1. Spirit Fanfics >
  2. Eldarya um novo mundo (Nevra) >
  3. Hora de fazer mudanças.

História Eldarya um novo mundo (Nevra) - Capítulo 23


Escrita por:


Notas do Autor


Como estou de quarentena, talvez saia mais alguém capítulos nesses 30 dias que vou ficar em casa.

Capítulo 23 - Hora de fazer mudanças.


Fanfic / Fanfiction Eldarya um novo mundo (Nevra) - Capítulo 23 - Hora de fazer mudanças.

Sem entender nada, me levanto e sinto meu estômago roncar. Quando o cheiro do ferro chega em mim, meus caninos furam minha gengiva e vinha visão fica turva. Corro até onde está a jarra com o conteúdo rubi, e tomo tudo em segundos. Me sinto saciada e me sinto melhor. Meus ferimentos já estão fechados, por conta da regeneração vampirica, então acabado arrancando as faixas.

- Eu não preciso dessas drogas.- falo enquanto jogo elas no lixo.

Como percebo que estou no meu quarto de hóspedes, vou atrás das minhas roupas. Coloco um uma blusa branca e um short cintura alta preto. Me espreguiço.

- Parece que eu dormi a dias... cadê as almas vivas daqui?- quando eu quero respostas, todos desaparecem.

Saio do quarto e logo sinto uma aura estranha. É sutil, como se já estive passado a tempo, mas ela está ali.

- Nevra? Huang? Mikko!?- Nada, ninguém responde. Meu coração estaria acelerado se ele ainda batesse. Ainda estou brava com eles, mais se algo acontecer de mal eu vou me sentir muito culpada.

Não lembro o que aconteceu para ter me deixado assim, na verdade a única coisa que consigo lembrar é a discussão que tivemos. Foco na minha audição, tenho que encontrá-los logo. Ao longe, ouço o farfalhar das folhas, canto dos pássaros o sussurro de alguém e barulho de pratos.

- Pode me passar os talheres?- uma voz feminina fala. Mikko? Não, não é a voz dela. É uma voz muito melosa para ser ela ou a Ewelien. Me dirijo a cozinha já que não sei quem é. Me aproximo devagar, como um felino se aproximando de sua presa. Tenho medo de ver quem é depois dessa merda toda ter acontecido. Ouço corações batendo, o que me faz querer perder o controle por um momento. É como se eu tivesse me transformado novamente, como se só se meu renascimento. Meus sentidos estão descontrolados, como uma vampira novata. Tentando tirar isso dá cabeça, olho pela porta e vejo os membros do QG, alguns moradores daqui e principalmente meu irmão. A pessoa que eu mais amo, mas que estou morrendo de raiva neste momento.

- Karol! Junte-se a nós.- A voz de Mikko me tira do meu transe.- Estávamos preocupados com você.-

- Cadê ele?- sou ríspida ao falar, e acabo quebrando o clima de confraternização.

- Karol, ele está com uma parte do anel e isso signifi-

- Essa não foi minha pergunta. Onde está ele?- a corto novamente. Eu não estou fazendo isso por maldade, mas parece que meu subconsciente está me defendendo deles.

- No QG.- Leiftan me responde.- Ele virou o novo governador, e está mais forte do que nunca. Mais se ele pegar a parte d anel que está com você, aí sim não temos chance nenhuma.

- Quanto tempo eu dormi?-

- 2 dias, ele te acertou em cheio e você quase morreu. Mais o Nevra a transformou totalmente.-

- Totalmente?- fico confusa na hora.

- Naquele dia de sua transformação, você não havia virado uma vampira, mais um cálice. Estava ligada a mim, imitava a mim, e sentia a necessidade de sangue. Agora, você é uma híbrida, vampira e Angel. Então você tem que controlar seus impulsos vampiricos como o desejo de sangue.- fico boquiaberta.

Mais uma mentira, e eu sendo trouxa havia acreditado. Eu era um cálice... não uma vampira. Por isso nunca havia tido problema com sangue.

- Só que agora, Valkyon está com uma lasca do anel. Em algumas semanas o poder irá despertar. É esse o tempo que temos para nos preparar.- Meu pai fala.- Finalmente terei a vingança que sempre sonhei.- ao que ele está se referindo?

- O que vocês ainda não contaram? Por que tantos segredo?

- Pois tínhamos medo.

- Então acabou.

- Você quer então saber tudo. Tudo bem. Em alguns dias, metade dos nosso amigos estarão mortos por conta dos ataques psíquicos dele. E culpa é sua, por sua raiva você deu o objeto que ele queria, mesmo que não seja por completo. Você só é mais uma menina metidinha que acha que sabe tudo, que tem todos os poderes, mais sabe o que você tem? NADA. Por sua culpa minha filha estar morta.- Então ele é o pai da Ykhar.

- Por favor cara, já deu.- Nevra tenta o parar.

- Não, não passe o pano por cima. É a verdade que ela quer, aqui está. Ela é a garota da profecia, mais está fazendo tudo errado. Você é a híbrida criada para acabar com a maldade dele, mais por seu orgulho, ignorância e sua raiva, você não soube amar, viver e muito menos salvar a todos ao seu redor. Parabéns, você está de parabéns.- ele termina olhando para mim com raiva. Ele quer que eu fale o que? Talvez ele esteja certo. Eu sou um fracasso.

- Você está certo senhor.- todos ficam confusos e assustados.

- Eu estou sim.

- Eu sou uma metida, orgulhosa, ignorante e Principalmete um animal raivoso. Você está totalmente certo. Eu até falaria que é a culpa do exército, mas... não. É minha culpa, eu poderia ter mudado. Eu sei. Então me de outra chance. Me deixa acabar com isso. Me perdoe. Eu estou perdida... Tudo que eu tinha desmoronou, eu não estou em casa. Minha mãe me deixou, meu pai... descobri que ele está vivo, e do nosso lado. Meu irmão havia morrido... E eu experimentei pela primeira vez amar. Só pensei em mim...- sufoco um soluço. - Mais eu não quero errar novamente. Eu quero fazer tudo diferente, e se eu pudesse voltar no passado, eu juro eu faria tudo, tudo mesmo diferente. Mais a única coisa que não me arrependo, é ter conhecido vocês. Então eu te imploro, me deixa ter mais uma chance. Me deixa tentar salvar vocês. Me deixa eu honrar a Ykhar e a todos. Me deixa tentar melhorar. Me deixa tentar viver... Me deixa eu enxergar quem sou eu....

- Você é um monstro. Não há nada que eu faça que irá te mudar.

Ele vira e sai. Me sinto perdida..

- Ele... Ele tem razão. - meus olhos ardem, e minha visão fica embasada. - Eu sou um monstro.

- Filha você não é. Todos erramos.

- Pai, eu deixei a filha dele morrer. Eu sempre agi como se estivesse no exército, eu acabei de chegar e quis colocar minhas ordens. Eu fiz tudo errado. Tudo errado.- Soluço,e sinto lágrimas escorrer pela minha bochecha. Corro dali.

- Karol! - Nevra grita, e escuto seus pessoas apressados atrás de mim. Tropeço e caio. Ele me agarra e me abraça. - deixa eu te ajudar.-

- Eu não mereço a sua ajuda Nevra. Você me salvou mais eu nunca o retribui. Eu sou um monstro.- Meu soluços cortam algumas palavras.- vocês fizeram um teste comigo para me ajudar a vencer o Valkyon, mais eu acabei entregando o poder para o inimigo. Eu sou um m_ Uhm-
Nevra me beija e eu não termino minha frase. É um beijo alagado por conta das minhas lágrimas. Ele termina e me afasta um pouco, pelos ombros.

- Nunca mais fale isso novamente. E eu fiz isso por que eu te amo, mesmo com seus defeitos. E eu estou aqui para te ajudar a vencer eles.-

- Nevra...-

- Shhh... Vamos fazer tudo novamente. Prazer, me chamo Nevra. Como a senhorita se chama?- Ele me olha com amor.

- K_karol...

- Nome bonito. Mais tirando as apresentações, eu estou com uma enorme vontade de te beijar.- seu olha escurece.

- Beije...

Ele me beija, primeiramente um beijo doce e suave, mais que logo se transforma em um beijo desesperado.

- Acho que se continuar assim, temos que ir para o quarto.

Ele fala e eu fico vermelha na hora. Não é mentira que o nosso desejo estar ardendo dentro de nós. Então temos que nos controlar, pois não estamos sozinhos.

- Você que manda.- sorrio para ele, e sussurro.- obrigada. Obrigada por estar aqui, e ainda me amar depois de tudo o que eu fiz...

Ele sussurra de volta.- Eu sempre vou te amar. E esse sempre é pela eternidade...

Ele me agarra pela cintura, e eu envolvo minhas pernas ao redor de sua cintura.

- Agora, eu tenho que castigar uma certa mocinha pelos seus erros. -

Sorrio para ele e nós seus braços me sinto bem. Abraço ele com força.

- Espera! Eu tenho que falar com a Mikko antes.- lembro que tenho que falar com a Mikko.

- Agora?- ele pergunta um pouco desanimado.

- Eu volto logo. Prometo... Me espere no quarto.- dou uma piscadela e corro em direção ao jardim.

Ando por alguns minutos até achar a Mikko.

- Mikko? Posso falar com você por um estante?

- Claro.

Estendo a mão com o anel para ela.- Isso é seu. Eu estava com ele quando acordei.

- Não Karol, isso não é meu. É seu. Você foi a escolhida do cristal, você é a nossa salvação.

- Mikko, eu entendo que isso é por causa da profecia, mas acredite em mim, eu não sou digna disso. Nem de ter esse poder. Você deve fazer isso, não eu. Você que vive aqui, você que cuidou do cristal. Não há mais nada do que você ser a garota da profecia.

- Mais não sou eu.

- Tome, use na batalha contra Valkyon. Eu vou lutar, vou te ajudar, mais quem tem que acabar com isso é você, não eu.

Ela fica atordoada por alguns segundos.- Eu agradeço você Karol. Muito obrigada. - ela da um belo sorriso. Me levanto e saio dali o aksi rápido possível, pois não estava me sentindo bem. Ainda não consigo acreditar que ela é meu irmão tiveram um filho, e tudo isso escondido. Mais tenho que esquecer isso, e ver como nada mudou, como fiz agora. No caminho encontro Ezarel.

- Oieeee.- ezarel parece feliz.

- Ãn, Oie?

- Karol, é muito bom ver você bem.

Ele está estranho.

~Nevra~

Ouço Karol se aproximar, mais algo a para. Presto atenção.

- Karol, sabe... agora que você não está comprometida, gostaria lhe perguntar se você ficaria comigo?- Quem ele pensa quê é?!

Meu sangue ferve imediatamente.

- Ezarel, eu estou comprometida. E mesmo se não tivesse, eu só te vejo como um amigo. Me desculpe.- Isso, coloque ele no seu devido lugar.

- Mas... Karol, você não quer novas experiências. - ouço ele se aproximar. Que desgraçado.

Me levanto para abrir a porta, mais ouço alguém levando um tapa.

- Nunca mais fala algo assim. E não chegue perto de mim, com essas intenções. - a voz dele treme.

- Sua vadia de merda.

Saio do quarto e vejo ela se protegendo, ao segurar o braço dele.

- Ezarel, se eu fosse você, tiraria as suas mãos dela.- minha visão fica turva rapidamente.

- Vocês dois se merece mesmo. Dois monstros, não é Nevra?- ele ainda fica lembrando dos meus erros do passado. Karol me olha interrogativa.- Não contou a ela Nevra? Que feio. Ele foi um mercenário antes de conhecer o QG.- Ele me olha com um sorriso vitorioso no rosto.

- Mais ele mudou?

- Um tempo depois.

- Então cale a boca. O passado já foi, e no momento não é ele que está comentado um grande erro agora.- ela fala de modo frio.- Então, se você ama seu rosto, cai fora.

- É, e vê se aprende a ficar quieto na próxima, que não é para ter.

Ele se solta bruscamente e sai. Suspiro pesadamente.

- Tá bem? Você parece preocupada.

- Tô, tô sim. Só vamos entrar.- Ela passo por mim, estando bem chateada. Eu sinto uma mistura de raiva e decepção, acho q já a ligação psíquica tem suas vantagens. Eu sei como ela se sente. Tenho que a animar de alguma maneira.

- Ei, o que você acha de mudarmos seu cabelo?- ela me olha confusa.

- E por que?

- Eu ouvi dizer que quando uma mulher muda o cabelo, algo dentro dela muda também.

- Talvez tenha razão. Uma mudança nunca faz mal. E eu nunca gostei das pontas negras do meu cabelo, então acho uma boa ideia.- ela me dá um sorriso lindo.

- Posso fazer isso? Posso ter a liberdade de cortar e pintar ele?

- Uhm, pode. Só não o corte muito.

- Você não tem medo de eu da zer besteira?

- Cabelo cresce.- ela ri.
Eu sorrio e vou pegar as coisas necessárias. Corto as pontas do cabelo dela.

- Você gosta de rosa?

- Gosto, só que não o chamativo. Aquele bem claro.

- Ah então você é uma dark-pink?

- Agora quem gosta de cores escuras não pode gostar de rosa?

- Ai, eu vou ficar quieto.- caindo na gargalhada. É bom passar um tempo assim.

Pinto o cabelo dela, da cor que ela disse. Um rosa claro. Modéstia à parte, mais eu arassei. A viro para ficar de frente comigo.

- Você tá linda.

Ela fica envergonhada.

- Não fale besteira.

- Não mentiria para você. Você está linda.

- Isso seria imp- eu a beijo, um beijo meio desesperado. Coloco a mão atrás da sua cabeça. Me afasto um pouco.

- Você é a mulher mais linda que eu conheço, e nada e nem ninguém vai mudar meu pensamento.

- Obrigada Nevra. - ela me abraça, e retribuo o abraço. Aproveito a minha posição e a empurrou para o chão. Ela me beija, um beijo suave que logo se transforma em um beijo selvagem. Como estou em posição dominante me aproveito disso. Beijo seu pescoço e vou até o decote.- Nevra....- ela sussurra meu nome, e eu inflamou no mesmo momento. Uma onda de ciúme e possessão me domina.

- Onde ele tocou em você?!

- O que?!- Vejo a imagem do Ezarel tocando nela.

~Karol~

- Nevra, eu quero você. Mais ninguém!- essa foi a frase necessária para ele. Seus olhos ficam vermelhos e suas presas aparecem. A instinto animal de posse aparece nele. Mas eu não me importo dessa vez. Ele me beija ferozmente, como se precisasse sentir eu contra ele. Ele arranca as nossa roupas, me beija no pescoço e me faz tremer toda. Cravo minhas unhas em seus ombros. Quando ele finalmente desliza para mim, eu arqueio de prazer.

- Você é minha, definitivamente não é dele!- agora eu entendo o por que ele estar assim.

- Eu sou sua. Não se precupe.- e ele me beija.


Horas depois

Acordo, e me sinto bem. Acho que depois de ontem, perdi um peso, mas ganhei outro. Tenho 2 missões. Mudar meu modo de agir, e principalmente, acabar com valkyon. Ajudar a Mikko a fazer isso na verdade. Falando nisso, tenho que ir treinar. Nevra está dormindo ao meu lado. Ele está calmo agora, e isso me acalma. Dou um beijo em sua testa, e vou tomar um banho. O dia vai ser longo.

- Mikko, desculpa pelo atraso.

- Uau! Que lindo ficou seu cabelo.

- Obrigada, decidi mudar um pouco. Oi, pequeno... er?- agora que percebi que não sei o nome do meu sobrinho.

- Peter, ele se chama Peter.

- Tomara que ele não seja arteiro como o Jason.- Sorrimos uma para outra.

- Falando em Jason, você já está falando com seu irmão?- e lá vem a Mikko com a sua maravilhosa habilidade de tocar na ferida. Melhor desviar disso.

- Er, não. A Karenn e o Chrome já chegaram?

- Ainda não. Eles estão ainda nas ilhas do Sul.

- Bem, é uma pena. Sinto falta da Karenn.

- Sentimos mesmo.

- Que tal treinamos? Estou doida para bater em algo.

- Não sendo em mim, eu aceito.

Sorrio para ela.

- Bem, até que não é uma má ideia.

- Me erra!- Caímos na gargalhada.


Continue assim, pequena. Você tem que mudar e não errar, não se entregar a ele. Aprenda a se amar, e aprenda a mudar minha pequena, o mundo precisa de você. A garota da profecia que nunca foi acabada. E se lembre, não tenha medo de fazer o que é certo. Nem mesmo que isso signifique a minha morte....





Notas Finais


Gostaram do cabelo dela?? Eu achei que algumas coisas deveriam mudar mesmo. E q bom que perceberam isso. Bem bjss


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...