História Ela queria ser como qualquer outra! - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Visualizações 5
Palavras 1.082
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia)
Avisos: Linguagem Imprópria, Mutilação, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Tenham uma boa leitura😁

Capítulo 6 - Vida que segue


Nossa vida tem que seguir, é o que penso, mas não é fácil. 

Todo dia é a mesma coisa, acordar, fazer o serviço, me arrumar e ir para a escola, voltar fazer serviço e dormir. O que muda um pouco é a rotina da escola, nem as reclamações e xingamentos mundam .

Mais um dia raiou, acordei como de costume com um mal pressentimento, hoje minha mãe não tinha ido trabalhar o que significava sem música ou algo que possa me distrair. 

Tomei meu café e logo fiz o serviço, a base das reclamações dela é claro, pelo menos não fui responsável pelo almoço.

A tarde logo veio e o mal pressentimento não passou, minha mãe ficou estressada do nada, não sei o porque, mas isso não é bom e como sempre sobrou para mim, estava indo para o meu quartar olhar a roupa da escola quando ela começou a falar para o meu pai que eu não queria nada com nada, até aí tudo bem, mas o que me machucou foi quando eles começaram a falar assim:

Ela vai ser como as amigas tela, uma arrombada, que não quer nada da vida.

Só tá esperando uma oportunidade para ir embora, mas eu quero que ela fuja com algum namorado, se ela ir, não precisa nem vir para visitar e se apanhar do namorado eu to nem aí.

Se eu descobrir que ela tá namorando escondido eu quero que ela traga o guri aqui que os dois vão apanhar, ainda vo fazer questão de ligar para o conselho tutelar e dizer para eles vir aqui e falar assim  toma, podem levar ela, criem vocês ".

Aquilo me doeu, peguei minha roupa e fui para o banheiro, larguei minha roupa em cima do cesto, me escorei e comecei a chorar silenciosamente, quando parei me olhei no espelho e parecia uma morta, o rosto sem vida, me despi e fui para de baixo da água, tomei meu banho e fiquei em baixo da água mesmo assim pensando, ainda tinha a noite para encarar.

Quando sai do banheiro, já era hora do café então me arrumei, tomei café e sai.

Caminhei até minha para de agora tinha cido trocada de lugar pois estavam lojantando onde é a antiga, lá encontrei uma outra garota do ônibus e fiquei conversando com ela até o ônibus chegar, quando chegou, embarquei e como de abtual fui para o fundão.

Pessoas entram, pessoas saem e estamos quase chegando na escola e só agora fui olhar como estava o ônibus, ocupação cheia como sempre, casais juntos, e o Mateus sentado com a Gisele, que interessante.

Chegamos, desci e logo fui para um canto sossegado da escola, logo dois amigos meus me encontraram, o Luís que está no primeiro e o Vitor que está no segundo comigo, conversamos e o sinal tocou, como nosso professor não tinha vindo e era educação física para o Luís ficamos conversando.

Quando chegou minha aula de educação física eu já estava querendo chorar, e nem ao menos sabia o porque, então peguei meu caderno e comecei a escrever tudo o que sentia, mas logo o Mateus sentou do meu lado e ele começou praticamente um monólogo pois eu mal respondia, teve uma hora em que olhei para o lado e vi a Ane, minha melhor amiga e " mana " do Mateus nos olhando, praticamente a emplotei com os olhos para que tirasse ele dali.

Eu já estava quase chorando, só não sei se era de raiva ou tristeza, ele falava comigo como se eu não visse ele com a Gisele, teve uma hora em que eu fui cara de pau e perguntei como ele sobre ele e a Gisele e ele disse que estavam bem, ignorei e frases depois ele ainda disse que me amava, olhei para ele com uma cara que dizia " finja mais, não estou acreditando ", logo ele saiu dizendo que sempre estaria comigo, mas que não podíamos ficar juntos ( ele sabia sobre o que acontecia lá em casa ).

A hora de ir embora chegou, só faltei largar fogos de artifício, fui para o fundo do ônibus e o Luís sentou do meu lado, logo o Mateus entrou e a Gisele com ele, os dois sentaram juntos, avistei a Ane perto de onde eu estava e fui falar com ela já que estamos em curso, conversando com ela, ela me disse que tinha que entregar o casaco do Mateus que estava com ela, me ofereci para entregar e  foi o que eu fiz, fui até ele e o entreguei ainda dizendo com uma voz irônica " ó, a Ane pediu para lhe entregar ", e sai, não claro sem antes mandar uma certa encarada aos dois . Voltei a conversar com a Ane e a perguntei o que ela achava do Mateus e da Gisele, ela me falou que estava achando estranho e que estava desconfiando daquilo, mas não podemos terminar de conversar pois ela já tinha que descer, então me deu um beijo no rosto e foi para a frente do ônibus, voltei ao meu lugar ao lado do Luís e lá fiquei olhando hora para a rua, hora conversando, até que quando já estava perto de onde o Mateus descia eu vi ele beijando a Gisele, como uma forma de se despedir, aquilo me doeu, cadê o garoto que dizia que me amava? Sumiu não é. O Luís que tinha visto também a cena, me deu um lado do seu fone e pois na música Ela cansou - Erreap, voltamos a conversar e logo depois ele desceu, fiquei olhando para a rua até chegar em minha parada, quando desci esperei o ônibus se afastar e tirei a faca que carregava na mochila, eu não era tão idiota, eu chegava quase onze horas da noite e agora descia longe de casa.

Foi uma caminhada tranquila, claro eu estava sempre alertar, cheguei em casa tranquei tudo, entrei no meu quarto larguei minha faca do lado do meu travesseiro e me deitei, não iria nem jantar, não estava com fome alguma .

Só foi eu colocar a cabeça no travesseiro que minha dor veio, mas não a física, mas sim a emocional, e com isso as lágrimas chegaram junto e me acompanharam até perder a consciência. Mas não sem antes passar no meu pensamento pegar minhas lâminas, mas sabia que não podia, tinha feito uma promessa ao meu amigo que iria para, nós dois iríamos parar de nos cortar e fazia mais de mês que eu estava cumprindo a promessa, só não sabia até quando.


Notas Finais


Espero que tenham gostado do capítulo.
O nome do namorado da Rose é Mateus, desculpe se não tinha falado antes. 😅😅


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...