História Electric Feel - Tanjiro Kamado x Reader - Capítulo 11


Escrita por:

Postado
Categorias Demon Slayer: Kimetsu no Yaiba
Personagens Giyuu Tomioka, Inosuke Hashibira, Kanao Tsuyuri, Kyoujurou Rengoku, Mitsuri Kanroji, Nezuko Kamado, Shinobu Kochou, Tanjirou Kamado, Zenitsu Agatsuma
Tags Demon Slayer, Kimetsu No Yaiba, Kny
Visualizações 40
Palavras 3.000
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Ficção Adolescente, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Heterossexualidade
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


ok eu admito, talvez esse capítulo tenha mexido com meu coração

Capítulo 11 - Don't go, i Need You.


-autora on-

Mais um dia que acabara de amanhecer em Paris. Tanjiro tinha se levantado exatamente quando os raios do sol estavam iluminando a cidade.

Tanjiro foi então até a cozinha e preparou um chocolate quente, e foi até a porta que leva para o jardim.

— Que dia perfeito... – Ele disse enquanto segurava a caneca.

Por mais que o tempo estava aberto, ele ainda poderia sentir a brisa gelada do vento, o que daria a entender que aquela tarde não seria tão quente.

— Será que algum deles já acordaram? – Ele perguntou a si.

Depois de se perguntar, ele sentiu alguém o abraçar por trás, enquanto ele olhava as árvores e as plantas belíssimas do jardim.

— Hm?

— Bom dia, Tanjiro-kun! – Exclamou (s/n).

— Ah, bom dia, (s/n)-chan.

— O que está tomando?

— Chocolate quente. Por que?

— Não, só por curiosidade mesmo. – Ela sorriu.

Não demorou muito para ele se soltar dela e se curvar para então voltar para dentro.

— Onde vai? – Ela perguntou.

— Eu já volto! – Ele respondeu.

Depois de 5 minutos ele retornou com outra caneca e a entregou para (s/n).

— Toma.

— Mas... Poxa, eu ia fazer pra mim, porém muito obrigada, Tanjiro-kun.

— Sem problemas. – Ele riu.

Após 25 minutos ambos voltaram para a sala e assistiram a um filme juntos.

Logo depois, Inosuke se levantou da cama e ficou um tanto surpreso ao ver aquela cena dos dois:

— Vendo filme a essa hora? – Ele perguntou.

— Sim, ué. Aliás, bom dia, Inosuke-kun. – Respondeu Tanjiro.

— Bom di- – Não demorou tanto para Inosuke capotar no sono de novo e cair em cima do sofá para dormir.

— Ele está bem? – Perguntou (s/n).

— Sim, só capotou de sono.

Algumas horas depois, todos estavam de pé pela pousada e já haviam feito o que fazem diariamente, só Inosuke que não tomou o café da manhã e continuou dormindo no sofá.

— Eu preciso ir no apartamento da Mitsuri. Eu já volto. – Disse Tanjiro.

— Mas já? Não anda falando muito com ela não? – Perguntou (s/n), que estava sentindo um pouco de ciúmes.

— São assuntos que tenho a tratar! – Ele respondeu quando abria a porta e se colocava para fora.

(s/n) o olhou sair com um olhar totalmente desconfiado:

— Eu não fui com a cara daquela garota... – Ela sussurrou.

— O que? – Perguntou Tomioka.

— Essa menina aí. O Tanjiro não para de ir atrás dela agora!

— Parece até eu e você até aquele dia...

— Por favor, não me faça lembrar ou eu vou acabar te dando um murro e quebrar seu nariz.

— Eh... Ok né.

Depois disso, Tomioka iria se retirar dali, até que (s/n) teve uma ideia:

— Hey, Tomioka-san, vem cá.

— O que?

— Por que não se disfarça e segue o Tanjiro? Tipo, eu tô sentindo que algo ruim vai acontecer...

— Por que você mesma não faz isso? Não sou cachorro de ninguém pra ficar seguindo os outros.

— Aff, ok, eu mesma vou. Mas me empresta algumas de suas roupas, por favor?

— Ok, pode ir no meu quarto.

(s/n) correu rapidamente para o quarto de Giyuu para não ser notada pelo Inosuke e Zenitsu.

— Nossa, ele tem várias roupas aqui, hmm...

(s/n) não sabia o que vestir, até que teve a brilhante ideia de usar alguma camiseta preta com estampa de Giyuu, para que Tanjiro não reconhecesse Chissoku pelas suas roupas.

— Ok, vou pegar isso daqui e ir pro meu quarto. – Ela pensou.

Não demorou muito para ela se retirar com a camiseta. Como naquela época era um pouco "na moda" os adolescentes usarem roupas pretas e bem descoladas, estilo gótico, e-girl ou e-boy, (s/n) decidiu criar um look com a camiseta de Tomioka.

— Como isso é moda dos anos 80 e o Tanjiro não vai me reconhecer com essa camiseta, eu vou usar isso.

Ela então colocou sua ideia em ação. Vestiu uma calça jeans e uma blusa de frio listrada em preto e branco, depois ela colocou a camiseta de Tomioka e colocou uma parte dela dentro da calça. Depois optou por colocar um cinto e uma gargantilha com uma cruz no meio.

— Achei bem legal... Mas não sei que tênis usar. – Ela se perguntou.

— Que tal aquele seu vans preto e xadrez? Talvez o Tanjiro não saiba que você o trouxe, até porque você só vive com o all star por ele ser da mesma cor que o de Kamado. – Disse Tomioka.

— Boa ideia!

Ela estava totalmente pronta. Por fim, apenas fez dois coques no cabelo estilo Sailor Moon e colocou um óculos escuro aleatório de Tomioka.

— Como estou?

— Achei bem da hora, ainda mais com meu óculos redondo, deu um charme no seu estilo aí. – Disse Tomioka.

— Ah, obrigada. Bom... Agora eu vou indo antes que né, você sabe muito bem.

Ela então abriu a porta da pousada e foi andando num caminho de pedregulho que ali tinha que dava na saída de um portão em frente a uma rua. Depois ela seguiu andando até o prédio de Mitsuri, e podia-se notar Tanjiro um pouco mais a frente.

— Ok... Ele está ali... – Ela sussurrou.

Após 3 minutos, ele chegou no prédio onde ela morava. Logo em seguida, Chissoku entrou no mesmo e seguiu para o andar onde ela morava.

— Hoje eu vou ver se tenho certeza do que estou sentindo.. – Ela sussurrou novamente.

Distraída, ela acabou se esbarrando com um rapaz que estava entrando no elevador quando a mesma chegou no andar certo:

— Hey, presta atenção pra onde anda, garota! – Exclamou o rapaz.

O mesmo tinha olhos bicolores e usava um cachecol branco. Também estava com um dos braços enfaixados, mas somente enfaixados mesmo.

— M-me desculpe, moço! – Ela respondeu com vergonha.

Enquanto ela andava de costas distraidamente, ela sentiu alguém encostar em seu ombro:

— Bu.

— Aaaah! – Ela gritou.

— Eu sabia que iria atrás de mim. – Respondeu Tanjiro.

— T-Tanjiro-kun? Como sabia?

— Não sei se você percebeu, mas eu tinha olhado pra trás disfarçadamente, e também porque o seu tamanho de anã não passa despercebido. – Ele riu.

— Eu não sou tão pequena assim, ok?!

— Hmm... Já que você está aqui, entra comigo no apartamento da Mitsuri, não quero que entre sozinha.

— Ta b-

— Oi! Você cheg... Quer dizer, v-vocês chegaram! – Disse Mitsuri.

Os dois entraram e se acomodaram ali dentro.

— Então Tanjiro-kun... Veio falar sobre a música que irá cantar depois de amanhã?

— Sim, exatamente isso.

— Então... Acho que a própria elaboração do Inosuke com a... Aquela menina que ele namora, a Shinobu se não me engano, algo assim, acredito que ela esteja pronta pra ser lançada no seu show.

— Sim, está completamente e totalmente perfeita.

(s/n) ainda olhava para Mitsuri com um olhar mortal, um olhar que desconfiava de alguma coisa.

— Tanjiro... Podemos falar... Em particular, por favor? – Perguntou Mitsuri, que olhou rapidamente para (s/n).

Mitsuri se dirigiu para seu quarto junto de Tanjiro, e fechou a porta para Chissoku não ouvir a conversa:

— Por que trouxe aquela maluca?

— Na verdade, ela veio até mim. Mas por que a pergunta? Há algum problema?

— Olha... Eu não vou com a cara dela. Deve ser por o que ela fez com você naquele dia, e também pelo motivo de que ela tem cara de ser uma pessoa que só quer brincar com seus sentimentos. – Disse Mitsuri, que se aproximou de Tanjiro.

— Opa opa... Que merda você ta tramando que se aproximou?

— Tanjiro, eu sou polissexual, ou seja, às vezes, não sempre, eu quero me relacionar com mais de uma pessoa. Por mais que eu tenha o Obanai, não me sinto 100% satisfeita, sabe? Já que ele viaja para alguns cantos e só o vejo nem todos os dias. Ele aceitou este artefato meu, mas no fundo sei que ele vive se incomodando com isso, por isso... Às vezes, nunca digo nada.

— Isso é... Totalmente maluquice o que você está dizendo.

— Tanjiro! Não fale assim! É a minha sexualidade! Você também não é arromântico? Ou deixou de ser?

— Minha vida não é um livro para ser contado ao público.

— Mas... Que porcaria, Tanjiro! Poxa...

— Esse assunto ta ficando totalmente fora do controle... – Ele murmurrou.

Tanjiro apenas disse nada, e se retirou dali. Depois chamou por (s/n), e os dois se despediram de Mitsuri e foram andando de volta para a pousada.

— Aquela garota...

— O que? – Perguntou Tanjiro.

— Ela não é coisa boa não, eu acho.

— Por que?

— Sei lá, só sei que o jeito que ela usa roupa me incomoda. Ela mostra mais o decote do meio entre os peitos com aquele vestido longo do que o normal. E as tranças dela... Quantos anos ela tem pra usar daquele jeito?

— E por que se incomoda tanto, (s/n)? – Perguntou Tanjiro, que estava rindo pelo ciúmes da garota.

— Pra mim ela pode te tirar de mim a todo momento! E como eu ficarei sem você? Minha vida tecnicamente perderá todo o sentido que você deu a ela... – Ela hesitou.

— Sabia que você fica muito fofa enciumada? – Ele perguntou, e começou a apertar as bochechas da menor.

— Ei! – Ela corou.

Os dois começaram a rir, e por mais que (s/n) se incomodava com a insegurança que sentia, ela deixou aquilo de lado por algum tempo.

Mais um dia se passou. Faltavam somente 24 horas para o grande show de The Hashiras, um show que com muita certeza fará um grande marco na carreira daquele trio.

Tanjiro começou o dia lendo mais um capítulo do livro tão famoso de seu falecido pai. Pelo incrível que pareça, parecia que ele estava perto de finalizar sua leitura.

"Au revoir, mon grand amour" - Capítulo 18.

"Acredito que nem tudo parece mais estar indo bem. Algo de errado estava acontecendo. Ela não conseguia mais sorrir verdadeiramente, como se algo estivesse a engasgando, ou melhor, a matando por dentro lentamente."

— Poxa... Mas o que será que esse capítulo aguarda? – Perguntou Tanjiro.

Lendo parágrafo por parágrafo atentamente, palavra por palavra, narração por narração Tanjiro continuou.

— Tanjiro! A Mitsuri ta aqui! – Exclamou Inosuke, que batia na porta do quarto do mesmo.

— Já estou indo!

Tanjiro então foi para o jardim com Inosuke, Zenitsu e Mitsuri. Por ventura, o quarteto começou a ensaiar.

Enquanto eles ensaiavam, (s/n) observava pela porta de vidro junto de Tomioka, e ainda sentia que algo ruim estava por vim.

— Ainda acho que algo bem drástico está por vim, Tomioka-san.

— Mas por qual razão pensa assim?

— Não sei, não sei lhe responder. Mas sinto no fundo do meu coração que algo me partirá ao meio e me deixará em uma tristeza eterna.

— Não pense desse jeito, Chissoku-chan. – Disse Giyuu, que abraçou (s/n) para poder amenizar a situação.

— Irei pro meu quarto. Já volto. – Ela respondeu.

Ao entrar, ela viu que o livro de Tanjiro estava aberto em cima de uma mesinha. Sem querer querendo, ou talvez um pouquinho proposital, ao fechar o livro marcando a página em que ele parou, ela "acidentalmente" acabou lendo um trecho do livro:

"Eu sei que devo te fazer mal. Mas não se preocupe, isso vai passar."

— Não... Não! Eu prometi ao Tanjiro-kun que só leria algo referente ao livro caso ele termine de ler! – Exclamou (s/n), que fechou o livro e ficou pensativa ao que leu.

Ela então saiu do quarto e foi para cozinha comer algo.

Depois de quase 1 hora, o ensaio tinha terminado. Faltavam em média de 3 horas para o show, e como Mitsuri não queria voltar para o apartamento, ela ficou na pousada junto do resto do pessoal.

— Então... O que vocês irão usar? – Ela perguntou. – Particularmente, eu estava pensando em usar um vestido rosa que bate nos meus joelhos, na verdade, eu iria parecer uma bonequinha quase, mas eu iria meio que combinar o meu look com a cor do meu cabelo.

— Ah, tanto faz, o que importa é que vou estar vestido – Disse Inosuke.

— Não sei ainda. – Disse Zenitsu. – Mas pesando bem... Bem que um vestido ficaria perfeito em você, ainda mais alinhando o seu corp-

— PARA DE SER TARADO SEU MALDITO – Gritou Tanjiro, que deu um murro no rosto do mesmo.

— EI! DOEU!

— É nisso que dá ficar falando das mulheres e ser um infiel verbalmente. – Respondeu Inosuke.

— Voltei com alguns cookies que preparei e leite gelado! – Disse Tomioka.

— E desde quando você cozinha? – Perguntou (s/n).

— Talvez... Desde os meus 17 anos. Mas não sei ainda se eles estão bons.

— Passa pra cá que a gente devora – Disse Inosuke, que pegou um cookie e devorou em um segundo.

— E aí? – Perguntou o resto do pessoal.

— Eh, não é ruim como eu pensei que estaria. Tá de parabéns até. – Ele respondeu.

As horas se passaram e todos então começaram a se preparar pro show. Primeiramente, Tanjiro fora o primeiro a chegar no local do show junto de (s/n), Mitsuri e Tomioka, Inosuke e Zenitsu estavam fazendo os últimos reparos em seus instrumentos.

— Tanjiro-kun! Quer ajuda para escolher algum visual? – Perguntou (s/n).

— Claro! – Ele começou a andar para o camarim junto de (s/n).

— Hmm...

— O que foi moça de cabelos rosados que não sei o nome? – Perguntou Tomioka.

— Nada não... E eu me chamo Mitsuri Kanroji.

Chissoku então escolheu um casaco preto e uma camiseta vinho para Tanjiro, e também uma calça xadrez.

— Hmm... Nunca me vesti assim, quer dizer, com uma calça assim. – Ele disse.

— Achei bem legal pra apresentação de hoje.

— Vou usar. – Ele sorriu.

Depois dele se trocar, Zenitsu e Inosuke apareceram por lá.

— Mais uma touca pra coleção, Inosuke? – Perguntou (s/n).

— Eu por algum acaso vi ela vendendo numa loja, e como eu curto esses tom de azul escurão, acabei comprando.

— Não acha que tem touca demais? – Perguntou Zenitsu.

— Não acha que você deveria calar a droga da sua boca? – Perguntou Inosuke, que riu em seguida.

— Vamos, gente! O pessoal ta começando a entrar. – Disse Mitsuri.

Depois de 1 minuto, já era notável de se ouvir as fãs gritando "The Hashiras". O trio subiu no palco, tudo ficou escuro até eles começarem a cantar a nova música: I Found a Girl.

Uma explosão de luzes coloridas aconteceu ali quando as luzes se acenderam, exatamente o momento em que o Tanjiro começava a cantar.

— Isso Tanjiro! Arrasa! – Gritava (s/n) da platéia.

Depois de algumas partes cantadas, chegou a parte em que Mitsuri começava a cantar.

Aquela sensação ruim havia retornado para (s/n). Ela sentia que algo depois do fim daquela música poderia acontecer, e era algo grave, teoricamente.

Com a música quase chegando no final, todo mundo cantava o último refrão alegremente, até mesmo os fãs que estavam ali prestigiando o show. E quando chegou na última frase onde Tanjiro e Mitsuri cantam juntos, algo realmente aconteceu: Após 3 segundos, Mitsuri deu um beijo em Tanjiro, e o público foi a loucura.

(s/n) arregalou seus olhos e ficou de boquiaberta após ver aquilo. Por mais que o Tanjiro a empurrou depois disso, ela não conseguia se convencer de que ele não queria aquilo, mas seu sangue começou a ferver quando viu que fora Mitsuri que fez aquilo.

— Que ódio... QUE ÓDIO! – Exclamou (s/n), que começou a correr e a chorar desesperadamente.

— (s/n)! – Gritou Tanjiro, que também começou a correr.

Todos que estavam ali ficaram totalmente surpresos com aquela cena.

— O que você fez, Mitsuri?! – Perguntou Inosuke, um pouco furioso.

— Eu só o beijei!

— MAS AQUELA GAROTA O AMA! – Gritou Tomioka.

— Gente... Vamos se acalmando... Por favor! – Dizia Zenitsu.

— Ela também beijou o Tomioka mesmo dizendo amar o Tanjiro! Isso foi justo! – exclamou Mitsuri.

Tanjiro corria sem parar atrás de (s/n), preocupado com o que ela poderia estar pensando naquele momento.

— Volta aqui! Vamos conversar! – Disse Tanjiro enquanto corria.

Sem dizer nada, (s/n) parou de correr, mas não olhou para trás.

— Chissoku...

Ela não parava de chorar, e somente disse algo depois de 2 minutos em um silêncio amedrontador:

— Tanjiro, sei que você deve amar outra pessoa, sei que talvez eu só te chateie. Por que estou aqui? Por que insiste em mim? Por mais que isso doa... Acho que você precisa se afastar de mim. Por conta de tais coisas que talvez eu tenha feito, isso aconteceu. Eu sei que devo te fazer mal. Mas não se preocupe, isso vai passar. Só... Não vá atrás de mim. – Disse (s/n), que começou a correr.

Sem rumo algum, Tanjiro apenas sentou-se no chão e começou a chorar em silêncio.

— Não vá, eu preciso de você. – Ele sussurrou enquanto caía no choro.

Após 40 minutos de todo aquele alvoroço, o show tinha sido cancelado, e não tinha uma data certa para acontecer novamente. Tanjiro voltou para casa, sozinho, com um coração vazio, e sem amor.

Ao entrar em seu quarto, ele viu que tinha sido tarde demais para se desculpar de novo. (s/n) tinha ido embora, e parecia ter ido para a casa de uma parente dela que também mora em algum lugar da França.

— Eu cheguei tarde...

Tanjiro se deitou em sua cama é não parou de chorar em algum momento. Até decidiu ler Electric Feel para ver se mais uma vez o livro "previu" o futuro. Por mais que tenha sido em cenários totalmente diferentes, o enredo das mesmas histórias foram semelhantes.

Depois de algum tempo lendo, o mesmo fechou o livro e começou a gritar mais uma vez pela dor que sentia em seu coração.

E enquanto a (s/n), a garota andava pelas suas carregando sua mala enquanto chorava. A casa de sua parente não era muuuuuito distante, mas a caminhada também não era tão rápida até o destino.

— Me desculpa, Tanjiro... Porém aprenda a viver sem mim, já que sou um grande erro em sua vida. – Ela pensou.

-autora off-



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...