História Elemental - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Kris Wu, Lay, Lu Han, Personagens Originais, Sehun, Suho, Tao, Xiumin
Visualizações 49
Palavras 7.200
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Ficção Científica, Hentai, Lemon, Luta, Magia, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olha ai a cara de pau depois de anos desaparecida postando achando que vai amansar alguém com essa merda de fanfic

Isso foi basicamente o pensamento de todo mundo :')

Mals pelo atraso TREMENDO FODIDO E DEMORADO

Mas é aquela velha coisa, tudo na vida piora e melhora, no meu caso nem sei o que é melhorar, deve ser de comer

Espero que tenham paciência comigo por que do jeito que as coisas tão, eu to pra morrer de desgosto e fome, por que meu irmão comeu o último pedaço de cuscus e isso me emputeceu >:'(

Mas enfim :3 espero que curtam por que eu demorei séculos por pura preguiça e por que eu tinha milhões de idéias pra esse cap, mas como eu não sou escrava a esse ponto vou adicionar coisas no próximo

Byebye Babes

~XOXO~ *3*

Capítulo 12 - Capítulo 12


- O que fazer quando uma metade dos seus amigos quer ir a praia e a outra metade as montanhas? - BaekHyun se esforçava para tentar cortar as folhas das árvores que entravam na madeira da casa

- Não vai para nenhum dos dois - Manit riu

- E se eles estiverem planejando isso a meses e você quer ajudar mas não sabe como? - Terminou de cortar, agora pegando um saco para por todas as folhas

- Então deveria resolver com eles - Desceu da cadeira de carvalho com os potes de açúcar e farinha nos braços os pondo na mesa - Ou só entrar em um consenso

- Mas o problema é que eles não querem entrar em um consenso, estão praticamente disputando minha afeição - Suspirou levando o saco para fora - Muito embora eu não ligue para qual lugar ir, só queria passar um tempo com eles - Voltou para dentro indo ajudar a mais velha com os ingredientes

- Isso é normal Baek, amigos as vezes são como pais, meu pai e minha mãe constantemente queriam minha atenção por ser filha única - Pediu para que colocasse a farinha aos poucos, enquanto ela batia a massa - Mas não significa que dividia atenção, eu deixava eles sem nenhuma - Riu

- Eu não consigo deixar as pessoas no vácuo, acho falta de consideração - Acabando de pôr toda a farinha necessária, colocou o pote de volta na prateleira - Eu queria passar um tempo com eles, conhece-los melhor, mas nenhum deles está a favor de cooperar com o outro - Suspirou sentando-se escorando os braços na mesa - O que eu faço madrinha?

- Bem, pode ir a um lugar diferente desses - Sorriu pegando uma tigela de aço para pôr a massa - Nem a praia nem as montanhas, mas um lugar que eles gostem - Levou a massa ao forno a lenha, atiçando a madeira para o fogo aumentar - E que todos se divirtam

- Mas onde seria? A viajem já é amanhã e não tenho tempo de pensar em nada bom o bastante - Suspirou voltando a sentar na cadeira escorando-se na mesa

- Sabe, eu tenho algo para você - Direcionou-se a sala onde tinha uma pequena estante de livros, pegou um deles, o mais chamativo, com a capa quase reluzente - É um lugar que minha mãe me levou e eu nunca o esqueci - Revirou as páginas voltando a mesa, inclinou o livro para baixo mostrando a gravura de uma paisagem, aparentava ser uma qualquer, mas possuía um rio, flores por toda parte e árvores gigantescas, em desenho era incrível ver - As Montanhas de Routhmoon - Virou-se para ele que mantinha um sorriso enorme no rosto - Quando fui lá com minha mãe, ela me contou várias lendas sobre esse lugar, disse que era onde os melhores bruxos treinavam, onde os monges aprendiam sobre liberdade e compreensão, e onde o primeiro detentor da luz foi criado - BaekHyun arregalou os olhos

- O lendário poder foi criado ai? - Apontou para a gravura

- Não, essa foi exagero dela - Fechou o livro pondo-o de volta na estante - Mas é incrível, é ótimo deitar na grama, subir nas árvores... Ah.. As árvores... - Fechou os olhos aproveitando as lembranças que aquela simples gravura tinha lhe proporcionado - Queria poder ir lá novamente - Voltou sentando-se na mesa junto ao menor

- Porque não vai com gente então? Pode ser bom para a senhora - Riu levantando da cadeira para se espreguiçar

- Acho melhor não, a viajem é de vocês, não tenho muito o que fazer, depois eu levo você e sua mãe e aproveitamos só nós - Levantou indo com ele até a escada - Agora vai dormir, tem que acordar cedo amanhã - Beijou sua testa deixando-o subir

- Boa noite madrinha - Acenou

- Boa noite querido - Antes de ir para o quarto, voltou rápido a escada - BaekHyun - Chamou, ele pôs a cabeça na escada para mostrar que estava ouvindo - Vou deixar o livro em sua mochila para poder indicar a eles

- Ta bem, boa noite - Entrou no quarto fechando a porta com cautela

- Boa noite - Sussurrou

Depois de apanhar o livro e coloca-lo na mochila, Manit voltou ao quarto pensativa sobre a tal viajem.

Por que sentia que isso era má ideia?



Saindo de casa, BaekHyun se despediu de sua mãe e madrinha, depois de muita insistência de Dyeli para que se certificasse que estava com tudo na mochila, que sabia onde era o lugar, que tinha consciência que estava longe de casa e que não devia sair de perto dos amigos, que devia se manter hidratado e bem alimentado, conseguiu, enfim, ir ao encontro de seus amigos.

Acompanhados de uma mala cada um, e, estranhamente, de um cachorro peludinho e pequeno, os onze garotos ainda discutiam para onde iriam, o que não foi grande coisa para BaekHyun

- Vocês ainda estão nisso? - Bradou ao chegar no ponto de encontro e encontrar um bando de gansos humanos gritando

- Se os cabeça dura não fossem tão eles, já teríamos decidido onde ir - Luhan fez questão de focar seu olhar em Kris, pelo jeito o mesmo percebeu

- Se as mocinhas não fossem tão frescas, já teríamos ido numa boa - Tao impediu o amigo de cometer um assassinato o segurando pelos braços

- Não vamos arrumar briga agora Luhan - Assegurou - Talvez quando estiver sozinho voltando para casa você possa pegar ele desprevenido - Kris já engolia em seco só de ouvir a voz daquele garoto - Mas ele está acompanhado

- Você já é estranho o bastante Huang, não precisa esclarecer o quanto é doido também - Recebeu o famoso olhar de "Corre pela sua vida", mas só se encondeu atrás de Chanyeol, que até então não se metia na discussão

- Se sou estranho ou não, não me importo, só queria saber se vamos sair daqui ou só nos matar para decidir, eu particularmente prefiro a primeira opção - Arrastou Luhan para trás para previnir um ataque surpresa em qualquer um dos garotos

- Eu escolho a opção de só pararmos com essa esculhambação e decidirmos logo esta merda desta viajem - Chen se pôs a frente de todos recebendo um puxão no braço por parte de Kris

- Não encosta nelas, a viadagem das meninas pode ser contagiosa - Tao precisava ter muita paciência com Luhan nesse momento

- VEM CÁ QUE EU TE MOSTRO A MENINA SEU INFAME - Se debatia tentando se soltar do aperto de Tao, que lutava para conter a fera

- Eu não tenho tempo para isso - BaekHyun foi até o pequeno grupo "oposto" - Kai, pode vir comigo? - Acenou positivamente seguindo o mais velho

- Wu Yifan, você poderia se calar um minuto? Obrigado meu amigo compreensivo - Chen deu-lhe um tapa na nuca

- É melhor mesmo, antes que eu faça algo que me arrependa - Luhan bufou - Não espera, não vou me arrepender não - Encarou o outro

- Ta chega - BaekHyun chegou em meio a briga pegando sua mala firmemente - Peguem suas malas e coloquem suas mãos no meu ombro ou no ombro do Kai, é pra hoje - Mesmo sem entender, os dez fizeram o que lhe foi pedido, pegaram suas malas, Luhan apanhou seu filhote e puseram a mão no ombro do outro, formando duas correntes - Segurem-se - Deu o comando ao mais novo, e em um milésimo de segundo, os doze garotos sumiram deixando um rastro de vento para trás


🌲


- Ah! Meus Deuses - Luhan se ajoelhou tossindo insistentemente - Vou vomitar meu jantar de ontem

- Vou vomitar minhas tripas - Xiumin caiu em meio a grama com as mãos na barriga

- É um efeito comum, já já passa - Kai deu duas batidinhas nas costas de Kris, que parecia não estar bem

- Eu acho que meus órgãos trocaram de lugar - Sussurrou em meio a gemidos dolorosos

- Também não é pra tanto - BaekHyun riu - É só fechar os olhos e respirar fundo, passa rapidinho - Foi até Kyungsoo, que já levantava do chão um pouco desnorteado - Mas conseguimos chegar, já é um começo

- Por falar nisso, onde estamos? Não parece uma praia ou as montanhas que queríamos ir - Luhan se ergueu ainda massageando a barriga dolorida

- Por que não levei a gente a nenhum dos dois - Se pôs a frente dos onze garotos e sorriu largamente - Senhores, bem vindos as Montanhas de Routhmoon - Abriu os braços sendo atingido por uma ventania leve

- Bem cena de filme - Kyungsoo riu - Montanhas de Routhmoon, nunca ouvi falar - Olhou em volta

- Eu já tinha visto gravuras dessas montanhas, mas nunca vi realmente, não tem um mapeamento exato - Sehun Apanhou sua mala tirando a grama enroscada na mesma

- Esse lugar é lindo, parece um paraíso - Chanyeol se entretia em mecher nas florzinhas dos galhos de uma pequena árvore

- Que nome engraçado para um paraíso - Kris riu - Routhmoon, isso tem cara do Povo da Água, eles gostam de misturar lua nos nomes - Olhou em volta procurando algo - Por falar em Povo da Água, cadê o Suho?

- Ele estava do meu lado quando Kai nos trouxe - Lay começou a olhar a sua volta - Ué meu! - Pôs as mãos na cabeça - Junma! - Gritou

- Calma Lay, ele tá' aqui, ele veio com a gente - Chanyeol acalmou

- Como pode saber? - Já tinha o tom de voz alterado

- Ele tá' aqui - BaekHyun afirmou, olhando a sua volta - De alguma forma eu sei que está aqui - Observou mais um pouco e começou a caminhar pela beirada do grande rio, sendo seguido por Lay apressadamente, até encontrarem Suho parado de costas para eles fitando o céu atentamente

- Junma - Lay chamou indo até ele - Onde estava? Fiquei preocupado... - Parou atrás dele, que ainda permanecia estático - Junma? Está tudo... - Suho em um movimento rápido, se virou para si, mostrando seu enorme sorriso e seus olhinhos espremidos

- Xing, sabe onde estamos? - Sorriu largo dando pequenos pulinhos

- Nas Montanhas de Routhmoon? - Ele parecia muito radiante, como se tivesse visto algo surpreendente - Junma... - Foi puxado pelo braço até a beirada do grande rio, onde Suho apontou para as montanhas a sua frente

- Essas montanhas ficam perto da costa da praia, próximas das cidades do norte - Nao conteve a felicidade - Estamos perto de Lonelian - Sorriu

- Você quer dizer que... - Esboçou um sorriso

- É perto da minha casa - Abraçou-o apertado sendo retribuído - Eu estou perto de casa - Suspirou aliviado e feliz

- Com licença, não quero atrapalhar o momento casal magia, mas o que exatamente fez o Suho chorar? - Kris interviu

- BaekHyun - Correu até ele para abraça-lo assim como abraçou Lay a estantes atrás - Muito obrigado - Riu animado

- Por...? - retribuiu confusamente, assim com Lay

- Por me trazer aqui - O olhou e lhe deu vários beijinhos no rosto - Me trouxe para casa - Sorriu sentindo mãos envolverem sua cintura o puxando para trás

- Okay, não vamos exagerar - Lay apertou a cintura alheia ouvindo um muchocho do outro

- Hum! Lindo - Debochou voltando aos demais

- Até que enfim, onde estavam? - Luhan suspirou observando os garotos voltando juntos, Lay ainda com a mão na cintura de Suho - Pelo visto estavam bem - Sorriu maliciosamente

- Não amola Luhan - Suho repreendeu, se aproximando lhe dando um tapa no braço

- Ai estressada - Sorriu saindo de perto - Tudo bem, parei - Riu - Enfim, Byun BaekHyun, o senhor nos trouxe aqui, então deve saber onde vamos ficar não é?

- Bem...


🍃


- Temos um pequeno porém Madrinha - Se aproximou do quarto da mais velha, esta ajeitando suas roupas de caça

- E qual seria? - Pegou seu arco e sua bolsa de flechas, pendurando-os nas costas

- Não temos lugar para ficar lá, os garotos não vão querer ficar na areia - Riu nervoso sendo puxado pela outra até a sala no andar de baixo

- Você acha que sua Madrinha anda desprevenida? - Sorriu vasculhando sua bolsa, encontrando uma pequena casinha de madeira, pequena em uma forma que cabia na palma de sua mão - Leve isso e quando chegar na praia, enterre na areia, o resto é com ela - Entregou a pequena construção deixando um beijo em sua testa - Agora vá pegar a mala, sua mãe está voltando da feira para se despedir


🍃


Chegando ao final da floresta, seus pés acharam a areia macia e morna da praia, cuja água vinha com ondas medianas, além da água ser límpida o bastante para observar tudo embaixo dela. Encostaram as respectivas malas em um coqueiro próximo e permaneceram na sombra das árvores, Luhan, Kyungsoo e Chen ficaram conversando sentados no galho de uma delas, enquanto o resto sentava na areia para descansar da recente sensação de teleporte, e da longa caminhada até a praia

BaekHyun se aproximou de um lugar distante da floresta e da praia, cavou um pequeno buraco, colocando a pequena casinha em seguida, tapou com a areia novamente e se afastou, esperou, esperou, mas nada aconteceu

- O resto é com ela - Repetiu de forma debochada - Madrinha, não podia ter avisado a ela antes que devia fazer alguma coisa - Bufou de braços cruzados, esperou mais um pouco, mas nada acontecia - É, ela é burra ou só desavisada - Descruzou os braços, voltando aos garotos, ainda tentando se destrair

- Então, cadê nossa "casa"? - Luhan fez aspas com os dedos - Ou ela achou o caminho de volta e fugiu? - Suspirou caindo na areia de costas, sendo seguido do pequeno filhote, que se deitou em seu peito

- ‎Parece que minha madrinha não sabe de tudo afinal - Sorriu minimamente - Más notícias pessoal, vamos ter que improvisar uma casa - Tao imediatamente se levantou com sua mala, seguindo pelo caminho que BaekHyun voltara - Aonde vai?

- ‎Para casa ué - Revirou os olhos

- ‎Mas não deu cer... - Um tremor de terra seguido de uma ventania de areia assustou os garotos, que levantaram na tentativa de ver o que se passava

- Sehun! - Kris esbravejou indo até menor e dando-lhe um tapa na nuca

- ‎Ai! Não fui eu! - Devolveu da mesma forma

- ‎Cadê o Tao? - Luhan tentava falhamente observar por entre a tempestade de areia, mas seus olhos já estavam ardendo fe tanto esforço

- ‎Ele foi para o que seria a casa - A ventania já cessava, a visão já se estabelecia, e pouco a pouco, iam se encontrando - Mas o que foi isso?

- ‎Um terremoto seguido de uma tempestade de areia tremenda - Sehun levou outro tapa - O que que eu te fiz Hyung? - Reclamou

- ‎Não diga o óbvio idiota, não é importante - Suspirou - acho que o mais importante agora é achar aquele estranho do Huang, se é que aquela tempestade não o fez se perder

- ‎Mais provável que a tempestade acabou por que fugiu dele - Chen riu

- ‎Ou foi chamar a mamãe para defende-lo da besta feroz - Kris completou rindo junto, recebendo uma pedrinha na cabeça

- ‎Desculpe, queria acertar mais embaixo - Kyungsoo se pôs a frente de todos indo na mesma direção de onde Tao seguira - Seja lá o que causou aquela tempestade- - Apanhou a mala dos outros colocando-as no ombro, parecendo não se importar muito menos sentir o peso delas - -não vamos descobrir parados aqui feito crianças perdidas - Sem muito falatório, os demais o seguiram

Caminharam pouco, mas o suficiente para descobrir o por quê daquela tempestade. A casa, que a poucos minutos era uma miniatura, estava lá, grande e em perfeito estado, uma réplica da pequena construção que a madrinha de BaekHyun havia lhe dado. Todos ficaram boquiabertos, incluindo Kyungsoo, que deixou as malas caírem causando um estrondo assustador

- Parece que a madrinha feitiçeira sabe de tudo afinal - Kris riu se aproximando da madeira de carvalho que formava a cerca pequena, fazendo uma varanda perfeita para descansar - É incrível - Elogiou, os outros concordaram

- ‎O que estão fazendo ai fora? - Tao apareceu na porta com sua expressão séria constante - Entrem, tem quartos para todos nós - Voltou para a porta sinalizando para o seguirem

- ‎Então... ta - Com hesitação elevada, seguiram-o tomando cuidado para não tocar em nada, aquela cerca parecia tão frágil que tinham medo de um mero toque a desmontasse

Passaram por todos os cômodos admirando a organização, era tudo feito de puro carvalho e parecia ser lustrado, alguns móveis eram feitos de vidro e mármore, o que contrastavam com as janelas de cristal, deixando a luz ofuscante do sol iluminar parcialmente o ambiente. A sala era espaçosa tendo um sofá de pele aparentemente de ovelha, uma mesa pequena de todas de árvore, uma janela enorme coberta por uma cortina de tecido quase transparente e decorações de flores e plantas em geral, saindo da sala havia um hall enorme, com uma escada maior ainda, que levava a duas escadas de direções opostas, dando para o segundo andar protegido por cercas firmes, formavam um corredor repleto de portas, possivelmente eram os quartos e alguns cômodos a mais.

BaekHyun ajudou todos a acharem seus quartos, não se diz que não ocorreu brigas entre Luhan e Kris, isso é costumeiro. Depois de instalados, passaram a explorar todo o ambiente, conhecendo os cômodos que tinha, que, por incrível que pareça, não eram poucos. BaekHyun não quis se juntar aos outros, por isso saiu para a varanda, aproveitando o vento fresco que aliviava o calor parcial, sentou-se na pequena cadeira de balanço que encontrou perto da porta, e se concentrou em apenas relaxar, tinha que pensar em tudo que tinham pela frente, Luhan e Kris ainda estavam em pé de guerra, os pensamentos estranhos e sensações que estava sentindo a um tempo estavam mais agitados, sentia que seriam longas férias


🌅


Não acreditavam que três meses tinham passado tão rápido, dizem que quando se diverte tudo parece mais acelerado e é verdade. Três meses recheados de risadas, brigas e muita, muita água, pois o calor estava aumentando a cada dia. Faltavam exatos sete dias para voltarem para casa, difícil era se convencerem disso

- Será que se eu convencer o Huang ele retrocede tudo? - Kris e Chen estavam deitados na areia, cobertos pela sombra da casa que bloqueava o sol de entrar nos seus olhos

- ‎Eu pediria para ele voltar para quando você nasceu e te matar - Riu - Assim não existirá para ele te olhar feio

- ‎Assim ele olhará feio para você - Estalou a língua - É o mais próximo de mim, recebe a encarada no meu lugar - Sentou-se suspirando - Mas é sério, falta uma semana para acabar e sinto falta de algo

- ‎Falta de quem? Ou de que?

- ‎Não falta disso, sinto que falta algo para fazermos que não fizemos em três meses - Alisou o queixo pensativo - Eu sinto que não fizemos algo, um pequeno algo - Pensou por um tempo até bater as palmas quando uma luz se acendeu no topo de sua cabeça - Um acampamento - Se animou - Não fizemos um acampamento ainda, era isso que faltava

- ‎Sabia que era algo relacionado a fogueira - Sorriu fraco - Você era a pessoa que eu mais apostava em relação a acampar - Levantou-se batendo a areia do corpo - Devemos avisar aos outros, podemos passar a noite acampando - Subiu a escadinha da varanda seguido do amigo

- ‎BaekHyun - Chen chamou, BaekHyun, junto a Luhan e Lay, faziam o almoço na cozinha

- ‎Eu - Respondeu lavando as mãos e enxugando-as em um pano que encontrou na mesa - Ta' tudo quase pronto, só falta o molho terminar de ferver

- ‎Valeu, mas não é isso que queremos falar - Se aproximaram da mesa sentando os dois um do lado do outro

- ‎E sobre o que é? - Sentou junto a eles

- ‎Eu pensei muito e percebi que fizemos de tudo nesses três meses, menos uma coisa - Fez um pequeno suspense - Acampar - Bateu os dedos na madeira

- ‎Acampar hum.. - Se apoiou no encosto da cadeira pensante - Pensando bem, não acampamos nenhum dia - Voltou a se levantar - Decidido, vamos acampar hoje, podem preparar as coisas? - Sorriu voltando ao forno a lenha

- ‎Claro que sim - Levantaram-se indo até a sala - Vamos precisar de ajudar, mas especificamente alguém forte para carregar o máximo de madeira possível - Ficaram de pé em meio ao espaço pensando em todos que tinham vindo

- ‎Eai - Ouviram um cumprimento baixinho vindo de trás, Kyungsoo sentou-se no sofá e fechou os olhos, aparentava ter saido do banho já que seus cabelos estavam molhados, eles se entreolharam, sorriram, e aproximaram

- ‎Eai - Responderam risonhos


🌙


Era fim de tarde e todos já se encontravam na cabana de troncos improvisado, era um tanto grande, já que deveriam caber doze pessoas mais um filhote de Pomeranian, que, cá entre nós, não estava recebendo muita atenção de seu dono, já que ele só sabia ficar na cola de um certo elemental, mas especificamente um elemental aéreo.

Saber que ao menos ele estava se dando bem com alguém era bom, já que nunca o viu interessado em ninguém de sua espécie, muito menos de espécie diferente. Mas seu papai poderia ser de quem quisesse, se estivesse feliz

Com uma ajuda de Chanyeol, a fogueira estava pronta, o sol se escondendo e a esfera prateada iluminando os olhos de todos, formava-se assim o ambiente perfeito para os garotos, se ajeitaram ao redor da fogueira, usando troncos como assento, formaram pares para ocupar menos espaço: BaekHyun e Tao, Chen e Kris, Xiumin e Kyungsoo, Lay e Suho, Kai e Chanyeol e Sehun e Luhan.

Chanyeol passou um tempo entretendo todos com suas habilidades de pirotecnia, Kyungsoo e BaekHyun se uniram para cantar uma música criada por Luhan, a mesma da partitura perdida, que até hoje Kyungsoo não sabia onde estava, mas Luhan já tinha o dito como terminava. Depois de algumas horas de risadas e guloseimas queimadas, já era dez da noite, todos estavam prontos para ir para dentro da cabana, já estava forrada de galhos grossos e flores que Lay havia feito, o chão de madeira que Kyungsoo havia feito estava lotado de colchões, cobertores e travesseiros, o frio que fazia a noite compensava o calor do dia.

O filhotinho de Luhan (que descobriram se chamar Yeng) estava muito quieto, mas ninguém se propôs a perguntar o porquê, já que somente Luhan sabia que sua natureza era agitada. Arrumaram-se todos em cada colchão e passaram mais alguns minutos rindo das piadas de Sehun, que somente Luhan ria, os outros riam de sua risada.


🌌


Depois de um tempo, BaekHyun acorda com um incômodo no nariz, abriu os olhos preguiçosamente, percebendo uma bolinha castanha e peluda passando uma pequena lingüinha em seu rosto, sorriu e levantou a cabeça esfregando os olhos

- Yeng, está com insônia? - Bocejou - Tem que dormir, amanhã vamos a Lonelian, Suho vai passar um tempo a mais com a família antes de voltarmos - O pequeno ainda se achegava agitado, querendo chamar sua atenção - Yeng, eu estou cansado, não hoje está bem? - Ele, infelizmente, não deu ouvidos, continuando as carícias - Yeng... - Abafou sua voz no travesseiro, ainda sendo cutucado pelo filhote - Está bem chatinho, uma volta e chega, estou cansado e com sono - Levantou em silêncio de seu colchão, levando o pequeno até o lado de fora da cabana

O pequeno correu até a areia molhada agitando-se a cada passo, BaekHyun ria e o seguia vagarosamente, seu sono e preguiça eram altos, mas o filhote era tão energético, que começara a se animar. Depois de um tempo jogando uma lasca de árvore para que apanhasse, BaekHyun já esquecera do sono, correr pela areia, sentindo o vento salgado, de alguma forma o revigorou, mas o cãozinho o ajudava a se cansar de novo

Quando já estava sem sono algum, o pequeno começou a correr para longe, em direção as longas árvores, BaekHyun o seguiu, sentindo as flores esmagadas sob seus pés, os galhos chicoteavam suas costas e os latidos iam ficando menos audíveis, BaekHyun já estava sendo totalmente guiado pelos barulhos de patas, a luz da lua penetrava parcialmente entre as folhas, deixando sua visão pouco nítida

Quando o som do filhote desapareceu, BaekHyun parou, olhou a sua volta e não identificou nada familiar, nenhum ponto de referência, nada que localizasse onde estava. Estava totalmente perdido em uma ilha que nunca visitara antes, situação pior não existia.

- Yeng - Chamou estalando os dedos na esperança de atrair o pequeno - Yeng por favor, mande um latido, um ganido, qualquer coisa - Só recebeu silêncio e o som das folhas atingidas pelo vento - Yeng - Decidiu seguir em frente, tinha que ao menos chegar ao outro lado da floresta, onde chegaram

Correu mais aceleradamente, chamando o nome do filhote, que aparentava estar tão perdido quanto si, não ouvia mais seus sons familiares, não tinha como alguém vir atrás de si, já que saiu sem ninguém perceber, seus pés já se cansavam e estavam machucados por causa das plantas e da terra cheia de pedras, mas se não achasse alguém ou o próprio Yeng, não voltaria.

- Yeng, pelo amor dos Deuses, se Luhan souber que te perdi vai me matar antes de qualquer animal selvagem - Se encontrava em meio a uma mata mais fechada, parecia não haver trilha, não havia por onde passar, mal conseguia ver o que tinha a frente

Depois de uma longa corrida, chegou a uma área, onde haviam árvores enormes cobertas de cipós e musgo e flores nascidas no mesmo, enfeitavam um cenário de completo verde, com seus tons amarelos e cinzas, a luz da lua parecia uma visão do céu, nunca vira algo tão bonito. Se aproximou um pouco, haviam mudas pequenas, grandes e alguma tão gigantes que tomavam toda a luz que se formava do holofote gigante no céu, BaekHyun se distraiu por um momento na beleza natural, mas logo retomou sua caminhada, teve que atravessar o conjunto de árvores sentindo os cipós lhe arrepiarem a nuca, ignorou olhando a sua frente, para voltar a tentar achar o filhote.

Não foi preciso caminhar muito para chegar ao fim da floresta, parando em um campo aberto, justamente o lugar por onde haviam chegado, mas parecia diferente, algumas pedras que não estavam ali antes, completavam uma barreira pequena ao redor do grande rio, algumas árvores que antes secas estavam cheias de vida, flores novas e mais coloridas enfeitavam o campo. Mesmo com três meses, para uma árvore voltar a vida levava anos, para flores crescerem, ao menos sete meses, e pedras não cresciam do nada, como tudo mudara tão rápido? Mesmo para um mundo mágico, não influenciavam a natureza, segundo os elementares, ela deve ter seu próprio tempo

- Vocês são péssimos com regras - Riu, olhou em volta a procura do pequeno, ele não podia ter ido longe, a ilha é isolada do resto do mundo, e era muito pequeno para nadar em alto mar, eventualmente o acharia - Difícil saber quando - Suspirou

Saindo de seu estado de transe, caminhou pelo campo aberto, vendo o quanto tudo havia mudado, até mesmo os pássaros, que antes existiam na região, pareciam não existir alí, era tudo muito novo, só não entendia por quê. Nesse meio tempo, ouviu barulhos de pedras atrás de si, sentiu uma sensação estranha, como se alguém o tivesse observando, virou-se rapidamente não vendo ninguém, permaneceu olhando para ter certeza, e seu perseguidor foi revelado, ou melhor, perseguidora

Uma pequena garotinha escondida atrás de uma pedra que, mesmo pequena, era maior que ela, seus olhinhos curiosos olhavam BaekHyun como se o duvidasse, BaekHyun não se espantava, assim como era estranha para ele, era estranho para ela. Ela fez menção de se aproximar quando ele sorriu e deu um "Oi" tímido, mas hesitou, voltando a se esconder na "pedra escudo"

- Ei! Está tudo bem - Sorriu se aproximando - Não vou machuca-la, okay? - Assegurou se abaixando e estendendo a mão, esperou ela dar o primeiro passo, e o fez após um tempo - Venha... não vai acontecer nada - Ela, após passos lentos e contados, se aproximou de sua mão e a tocou com a própria, esta sendo tão pequena que era envolvida totalmente pela de BaekHyun - Você é corajosa - Sorriu - É sempre corajosa assim? - A pequena não respondeu, apenas permaneceu fitando as palmas juntas - Não precisa ter vergonha, fale comigo - Ainda em silêncio - Não sabe falar? - Ergueu seus olhinhos até o rosto dele, ainda sem dizer nada - Acho que não sabe, pelo menos não minha língua, muitos imigrantes chineses estão vindo para cá - Alisou a parte superior da pequena mão - Eu não sei muito falar chinês mas posso me esforçar por você

- ‎Na verdade eu posso falar sim - A voz infantil finalmente veio a tona, deixando BaekHyun mais que surpreso - Eu só não podia falar com estranhos - Sorriu minimamente - Mas você não parece um estranho agora - Sorriu largo, um sorriso acolhedor e de olhinhos apertados

- ‎Obrigado? - Riu - Que bom que confiou em mim por um momento - Olhou a sua volta lembrando-se do que veio fazer - Você viu um cachorrinho por aqui? Um filhote mas especificamente

- ‎O que é um cachorrinho? - BaekHyun de primeira sorriu, mas começou a achar aquela pergunta estranha

- Na verdade é um Pomeranian, eles são bem fofos e adoráveis, mas também são muito energéticos, percebi isso essa noite - Riu ainda curioso com o olhar questionador da menina - ‎Não sabe mesmo o que é um cachorrinho? - O sorriso morreu aos poucos

- ‎Não, aqui não temos nada disso - A pequena mantinha um olhar despreocupado, como se tudo o que estivesse dizendo fosse legítimo, sem pegadinhas ou piadas de mal gosto, não tinha um olhar culpado então não poderia ter roubado o filhote, ela não expressava nada além de curiosidade e inocência

- ‎Aqui...? - Suho havia dito que Lonelian, sua terra natal, era repleta de cães e gatos, cavalos e muito gado, o que normalmente teria em terras geocinéticas (elementais de terra), Lonelian sendo naquela ilha, teria que manter os animais livres, eles infestavam toda a ilha, mas não havia sequer um filhote de pássaro piando nas árvores, onde estariam os animais dali? - Aqui não são as Montanhas de Routhmoon? - Questionou quase em silêncio, mesmo assim, a menina ouviu

- ‎Não, aqui não tem nome - BaekHyun estava ficando mais assustado a cada comentário - Minha mãe disse que Ferra não deu um nome real, ela só disse que aqui era nosso lugar - Confuso, perdido, e, estranhamente, convencido de que era um a pegadinha, aquela garotinha devia saber disfarçar muito bem uma mentira

- ‎Ta bem, eu não sei quem é essa pessoa, mas eu preciso muito achar meu cachorro, sabe onde posso achar alguém que saiba o que é um cachorro? - A garotinha pensou, pensou, e com um biquinho sutil, completou

- ‎Na cidade deve haver alguém, os adultos sempre escondem coisas de nós - Agarrou a mão de BaekHyun e o levantou, para guia-lo até a tal cidade - Você vai gostar de lá, minha mãe é bem esperta, vai saber onde está seu cachorrinho - BaekHyun podia jurar que quando a pequena se virou, viu duas manchas em suas costas, uma ao lado da outra, parecia que sua pele estava se abrindo, mas deixou isso para lá, poderia ser só impressão

A pequena o guiou até uma pequena cidade, bem peculiar por sinal, as casas não eram de pedra ou iluminadas por lamparinas, eram feitas de grama e galhos, flores enfeitando as portas e janelas e vagalumes espalhavam luz por onde passavam, apenas os telhados eram de algo sólido, mas não aparentava ser concreto, BaekHyun não sabia de ficava maravilhado ou se desconfiava muito de onde estava, era tudo maravilhoso, mas se sentia um tanto deslocado, aquele cenário não era comum hoje em dia. Passaram por algumas casas apagadas, parece que todos já estavam dormindo, por que aquela pequena não estava?

Enquanto paravam na frente de uma casinha especifica e a garotinha batia na porta, BaekHyun percebeu o sol nascer, era mais lindo ainda visto dali, parecia que estava mais perto ainda. Depois de quase derrubar a porta de tanto bater, ela se abriu, revelando uma moça um tanto cansada, estava bem vestida em um vestido marrom de manga longa, estilo rainhas medievais, seu rosto já possuía algumas rugas e ela aparentava não ter mais que trinta anos, no momento em que viu a pequena, a abraçou imediatamente

- Briana, o que estava fazendo aqui fora? Não estava dormindo? - Perguntou com tom preocupado e calmo ao mesmo tempo

- ‎Senti dores nas costas durante a noite, não consegui dormir - Respondeu em tom choroso

- ‎Ah meu amor - Passou as mãos pelo rostinho dela, sorrindo ternamente - Devia ter me avisado, poderia ter feito algo para aliviar, mas é normal, logo essa dor será sua passagem para uma nova vida - Levantou-se com a pequena no colo, mas não percebeu a presença de BaekHyun, que se mantinha calado

- ‎Mamãe, eu encontrei um moço - Apontou - Ele estava procurando um cachorro - A senhora olhou-o de cima a baixo, sua expressão parecia um tanto confusa, admiração pelos seus fios platinados e olhos azuis como o mar, mas ainda estava relutante

- ‎Cachorro? - Seus olhos ainda mantinham um sentimento irreconhecível, parecia espanto com curiosidade

- ‎Sim, eu perguntei a ela se não havia visto, ela disse que não sabia o que era e que aqui não tinha isso - Riu - Mas presumo que a senhora saiba o que é, crianças não são muito "pé no chão" - BaekHyun estava rindo, mas a mulher ainda não expressava algo concreto, ela forçou um sorriso e colocou a garotinha no chão

- Briana, vá para dentro, deixe que eu converse com esse senhor um tempo - Internamente, BaekHyun se perguntava de onde veio aquele "senhor", ele não era tão velho assim era?

- ‎Ta' bem - Saiu correndo para dentro deixando sua mãe frente a frente com BaekHyun, que a essa altura não se surpreenderia com nada vindo da moça

- ‎Essas crianças, eu só queria achar meu cachorro, mas acabou que foi algo bom ela ter me trazido aqui, a senhora ficaria preocupada se...

- ‎Como sabe dos cachorros? - Não se surpreenderia com nada, ele disse, nada seria novidade, ele disse

- ‎Como? - Aquilo parecia uma grande brincadeira, muito sem graça por sinal

- ‎Eu perguntei - Se aproximou mais, BaekHyun recuou - ,como sabe dos cachorros? - BaekHyun sinceramente não estava entendendo

- ‎Moça, eu não sei o que está acontecendo, mas eu só quero meu cachorro

- ‎Quantos anos tem rapaz? - Muito aleatório

- ‎Dezessete - Respondeu mesmo sem muita certeza da situação

- ‎Então como... - Parou um pouco espantada, por mais que BaekHyun não entendesse o que se passava, as reações daquela mulher o estavam deixando aflito - Como poderia saber? - Seu tom de voz abaixava a cada comentário

- ‎Moça, eu não sei por que a senhora está tão... - Pensou um pouco - Assim - Gesticulou apontando para ela - Mas eu preciso achar o cachorro do meu amigo e ir embora, então se a senhora... - Ela se aproximou de si, mais e mais - ... não se importa... - Mais - ... eu... - Mais um pouco, BaekHyun recuava todas as investidas, mas ela só se aproximava mais ainda - ... tenho que ir... - Se virou para ir embora, mas a mulher o pegou pela blusa e o jogou no chão, assustado, não soube como reagir - Que isso??? - Esbravejou, teve sua boca coberta pela mulher, que aproximou seu rosto de si, com um olhar sério e empalador, e algo muito estranho (na classe de coisas que nunca tinha visto) começou a acontecer

- ‎Você não deveria estar aqui - Seus olhos de pretos passaram para cinzas, em suas costas, algo crescia, como se vergalhões saíssem de si, BaekHyun não sabia o que fazer, o que aquela mulher faria? - Até saber se você é quem penso que é... - Agarrou mais ainda os braços dele, impedindo qualquer movimento - ... terá que sair daqui - Sem muito esforço, soprou em seu rosto, aparentava ser um pó saindo de sua boca, em forma de uma pequena brisa, deixando BaekHyun sonolento - Ficarei de olho em você... - E isso foi a ultima coisa que BaekHyun ouviu, antes de apagar totalmente


🌅


Algo fazia seu nariz se irritar, algo molhado e quente, aparentava ser... uma língua?

Acordou com sua cabeça um tanto dolorida, sentindo algo duro embaixo de seu corpo, cheio de farpas e bem desconfortável, era nada mais nada menos que o chão. Sua vista estava embaçada, mas conseguia visualizar perfeitamente as árvores a sua volta, e uma bolinha peluda e possuidora de uma língua, a mesma que o cutucava segundos atrás. Yeng finalmente foi encontrado, estava ao seu lado, em meio a floresta, perdidos como estavam a noite, o sol já era nítido, as árvores o cobriam parcialmente, aparentava ter acabado de nascer, se perguntava o que aconteceu noite passada, tinha haver com vento, costas e... cachorros?

Como chegara no meio da floresta aquela altura do campeonato era algo bem misterioso, até demais. Levantou-se ainda tonto, parecia que havia bebido muito a ponto de cair em um sono profundo e acordou com uma ressaca tremenda. O pequeno filhote estava agitado, como se tivesse acabado de tomar um litro de café, BaekHyun não se encontrava em seu melhor estado, não lembrava de muita coisa, só de ter feito menção de ir a algum lugar, mas algo o impediu, não lembrava o que tenha sido, só a dor em seus braços o lembrava de terem sido apertados.

Caminharam pela floresta sem muita expectativa de achar a praia novamente, mas, para a surpresa dos dois, deram de cara com os fundos da casa em que estavam. Deram a volta até chegar na varanda, a cabana improvisada ainda estava lá, por que não desmontaram? Ainda estavam dormindo?

Chegou perto da porta, e suas expectativas foram atendidas. Estavam todos dormindo profundamente, sendo que havia se passado um tempo desde que amanhecera. Certo?

Percebeu uma leve movimentação em uma das camas, Luhan parecia estar acordando, mas ele apenas se virou para o outro lado e voltou a dormir. Se aproximou do batente e pôs um dos pés para subir

- Bom dia - Assustou-se com uma voz grossa vinda de trás, virou-se quase que em modo de ataque, mas recuou quando percebeu ser Chanyeol

- ‎Me assustou - Riu - Pelo visto é o único acordado - Sentou no chão da cabana - Pensei que os trabalhadores acordavam cedo

- ‎Mas está cedo, cedo até de mais - Sentou ao lado dele - São mais ou menos quatro da manhã, amanheceu a pouco tempo - BaekHyun permaneceu dando voltas naquele comentário, como amanheceu a pouco tempo? Tinha a sensação que tinha ficado na floresta por um bom tempo, só não sabia o por quê

- ‎Então, por que está acordado a essa hora? - Balançava as pernas sentindo seus pés batendo na areia em alguns momentos

- ‎Levantei só para fazer minhas necessidades - Riu - Mas vi que não estava na cama, fiquei preocupado e não consegui mais dormir - Abaixou a cabeça, que só sabia martelar a frase "Parabéns por ser estranho seu otário"

- ‎Eu estava brincando com o Yeng, ele me acordou... - No meio da noite, se dissesse isso teria que explicar como passou tanto tempo fora - a uns instantes, queria brincar, e eu não tive escolha - Riu - Era isso ou dormir sendo lambido - Suspirou bocejando em seguida - Quero dormir mais, esse espertinho me deixou cansado - Apontou para o filhote que brincava com um caranguejo na areia

- ‎Vai lá, vou entrar e fazer um café da manhã, alguns irão acordar com fome - Desceu da barraca (que era um tanto suspensa), voltando para dentro da casa

- ‎Sabe cozinhar? - Subiu na barraca

- ‎O básico, mas por enquanto vá dormir, não quero ninguém caindo de sono no prato - Sorriu

- ‎Tudo bem - Deitou pondo o cobertor sobre si - Bom dia - Riu fechando os olhos

- ‎Bom dia - Fez o famoso sinal de V deixando um BaekHyun sorridente e sonolento para trás


💧


- Que bom que veio nos ver antes de voltar - KangJin mantinha um sorriso como a tempos não fazia

- ‎Eu sempre venho Appa - SuHo não sabia quando as lágrimas começaram a rolar, mas sabia que não era de tristeza

- ‎Você sempre será bem vindo meu filho - SeoJun alisou o rosto do garoto sentindo a sensação maravilhosa que tanto sentia falta. A sensação de seu filho consigo - Sempre - Sorriu segurando para não desabar em prantos - Eu e seu pai estaremos esperando - Um barulho de pancada foi ouvido - E a Min HoLy* também - SuHo sentiu mais um baque no cais, que tremeu e quase se despedaçou-se, foi até a borda encontrando Min HoLy nadando em círculos e dando cabeçadas no pilar de madeira

- ‎HoLy, eu vou voltar, não se preocupe - Sentou no cais levantando uma bolha de água trazendo HoLy para cima - Eu vou voltar quando menos esperar - Colocou a cabeça para fora da bolha, recebendo uma carícia singela de SuHo - Se comporte okay? Não cause problemas e se alimente direito - Sorriu pondo-a de volta no mar, levantou e foi até seus pais, seus amigos já com malas prontas e de mãos dadas, sorriam com aquela cena - Vou voltar quando menos esperarem - Deram um abraço coletivo

Poderia passar o dia descrevendo o quão feliz e sentimental SuHo estava, mas nada é tão bonito quanto uma volta para casa, e nada consegue dizer o sentimento que tem alguém, que superou tudo e todos, para se tornar melhor e mais forte por si só, alguém que é determinado e precioso e cuida de seus amigos, uma mãe embutida para assim dizer. Alguém como SuHo que só queria que as pessoas tivessem orgulho de si, e que conseguiria a todo custo.

Sua família ficou em Lonelian, mandando-lhe boa sorte, e tudo era claro como água, que seu único desejo na vida, era faze-los ter orgulho do filho que tem. Voltaram para a Cidade do Conselho, com dúvidas e realizações, seus últimos minutos nas férias foram os mais felizes de suas vidas, voltariam com certeza quando fosse possível.

E pensar que dois grupos totalmente rivais, que não queriam nem dividir o mesmo ambiente, agora queria mais que tudo passar mais tempo juntos e saber mais sobre tudo, era algo que não podiam discordar, que o destino era a favor deles, e união era sua mais nova lei.


Notas Finais


*Min HoLy: Tubarão fêmea de estimação do SuHo (quem pegar a referência do nome dela ganha um real de bigbig)

Houli shiti, quanta informação, mas a vida é assim ne non

Se houver algum erro me perdoem :')

EU TO FELIZ POR QUE ME DESCOBRI JAEHYUN BIASED E TEM UMA JAEYONG SAINDO DO FORNO JAJA

to só esperando a capista e é nois :3

Amém a todos que favoritam e comentam, amo vocês e desejo muito chocolate e baratissimos do subway em suas vidas

Obrigada por gastarem seu tempo comigo ao invés de estudar pro enem :D

Amo vocês, bju

~XOXO~ *3*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...