História Eleven days of live ( vkook kookV) - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Visualizações 54
Palavras 1.614
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Famí­lia, Festa, Hentai, Lemon, LGBT, Yuri (Lésbica)
Avisos: Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oiê meus coalinhas 🐨
Turu bons espero que sim
Boa leitura meus amores
Fiquem com jinsus
Bjss

Capítulo 1 - Oiê tudo bem


Fanfic / Fanfiction Eleven days of live ( vkook kookV) - Capítulo 1 - Oiê tudo bem


Meu nome é Kim taehyung tenho 21 anos e bem sou filho único meu Appa e minha omma morreram quando ainda muito jovem

bem agora estou numa droga de hospital escutando o médico mais chato do mundo falar comigo

Md— bem senhor Kim o senhor está com câncer raríssimo em um nível altíssimo

Tae— tá tá eo que eu posso fazer para melhorar

Md— sinto muito mas o senhor não se coidou e não a cura - o mesmo fala com um olhar triste

Tae— como assim não tem cura!? - falo não eu berro mesmo — mas me diga quantos dias ?!

— onze dias

— okay obrigado eu vou dar uma volta !

— okay, o senhor já estava liberado mesmo

Dou um leve sorriso e saio da maca arrumo minha roupa e lágrimas querer sair mais luto para não chorar não agora, abro a porta e vejo o doutor chamar outro paciente, saio daquele hospital e vou para uma cafetaria que tinha logo na esquina, abro a porta do local que exalava um cheiro leve de chocolate escuto o sininho da porta soar avisando a todos que eu tinha chegado, mas ninguém me conhece mesmo , me sento em uma das mesas que era perto de uma janela fico vendo todos passarem correndo atrasado para seus empregos, pessoas muito bem engravatadas esbarrando em qualquer um que entra em seu caminho

Saio de meus devaneios pelo garçor que estava parado em minha frente passando sua mão em meu rosto tentando me acordar de meus transe

Garson— moço moço ...... você está bem moço... - ele passava a mão freneticamente na frente de meu rosto e estralava os dedos

— ahh... O-oi..... Me descupe estava distraído - falo meio sem jeito é passava minha mão em minha nuca, escuto um riso baixo do mesmo que me fez corar levemente ~estou parecendo um idiota corado por nada ~ penso

— bem tudo bem.. o que o senhor vai querer hoje ? - o mesmo me pergunta com um sorriso brincalhão em seu rosto mostrando suas lindas covinhas

— hum... Hoje estou morto da fome então me vê um capuccino, uma torta de morango , uma torrada, bolachinhas caseiras, e um suco de morango com leite - falo contando nos dedos parecendo um bobo

— wow.... Está com fome não? - o mesmo fala rindo enquanto anotava tudo o que eu tinha lhe falado em um celular

— estou morrendo de fome ! - digo dando risada junto a ele — suas covinhas são lindas sabia? — falo o encarando e vendo o mesmo dar um sorriso tímido

— obrigado, seu sorriso quadrado lhe deixa muito fofo - o mesmo fala me olhando carinhoso

— EU NÃO SOU FOFO ! - falei fazendo um bico vendo o mesmo apertar minhas bochechas — aperte minhas bochechas de novo ou me chame de fofo que eu vou arrancar seus olhos com uma colher - falo vendo o mesmo que me apertava me encarar com um olhar assustado

— tá bom não está mais aqui quem falou - disse levantando as mãos para o alto em rendimento

— povo abusado - falei massageando o local onde o mesmo tinha apertado — vá lá pegar minha comida que eu estou com fome ! - falei não ordenei

,o mesmo arregalou os olhos e foi buscar meu pedido dei uma risada gostosa e voltei a olhar as pessoas passarem com pressa, escuto o sininho da porta ecoando por toda a cafetaria e olho para a porta e vejo uma criança uma menina com os olhos negros e cabelos curtos com dois rabos de cavalo na cabeça o que deixava a mesma muito fofa, a pequena bochechuda vem em minha direção e me dá um sorriso colocando suas mãos para trás

— moxo você viu meu tio Nam

— não pequena mas como ele é? - pergunto a mesma que me olha com aqueles olinhos grandes e puxados

— ele é.... Alto tem o cabelo roxo e bem ..... Aahhh sim sim ele tem ums buraco na bochecha assim ó - a mesma falava apertando suas bochechas dou uma risada alta e olho a pequena que também ria

— ele sim eu o vi ele está pegando minhas coisas - falo vendo a pequena me olhar curiosa mas antes que ela pudesse falar qualquer coisa o moço de cabelos roxo a pega por trás a levantando no ar fazendo a mesma cair na gargalhada o mesmo a coloca no chão e susura algum em sua orelha a mesma concorda e vai para dentro do estabelecimento,

O mesmo me dá um sorriso e eu retribuo

— bem eu vou pegar suas coisas, me descupe por ela as vezes ela é levada de mais - o mesmo fala dando risada e passando a mão em sua nuca

— a não tudo bem ela é uma graça, o que ela é sua ? - pergunto para o mesmo o vendo ainda sem graça

— minha irma, pois bem vou ir pegar a suas coisas já volto — o mesmo sorri e eu retribuo vendo ele sair de perto da mesa e ir para o balcão pegar minhas coisas logo ele volta com uma bandeja ele coloca tudo em minha mesa e se retira começo a comer a torrada e tomar o suco de morango como algumas das bolachinhas caseiras fico

~ fico pensando só o médico não errou eu sempre me cuido nunca senti bem um sintoma de nada e porque agora do nada me dizem ter apenas onze dias de vida por que agora, eu tenho um trabalho que amo tanto uma casa e minha gata pipoca com quem ela vai ficar, meu Deus minha gatinha sozinha que dó dela, bem o que fazer em onze dias de vida pense tae pense, finja que um apocalipse zumbi coreano está por vim e você só tem onze dias de vida, já sei vou assistir animes jogar videogame, não não a não sei vou apenas viver quem sabe não funciona ~

Saio de meus pensamentos e olho o horário em meu celular marcava exatamente 07:00 tenho que estar no emprego as 09:00 bem tenho duas horas para tudo isso mas vai ser corrido ser fotografado não é fácil mas é uma carreira que eu amo

Volto a comer minhas bolachinhas caseiras e penso em dar uma volta então pego meu capuccino e a bandeja que só contia papéis e vou até o balcão deixo tudo lá menos o meu capuccino logo o roxeado vem em minha direção

— então estou vendo que até engordou - o mesmo falou brincando

— mas que povinho mais abusado, gordo eu na onde - falei me olhando e tentando ver minha barriga

— aqui o - o mesmo saio de volta do balcão e começou a cutuca minha barriga fazendo cócegas caio na gargalhada e vejo o mesmo sorrir e voltar para trás do balcão

— então vai pagar como ?

— dinheiro - falei pegando um punhado de dinheiro

— então ta, deu 22,00 reais

Lhe entrego o dinheiro dou um sorriso para a pequena de cabelos curtos e aceno para o roxedo e vou saindo da cafetaria mas sou parado pelo roxeado me chamando

— ei.. me passa seu número ? - o mesmo falou indo em minha direção

— claro - falei me virando para o mesmo que logo sorrio - ah e prazer meu nome é Kim taehyung - falei estendendo minha mão

— prazer namjoon - o mesmo falou segurando em minha mão me comprimentando - bem coloque seu número aí - ele disse lhe entregando o seu celular eu o pego e coloco meu número entrego o celular de volta para o mêsmo que vê e arregala os olhos

— amorzinho? Ok amorzinho lhe mandarei uma mensagem

— tá bom amorzinho lindo do meu kore - dou uma risada brincalhona e vejo logo meu celular apitar era uma mensagem de namjoon

— okay vi que não mentiu sobre seu número - o mesmo fala guardando o celular e me lançando um sorriso que deixava suas lindas Covas amostra

— e porque mentiria ?!

— a sla mas vou voltar a prabalhar antes que meu chefe chegue e me mate

— okay até mais amorzinho

Dou um tchau para o mesmo e saio da cafetaria tomando meu capuccino estou andando tranquilamente quando esbarro e todo aquele líquido quente se derrama sobre mim é um moço ~POHA MINHA BLUSA NOVINHA ~

— me desculpe foi sem querer eu juro moço

— ah não tem problema - o mesmo fala sorrindo

Fico meio sem jeito então me lembro que tenho um pano e começo a tentar limpar o mesmo que estava caído no chão me ajoelho perto dele e começo a esfregar o pano tentando ajudar mas a merda do líquido só espalhava eu já estava entrando em desesperado começo a suar frio este que as mãos do moço me fazem parar ele se levanta do chão e sorri para mim ainda segurando minhas mãos

— ei calma... Só está a piorar - o mesmo disse rindo

— me descupe e que eu estava nervoso

— okay.. hum... Prazer jeon jungkook e você é

— oh sim... Kim taehyung mas me chame de tae

— ok taetae me chame do que quiser

— vou lhe chamar de kookie

— tá bem eu já estou atrasado para o serviço tenho que ir tchau nos vemos por aí

O mesmo falava olhando as horas e saio correndo o acompanho com o olhar até o perder de vista no meio das pessoas dou um sorriso e vou a caminho para meu trabalho


Notas Finais


BAMNNNNN
Continuo karai
Espero que gostem
11 dias para aprontar


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...