História Em Algum Lugar nas Estrelas - Capítulo 10


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Deidara, Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Hidan, Hinata Hyuuga, Itachi Uchiha, Kakashi Hatake, Naruto Uzumaki, Rock Lee, Sakura Haruno, Sasori, Sasuke Uchiha, Shikamaru Nara, Temari
Tags Hentai, Hot, Naruto, Romance, Sakura, Sasuke, Sasusaku, Shoujo
Visualizações 58
Palavras 3.742
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


* Capítulo Novo *

* Finalmente as duas semanas de provas acabaram e agora é só alegria até o dia da postagem de notas no sistema... hahahaha'

Capítulo 10 - Capítulo 9 - Briga de Rua


“[...] E eu não quero que o mundo me veja

Porque eu não acho que eles entenderiam

Quando tudo é feito para ser quebrado

Eu só quero que você saiba quem sou eu…”

_ Goo Goo Dolls - Íris

 

POV - Sakura

Faziam uns vinte minutos que eu me encontrava sentada na cama olhando para o nada e pensando em exatamente tudo… Faculdade, morte, Hidan, morte, a conversa com Naruto, morte e todos os pensamentos vinham no final com uma pitada de Sasuke Uchiha. 

A verdade era que eu estava me condenando pela noite mal dormida, já que a todo instante vinham relances do show e em como sua voz grave e meio desleixada ficou guardada em minha memória ou como ele ficava bem vestindo aquela droga de terno.

Bufei inconformada com tais pensamentos e me forcei a levantar, indo até o banheiro e tomando um demorado e relaxante banho morno. Em seguida fui para a cozinha preparar uma grande caneca de café que me acompanharia por toda faculdade Já na porta prestes a sair escutei meu telefone tocar e como estava atrasada até pensei em não atender, mas não me dei ao luxo e fui em sua direção.

— Alô?! - Disse com certa má vontade.

— É a senhorita Sakura que está falando? - Uma mulher disse em um tom suave e eu tinha certeza de não ser boa coisa.

— É sim, em que posso ajudar? -Perguntei colocando uma mecha de cabelo atrás da orelha.

— Espere apenas um segundo que a Dr. Tsunade precisa urgentemente falar com você… - Ela disse passando para a linha da doutora e nesse meio minuto eu me arrependi de ter voltado apenas para atender aquela ligação.

— Sakura?! - Tsunade disse com uma voz firme como sempre fora.

— Sim doutora, aconteceu algo?! - Falei sentando-me ao imaginar o pior.

— Talvez… - Ela disse. _ Apenas liguei para dizer que preciso vê-la ainda hoje…

— Ah, eu estava indo para a faculdade… - Disse meio apática pelo susto. _ Andei tendo muitas faltas, não posso mais me dar o luxo e....

— Fique calma, eu lhe darei um atestado para suas primeiras aulas, assim ainda dará tempo de pegar o professor em sala… - Ela explicou-me.

— Ah, mas é que… - Eu tentei me esquivar, mas a loira foi mais ágil.

— Sakura, você não está querendo voltar aqui na clínica não é mesmo? - Ela perguntou como se já me desvendasse.

— Falando a verdade?! Não! - Respondi de forma direta. _ De que me adiantará ir aí se ainda vou morrer?! - Senti que fui grossa, porém era uma realidade a parte.

— Vou te dizer de que adianta… - Ela disse afunilando o tom de voz. _ O que vamos conversar talvez te ajude a viver mais e até sofrer menos quando chegar a hora… Você queria que eu fosse direto ao ponto?! Bem, então estou indo direto ao ponto. Seja uma garota esperta e preze pela pouca vida que lhe resta, pois todos as pessoas que passaram por aqui hoje, sendo essas crianças, mães, pais, avós, irmãos, casais apaixonados… Todas elas não tiveram a chance que você está tendo de viver dias ou meses a mais.

O que Tsunade disse me doeu de tal forma que me afundei no estofado sentindo-me humilhada, mas pudera, fui realmente um ser desprezível ao tratar minha vida com tanto desinteresse.

— Desculpe… - Murmurei envergonhada. _ Eu… Eu estou indo aí.

— Ótimo, estarei a sua espera! - Ela disse com uma voz vitoriosa pela suas palavras terem surtido o efeito desejado.


 

POV - Sasuke

Acordei sentindo uma dor de cabeça na qual eu não desejaria ao meu pior inimigo.

— Droga… - Murmurei rouco pela noite passada tomando um dos travesseiros e tampando meu rosto pensando ter um tempo a mais para dormir… Errado estava, pois o despertador começou a tocar logo em seguida me fazendo querer derrete-lo com a força do ódio… Levantei de muita má vontade e fui fazer minha higiene pessoal criando coragem mentalmente para encarar mais um dia de faculdade.

Entrei debaixo da ducha morna e enquanto a água escorria pelo meu corpo deixei minha mente vagar. E como que em um flash lembrei-me daqueles grandes olhos pousados nos meus. Eu sustentei seu olhar de uma forma altiva na qual fez com que ela corasse entreabrindo os lábios como um convite luxurioso… Sorri de canto, ao saber que o efeito que eu causava nela sempre era o esperado. 

Fechei a ducha, enrolando uma toalha na cintura e seguindo para o meu quarto. Ao terminar de abotoar a calça joguei uma camisa sobre o ombro e  desci as escadas para preparar o café, quando escutei fortes batidas na porta.

“Droga, Narutooooo... Eu tenho campainha, sabia?!” pensei enquanto respirava profundamente massageando as pálpebras e pedindo paz… O que parecia impossível àquela altura. 

Abri a porta e no mesmo instante o loiro passou por mim esbanjando uma aura furiosa, o que me fez ficar um pouco preocupado, já que raramente algo estressava o Naruto pela manhã.

— Sasuke, cadê aquele taco de beisebol que você comprou?! - Ele perguntou vasculhando algumas partes da casa.

— Pra que diabos você quer aquilo?! - Perguntei já imaginando sua resposta.

— Eu vou afundar a cabeça daquele ruivo maldito no chão… - Naruto disse eufórico.

— Tá ligado que eu vendi o taco, não é?! - Menti.

— Porra Sasuke! - Ele exclamou ainda mais irritado passando por mim e ameaçando sair, mas eu o impedi.

— Aeeee, calma moleque… - Disse segurando na gola de sua camisa enquanto o mesmo me encarava bufando como uma besta feroz. _ Dá pra me explicar o que tá rolando?!

— Aquele filho da puta foi até o túmulo dos meus pais durante a noite e pixou as lápides… - Naruto disse empurrando a minha mão com força. _ Ele fez o que nunca deveria ter feito… Eu… Mano, eu vou matar ele…

— Ae Naruto, tu tem certeza que foi ele? - Perguntei fechando a porta atrás de mim.

— E quem mais seria?! - Ele retrucou caminhando de um lado para o outro na minha frente. _ Não acredito que feri tanto sua masculinidade ao dar uma surra naquela cara detestável a ponto dele ter que fazer isso pra se vingar…

— Mano, se tu quer ir lá dar umas porradas nele, eu até vou com você… - Disse afastando-me da porta. _ Te ajudo a bater e tudo, mas tem certeza que é assim que vai querer defender a memória dos seus pais?

— Eu quero fazer ele pagar pelo que eu to sentindo agora… - Naruto me encarou e eu sabia que indo ou não com ele aquela briga aconteceria.

— Ótimo, vou pegar as chaves e a gente procura o infeliz… - Disse dando de ombros.


 

POV - Sakura

Estava sentada esperando pela secretária da Dr. Tsunade que havia saído para informá-la da minha chegada. Sabe aquele momento em que você começa a ensaiar o que dizer para uma outra pessoa?! Eu estava exatamente assim, enquanto folheava uma revista qualquer sobre doces e iguarias americanas, ficava imaginando todas as desculpas que eu poderia lhe dar caso ela pedisse uma internação ou qualquer tipo de procedimento longo e doloroso.

— Senhorita, a doutora está aguardando-a… - A moça disse tirando-me de meus devaneios e esperando que eu a seguisse até o devido local.

Caminhei lentamente, com os olhos fixos a porta resistindo de dar meia volta a cada passo e simplesmente sair aos galopes daquela clínica. 

A porta se abriu vagarosamente e eu passei pela pequena e meiga secretária entrando-me e me acomodando na cadeira ainda sem encarar os olhos da loira obstinada e de uma postura ameaçadora que encarava-me como se soubesse tudo o que eu havia feito de errado no verão passado.

— Bom dia, Sakura! - Ela disse voltando os olhos dedicadamente os papéis em suas mãos.

— B-Bom dia… - Disse num tom de voz arrastado e sem jeito.

— Vamos começar a falar sobre formas de retardar o tumor e diminuir dores futuras ou quer que eu pegue na sua mão e brigue com você como fiz pelo telefone minutos atrás? - Ela disse ironicamente.

Bem, era de se esperar essa atitude da mesma, já que depois de descobrir o tumor simplesmente desapareci da clínica. 

— Senhora… - Chamei-a de uma forma em que a fez levantar os olhos caramelos sobre os papéis friamente. _ Eu peço desculpas por mais cedo, mas de todo modo gostaria de informar que eu não quero nada que…

— Shhhhh… - Ela apontou o dedo indicador para mim. _ Deixe-me adivinhar… Não quer nada que seja doloroso ou que venha lhe prender em uma cama até sua morte?!

Balancei a cabeça levemente em positivo, neste momento Tsunade soltou o ar dos pulmões de uma só vez.

— Não seja tola Sakura… - Ela levantou-se vindo em minha direção e colocando as mãos sobre meu ombro. _ Acha que iria fazer um garota jovem e bonita como você ficar presa até o dia de sua morte em uma cama sem necessidade?! Nunca… Olha, aqui estão… - Ela disse entregando-me alguns papéis.

— O que são? - Perguntei receosa de lê-los.

— Apenas os laudos aos quais deve apresentar a sua faculdade indicando que em qualquer emergência devem ligar diretamente para mim como sua médica responsável, e mais, qualquer risco de não comparecimento seu em sala ou em viagens de turma estará sendo justificado na última lauda como por motivos de saúde.

— E esses pequenos folhetos de medicamentos? - Perguntei lendo-os logo em seguida.

— Ah, são medicamentos teste… - Ela explicou-me gentilmente. _ São alguns medicamentos feitos a base de ervas que estão sendo testados em pessoas com diversos tipos de tumores especiais como o seu… - Ela disse pegando um em especial e mostrando-me. _ Ao sair, passe na recepção e eles lhe entregarão as caixinhas. Por favor, lembre-se de usá-los conforme descrito na bula.

— Tudo bem… - Apenas confirmei balançando a cabeça.

— Anda sentindo alguma coisa? - Ela deu de ombros voltando a se sentar. _ Ou quer me contar alguma coisa?

— Ah, às vezes tenho algumas tonturas e enjoos, mas é apenas isso… Raramente também… - Disse um pouco envergonhada ao imaginar o quão infantil fui antes de entrar na sala de Tsunade.

— Bem, isso é comum… - Ela disse abrindo sua gaveta e me entregando um frasquinho. _ Tome um ao acordar, todos os dias… Vai te ajudar!

Peguei-o sorrindo por sentir que a mesma estava me tratando com um extremo carinho. Sei que isso é seu trabalho, porém, é bom ser tratada como Tsunade faz, dando broncas, aconselhando e no fim até ficando do lado do paciente.

Despedi da mesma indo até a recepção e pegando os medicamentos que faltavam, guardei os mesmos na mochila e segui em direção ao carro que Hidan me deu, ainda estava com certo receio em dirigir algo daquele porte, porém, não iria deixar ele passar os poucos dias que tinha o meu lado na garagem do prédio. Entrei no mesmo me ajeitando na poltrona e seguindo para a faculdade.

Após alguns minutos estava próxima da mesma, até porque eu mal dirigi em toda minha vida, mas o pouco da experiência que tive foi Hidan que me ensinou, então eu era razoavelmente boa no que fazia. 

Ao virar em uma das esquinas, sendo essa sempre menos movimentada, notei um certo tumulto no beco vindo diminuir minha velocidade de forma curiosa. O tumulto estava sendo seguido de alguns garotos que fizeram um cercado tampando a visão da rua para o que estava acontecendo… Depois de muito me movimentar no banco avistei de relance os cabelos loiros de Naruto que tinha os lábios ensanguentados, ao seu lado Sasuke tinha um grande ferimento no nariz e alguns hematomas pelo braço… Eu me contive por meros segundos, até frear o carro completamente e sair aproximando-me do que estava acontecendo, porém, antes de chegar a falar ou fazer qualquer coisa senti as mãos de Temari me alcançarem.

— Não, você fica aqui… - Ela disse me segurando.

— Temari? - Olhei para a mesma que parecia tranquila perante o que estava acontecendo. _ Mas que merda… - Disse ficando um pouco nervosa com sua atitude. _ Eles estão machucados e…

Antes que pudesse continuar apareceram Neji e Shikamaru armados com um bastão de beisebol e um cassetete, me fazendo ter certeza que estavam ali para ajudar.

O grupo de garotos que estavam cercando Naruto e Sasuke se afastaram dando visão e posto de frente para um ruivo que também tinha o rosto bastante ferido e um garoto de cabelos pretos com uma enorme cicatriz de um lado da face, dando a entender que a briga estava sendo apenas entre os quatro garotos.

— Ah, qual é Uzumaki, chamando por mais amiguinhos?! - O ruivo disse em um tom debochado levantando as mãos fingindo uma rendição. _ Não saber resolver os seus problemas sozinho é realmente vergonhoso… Quer dizer, trazer sua putinha, tudo bem… - Ele disse apontando para Sasuke que o olhava com ódio. _ Mas até uma garota, brincadeira...

Os garotos encararam Temari que sentiu desconforto pelas palavras ofensivas do ruivo, no mesmo segundo a loira levantou o queixo em um tom autoritário caminhando um pouco a frente onde Shikamaru e Neji estavam.

— Acha que por eu ser garota não te daria uma boa surra, cuzão?! - Ela perguntou fechando os punhos.

— Ah, talvez sim, mas não brigo com mulheres, neném… - Ele riu dando de ombros. _ Até porque meu problema aqui é com Naruto, não é loirinho?! - Ele disse cuspindo sangue no pé de Naruto que manteve seu olhar fixo no ruivo.

Ao lado o garoto de cabelos pretos olhava a todos com certo desprezo, mas nada disse.

— Acha que tenho medo de você?! - Naruto perguntou. _ Já arrebentei sua cara antes, posso fazer de novo sem problemas, Pain…

— Tá escutando isso, Obito?! - O ruivo voltou-se para o companheiro de cabelos escuros que sorriu sadicamente. _ Ele ainda consegue falar… - Pain disse e no mesmo momento Obito tirou um canivete da cintura abrindo-o e passando a língua sobre a lâmina como que em um ato de intimidar Naruto e Sasuke. Temari vendo aquela cena até ameaçou ir em direção dos mesmos, mas foi interrompida com o bastão de Shikamaru firmado contra seu peito.

— Deixa… - Ele disse sério. _ A gente só se mete se sair do controle.

— Mas… - Ela ameaçou.

— Shikamaru tá certo, fica na sua, loira… - Neji disse fazendo-a voltar dois passos.

Sasuke sorriu para o garoto se colocando na frente de Naruto em uma posição segura.

— Não fode Pain, fala do Naruto, mas sempre anda com seu cachorrinho psicótico do lado… - Disse gesticulando para Obito que rosnou realmente como um animal. _ Por que não me deixa brincar com ele e você resolve as coisas como homem… Sabe, mano a mano?

— Seu merdinha, sempre debochado… - Ele riu levantando o queixo e se esticando como preparo para dar continuidade. _ Obito vai amar rasgar a sua carne e dar de comida para os cães…

— Vamos ver que cachorro vai comer quem hoje... - O moreno respondeu apertando os punho.

Não houve muito espetáculo até que Obito partiu para cima de Sasuke, assim como Pain em Naruto. Os garotos realmente brigavam bem, mas a todo momento imaginava Sasuke sendo ferido pelo canivete ou Naruto espancado por Pain que agora usava um soco inglês.

Sasuke deu uma rasteira em Obito que mal caiu se levantando e ao passar o canivete acertou o braço do mesmo superficialmente, mas fez com que Shikamaru chamasse pela atenção de Sasuke jogando para o mesmo o bastão.

— Agora ele vai se divertir… - Temari disse dando de ombros e aproximando-se de mim mais relaxada.

Eu por outro lado tentava entender o que um bastão tem demais perto de um canivete, mas logo fui surpresa por Sasuke e sua habilidade em usá-lo ao seu favor, o que fez o moreno de cabelos curtos ter problemas durante a briga. Naruto por outro lado demorou mais que Sasuke para pegar o ritmo, mas ao derrubar o ruivo se colocou em cima do mesmo dando vários socos até sentir suas forças se esvaindo e Pain apagando. Sasuke terminou a briga dando um chute no peito de Obito que caiu deixando com que o canivete lhe escapasse da mão.

Em seguida os garotos que estavam observando começaram a se dissipar com frases como “Mais uma vez eles conseguiram” e “Já tá ficando chato isso…”. Ao fundo Neji pegou um celular ligando para o que parecia ser seu pai, sendo que o mesmo era policial. 

Neji contou o ocorrido e seu pai pediu que os meninos saíssem do local o mais rápido, pois Sasuke não podia mais ser intimado ou pegaria prisão por anos. Assim, Neji desligou gritando Naruto que estava entretido amarrando as mãos do ruivo que aguardava a polícia no local.

— Ae, meu pai mandou todo mundo cair fora… - Neji gritou para os meninos que limpavam seus rostos. _ E é pra sermos rápidos e não ir para um mesmo local!!

— Temos a Temari e a Sakura de carro… - Shikamaru disse apontando para mim e só então Sasuke notou que eu estava ali.

Seus olhos pela primeira vez me fitaram de uma forma ao qual não estava acostumada, tinha uma pitada de vergonha mesclada a curiosidade...

— Eu vou levar a motocicleta, até por que se os policiais passarem por nós e ver Sasuke visivelmente machucado vão deduzir na hora que ele teve alguma coisa a ver… - Shikamaru apontou para o loiro que caminhava em nossa direção. _ Naruto você segue com Temari e... - Antes que o garoto de rabo de cavalo dissesse qualquer outra coisa Sasuke passou por mim silenciosamente,  entrando e sentando-se no banco de carona do meu carro com seus olhos fechados, como se desejasse não estar ali.

— Você mora próximo a minha casa… - Ele murmurou abrindos os olhos e encarando-me com uma expressão incerta e a boca entreaberta.

Todos estranharam seu comportamento momentâneo, mas não era hora para nenhuma pergunta, então cada um seguiu por caminhos diferentes, sem causar alarde para a polícia que já estava a caminho.

Já no volante, mantive meus olhos fixos na estrada tentando não causar um desconforto maior do que o que já nos cercava. Ao meu lado Sasuke segurava com uma das mãos o punho como se estivesse sentindo uma dor maior do que o esperado.

— Precisa fazer curativos… - Disse sem encará-lo.

— Não tenho nada pra isso, então vou apenas lavar com álcool e enfaixar… - Ele disse abrindo e fechando o punho. _ Amanhã já deve estar bom.

— Não é assim que funciona. - Questionei-o. _ Vamos passar primeiro na minha casa, assim posso fazer os curati…

— Já disse que não há necessidade. - Ele me cortou, porém estava cansada de seu jeito mandão e grosso.

— Olha, quem está dirigindo sou eu, então vamos fazer do meu jeito. - Disse encarando-o que arqueou as sobrancelhas e se ajeitou quieto no estofado.

O caminho foi curto, logo estávamos na frente do meu apartamento. Sasuke ficou relutante quanto a subir no mesmo, até que eu lhe expliquei que precisava fazer os curativos num ambiente mais confortável e antisséptico, já que o moreno estava bastante machucado. 

Com muito custo ele cedeu subindo as escadas devagar e com certa dor, entrando e sentando-se no meu sofá... Eu até me prestei a ajudar em sua subida, mas não adiantava, sinceramente sua masculinidade era sensível a coisas do tipo, ou ele era somente orgulhoso demais.

— Espera que eu já volto… - Disse indo atrás das ataduras e do kit de primeiros socorros.

Depois de algum tempo retornei à sala me deparando com o moreno deitado sobre meu sofá em um sono que parecia profundo. Caminhei até o mesmo pegando seus pés e colocando em cima do sofá, deixando com que ele se ajeitasse sobre o estofado.

Era até meio engraçado vê-lo assim com semblante tão sereno, já que sempre sua feição era ríspida e mal encarada. Sem muito gracejo, Sasuke se colocou de barriga para cima deixando os lábios entreabertos, fazendo meus olhos tornaram-se obstinados em fixar-se sobre aquele local avermelhado e suculento, logo, todo meu rosto tornou-se quente como brasa. Era a primeira vez em anos que me encontrava sozinha em minha casa com um garoto… Meus pensamentos começaram a aflorar e eu afastei-me sentando no chão a sua frente, apenas o observando por longos e demorados minutos.

Sasuke tinha uma estatura franzina, mas ainda assim, ressalta alguns músculos definidos, o que agregava mais beleza ao seu corpo albino. Os lábios, como dito antes, tinham um tom avermelhado que mais pareciam cerejas... Droga, isso me fez querer senti-los muito mais que antes. Corei tampando o rosto com uma das mãos, enquanto estiquei a outra para tocar-lhe os cabelos que caíam sobre o encosto do sofá e seu alvo pescoço… Esse por si só era um breve convite para que eu acomodasse-me ali. Em seu braço e pude notar que havia uma tatuagem peculiar de uma ave que se sustentava com apenas uma de suas asas, era uma ave majestosa, mas com um semblante infeliz. Suspirei levantando-me ao lembrar do que Naruto havia contado sobre o moreno.

— O quão idiota eu sou por te querer?! – Perguntei-me em pé na sacada da sala, lá fora o vasto sol iluminava toda a cidade, enquanto a indecisão de um sentimento mais que decidido tomava-me pelos braços e me esfaqueava o coração.

Eu já deveria ter me curado dessa enorme obsessão pelo amor, principalmente quando ele era tão incerto, mas pelo jeito as coisas saíram fora de controle… Mais uma vez. 

De um lado a minha razão gritava tão alto que poderia ser ouvida por todos a minha volta, era nítido o seu desespero em me convencer de que aqueles sentimentos pelo garoto ranzinza e marrento não me levariam a lugar algum. E do outro, a emoção sussurrava gentilmente para que eu somente aceitasse que não tinha mais o que fazer, eu era totalmente… Inteiramente… Refém daquele amor idiota.


Notas Finais


* Temari é o meu espirito animal, com certezaaaa!!! hahahaha

* Sakura tá indecisa sobre o moreno e eu no lugar dela só pegava e resolvia essa indecisão depois, namoral... Faz um teste drive no Uchiha primeiro, menina!! ;-)

* SINTAM-SE SEMPRE A VONTADE PARA COMENTAR, QUESTIONAR, ACONSELHAR SE DESEJAREM!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...