1. Spirit Fanfics >
  2. Em Busca Da Minha Filha. (Morrilla) >
  3. Pessoas assim não acrescentam nada

História Em Busca Da Minha Filha. (Morrilla) - Capítulo 17


Escrita por:


Notas do Autor


Oi
Boa leitura ❤️

Capítulo 17 - Pessoas assim não acrescentam nada


Jennifer tira uma caixinha vermelha do bolso.

– Casa comigo? – ela pergunta abrindo a caixinha e deixando um anel de noivado a mostra.

– Você está falando sério, Jennifer? – Lana pergunta sorrindo.

Jennifer confirma sorrindo.

– Claro que eu caso com você! – Lana diz sorrindo e a beija.

Jennifer sorri e finaliza o beijo com um selinho, colocando o anel de noivado no dedo anelar esquerdo de Lana.

– Eu te amo, Lana Maria Parrilla.

– Eu te amo, Jennifer Marie Morrison!

– E eu amo a parede. – Franci diz rindo e vai até a cozinha.

Lana ri de leve, e dá um selinho rápido em Jennifer.


Dias se passam, e Lana finalmente decide levar Franci para ver Fred na cadeia, sabia que a garota sentia falta do moreno, mesmo depois de tudo que ele tinha feito. Afinal, ele ainda era seu pai.

As duas estavam na sala de visitas quando um policial se aproximou junto com Alfredo. 

Franci olhou nitidamente para o pai, o moreno já não tinha mais seus cabelos grandes, agora eles estavam curtos. Alfredo também estava mais magro, e aparentava estar triste.

– Minha menina. – ele diz e sorri de leve, tocando na mão da menina.

Franci puxa sua mão e suspira triste.

– Oi, Fred. – ela diz.

– Eu vou deixar vocês sozinhos. – Lana diz e sai.

Fred olha para a filha, e percebe que a menina estava triste, ele suspira pesado, ela só estava assim por sua causa, se ele não tivesse feito tantas escolhas ruins, nada disso teria acontecido.

– Eu senti sua falta... – ele diz. – Apesar de tudo que eu fiz, você é minha filha e eu te amo!

– Você mentiu pra mim! – ela diz e suspira. – Você tinha me dito que a minha mãe tinha me abandonado, mas isso não é verdade, você me roubou dela! Você colocou uma menina desconhecida na vida da Lana para fingir que era filha dela, você sabia que a minha mãe estava perto de mim esse tempo todo, e nunca me disse nada! – os olhos da menina marejam. – Você fez mal para a minha mãe, fez a minha família sofrer! – ela deixa uma lágrima cair. – Tudo isso a troco de nada!

Fred suspira triste e toca na mão da filha que estava sobre a mesa.

Franci puxa sua mão para perto de seu corpo, estava tão decepcionada.

– Por que você fez tudo isso?

– Eu... Eu não sei.

– Você me separou da minha mãe por quatorze anos, você sabe sim o porquê de você ter feito isso!

– Filha...

– Eu nunca vou te perdoar.

– Por que não? 

– Você machucou uma das pessoas que eu mais amo.

– E eu não sou alguém que você ama?

– É, mas amar não significa aceitar tudo! Você é meu pai, eu sempre vou te amar, mas não quero ter mais nenhum tipo de contato com você, eu só vim te visitar, porque queria saber como você está, mesmo que você tenha me decepcionado, você cuidou de mim desde sempre, e eu amo você. 

Fred sorri de leve.

– Eu me importo com você, eu não deveria, mas me importo.

– Eu sei que você está chateada, e sei que você nunca vai me perdoar por tudo que aconteceu, eu não deveria ter te tirado da sua mãe e ter mentido para você durante todo esse tempo.

– É, você realmente não deveria.

– Só espero que você me perdoe em algum momento.

– Se um dia isso acontecer, você vai saber, não precisa se preocupar.

Ele confirma levemente.

Franci se levanta.

– Preciso ir agora?

– Vai vir mais vezes?

– Eu não sei.

Ele confirma.

A menina suspira pesado e o abraça.

– Tchau... – ela diz.

– Tchau... – ele diz 

Franci sorri de leve e sai.


❦<><><><><><><><>❦<><><><><><><><>❦


Lana e Franci chegam em casa, e a menina se senta no braço do sofá, ela estava chateada com tudo que tinha acontecido, afinal, Fred era seu pai, e era doloroso vê-lo em uma cadeia, ele tinha cuidado dela quando ela era apenas um bebê, e mesmo depois de tudo que ele fez, ele permanecia sendo seu pai, ela não podia mudar isso e nunca vai poder.

– Está tudo bem, filha? – Lana pergunta e toca nos cabelos da menina.

– Está sim, mãe. Só estava pensando.

– No seu pai?

A menina suspira pesado e confirma.

– Eu imagino que esteja sendo difícil pra você.

– Mesmo depois de tudo que ele fez, ele continua sendo meu pai, sabe? É difícil pra mim ver ele na cadeia, eu não queria que isso acontecesse, antes de você aparecer ele era meu herói, entende? Pra mim ele era a melhor pessoa do mundo, e agora, eu percebo que tudo desmoronou completamente, e que nada é como antes agora. – a menina diz e suspira. – Ele é um criminoso, e eu não estou sabendo lidar com isso.

– Vai ficar tudo bem, filha. – a morena diz e envolve a filha em um abraço. – Eu sei que é difícil pra você, mas vai ficar tudo bem.

– E se não ficar? O que eu vou dizer para meus amigos quando eles me perguntarem o que aconteceu pai o meu pai ser preso?

– Amor, se você disser a verdade, e se eles realmente forem seus amigos, eles vão entender.

– Eu não acho que eles realmente sejam meus amigos, talvez eles só falem comigo porque eu sou sua filha.

– Não acho que isso seja verdade.

– Claro que é. – a menina a olha. – Eu nunca fui uma garota de muitos amigos, e isso mudou depois que eu descobri que era sua filha, muitas pessoas começaram a se aproximar de mim. Eu tenho certeza que quando eles descobrirem tudo que aconteceu com o meu pai, eles vão deixar de falar comigo.

– Filha, aqueles que já estavam ao seu lado antes de você descobrir que era minha filha, e antes disso tudo acontecer, aqueles que realmente gostarem de você, vão permanecer ao seu lado. Os que saírem, é porque não gostavam de verdade de você, e só estavam lá por interesse ou algo do tipo, você não precisa se deixar abalar por isso, pessoas assim não acrescentam nada em nossas vidas.

A menina suspira pesado e abraça a morena.

Lana sorri e retribui o abraço, depositando um beijo nos cabelos da garota.

Franci se levanta do sofá.

– Vou tomar banho.

A morena confirma.

A menina sobe as escadas correndo, passando por Jen.

– Finalmente vocês voltaram, fiquei preocupada.

Lana a olha e sorri.

Jennifer vai até ela e lhe dá um selinho rápido.

Lana a abraça.

Jennifer retribui o abraço e deposita um beijinho nos cabelos de Lana.

– Amor da minha vida. – a loira diz sorrindo.

– Você que é o amor da minha.

Jennifer sorri e a beija.

Lana retribui e finaliza com um selinho.

– Eu estava assistindo Dr.House esses dias. – ela diz.

Jennifer a olha, aparentemente surpresa.

– Sério?

– Sim. – Lana diz sorrindo. – Gostei muito da série, e você fica muito linda morena.

– Só morena?

– Você fica linda de qualquer jeito, mas morena é meu ponto fraco.

Jennifer sorri e se senta no sofá.

Lana se senta ao lado dela.

– Faz tempo que eu não vejo aquelas pessoas. 

– Não tem mais contato com elas?

– Tenho, mas não é a mesma coisa.

– Por que não convida elas para o nosso casamento?

– Acha mesmo que elas iriam, Lana? Faz tempo que não nos vemos.

– Essa pode ser uma boa oportunidade para vocês se reencontrarem.

– Talvez. – Morrison suspira.

Lana beija a bochecha dela.

– Tenho certeza que eles ainda têm um carinho por você, é impossível não gostar de você, Jen.

A loira sorri e beija a morena, a deitando no sofá.

A morena retribui ao beijo, e entrelaça suas pernas na cintura de Jen.

Jennifer finaliza o beijo com um selinho.

– Eu te amo. – Lana diz sorrindo.

– Eu também te amo. – Jennifer diz sorrindo.


Notas Finais


Reta final 🤧


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...