História Ele e Ela - Capítulo 55


Escrita por:

Postado
Categorias CNCO
Personagens Christopher Vélez, Erick Brian Colón, Joel Pimentel, Richard Camacho
Tags Drama, Revelaçoes, Romance, Tragedia
Visualizações 53
Palavras 873
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Mistério, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Espero que gostem.

Capítulo 55 - Ele e Ela 55


Fanfic / Fanfiction Ele e Ela - Capítulo 55 - Ele e Ela 55

Narra ( sn ) : finalmente terminamos a desconfortável entrevista com a encarregada e saímos do escritório . Meu pai estava esperando lá fora , ainda mais nervoso do que nós .

Miguel : como foi ?

( sn ) : você não deve se importar . - eu cruzo meus braços -

Miguel : agora ambos estão chateados e confusos mas em breve vão me agradecer por isso .

Antes que eu possa responder a voz da encarregada me interrompe .

Encarregada.: Senhores Vélez , aqui está a Sofia .

Nós três viramos para vê-la e ela estava segurando a mão da encarregada , estava tímida , quase não sabia andar direito .

Encarregada : Sofi pronta para ir com seus papais ?

A menina não diz nada e o meu pai se aproxima pra pegar ela .

Miguel : muito obrigado , prometo que a minha filha e o seu marido serão uns ótimos pais para a Sofia .

A encarregada só nos sorri e depois saí dali .

Miguel : já tenho que ir , muita sorte e Chris toma sua filha .

Chris carrega a menina em seus braços e ela apoia a sua cabeça no ombro do Christopher , diante daquele fofinho gesto da Sofi ambos sorrimos . Papai vai embora e nos três ficamos em silêncio .

Chris : acho que já está na hora de ir para casa ...

( sn ) : - suspiro - eu acho que sim ...

( ••• )

Eu peguei a Sofia e sentei ela no banco de trás do carro com o cinto de segurança . Chris dirigia em silêncio e eu só suspirava , acho que a partir de agora começava a nossa paternidade . Em todo aquele silêncio estranho , Chris decide falar .

Chris : temos que comprar muitas coisas .

( sn ) : como assim ?

Chris : Não sei , coisas de bebês . Não tenho certeza do que é pra comprar .

( sn ) : uma mamadeira , fraldas , roupas , um carrinho , bonecas , leite , um berço .

Chris : Ah ser pai é caro .

A pequena solta uma pequena risada e ambos nos viramos para vê-la .

Chris : de que você ri tanto Sofi ? Você está rindo da minha carteira que ficará vazia ?

( sn ) : - ri - eu acho que está rindo da nossa pouca experiência em ser pais .

( ••• )

Narra Chris : ( sn ) abre a porta de casa enquanto eu tinha a Sofia nos meus braços , ela tinha dormido no caminho .

( sn ) : Eu vou pegar o berço dela no carro , você deixa ela na cama .

Chris : OK .

Vou para o nosso quarto e a coloco na cama , ela é uma menina muito tranquila e bonita e realmente me entristece que tenha perdido os seus pais tão pequenininha mas tinha que prometido que seria um bom pai . Pela ( sn ) faria o que for e se estamos juntos nisto acho que com o tempo aceitaremos a Sofia como a nossa filha e ela vai nos aceitar como seus pais . A voz da ( sn ) me tira dos meus pensamentos .

( sn ) : já deixei o berço na sala , se quiser deixar ela lá .

Chris : vai dormir na sala de estar ?

( sn ) : pois sim , onde dormem os bebés ?

Rio um pouco ao ouvir a ( sn ) dizer isso , éramos tão inexperientes nisto .

Chris : Talvez seja melhor você deixar o berço dela aqui .

( sn ) : ann não sei . - leva a Sofia em seus braços -

Chris : por que ?

( sn ) : já está bastante grandinha , se ela se acostumar a dormir aqui com a gente não vai querer sair mais do nosso quarto .

Chris : - roda os olhos - você vai deixar ela dormir na sala ?

( sn ) : o que há de errado com a sala ?

Chris : nada mas pelo menos no quarto de hóspedes vai ficar melhor .

( sn ) : o quarto de hóspedes está muito longe daqui e está muito escuro , não vou deixar a menina lá .

Ao perceber que esta discussão não chegaria a lugar nenhum só resolvi apoiar a ( sn ) e me deitar na cama pra descansar , nem tinha passado um dia inteiro de paternidade e sentia como se tivessem passado anos .

( Sn ) deitou a Sofia no berço que estava na sala e a aconchegou o suficiente para que não tenha frio , depois de um longo dia nós dormimos juntos . Já tinha saudades dos seus abraços e carícias . Estivemos alguns minutos nos dando alguns beijinhos e precisava fazer amor com ela , já que desde Las Vegas não fazíamos .

( sn ) : Amor , agora não .

Chris : vamos bebê , sinto sua falta . - beijo o seu pescoço -

( sn ) : eu também mas a menina ...

Chris : não faremos muito barulho .

Ambos nos deixamos levar e começamos com nosso fogo . A coloquei sobre mim e tirei o seu sutiã , deixei alguns beijos molhados no seu pescoço e nos seus seios , ela só continha os seus gemidos .


Continua .........


Notas Finais


Espero que tenham gostado .


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...