1. Spirit Fanfics >
  2. Em busca da fama - Imagine Mark Lee >
  3. Quatro

História Em busca da fama - Imagine Mark Lee - Capítulo 4


Escrita por:


Notas do Autor


Oi meus amores, voltei com mais um capítulo dessa fanfic linda e espero que vocês gostem de verdade. Espero também que vocês deixem nos comentários o próximo membro do nct que desejam ver uma fanfic por aqui.

Boa leitura

Capítulo 4 - Quatro


Mark me olhava com uma carinha confusa, mas o que eu podia fazer, eu precisava mentir para poder sair de casa ou a minha mãe montaria uma mesa de pergunta ali mesmo. 

 

— Agora eu preciso ir ou eu vou chegar atrasada no meu encontro, não é mesmo gatinho? — Sim, ele ficou ainda mais confuso, mas ele me agradeceria depois porque com toda certeza minha mãe ia começar fazer várias perguntas a ele.

 

Eu andava com o menino do meu lado e ele estava completamente calado e isso era estranho pois eu tinha acabado de mentir que tinha um encontro com ele, mas alguma hora ele ia ter que se pronunciar. —  Me explica uma coisa, porque você mentiu para sua mãe? Tipo você tinha algum motivo em específico?

 

— Eu precisava sair de casa e voce foi a unica ideia que apareceu na minha mente, ou de outro modo ela ia me prender em casa e me fazer mil perguntas. Contigo ela não fez pergunta nenhuma pois ela gostou de você a primeira vista, você tem algum feitiço para gostarem de você a primeira vista? — Falei na lata pois o Lee era encantador e todos gostavam dele de primeira, mas sendo encantador desse jeito, quem não gostaria?

 

— Você é tão fofa, eu não sou um feiticeiro mas nao posso fazer nada se sou carismatico. — Ele riu e eu acompanhei, como ele tinha o sorriso mais lindo do mundo. — Você não é a menina que falam na escola, é tão diferente dos boatos.

 

— As pessoas falam que eu sou egoísta e metida, eu sei que brinco de fingir que gostam de mim, mas eu estou correndo atrás dos meus sonhos, é por isso que esses invejosos falam mal de mim. — Em nenhum momento eu menti, as pessoas falam mas no fundo eles queriam ter metade do meu talento. — Eu sou talentosa, diferente desse pessoal fracassado.

 

— Queria ver esse seu talento, por que nao me mostra agora? — Ele queria me ouvir cantar no meio da rua a noite, esse menino é tudo. Eu comecei a cantar e fechei os olhos pois os seus estavam me encarando, era como duas azeitonas pretas e aquilo estava me deixado super nervosa, e eu nunca fiquei assim antes.

 

— Você canta tão bem, sua voz soa semelhante a de um anjo, estou encantado por você. — Ele se aproximava de mim e eu pude sentir a respiração dele e seu cheiro, Amadeirado, deduzi ser o cheiro de seu perfume. Mas ele logo se afastou de mim, poxa por que ele fez isso? Eu queria tanto sentir os lábios dele e saber se era tão bom o quanto era bonito.

 

— Eu também canto, mas meu negócio é o rap, eu tenho um sonho parecido com o seu… meu pai fala que é bobagem mas eu pretendo realizar meu sonho com as minhas conquistas, não quero depender do meu pai. Ele é produtor. 

 

Então o aluno que tem um pai que e olheiro musical é o Mark? Se eu tivesse tanta sorte assim, eu já estaria no auge da fama.







 

No dia seguinte a escola estava estranha, tipo mais do que o normal, todo mundo olhava para a minha cara e eu sussurrei no ouvido do meu irmao — Por que estão olhando pra mim? Eu fiz algo comprometedor?

— Que eu saiba não, você fez e eu não to sabendo?

 

— Claro que nao, eu nao sou tão louca assim. — Eu continuava a andar e ouvimos o sinal da primeira aula e me despedi do meu irmão e fui direto para a sala de química, o professor já estava na sala e quando eu estava passando pela porta eu ouvi uma voz feminina me chamar.

 

— Posso falar contigo? É urgente. —  Miya uma das integrantes do coral falava e ela parecia aflita. 

 

Olhei para o professor e pedi permissão e ele me deu alguns minutos, caminhamos até uma parte do corredor — Desembucha!

 

— Taeyong está espalhando para todo mundo que você “troca favores”, não sei se me entende. — Eu entendia tão bem que eu estava explodindo de raiva, eu queria matar aquele vocalista desgraçado.

 

— Você sabe onde ele está agora?

 

— Na aula de esporte, aposto que ele está com o time de basquete. — Eu nem deixei a menina terminar de falar, eu fui direto para a quadra e vi o mesmo rindo com seus amigos, como Tae era popular.

 

— Eu preciso falar com você. — Entrei na quadra e o puxei pela camisa, que ódio que estava desse garoto. — Por que você fez isso? Espalhou esse boato ridículo? Você desceu em um nível tremendo.

 

— Eu não fiz nada, do que está falando?

 

— Não se faça de sonso, só porque eu não fui transar com você, ai você espalhar esse boato?

 

— Tá eu fiquei triste que você furou comigo, mas eu jamais faria isso com você. — Colocou a mão no meu rosto. — Acredita em mim.

 

— A Miya falou que você está dizendo por aí.

 

— E você acreditou? você não pode ser tão desatenta assim, ela que fez isso, pois eu recusei a ficar com ela e eu disse que te amava. Ela só quer ser você. E eu ainda estou muito decepcionado que você faltou na nossa noite incrível. — Ele me pegou pela cintura e me aproximou ainda mais de seu corpo, fazendo que as outras pessoas da quadra olhasse para o canto que estávamos.

 

— Para por favor, me solta. Não tô no clima! Eu to gostando de outro cara e acho que ele também gosta de mim. — Falei olhando nos olhos dele e fazendo o mesmo soltar minha cintura.

 

— Tudo bem, eu não sou ciumento. — Ele riu baixo e eu murmurei baixo um “chega” em seu ouvido.

 

— É sério Lee, eu to gostando de um garoto agora. Acho que estou apaixonada por ele.

 

— Não vai me dizer que é o novato? Sinceramente Jung o que esse menino tem que eu não tenho? A tempos eu tento te conquistar e ter o seu amor e esse cara que chega agora já ganha seu coração assim?

 

— Não mandamos no nosso coração e nas escolhas que ele faz, Mark é diferente, acho que por isso estou gostando dele.

 

— Tenta mandar no seu coração por favor. — Ele pegou em meu rosto e pude ver as lágrimas saindo dos seus olhos. — Tente me amar.

 

— Eu vou pra aula, depois conversamos. 

 

— Eu sei que no fundo você sente algo por mim, e um dia vai perceber isso.

 

— Eu sinto algo por outro, eu não quero te machucar Lee. Aceita isso, eu não quero te usar.

 

— Eu não me sinto usado. — Ele falava rente ao meu ouvido, e eu só respondi “Sim, eu estou sim.” e virei as costas e sai dali. Fui para a sala de aula caminhando em passos largos, eu queria chegar na sala e focar nas aulas e só isso.

 


Notas Finais


Gostaram? Então deixe seu comentário, adoro ler as opiniões e teorias de vocês. Espero ver vocês aqui nas outras fanfics do perfil.

Amo vocês

Siga meu perfil e leia mais: @JohnLi


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...