História Ela é o cara - Capítulo 8


Escrita por:

Postado
Categorias Cristiano Ronaldo, Daniel Alves, Gerard Piqué, Gianluigi Buffon, Karim Benzema, Lionel Messi, Luka Modric, Marcelo Vieira, Marco Asensio, Marco Verratti, Marcos "Marquinhos", Neymar, Paulo Dybala, Sergio Ramos, Toni Kroos
Personagens Cristiano Ronaldo, Daniel Alves, Gerard Piqué, Gianluigi Buffon, Karim Benzema, Lionel Messi, Luka Modric, Marcelo Vieira, Marco Asensio, Marco Verratti, Marcos "Marquinhos", Neymar, Paulo Dybala, Personagens Originais, Sergio Ramos, Toni Kroos
Tags Comedia, Cristiano Ronaldo, Daniel Alves, Esporte, Futebol!, Gerard Pique, Lionel Messi, Marco Asensio, Neymar, Paulo Dybala, Real Madrid, Romance, Toni Kroos
Visualizações 352
Palavras 1.124
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Esporte, Hentai, Romance e Novela, Saga, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


FINALMENTE!!!!

∆ Boa Leitura

Capítulo 8 - Não sou apenas sua ex-treinadora


Andar em Turim estava sendo um dos melhores passatempos que estava fazendo aqui na Itália.

Entrei em uma cafeteria, parecia ser um Starbucks Italiano. Pedi um cappuccino e sentei-me na minha mesa.

O tempo estava mais frio que o normal, coisa que eu não estava tão acostumada assim.

— Senhora. — Um jovem rapaz chamou minha atenção e deu-me o café.

— Obrigada! — Exclamei bebendo um pouco do cappuccino.

Eu olhava cada pessoa saindo e entrando na cafeteria, até que uma me chamou atenção, atenção até demais. Ele estava usando um boné e um óculos escuro, assim que me viu tirou o óculos e veio em minha direção.

— O que uma bela moça faz desacompanhada assim? — Como eu estava na última mesa da cafeteria ele não chamaria tanta atenção.

— A bela moça está tomando um café para se aquecer. — Falei em terceira pessoa vendo o mesmo sorrir.

— Soube que você foi demitida. — Sentou-se no assento em minha frente.

— É, mas já encontrei um clube. — Ele parecia pensar, pensar bem longe.

— É, a Juventus Femminille. Haha, quem diria que nossos caminhos se cruzariam de novo? — Meu relacionamento com Cristiano esfriou bastante depois que ele saiu do Real Madrid, até que sair de lá não foi tão mal, não seria a mesma coisa com ele lá.

— Acabei, vai pedir algo? — Falei levantando e indo até a lixeira jogar o copo.

— Não. Quer sair para algum lugar? — Estranho, ele veio aqui para não pedir nada? Quem sou eu para julgar alguém.

— O que sugere? — Já estávamos fora da cafeteira, o frio estava cada vez piorando.

— Sei lá, podemos ir em um parque que tem ali ao norte? Lá tem o melhor sorvete de todos os tempos.— Ele ajeitou seu cachecol apontando para a direita.

— Sorvete? Nesse frio? — Alguém quer pegar um resfriado.

— É, melhor não....eu sei lá, só quero passar mais tempo com você. — Virei meu rosto e dei um sorriso, ah esse homem está de sacanagem.

— Ok, vamos a minha casa, são... — Olhei para o relógio em meu pulso que marcavam "15:32 PM" — Três e meia, se você quiser, vamos em casa, eu faço algo para comermos. — Ele mexeu em seu bolso tirando sua chave, apertou um botão e eu pude escutar um 'bip' vindo do grande carro esportivo azul dele.

— Vamos? — Falou sorrindo, revirei os olhos e sorri também.

[...]

— Ele demitiu o Bale? — Perguntou bebendo um pouco do suco que eu fiz.

— Não apenas o Bale, como o Karim e Sérgio. — Como eu sou uma pessoa de muitas dietas assim como o senhor em minha frente, estava tomando uma latinha de cerveja.

— Ele endoidou ou algo do tipo? Ele vai acabar com Real Madrid. — Ele parecia chateado, mas é claro né, o time que você ficou quase 10 anos está sendo denegrido por causa de um babaca qualquer.

O celular de Cristiano começou a tocar, ele me pediu licença e foi para a varanda atender. Me pergunto com quem ele estava falando.

— Eu não vou parar de sair porque você sente ciúmes até do vento que eu respiro. — Eu não queria ser intrometida, mas não dava para não escutar. — Sim, estou com a Linda, e você não tem nada que ter ciúmes dela comigo, somos amigos. — Pois é...

— Está tudo bem Cristiano? — Sim, eu estava me intrometendo muito, mas ao mesmo tempo que ele fala o meu nome eu estou na conversa.

— Tudo bem sim Linda. — Ele entrou de volta na sala do pequeno apartamento. — Quer saber Georgina? Me esquece por hoje, você está me estressando demais, e você sabe o que o médico disse sobre me estressar. — Desligou o celular e o jogou em cima do sofá.

— O que houve? — Como ele mesmo disse, somos amigos, eu mereço saber o que está acontecendo.

— Georgina, e sua paranóia de que eu estou traindo ela, e isso, e aquilo, eu já estou de saco cheio dela. — Nunca tinha visto Cristiano dessa forma, ele sempre foi para cima, alto astral, sempre falava com humor, mas depois de conversa com Georgina ele estava frio.

— Por que não termina com ela? — Nunca que eu iria boicotar o relacionamento dele, mas ele ficar se martirizando com isso não vai adiantar.

— Olha que eu também não sei. — Fechou os olhos e jogou a cabeça para trás.

— Olha Cristiano, eu não sou apenas sua ex-treinadora, eu sou sua amiga, você pode contar comigo para tudo. — Coloquei minha mão em cima da dele e ele abriu os olhos.

— Eu não saí do Madrid por causa de mais fama, muito menos dinheiro. Eu saí porque eles estavam especulando outros jogadores...outros jogadores da mesma posição que eu. Eu sei que isso parece meio egoísta, mas eu me senti desvalorizado, entende? — Ele olhava para o teto como se quisesse tirar algo de lá.

— Entendo. Claro que entendo. Eu sabia que tinha alguma coisa para você pedir para ir, mas Florentino não quis me dizer, falou que "não sabia", como se eu fosse acreditar. — Falei lembrando do dia em que ele me avisou que Cristiano não fazia mais parte do Real Madrid.

— Minha cabeça está doendo, você tem algum remédio para dor de cabeça? — Colocou a mão na cabeça, massageando a mesma.

— Claro, claro. — Levantei e fui até a cozinha americana. Peguei a maleta de primeiros socorros que por algum motivo eu guardo remédio. Abri a geladeira e enchi um copo de água. — Toma! — Exclamei entregando para ele.

— Muito obrigado. — Engoliu o comprimido e bebeu um pouco de água.  — Quer saber de alguma coisa? — Ele levanta comigo e eu coloco o copo em cima da bancada.

— O que? — Ele me olhava, sem desviar os olhos, parecia ver a minha alma, e isso me deixava nervosa.

— Vou dar um motivo para Georgina ter ciúmes de verdade. — Sorriu e depois me empurrou de leve até a parede, eu me assustei, mas eu não conseguia mexer uma parte do meu corpo. — Posso? — Perguntou passando a mão no meu pescoço.

— Fique avontade. — Eu não estava controlando meu corpo mais.

Ele veio devagar, devagar demais para o meu gosto. Tomou meus lábios em um beijo calmo que logo virou um beijo selvagem e cheio de desejo.

*plim*

Cristiano se afasta assim que a campainha toca, mas continua perto de mim, tão perto que eu ainda consigo escutar sua respiração. Quem será o infeliz que nos atrapalhou logo agora?


Notas Finais


¡Besos de la Acorrentada!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...