História Ei Cara, Não Fica Rosa! - Kaisoo - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias B.A.P, Bangtan Boys (BTS), EXID, EXO, G-Dragon, Red Velvet
Personagens Baekhyun, Bang Yongguk, Chanyeol, Chen, D.O, Daehyun, G-Dragon, Hani, Himchan, Hyerin, Irene, Jeon Jungkook (Jungkook), Jongup, Joy, Jung Hoseok (J-Hope), Junghwa, Kai, Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Kris Wu, Lay, LE, Lu Han, Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais, Sehun, Seulgi, Solji, Suho, Tao, Wendy, Xiumin, Yeri, Youngjae, Zelo
Tags Chanbaek, Doces, Jikook, Kaisoo, Magia, Sope, Unicornios
Visualizações 85
Palavras 860
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Ficção Adolescente, Fluffy, Lemon, LGBT, Literatura Feminina, Magia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Cross-dresser, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Nem tô crendo, eu escrevendo uma fanfic. Para deixar bem claro eu não tenho nenhuma experiência no assunto, sou apenas uma jovem leitora Kaisoo.
Mas, sinceramente estou orgulhosa do resultado. (Estou escrevendo isso no final da escrita).
Espero que também a amem. :)

Capítulo 1 - Prólogo - Como Tudo Começou?



 Ei Cara, Não Fica Rosa!


Do Kyungsoo.

Esse cara, era um cara mesmo? 

Desde pequeno, senhora Do já suspeitava dos gostos pessoais do garoto. Ele constantemente colocava a mão na sua cintura e colocava a cabeça ao lado, em uma pose de deboche. Sempre falava "Oppa" com os garotos mais velhos, mesmo que sua mãe chorasse para o garoto que era "Hyung". Nem se fala quando ele foi para a casa de sua prima, quando voltou para casa, com apenas 5 aninhos apenas saia de casa com um batom em sua boca e sem olhar pelo menos duas vezes no espelho.

Mas, a senhora Do apenas concordou que seu filho não era tão garoto assim, quando ela o flagrou com suas roupas e uma peruca -Saiba lá de onde ele tirou essa peruca- .

Aos quinze aninhos de Kyung, ele teve um enorme "romance" com o vizinho-da-casa-da-frente. Seu vizinho todo dia ia para a varanda de sua casa e lá ficava pintando imagens de seu celular, poderia ser algo simples, mas Kyung o via como o próprio . . . Picasso. E quando viu o vizinho-da-casa-da-frente com uma garota, em troca de carícias, suas bochechas ficaram tão rosas, que suas sardas ficaram simplesmente invisíveis. Provavelmente estava com vergonha de ter realmente gostado de um desconhecido,  ou por ter acreditado que o tal 'crush' dele era gay apenas por desenhar corações em si e usar rosa todas as quartas.

Saindo do passado do Do, vamos ao presente. Presente esse que é está na sala de aula enquanto anotava oque era escrito na lousa. Kyungsoo estudava simplesmente o dia todo, mas a vantagem era que os recreios eram de uma hora - Fora o almoço, que era duas. - e esse tempo era ótimo para relaxar nos jardins da escola, os maravilhosos jardins. Kyungsoo só estudava ali pelas tulipas que eram espalhadas pelo local que se tornava o paraíso na primavera.

A Matéria estudada agora era linguagens, Kyungsoo era ótimo na matéria. A professora o olhava como seu próprio orgulho, ou motivação, ela acreditava que dava aulas horríveis e que os alunos não eram capazes de entender por sua culpa. Já para os alunos, isso era o terror. Eles tinham medo que o pequeno fossem até eles e os xingassem em 8 línguas diferentes, e ainda ficassem com cara de idiotas.

Exato. Kyungsoo era o terror maldoso da escola.

O problema era que ele não sabia o por que.

Ele mesmo já ouviu boatos quando entrou na biblioteca que era seu capuz. Que o capuz escondia uma cicatriz em sua face de um grupo criminoso. Quando ouviu isso no mesmo instante ele colocou o casaco no porão  (da sm) de seu guarda-roupa. 

Mas não era aquilo. Ainda sentiam medo dele.

Sentiam medo do cara que nem era tão cara assim. Oque era completamente sem sentido. Todos os familiares de Kyungsoo o viam como adorável, ele o via como alguém totalmente adorável.

Mal ele sabia, que essa fama de mau despertava outros interesses, tipo os do JongIn. O garoto moreno que se sentava na frente e sempre sorria a todos. Ele simplesmente não aceitava que era possível existir alguém tão das trevas como aquele baixinho olhudo. Mas mal o senhor-pele-do-pecado sabia que no tempo livre em sua casa, Soo dançava pelado em frente ao seu espelho os maiores hinos gays existentes. Não era legal se imaginar.

E para saber o motivo do coração frio de Kyungsoo, o moreno já tinha armado um plano.


 QDT - - - <(`^´)> Almoço ; JongIn Its On.

O Kim se agradecia mentalmente por ter assistido aquelas séries de espião com suas irmã mais nova, elas concerteza irão ajudar ele nesse momento. Ele já sabia que o baixinho - que provavelmente tinhas uns 1,65 - Não costumava a comer e que sempre corria ao jardim nesse horário. E como sabia disso? O colégio tinha ordem de fila para comer, e Kyungsoo nunca estava na fila, pelo contrário, apenas ia lá para conversar com a moça da limpeza e saia segurando as alças de sua mochila, de vez em quando olhando de um lado para o outro com nariz empinado.

Agora, saber em lugar exato do jardim era complicado, então decidiu seguir o baixinho na maior cara de pau mesmo. Claro que o que estava na frente percebia, até acelerou o passo, porém, Jongin tinha pernas maiores, oque o deixava em desvantagem. Eles giraram quase a escola toda nesse vai e vem repetitivo (🌚) até o menor ter coragem de se virar para trás -tal ato que assustou o outro- e analisar JongIn de cima abaixo.

Ambos ficaram se encarando, Kyung deu um passo para frente e encarou ainda mais o moreno que apenas deu um passo para trás e soltou um sorriso estendendo a mão suada de um provável nervosismo

-Olá! Eu Sou... Kim JongIn. - Assim que este percebeu que o Do não iria lhe ceder sua mão, fez uma referência em um sinal de respeito. -Seu novo . . . Amigo? -Perguntou apreensivo.

-Do Kyungsoo, e não. -Disse e deu um tapa na cabeça do garoto que estava curvado. Um tapa leve, apenas para que o garoto não ficasse daquele modo. Era como se Do fosse importante. 


É, quem sabe o senhor-cor-do-pecado consegue.

    


Notas Finais


AAAAH
Kaisoo me mata até quando eu estou escrevendo!
Otp da nação sim ou claro?
Esperem pelo próximo! :3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...