História Ela é o cara - Capítulo 13


Escrita por:

Postado
Categorias Cristiano Ronaldo, Daniel Alves, Gerard Piqué, Gianluigi Buffon, Karim Benzema, Lionel Messi, Luka Modric, Marcelo Vieira, Marco Asensio, Marco Verratti, Marcos "Marquinhos", Neymar, Paulo Dybala, Sergio Ramos, Toni Kroos
Personagens Cristiano Ronaldo, Daniel Alves, Gerard Piqué, Gianluigi Buffon, Karim Benzema, Lionel Messi, Luka Modric, Marcelo Vieira, Marco Asensio, Marco Verratti, Marcos "Marquinhos", Neymar, Paulo Dybala, Personagens Originais, Sergio Ramos, Toni Kroos
Tags Comedia, Cristiano Ronaldo, Daniel Alves, Esporte, Futebol!, Gerard Pique, Lionel Messi, Marco Asensio, Neymar, Paulo Dybala, Real Madrid, Romance, Toni Kroos
Visualizações 74
Palavras 1.346
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Esporte, Hentai, Romance e Novela, Saga, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


+ Esse capítulo era para ter saído muito tempo atrás, mas como eu o escrevi muitas vezes, muitas mesmo, não deu +

- Escutem "Sorry" da Halsey se possível, sei lá, minha experiência escrevendo com essa música foi fantástica, então acho que a leitura também será -

∆ Boa leitura

Capítulo 13 - Eu não sou um mostro


— Isso é INADMISSÍVEL senhora Narváez. INADMISSÍVEL. — Gritou Andrea enquanto eu olhava para ele.

— Eu sei....é que... — Me interrompeu antes mesmo de eu terminar.

— É que nada. Você está demitida. — Ele bate as mãos na mesa.

— Por que isso? Qual é a diferença? — Ele ficou em silêncio, mas logo voltou a berrar.

— Nem tente mudar minha opinião. — Baixei minha cabeça.

[...]

Acho que Juventus não era meu lugar. Nenhuma delas.

[...]

— Eles te demitiram? — Cristiano berrou e eu afastei um pouco o celular para não ficar surda.

— Sim. — Eu estava triste, aflita, eles me demitiram quase no começo da temporada, achar um time agora vai ser difícil. — Não falaram nada contigo? Tipo...não deram-lhe uma punição? — Não seria justo só eu pagar o pato, sei que ele foi respectivamente caro para a Juve, mas.....ah, sei lá.

— Não, nem sabia que tinhas sido demitida, bando de babacas. E agora? Para onde vais? — Olha só, nem eu sei.

— Sei lá, procurar algum time aqui em Turim mesmo, o mais longe que eu posso é algum aqui da Itália, fora daqui não. Não irei passar por uma mudança novamente. — Bati a mão na cabeça pensando em algo, sem sucesso, como sempre.

— Ok, se precisares de alguma coisa, sabes que estou sempre aqui. — Sorri comigo mesma.

— Arrivederci Cristiano. — Falei e desliguei, sem deixar ele se despedir.

[...]

— Ótimo negociar com você, Linda. — Erick sorri para mim assim que eu termino de escrever meu nome do contrato. — Vamos conhecer o CT? — Sorriu mais uma vez e levantou da cadeira indo abrir a porta para mim.

Como eu sempre digo, o destino prega cada peça na gente, e aonde eu vim parar? Isso mesmo, Internazionale de Milano, traduzindo, Inter de Milão.

[...]

— Não sabia que viria para cá. — Sérgio sorria enquanto caminhavamos pelo Angelo Moratti.

— Nem eu sabia. — Parei no meio do caminho.

— O que foi? — Virou-se para mim, tinha uma de suas sombracelhas levantada, como se não entendesse o porquê de eu ter parado.

— Você falou que ele não largaria nada por mim, mas ele largou. Ele largou tudo por mim, TUDO, e você Sérgio? Como eu sei que você não quer me enganar igual fez com muitas por aí? — E ficamos os dois parados ali, olhando um para cara do outro, sem pronunciar nada.

— Eu não tenho o mesmo poder que ele para mover montanhas como ele, mas eu estou tentando o melhor, mas ele que é que é o melhor do mundo, ele que é o fodão, ele que é o perfeito... — Não sei o que me deu, não sei o que vem acontecendo comigo ultimamente, mas eu avancei nele e o beijei, como nunca na minha vida, mal acabei de chegar e talvez já terei que ir.

— Você calado....é um poeta. — Separei-me dele rapidamente.

— É... — Ele parecia surpreso, até eu estava surpresa comigo mesmo. — Eu sei o porquê de ter sido demitida da Juventus. — Voltou a andar e eu o segui.

— Não foi nada demais... — Ele parou do nada e se virou para mim.

— Nada demais? NADA DEMAIS. — Ele deu um grito "baixo" se isso existe. — Olha Linda, eu não sou uma marionete sua que você pode usar quando se cansar e depois sair transando com o Ronaldo. — Ah, ele acha que isso aconteceu?

— Não transei com o Cristiano, Sergio, e mesmo se tivesse, você não tinha nada com isso, ia deixar de me amar por causa disso? — Ele me olho por longos segundos e depois saí andando. — Sérgio! — O chamei mas ele não parou, muito menos me olhou, ah por quê o Sérgio é assim?

— Linda! — Me viro e vejo Marco, meu auxiliar me chamando.

— Que foi ragazzo? — Andei junto com ele.

— O horário do treino, falta só alguns minutos para você ver todo mundo mesmo. — Entramos no CT e fomos para o campo, o time se encontrava.

— Olá pessoal, eu sou Linda Narváez, nova treinadora de vocês. — Dei um sorriso com todos aplaudindo e gritando. Como eu amo a Itália.

[...]

— "Linda Narváez, a maior treinadora de todos os tempos, como uma mulher tão nova conseguiu fazer o que muitos tentaram e nunca conseguiram". — Estava passando por uma sala no CT quando escuto meu nome saindo de uma voz que nunca tinha escutado. Entrei na sala e vi a maioria dos meninos na frente da TV vendo eles falarem sobre mim.

— Estão falando de você. — Mauro falou e eu me sentei no sofá ao lado de Sérgio, que nem olhou na minha cara.

— "Com muitos contratos, idas e vindas, Linda está estabelecida na Internationale no momento. Foi apresentada hoje mesmo pelo time de Milão. Mas o que muitos se perguntam, por quê teria saído da Juventus? — Ah merda, por quê eles sempre querem saber de tudo? — Seria por causa de Cristiano Ronaldo? Em uma entrevista para o nosso jornal ontem, Andrea Agnelli deixou escapar algo que acho que não era, veja as imagens. — O QUE? — "Ah, Cristiano e Linda sempre tiveram uma amizade, desde o Real Madrid eu acho, tão amigos que ela acabou indo para a Inter" — Depois que o "Andrea" falou toda aquela merda, Sérgio saí da sala batendo a porta, eu não podia sair atrás dele, já acabaram de escutar esse babaca do Agnelli, e agora isso? Vai ser muito suspeito.

— É verdade isso? — Vrij que estava escorado no batente da porta pergunta.

— Não interessa. — Falei e saí dali o mais rápido possível.

Fui até o "jardim" que tinha no CT, tinha que esparecer. Minha vida virou de cabeça para baixo por causa de um ato irracional, que não foi nem meu.

— Linda Narváez, a treinadora pegadora. — Escuto a voz de Ramos e do nada ele aparece na minha frente. — Aonde está o seu Deus agora? — Se sentou ao meu lado na grama.

— Ah, vai lá, me zoa com todas as suas forças, como você sempre quis, desde o dia que me viu pela primeira vez. — Falei lembrando daquele momento, quando nos conhecemos, meu relacionamento com Sérgio no Madrid não foi um dos melhores.

— Por que você acha que eu sou assim? Eu não sou um monstro. — Virou-se para mim.

— Porque você me fez pensar assim. Você sempre foi assim comigo, agora que você mudou, mas você sempre foi um babaca comigo. — Virei para frente, o pôr-do-sol estava começando, que clichê, parece que estamos em um filme adolescente.

— Me desculpa, ok? É só que....eu não queria mostrar que gostava de você. — Falou a última parte mais baixo, só para eu colocar.

— Ok, vamos recomeçar...Prazer, eu sou Linda Narváez. — Sorri e estendi minha não para ele.

— Prazer Linda, eu sou Sérgio Ramos. — Sorriu e apertou a minha mão.

[...]

Me joguei na cama, tinha sido um dia e tanto, mas sinto que não será só isso.

Me levantei escutando a campainha, quem será uma hora dessas? As vezes eu acho que tem louco para tudo.

Abri a porta dando de cara com.....

— Minha filha. — Dolores fala me abraçando assim que abro a porta.

— Senhora...Dolores. — Dei espaço para a mulher em minha frente passar.

— Você deve estar se perguntando por quê eu vim aqui, ainda mais essa hora. — Ela sorri para mim, que sorrio de volta.

— Ah, sim, pode-se sentar. — Falei e ela sentou no sofá, sentei-me do seu lado.

— Meu vôo saí amanha cedo, e Hugo não tinha me avisado de nada, então eu vim, eu precisava falar com você. — Colocou a mão em cima da minha.

— Pode falar. — Ao mesmo tempo que queria saber o que ela queria me falar, estava com medo do que possa ser.


Notas Finais


Desculpem a demora mesmo, só que meu humor muda muito rápido, então meio que bugou o que eu estava escrevendo, até que eu achei "sorry" e consegui fazer um capítulo descente.

¡Besos de la Acorrentada!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...