História El regalo mas hermoso - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Vis a Vis
Personagens Anabel Villaroch, Estefanía Kabila, Macarena Ferreiro, Personagens Originais, Saray Vargas de Jesús, Soledad Núñez, Teresa González, Zulema Zahir
Tags Amor, Berta Vazquez, Cachinhos, Drama, Lésbica, Macarena, Maggie Civantos, Rizena, Romance, Vis A Vis
Visualizações 8
Palavras 620
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, LGBT, Luta, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Volteeei, capítulo curtinho só pra atiçar mais um pouco

Capítulo 2 - Capítulo 2


Pov Rizos

Já pensaram no quão entediante é aqui dentro ? Eu já não aguento mais, tô contando os dias para sair desse buraco de putas
Não que eu odeie todas, pelo contrário, aqui fiz boas amizades(e inimizades também mas faz parte)
Estou no tédio da minha cela junto com a Sole e a Anabel

- Vocês estão sabendo da nova carcereira? - Anabel e suas fofocas
- Não, mas rezo e imploro a Deus para que ela não seja uma idiota igual o Valbuena - responde Sole
- E eu espero que ela seja uma gostosa - falei rindo
- Cachinhos e suas safadezas - Sole resmungou
- Já eu, espero que ela seja boazinha a ponto de trazer presentinhos para nós - Anabel disse rindo de um jeito escandaloso
- Nada de vender porcarias para a Terê, não esquece o que combinamos - falei prevendo o que ela tramaria caso conseguisse "presentinhos" da carcereira
- Eu sei, e você não esquece que ainda é minha puta por 3 belas e longas semanas - disse com desdém

Anabel e eu tinhamos um trato, ela não venderia nada para a Terê e eu seria uma de suas "escravas" até o momento de me darem a condicional
Quando Sole estava pronta para dar uma bela bronca em Anabel, Valbuena e Fábio entraram

- Essas são putas tranquilas, não vai precisar de muito com elas... - disse Valbuena a uma mulher loira
- Não são putas, são mulheres - disse a mulher loira revirando os olhos

Assim que ela atingiu meu campo de visão, pude ver o quão linda ela era, seu perfume amadeirado preencheu a cela e tenho certeza que se isso fosse desenho animado, corações estariam saltando de meus olhos

- Carcereira nova ? - perguntou Sole
- Soledad, sem perguntas - respondeu Fábio - terão bastante tempo para conhece-la afinal, ela será responsável por esse bloco de celas
- Então se eu tiver problemas ela vai resolver ? - falei mordendo os lábios
- Falei, todas putas - disse Valbuena rindo - fica quieta chocolate, tá no cio ?

Faltou exatos 2 segundos para mim sentar a mão na cara dele, mas pensei em minha condicional e apenas ignorei

- Bom meninas, prazer em conhecer vocês, sou Macarena e como Fábio disse, serei responsável por esse bloco - começou a falar e Deus, a voz dela arrepiou cada pedacinho do meu corpo - Não serei a carcereira boazinha que dá vida fácil para vocês
- Tava bom de mais pra ser verdade - disse Anabel
- mas não serei uma idiota com vocês - ignorou o comentário de Anabel e olhou pra mim - e sim, se precisarem de algo podem e devem me procurar
- Vamos, temos a última cela, Zulema Zahir e Saray Vargas, essas são um problema enorme - falou Fábio levando a loira embora

- O que acharam ? - perguntou Sole
- Talvez se eu mandar minhas putas chuparem ela, ela libere algo - disse Anabel

Nesse exato momento agradeci mentalmente por ser uma das putas.

Entrevista1
- A prisão até que tem seu lado bom- soledad começa- é como uma escola, temos as valentonas, as excluídas, as brincalhonas, e por ai vai. Os carcereiros são como os professores, alguns arrogantes, outros nem tanto. Da pra sobreviver

Entrevista2
- Pra mim a prisão é como um hotel - Antônia falou - você vem, fica um tempo, come, caga, vem para o pátio, pratica esportes. Pra mim ta uma maravilha, a diferença entre o hotel e a prisão é que, o hotel você paga em dinheiro, aqui você paga pelos seus erros e atura uma cambada de puta vendo você mijar e cagar - riu 


Notas Finais


Gente, esse negócio de entrevista é igual acontece na série, no final de cada capítulo cada presa vai falar de um assunto como se tivesse sendo entrevistada


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...