História Ei, Falcões! - Capítulo 5


Escrita por:


Notas do Autor


Mais um capítulo de Ei, Falcões para vcs e espero que gostem 😁 uma ótima leitura para todos

Capítulo 5 - O Novo Antigo Ato


Fanfic / Fanfiction Ei, Falcões! - Capítulo 5 - O Novo Antigo Ato

Ester não sabe o que fazer ou como reagir. Poliana conseguiu colocá-la contra a parede. Não pode falar sobre o Otto com Poliana, muito menos lhe revelar o que ela quer saber.

– Estou esperando uma resposta! (Poliana cruza os braços)

Ester expira.

– Muito bem Poliana. Guarde todas essas questões para a tia Luísa. Ela saberá como te responder.

– Mas você sabe…

Olhando firme para Poliana, Ester não diz nada. Mas seu olhar é suficiente para fazer a menina desistir de fazer mais alguma pergunta.

– Pergunte tudo para a tia Luísa mais tarde!

Missão cumprida para Ester! Ela sabe que fez o que deveria ter feito. Não quebrou a confiança da tia, o mais importante. Deixando Poliana imersa em pensamentos e dúvidas, Ester sai do quarto.

Na Onze, Pendleton resolve os assuntos que lhe cabem, quando um homem muito bem-vestido e com uma mala de couro chega até sua sala.

– Otto? (Ele diz entrando)

Pendleton olha-o surpreso. Realmente aquela visita não era esperada.

– Marcelo…?!

– Bom dia. Como vai?

Apertam as mãos. Pendleton sorri.

– O que o traz aqui?

Sentam-se em duas grandes e muito confortáveis poltronas.

– Não pretendo tomar o seu tempo, vou ser direto. Vim aqui como representante da Universal Technology para, mais uma vez, mostrar nosso interesse na Onze.

– Prossiga por favor… (Otto faz uma cara bastante desanimada)

– Na proposta anterior, gostaríamos de 40% da empresa. Como fomos prontamente refutados, então conversamos e decidimos diminuir a posse. 30% é o que queremos agora, e estamos dispostos a pagar muito bem por isso.

– Olha Marcelo, eu agradeço o interesse da Universal Technology na Onze… isso de certa forma me deixa bastante feliz, porque eu vejo o crescimento da minha empresa e o reconhecimento que ela está tendo no mercado internacional… mas como da outra vez eu recuso!

Marcelo não se mostra convencido.

– Otto, você é um grande líder e um gênio na área tecnológica. Com a grande visão empreendedora que você possui, não consigo achar razões lógicas para a sua recusa.

– Minhas razões são claras! Não quero desmerecer a Universal Technology, pelo contrário, tenho uma grande admiração por esta que é uma das maiores empresas tecnológicas do mundo e modelo para muitas empresas em crescimento. Mas eu sou um homem que gosta de fazer as coisas do meu jeito e a Onze está muito bem sob o meu comando.

– Longe de mim questionar sua capacidade de liderança, a Onze é prova disto… mas acredito que esse negócio seria de grande benefício para ambas as empresas.

– Você vai me desculpar, mas eu discordo. A Onze têm crescido muito e logo, espero, passaremos a Universal Technology em valores de mercado e seremos a maior empresa do mundo.

Pendleton fica um tanto irritado quando vê Marcelo dar uma leve risada, como um desdém.

– A Universal Technology detêm muito de muitas empresas ao redor do mundo. Nosso valor só aumenta a cada dia. Conhecendo o mercado como você conhece, tenho certeza que sabe tudo isso…

– De fato!

– Inclusive que a Onze só poderia, um dia, ultrapassar nossa empresa sob duas circunstâncias: ou um colapso que nos levasse à falência, que as chances são quase nulas, ou se a Onze supervalorizasse de uma maneira incrível e a nossa empresa apresentasse crise.

– Você que trabalha na área de negócios não deveria limitar nossa ascensão a apenas duas alternativas. (Agora Pendleton sorri) Isso é ridículo!

– Sou realista! A verdade é esta.

Pendleton se levanta.

– Eu mais uma vez agradeço o interesse, mas mantenho minha resposta. A Onze está muito bem como está e não tenho interesse na venda da minha empresa.

Marcelo também põe-se de pé.

– Está cometendo um erro Otto. Pense bem, por favor e reconsidere.

– Não há o que pensar! Minha decisão está tomada.

Ele vai até a porta e abre-a.

– Agora se me dá licença, tenho muitos assuntos para resolver.

Marcelo então vai embora, bastante insatisfeito. Fechando a porta, Otto senta-se novamente na poltrona.

– Ah Marcelo… acho que não tem jeito, vou ter me reportar ao presidente.

Ele olha na sua mesa para o retrato de uma mulher e uma criança.

– Como eu sinto sua falta Alice, e da nossa filha…

Alice dorme, depois de muita insistência de Ana e após tomar os remédios. A garota senta em um pequeno banco ao lado da mãe e põe as mãos na cabeça. Tudo o que acabara de ouvir gritam na sua mente segundo após segundo. Não sabe muito bem o que pensar ou o que fazer. Toda sua vida acreditara que havia nascido naquele lugar árido e que ela e sua mãe estavam sozinhas. Que seu pai havia morrido. Nem passara pela sua cabeça que pudesse ter irmãos ou irmãs. O que martela mais alto é quem fez isso e porquê. Por que as tiraram do Brasil? Quem fez isso? Sem nem saber quem o fez, um sentimento de raiva surge nela. Ana agora concentra seus pensamentos na pessoa que fez tudo isso. Ela deve pagar!

Marcelo chega até sua casa e bufa. Uma menina desce das escadas.

– O que houve tio?

– Mais uma recusa do Otto.

Ela torce a boca.

– Preciso fazer alguma coisa Filipa. O Boss me deu essa missão e um prazo, preciso cumpri-lo.

– Pensei que essa seria mais uma para você. Sempre foi muito fácil…

– Sim. Porque a maioria dos líderes das empresas é inseguro e muitas vezes as empresas então caindo no buraco. Mas não o Otto… não a Onze…

– O que você pretende? Já é a segunda vez que ele recusa.

– Vou falar com o Boss… explicar a situação.

– Ele vai compreender? O Boss não faz esse tipo…

– A culpa não é minha se o Otto é um excelente líder e a Onze está no topo. E ele vai compreender sim, porque estou fazendo o que posso.

Marcelo respira e senta-se na cadeira mais próxima.

– Como vai você e o João?

– Estamos bem. Ele, além de lindo é muito amigável. Não foi difícil desenvolver uma amizade.

– Ótimo! Preciso que você fale mais com ele sobre o Otto e a Onze. Descubra o que podemos fazer para o Otto vender parte da empresa.

– Estou tentando. Mas ele não se interessa muito sobre isso…

– Insista. Seja persistente. Mostre-se interessada no assunto…

– Aí é onde as coisas dificultam…

– Eu sei. Mas precisamos disso.

– Entendo tio. Mas também ele não passa tanto tempo comigo… ele é muito amigo da filha da Luísa.

– Sério? (Marcelo arregala os olhos)

– Sim. Eles são tipo, melhores amigos.

– Se bem conheço a Luísa, ela deve ter surtado ao descobrir que o melhor amigo da filha dela é filho do Otto. Ela já sabe?

– Não sei, acho que não. Eles nunca falaram sobre seus pais… pelo menos não que eu tenha ouvido.

– Mesmo assim, invista ainda mais na amizade com ele.

– Farei isso! (Ela sorri)


Notas Finais


E ai, o que estão achando da história? Pf não me deixem no vácuo, qualé hahaha deixa teu comentário aqui embaixo, deixa eu saber se estais gostando ou não. Um abraço e até o próximo capítulo se Deus quiser

Novos Capítulos
Segunda 9h
Quarta 15h
Sexta 18h


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...