1. Spirit Fanfics >
  2. El Mariachi >
  3. Amigos

História El Mariachi - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


Oi tudo mundo!! 😊😊
Capítulo novo, espero que gostem!! 😘😘
Boa leitura 🌺🌺

Capítulo 2 - Amigos


Fanfic / Fanfiction El Mariachi - Capítulo 2 - Amigos

Zabdiel rolou pela cama, tinha voltado para o interior, pois não havia mais nada que o prendia na capital. Sua mãe tinha falecido pouco depois dele ter ficado maior de idade e ele e sua ex namorada Any tinham terminado um tempo depois quando ele decidiu que voltaria para sua cidade natal. Ele levantou da cama indo para o lado de fora da casa, no galinheiro o galo cantava anunciando que já era seis horas ou alguma coisa perto daquilo. Zabdiel sentou no velho banco de madeira que ele e o pai tinham construído quando ele era criança e acendeu um cigarro, talvez teria que parar com aquilo agora que estava com a avó já que ela não gostava do cheiro.

_Já está acordado? _A senhora falou da porta ainda de camisola. _Vou fazer café você quer? Para com esse cigarro fedorento.

Ele riu, sabia que ela o xingaria por causa daquilo. Zabdiel apagou o cigarro na perna do banco indo até onde a mulher estava.

_Pode descansar que eu faço o café pra gente! _Ele falou dando um beijo na cabeça dela. No fim os dois eram a única família que tinham.


Cida deu uma golada no café que o neto havia feito. Ele a olhava curioso, nunca tinha preparado café pra qualquer outra pessoa ainda mais para alguém da família.

_Até que aprendeu algumas coisas lá na cidade! _Ela riu acariciando o rosto dele. _Passou a noite bem? Vou colocar os cobertores no sol pra perder o cheiro de guardado que eles estão.

Ela falou colocando a canequinha de alumínio na mesa e pegando um pedaço do bolo que tinha sobrado do dia anterior.

_Eu coloco quando voltar! _Zabdiel falou pegando do bolo. _Jimin ficou de me apresentar para o chefe dele estão precisando de um garçom no restaurante.

A mulher fez uma cara feia dando outra golada no café.

_Não gosto daquele português, nem dele nem do Europeu. Só porque tem dinheiro acham que mandam na cidade, não é assim que funciona não! Bando de safado.

_Não se preocupa que não pretendo ficar muito tempo trabalhando pra ele. Deus é pai e vai me ajudar a arrumar uma gravadora aí eu e a senhora vamos pra um lugar melhor.

_Eu vou pra lugar nenhum não! _Ela falou olhando pra ele. _Nasci e vou morrer aqui.

Zabdiel riu olhando para o relógio, já poderia começar a se arrumar para ir até o restaurante. Queria conseguir a vaga para não precisar dar despesas a vó, mesmo que fosse uma vaga arrombada. Depois de se arrumar ele foi até a sala e se despediu da senhora que fazia crochê enquanto a televisão falava sozinha.

O rapaz entrou no seu carro, era o único bem que pertencia a ele, mesmo sendo um veículo antigo e foi para a praça. Jimin estava varrendo a calçada em frente ao restaurante quando Zabdiel chegou.

_Achei que não ia acordar cedo! _Jimin riu. _Vai que ficou mole depois de tantos anos fora.

_Que eu saiba era você que não conseguia levantar da cama! _Zabdiel olhou para o interior do restaurante, toda aquela cidade parecia ter parado no tempo diferente do resto do mundo.

_Vou te apresentar para o Emanuel, ele deve te deixar de teste hoje e se gostar do seu trabalho vai te colocar de garçom.

Os dois entraram no restaurante, as mesas de madeira estavam cobertas por um pano xadrez de branco e vermelho que balançava conforme o vento preguiçoso do ventilador a soprava. Eles foram para o interior do lugar onde ficava o escritório do proprietário.

Jimin voltou para seu trabalho e pouco depois Zabdiel e Emanuel saíram conversando como era domingo o proprietário queria que ele já começasse imediatamente e como ele tinha experiência poderia ficar com a vaga. Zabdiel riu feliz, tinha dado muita sorte agora poderia ajudar a avó enquanto estivesse em sua casa e ter dinheiro para se manter.


O expediente havia começado, Zabdiel olhou para seu avental não era da cor mais bonita do mundo, mas ele estava feliz de não ser branco e vermelho como os panos de mesa. Ele olhou para uma jovem que estava sozinha em uma mesa, talvez ela fosse nova na cidade, pois se lembraria de alguém tão bonita quanto ela dos tempos que tinha vivido na cidade.

_Para de olhar as clientes! _Jimin falou com ele.

_Desculpa! _Ele olhou pro amigo. _É que não lembro de alguém como ela por aqui!

_Claro que não lembra ela é a Sofya filha do europeu. _Jimin falou apoiando a mão no ombro do amigo. _Não é pro nosso bico.

_Só porque o pai dela tem dinheiro não quer dizer que manda na cidade! _Ele falou repetindo as palavras da avó durante a manhã.

_Vai nessa! _Jimin falou afastando para atender uma mesa.

Sofya levantou a mão depois de olhar o cardápio. Zabdiel arrumou a postura indo em direção a mesa era muita sorte ela ter chamado ele, mesmo que só tinha ele e Jimin trabalhando.

_Bom dia! _Ele falou sorrindo.

_Bom dia! _Ela o olhou, lembrava do rosto dele de algum lugar. _Eu te conheço?

_Eu morava aqui quando era criança, deve lembrar de mim e do Jimin com o vilão naquela praça! _Ele falou apontando a caneta para a praça em frente o restante.

_Sim! _Ela falou sorrindo. _É isso mesmo, vocês sempre estavam lá depois das missas de domingo.

_Os Mariachis. _Ele falou apontando pra si mesmo. Ele viu que Jimin o estava encarando. _Já vai fazer seu pedido?

_Claro, vou querer um prato do dia e limonada. _Sofya entregou o cardápio pra ele. _É um prazer te ver novamente...

_Zabdiel! _Ele falou recebendo o cardápio dela. _E você é?

_Sofya!Zabdiel afastou da mesa sorrindo, sorte que a garota era simpática diferente das pessoas daquela cidade que eram totalmente fechadas. Ao menos agora tinham se apresentado e poderiam conversar alguma outra vez.


Notas Finais


Espero que estejam gostando ♥️
Obrigada por ler 🌺🍀✨


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...