respiração de HoSeok na pele de sua bochecha.

— Então faz carinho Kookie-ah – pediu e se sentou no colo do mais velho, deitando a cabeça no peitoral alheio – quentinho – sussurrou abraçando o corpo alheio.

Jeon olhou aquela cena e mordeu os lábios, mas logo voltou a acariciar os fios do menor, enquanto sentia HoSeok brincar com seus botões. Deslizou uma das mãos pelas costas do ruivinho e esse se mexeu desconfortável, ele era inocente ou fingia? Jungkook se perguntava.

— Você não estava com fome, moleque ? – viu o outro assentir e lhe olhar com os olhinhos brilhando, acabou sorrindo, HoSeok tinha uma alma infantil.

— Faz comida hyung – pediu e passou o polegar em um dos botões.

— Nem te conheço e tenho que ir para casa – acabou pousando a mão na cintura do garoto, o impedindo de se mexer em seu colo.

— O Hobi tá cansado – sussurrou choroso – por favor Kookie-ah.

E foi naquela noite que Jeon Jungkook descobriu sua fraqueza, afinal nunca seria capaz de resistir a um HoSeok choroso o chamando de Kookie-ah.

O moreno retirou o ruivinho do colo e levantou-se, ajudando o garoto a fazer o mesmo, segiu o menor até a cozinha e observou o quanto os armários eram altos para a estrutura baixa de HoSeok, viu o mais novo fazer um biquinho manhoso e pegar um pequeno banco, em seguida subiu no mesmo e logo tratou de pegar os ingredientes e panelas para que o professor cozinhasse para sí. Jeon viu o mais novo se desequilibrar e logo tratou de correr, segurando forte na cintura do garoto, o impedindo de cair, suspirou pesado e tirou ele dali, mas não fez questão de soltar o corpo alheio, não queria, o pequeno parecia tão frágil, tinha medo dele quebrar.

— Kookie-ah – o ruivinho chamou risonho, era quentinho o abraço do maior, tombou a cabeça para trás e pode ver um pouco da face do moreno – estou bem, okay ? – sorriu e viu Jungkook negar.

O moreno selou a testa do garoto e apertou ainda mais contra seu corpo.

— Não faça isso de novo, pode se machucar – disse sério – não quero o ver machucado Seokie.

O ruivinho sorri e vira-se, podendo abraçar o maior e inalar um pouco do cheiro alheio, era bom e fazia o garoto se sentir calmo. O dedos do moreno passaram a acariciar os fios ruivos do mais novo, era realmente curioso um garoto daquela idade ter cabelo daquela cor em uma escola tão rigorosa, isso sempre chamou atenção do Jeon.

— Porque você tá cheirando, hum ? – HoSeok perguntou inflando as bochechas, Jungkook apenas riu e beijou os cabelos do garoto.

— Porque tem cheiro de morango e é bom – sorriu e observou o rosto do garoto se aproximar do seu, o coração do mais velho batia rápido e isso o fazia xingar a sí próprio, mas sorriu bobo ao os lábios do ruivinho tocaram sua bochecha, como seria o gosto deles?

— O Hobi ainda está com fome – disse tombando a cabeça para o lado.

— Certo, vou fazer algo para ti, pequena criança – o moreno soltou o garoto e viu os ingredientes que o garoto havia posto na mesa, acabou sorrindo – já vou dizer que não sei fazer o melhor Bibimbap, mas é comestível.

Após isso o mais velho passou a cozinhar, enquanto o ruivinho estava sentado na bancada de marmore ouvindo uma música qualquer, Jeon as vezes olhava para o garoto e culpava seu coração bobo por bater tão rápido ao apenas o garoto sorrir para sí. Céus o que está acontecendo comigo?

Depois de algum tempo terminou a refeição e colocou na tigela de pedra vulcânica, logo sentou a mesa e chamou o mais novo, que o olhou curioso, mas ao fitar a comida as orbes alheias brilharam e rapidamente ele se sentou ao lado de Jungkook, pegando o hashi e provando daquela refeição, um sorriso se fez presente em seus lábios e passou a encarar o moreno que se servia calmamente, afinal também estava com fome.

— Parece com o da mamãe, ela era estrangeira então sempre fazia as comidas tipicas de um jeito diferente, mas sempre ficava ainda melhor – sorriu e fez um leve bico ao ter seus fios bagunçados pelo mais velho.

— Então é por isso que tudo aqui é mais alto que em casas normais? – perguntou e  voltou a comer.

— Meus pais eram altos, mas eu não tive essa sorte, acabei puxando esse lado da vovó e só o meu cabelo e rosto que realmente são parecidos com os dos meus pais – disse calma, já não era mais doloroso falar dos seus progenitores, pelo menos era isso que o garoto queria demonstrar.

— Você é realmente ruivo ? – perguntou incrédulo.

— Sim, mas não esse vermelho escuro, meu cabelo é ainda mais claro, aí mudei um pouco apenas por estar entediado – riu baixinho da reação do professor, era normal agirem assim, afinal era mínima a chance de um coreano ruivo – daqui a alguns meses vai desbotar então você poderá ver a cor verdadeira.

— Mas isso é quase impossível, mesmo que um dos seus pais – foi interrompido por HoSeok levar um pedaço de carne a seus lábios.

— Eu sei, talvez eu seja apenas um erro genético, mas gosto disso, afinal sempre que olho 'pro meu cabelo, lembro da mamãe e de como o meu pai a irritava dizendo que seus fios realmente combinavam com a personalidade forte – ao falar os olhos do garoto se encheram de lágrimas, mas não deixou nenhuma cair.

— Porque você está mexendo tanto comigo, pirralho? – pegou no queixo do garoto e beijou a testa do mesmo – não precisa se segurar e nem ser forte quando estiver comigo.

E foi apenas preciso essas palavras para o ruivinho chorar, lágrimas gordinhas escorriam pelas bochechas fartas, molhando a camisa do professor cujo estava abraçando, há anos segura aquele choro, afinal tinha que ser forte, não queria dar trabalho a sua vó, mas Jungkook estava destruindo cada uma das suas barreiras e o deixando totalmente a mostra, não havia mais o garoto arrogante da escola, ali estava o verdadeiro Jung HoSeok, um pequeno garoto que tinha medos e dores, mas acima de tudo sorria, pois era o lema da sua família.

— Não me trate tão bem, por favor – sussurrou enquanto fungava, seu rosto estava escondido na curvatura do pescoço do mais velho.

— Não tem como, você já é meu pequeno – Jeon disse calmo, seus dedos acariciavam os fios do mais novo.

HoSeok ouvia os batimentos desregulados do moreno e isso o fez sorrir em meios as lágrimas.

— Apenas não quero me apaixonar – sussurrou para sí mesmo e infelizmente Jungkook não pode escutar.

Após se acalmar, voltaram a comer e ao ver que estava muito tarde Jungkook teve que ir embora e naquela noite, depois de anos o moreno corou, ao deixá-lo na porta o ruivinho lhe roubou um selinho e aquilo o deixou tão bobo que suas bochechas estavam da mesma cor do cabelo alheio, o pequeno apenas riu observando os passos incertos do mais velho até o carro.

E foi naquele momento que o Jeon percebeu que seu interesse no garoto não era de agora, o observava em todas as aulas e seu coração batia forte ao ver o garoto sorrir para os amigos, não negava a pontada de ciúmes, pois queria que HoSeok sorrisse assim para sí também, mesmo que antes negasse aquilo, agora não fazia questão de deixar seus sentimentos as escondidas, talvez realmente estivesse apaixonado pelo mais novo e se sentia tão errado….afinal era casado.


Notas Finais


Postarei o próximo amanhã, obrigado a todos que chegaram aqui e beijos.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...