1. Spirit Fanfics >
  2. Egoísmo >
  3. D'-A-n-s-k-a

História Egoísmo - Capítulo 2


Escrita por: Malu_Marques_Nosense

Capítulo 2 - D'-A-n-s-k-a


Fanfic / Fanfiction Egoísmo - Capítulo 2 - D'-A-n-s-k-a

Egoísmo - Capitulo 2


  E pela primeira vez eu vi ele sorrindo de verdade.


  - Não, meu nome é D'Anska. - Ele falou devagar.


  - Como ?


  - É Dani - Had disse rindo antes do menino terminar de falar.


  - Não perai, deixa ele falar, eu não entendi.


  - D'-A-n-s-k-a.- Ele gesticulava com as mãos e falava pausadamente.


  - Que nome diferente.


 

  Aquele garoto era estranhamente chamativo, eu não sei, suas calças rasgadas , camiseta de banda, e um cigarro na mão, o tipo de pessoa que você olha e quer saber mais sobre, o tipo de pessoa que parece que tem quinhentos problemas por traz de tudo aquilo.

 A forma como ele falava era simpática demais, era gentil demais, eu não sabia se era por interesse ou se ele realmente era bom, mas isso era chamativo nele, como ele era educado com todo mundo.


  Depois de um tempo, Tony, Had e eu sentamos na mesa que havia ali no meio, começamos a beber e conversar, quando Had saiu, eu resolvi comentar com o Tony.


 - Você vê como ele tá agora ? - Olhei para o Had, o que fez o Tony olhar também .


  - É, mas a gente não pode fazer nada, ele escolheu isso.


  Sabe, no fundo eu sabia que um grande impulso pro Had começar a beber tanto e ir atrás de qualquer outra droga era o que aconteceu entre a gente, eu fui a primeira pessoa por quem ele se apaixonou, e depois, fiz o que fiz, estraguei tudo. E essa provavelmente é uma culpa que vou carregar comigo por muito tempo. Por que antes de ser meu namorado, ele era meu amigo, e dói ver uma amigo assim, nesse situação, não conseguindo ficar um segundo sóbrio.


  Não que eu tenha carta branca pra falar disso, também bebo bastante, mas isso não tem haver com ninguém, tem haver com os meus problemas e o fato de eu ignorar eles.


  A noite passava rápido, já era quase dez horas e já havia muita gente por ali, a música alta, o cheiro de cigarro, e aquela bebida queimando a minha garganta, mas nada naquele meio me tirava mais a atenção do que aquele garoto que me encarava sem parar, o menino de cabelo cacheado, que não parava de fumar, e céus! Como ele ficava sexy fumando.

  Ele estava sentando em um banco, em uma mão um copo com alguma bebida alcolica, e na outra um cigarro, mesmo com os óculos eu conseguia ver seu olhar cerrado me olhando, não sabia se era efeito das bebidas ou se era isso mesmo, e toda vez que ele me olhava eu tentava me destrair e fazer outra coisa.

  

Fala sério, eu não tô a fim de entrar numa dessas de novo.


Mas, era impossível, quando o álcool entra nas suas veias você já não sabe mais se controlar, e o impulso é maior, eu retribuia o olhar de tempos em tempos, e nós fazíamos aquilo como se fosse um segredo, um flerte silencioso que ninguém estava vendo, mas a gente sim. Eu adorava o jogo que ele jogava.

  Ficava mais calor cada vez que ele passava a mão nos seus cabelos e virava o rosto pra minha direção.

  O que tava acontecendo ??? 



  - Oi - Had chegou me abraçando por trás.


  - Eai, tá loucão já né?


  - Talvez um pouquito. - disse sentando na minha frente e cobrindo a visão do garoto na minha frente. - Eai, por que tá aqui sozinha ?


  - Sei lá, só bebendo e ficando na minha. - Abaixei a cabeça e dei risada. - a música tá ruim.


   E rápido ele pegou o celular, desbloqueou e me deu pra colocar música, aí como eu adorava quando ele fazia isso.


  - Eu vou ali com o Tony e já voltou.


  -Ok.


 Enquanto eu passava o meu dedo pelo celular tentando escolher uma música, uma voz surgiu atrás de mim.


  - Posso colocar uma música ? 


 Aí caralho, era ele. Porra, por que você não ficou quietinho lá onde você estava?????


  - Depende, qual ? - Perguntei o fitando.


  - Daqui, você vai gostar.


  D'Anska pegou o celular da minha mão, consegui ver ele digitando "These Boots Are Made For Walking", música essa que eu nunca tinha ouvido, até ele colocar.


  - Pronto, toma - Me deu o celular e subitamente tocou na minha mão.


  A música era animada demais, mas ele parecia ter gostado, e quando chegou no refrão eu pensei "hm, já ouvi essa música" 

  

  Tava tudo bem, até eu perceber que aquela já era a terceira vez que a música tocava e quando eu percebi olhei pra ele e ele riu como um criminoso que acaba de ser descoberto.


 Filho da mãe, ele era fofo rindo.




(....)



  Depois de um tempo eu percebi quem era Natan , e quem era D'Anska, eu podia jurar que eram a mesma pessoa, os rostos eram extremamente semelhantes, mas a personalidade completamente diferente.

  

 Mas quem é o Natan afinal não é mesmo? Natan é um garoto que eu conheci no terminal rodoviário, com alguns outros amigos depois de um evento de anime.

  E D'Anska é o cara que mistura doce com álcool e usa óculos de sol a noite. Nunca mais vou confundir.


Eu me sentia bem quando conhecia pessoas novas, mas sempre sentia que o Had era uma âncora no meu pé, como se eu estivesse presa a ele, e dessa forma eu nunca iria ser 100% livre.

  Eu achava pessoas atraente e me sentia mal, eu queria ficar com outras pessoas e me sentia mal, isso não era a vida que eu planejei.

  E nem precisou de muitos esforços, pois Had já fez o que eu queria fazer.


 Pra ele eu era uma pessoa muito tóxica, que não ligava para os outros e não tinha empatia, e sinceramente ? Eu não tiro a razão dele, eu sou ruim mesmo, e o que importa? Não devo nada a ninguém, não preciso agradar ninguém.

  Sendo assim, ele se afastou, e do dia pra noite ele resolveu que não queria mais olhar na minha cara, sempre tão dramático, chegava nós lugares e não me olhava, não falava e fingia que eu não estava. Era essa falta de maturidade que me deixava cansada.


 Com tudo isso, eu acabei perdendo um amigo...

  

Consequências de ser você mesmo, uns gostam, outros não.



  (....)



  Em algumas outras noites eu acabei pegando o número do D'Anska, e descobrindo que na verdade o nome dele é Daniel, D'Anska era como ele gostava de ser chamado, foi difícil me acostumar, e quando eu fui adicionar seu número, tive que dar meu celular pra ele escrever, a porra do nome dele tem uma apóstrofe, eu nem sabia o que era isso!!!

  Mas de qualquer forma, ele não parecia ser tão chato, apesar de ser meio fechado e não falar muito pelo celular, eu tentava falar, sobre qualquer coisa. 

  Por que obviamente quando você conhece alguém que aparenta ser quieto, misterioso e cheio de segredos você quer saber mais sobre.

  E até onde isso ia me levar ? Até onde eu iria conhecê-lo ? A ansiedade de saber quem era D'Anska me deixava inquieta.

 

  E por mais que eu quisesse esquecer, toda noite, antes de dormir eu lembrava dos olhos dele, como ele me encarava, de um jeito que ninguém nunca olhou...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...