História Elementares - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Visualizações 2
Palavras 2.044
Terminada Não
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Adolescente, Luta, Magia, Mistério, Saga, Shounen, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


=> Algo que eu esqueci de dizer nas anotações do cápitulo passado, é que apesar de sair cápitulo novo toda quinta-feira, quando for feriado não terá. Caso haja algo importante aqui e eu não possa fazer o cápitulo, será avisado.

=> Curiosidade: Todos, TODOS os elementares que aparecerem na Fanfic, além da manipulação e criação de seu elemento, terão/tem seus atributos melhorados, como força, velocidade, resistência e etc...Atributos bem superiores a de humanos normais, que podem ser melhorados mais ainda com treinamento.

Capítulo 3 - Força da Terra


''Estava Arthur em sua casa com Elyon, ambos estavam fazendo um trabalho de escola para a matéria do Inglês. Era um cartaz, ambos estavam realizando uma colagem de imagens no cartaz, Arthur estava meio apressado...Por que?''

Arthur: - ''Ow'', da pra andar meio que RÁPIDO PRA CARAL##

Elyon: - Calma ai, tá acabando.

Arthur: - Ata

Elyon: - Cabei, ufa. Trabalho chato.

Arthur: - Beleza, agora a gente tem que comprar as folhas, já que você gastou tudo lá me forçando a imprimir as imagens.

Elyon: - Relaxa, vamo lá.

''Arthur pegou as suas chaves, o dinheiro para comprar os papéis para a impressora e se vestiu apropriadamente para sair e ir na papelaria. O mesmo abriu a porta e esperou Elyon sair, e em seguida foi junto. Ambos iriam pelo mesmo caminho, conversando sobre coisas aleatórias, até enfim, chegar na esquina da papalaria. Arthur e Elyon perceberam algo de errado quando viram um amontoado de pessoas na esquina olhando diretamente a papelaria que eles iriam.''

Arthur: - E garai. Aconteceu algo...Só que não da pra ver nada né, tem gente demais.

''Elyon e Arthur perguntaram para uma pessoa aleatória no local o que estava acontecendo.''

(Homem): - A papelaria estava sendo assaltada, mas um carro da polícia estava fazendo ronda no mesmo momento e passou pela rua. Eles tentaram render os bandidos, mas eles foram mais rápidos e fizeram cinco reféns, agora a polícia está insistindo em fazer os bandidos os soltarem...Eles avisaram que quem tentar entrar na papelaria, terá um refén morto...

Elyon: - Ferrou.

Arthur: - Ah meu rapaz, não ferrou não.

Elyon: - Como assim...É MESMO!

(Homem): - Por que estão tranquilos assim?! Vidas correm riscos!

Arthur: - Elyon, vamo ali, tenho que falar com você.

''Arthur e Elyon se afastaram um pouco do amontoado de gente e então começaram a discutir.''

Arthur: - ''Cê'' tá ligado que se usarmos nossos poderes, vamos ser descobertos né?

Elyon: - AVA. Mas então, o que a gente faz? Tem pessoas inocentes lá dentro, acho que devemos correr o risco.

Arthur: - Concordo...Certo, precisamos bolar um plano, chegar lá pela porta da frente é meio que pedir pra geral morrer.

Elyon: - Eu pensei em duas coisas, algo mais furtivo e algo bem louco.

Arthur: - Fala o furtivo.

Elyon: - A gente poderia passar pelas paredes ao lado da porta, e então quando estivermos do lado da porta, entrar com tudo e atirar fogo e eletricidade.

Arthur: - Plano legal, mas tem dois problemas.

Elyon: - Quais?

Arthur: - Provavelmente a polícia fez uma área que ninguém pode entrar, então não daria pra a gente se ''grudar'' na parede. Além disso, a gente não poderia entrar já disparando poderes, poderíamos acertar algum refén.

Elyon: - É ''verdadiie''

Arthur: - E qual o plano louco?

Elyon: - Esse também não vai dar certo...Eu precisaria saber voar...

Arthur: - Ashuaahsuahsa...Eu sei voar.

Elyon: - Como?

Arthur: - Não sou bem eu que vôo, mas da sim.

Elyon: - Certo...O plano é o seguinte, você voa até ficar em cima do terraço da papelaria.

Arthur: - Beleza, mas não acha que vou chamar a atenção dos bandidos se eu sair voando?

Elyon: - Eu dei uma olhada de relance, e eles estão mais pro fundo, então você só seria visto por quem tá de fora.

Arthur: - Saquei

Elyon: - Se você for igual eu em poderes, você também tem uma força aumentada.

Arthur: - É...Tenho. Você e eu temos atributos superiores de alguém normal, desde quando ganhamos nossos poderes.

Arthur: - Falando nisso, por que invés de você voar, não pula alto até ficar em cima de uma casa e então ir pra cima da papelaria?

Elyon: - Boa ideia, mas você ainda vai invadir.

Arthur: - Por que?

Elyon: - Vou ficar de longe, para caso algum bandido saia, eu atiro um raio nele.

Arthur: - Mas e se ele morrer?

Elyon: - Não vai, eu posso manipular o quanto de eletricidade ele vai receber, mesmo que pareça ser muito, pode ser bem pouco. Eu também pesquisei e vi a quantidade necessária para matar, se eu acertar, no máximo ele vai desmaiar.

Arthur: - Saquei...Beleza...Vou lá.

Elyon: - Boa sorte.

''Arthur, usufruiu de suas habilidades pirocinéticas, aonde criou chamas embaixo de seus chinélos. As chamas não queimaram nada, apenas fizeram Arthur sair do solo, o mesmo já estava em uma altura mais elevada que a de Elyon.''

Arthur: - Partiu

''Arthur então foi rumo ao terraço da papelaria em cima da sua prancha de fogo, na qual deixava um pequeno rastro pelo céu. As pessoas que estavam na esquina da papelaria, começaram a observar o rastro de fogo no céu, curiosos para saber o que era aquilo e por que ia para a papelaria.''

''Finalmente Arthur chegou no terraço da papelaria, aonde pousou no centro do local e cessou suas chamas em forma de prancha, e então esperou Elyon entrar em posição.''

Arthur: >> Será que vai dar certo...? <<

 ''Elyon, vendo que Arthur já estava no local planejado, apenas impulsionou seus solatos e então deu um salto muito alto, aonde um ser humano qualquer não conseguiria realizar. Elyon ficou em cima de uma casa, apenas observando tudo e atencioso a qualquer um que saísse da papelaria.''

''Arthur  viu que Elyon entrou em posição, e então usufruiu de sua super força, aonde com seu pé direito, começou a pisar fortemente no chão (Que era o teto para quem estava dentro da papelaria), aonde começou a rachar aquele local até quebrar. Quebrando chão e caindo dentro da papelaria.''

''Após quebrar o chão/teto da papelaria, Arthur caiu ao lado de um dos bandidos, e como sua velocidade era maior, seu tempo de reação consequentemente também era, assim, após encostar no solo, antes que o bandido ao seu lado pudesse entender o que estava acontecendo, Arthur usou sua perna esquerda, aonde efetuou um chute giratório tão forte na barriga do bandido, que o mesmo foi jogado para fora da papelaria e então acertou uma casa aleatória, o tal ficou inconsciente.''

''Depois de entrar na papelaria e acabar com um dos bandidos apenas com um golpe, Arthur observou o resto do local e então viu que haviam mais quatro deles.''

Bandido 2: - Que merda é essa? Como esse garoto entrou aqui?

Bandido 3: - Ele fez um buraco no teto?! Como?!

Arthur: - Eae galera.

Bandido 4: - ACABA COM ELE!

''Os bandidos restantes apontaram suas pistolas para Arthur, e então se preparam para atirar. Arthur havia visto que no canto da papelaria, haviam pessoas amarradas juntas, com exceção de uma mulher que estava amarrada separadamente das outras pessoas. Os bandidos atiraram praticamente ao mesmo tempo em Arthur, que sendo bem mais rápido e no momento de preparação dos bandidos, o mesmo salto um pouco e desviou das balas.''

[ Anotação: Arthur não é mais rápido que uma bala, ele apenas desviou no momento em que os bandidos se preparam. E também, já tinha visto os reféns antes do momento de preparação. ]

''Arthur caiu no chão, e então, usufruindo de seu poder de fogo, apontou seus palmares para os bandidos (2 e 3), aonde liberou um jato de fogo em cada um. Sem entender o que acontecia e impressionados com aquilo, foram atingidos pelo fogo, mas Arthur fez queimaduras suficientes para que eles apenas não conseguissem se mexer.''

''O bandido(4) olhou com desgosto e medo para Arthur, ele era o mais próximo da mulher que estava amarrada individualmente dos outros reféns. O bandido a pegou e a levou para fora, com a pistola na cabeça da mesma e então ameaçando a todos.''

Bandido 4: - QUEM TENTAR ME IMPEDIR, IRÁ VER A CABEÇA DELA ESTOURAR!

''Elyon vendo o que estava acontecendo, colocou seu palmar destro na altura de sua cabeça e então usufruindo de seus poderes elétricos, lançou um raio exatamente no ombro do bandido, que quando o acertou, não o atravessou e sim eletrocutou o bandido. Elyon havia controlado a eletricidade para que não ferisse a refén, que logo saiu correndo para a polícia.''

[ Anotação²: O raio usado por Elyon é mais lento que um raio natural, tanto que algumas pessoas conseguiram ver de onde veio. ]

''Arthur, ainda dentro da papelaria, levantou seu palmar sestro para os reféns que estavam amarrados juntos, e levantou seu dedo indicador, soltando uma pequena bola de fogo que acertou as cordas e as queimou completamente, sem queimar os reféns, que sairam em direção a polícia.''

''Depois da polífica pegar os reféns e analisarem se eles estão bem, Arthur pegou o pacote de folhas que precisava e colocou o dinheiro no balcão, logo, saiu da papelaria.''

''Mas...Arthur não conseguiu sair tranquilo da papelaria, já que quase todo mundo foi pra cima do mesmo, querendo saber como ele soltou fogo pelas mãos e derrotou a maioria dos bandidos.''

(Homem²): - Como fez isso garoto? Você é incrível!

(Mulher): - Faz de novo!

''Outras pessoas estavam embaixo da casa que Elyon estava, o observando e tentando falar com ele.''

(Homem³): - Jogue outro raio! Nos mostre!

Arthur: - Vai rolar não, nunca nem vi.

''Arthur, sem criar mais conversa, voltou a fazer sua prancha de fogo e foi para a casa onde Elyon estava em cima.''

Arthur: - Vamos dar o fora daqui.

Elyon: - Mas minha bicicleta tá lá embaixo...

Arthur: - Pega lá e vaza.

Elyon: - Beleza.

''Elyon pulou em direção a sua biclicleta, e então montou em cima da mesma, fugindo das pessoas a toda velocidade. Enquanto isso, Arthur voltava pra casa em cima da prancha, já havia despistado as pessoas por ter subido bastante, assim as mesmas não poderiam ver o rastro de fogo.''

------------------------------------------------------- Dois dias se passaram -------------------------------------------------

''Na escola, especificamente na saída, um dos amigos de Arthur e Elyon, Gabriel, chamou ambos para o ''campo'' do colégio, pois queria conversar e mostrar algo. Desde o assalto na papelaria, Arthur e Elyon não sabiam de algo...Eles haviam sido gravados! Por pura coincidência, alguém filmou Elyon liberando o raio e as câmeras da papelaria filmaram Arthur lutando. As filmagens pararam na TV, e foram comprovadas que não eram montagem.''

Gabriel: - Muito bem, já que estão aqui, preciso mostrar algo.

Elyon: - É o que?

Gabriel: - Você viram o noticiário ontem?

Arthur: - Er...Nops

Gabriel: - Eu vi...E vi que vocês tem poderes.

Arthur: >> Gabriel também tem? <<

Elyon: - Não enrola muito não, quando tá falando isso é porque tem poderes também.

Gabriel: - Tá bom, me pegaram nessa.

Arthur: - E são de que?

Gabriel: - Assim...Não são exatamente, mas de terra.

Arthur: - Mostra então.

''Gabriel levantou um pouco seu pé direito e efetuou uma pisada no mesmo lugar, criando assim um 'pilar' de terra abaixo de Arthur, que fez o mesmo subir de altura. O pilar contia três metros.''

Arthur: - QUE SUSTO! AH!

Gabriel: - Isso ai.

''Gabriel abaixou o pilar e fez o solo voltar ao normal.''

Gabriel: - Beleza...É isso.

Arthur: - Só isso?

Gabriel: - Se vocês não tivessem poderes e só eu tivesse, teria mais impacto. Mas eu queria entender como a Química e a Física explicam isso.

Arthur: - Literatura explica fácil.

Gabriel: - ATA

[ Anotação³: Gabriel e Arthur possuem uma espécie de ''rivalidade''. Gabriel apóia 100% exatas, e Arthur, humanas. ]

''Apesar de ser algo incrível, não foi de muita surpresa para Arthur e Elyon, já que um controla o fogo e o outro a eletricidade. Gabriel foi de volta com seu pai para casa, e Elyon foi com Arthur até seu pai chegar de moto, enquanto isso, ambos iam conversando.''

Elyon: - Sabe...Por que você vai andando? Como Gabriel disse, a gente passou na TV, muitas pessoas te viram saindo voando.

Arthur: - Realmente...Mas sabe...Andar é bom.

Elyon: (Risos)

Arthur: - Eu estava pensando...Como nós e nossos poderes apareceram explicitamente na TV, talvez, caso existam, outros de nós podem ter nos visto e querem nos encontrar.

Elyon: - Você está muito certo! Assim como foi com Gabriel.

Arthur: - Realmente...

''O pai de Elyon chegou e ambos foram para casa, suas vidas poderiam ter uma mudança drastica a partir do momento em que derrotaram os bandidos na papelaria...Provavelmente existem outros Elementares...Todos são do bem? Está tudo muito normal...Ainda.''


Notas Finais


=> Eu sei que tá chato, mas é o começo de tudo, TEM que ser chato.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...