1. Spirit Fanfics >
  2. Em busca da paz. (Stlaus-Mpreg) >
  3. Os agregados.

História Em busca da paz. (Stlaus-Mpreg) - Capítulo 2


Escrita por:


Capítulo 2 - Os agregados.


Já fazia um ano que eu havia saído de Beacon, Deaton havia me curado da hemorragia que eu estava sofrendo nesse meio tempo em que eu estou aqui, assim que eu saí de Beacon Hills, sentia como se estivesse me livrando de algo, algo que deixei passar e não havia percebido em momento algum, ainda é um mistério para mim sobre o que é esse negócio.

Mas mudando de assunto, vou fazer um resumo do que me aconteceu nesse um ano. 

Estou morando em New Orleans hoje em dia, me envolvi em bastante confusão por causa de uma família doida daqui. Uma família bem peculiar na verdade. A família Mikaelson, não tenho nada para falar mal deles na verdade, tirando alguns aspectos que me incomodam, as brigas, eles brigam todo santo dia.

Eles me ajudaram e eu os ajudei, passamos por poucas e boas juntos, a primeira pessoa que conheci da família Mikaelson, foi o Kol. 

Ele é divertido, sarcástico, irônico e muito louco, ficamos amigos no meu primeiro dia aqui. Ele invadiu a minha casa querendo se esconder de alguém e eu o à briguei aqui sem questionar muito, tanto que ele virou um agregado. 

E foi aí também conheci a Rebekah, foi no meu quarto dia aqui. Ela invadiu a minha casa como uma louca também, aquela semana estava sendo o dia de invadir a casa do humano aqui. 

Ela estava com o cabelo tão  roxo, mais tão roxo, o cabelo dela estava de umroxo que ultrapassava o limite do cúmulo de roxo, ela estava furiosa com Kol. 

Ela quebrou o pescoço do irmão em uma fração de segundos, e eu só me limitei a rir, ajudei ela a tirar aquela tinta com vinagre e shampoo, ficamos o dia todo para tirar aquela tinta, ela ficou uma semana fedendo a vinagre, mas consegui tirar e viramos bons amigos, valeu a pena cada segundo daquele dia.

Depois eu conheci o Elijah, o irmão elegante e menos surtado da família, pois Rebekah havia virado uma agregada aqui em casa também, Elijah veio aqui com o pretexto de a levar de volta para casa pois o irmão deles, Niklaus, estava com problemas, mas então Elijah de repente virou o terceiro agregado aqui em casa, sem nem um motivo aparente.

Esse povo grudou em mim que nem uns carrapato que não queria me soltar mais, eles não saiam nem se eu imitasse o Shrek fazendo o urro. 

Então, logo depois eu o conheci, ele foi o mais difícil de eu confiar e lidar, ele veio com um pretexto louco de colocar adagas nos meus agregados, olha a audácia desse filho da puta! Mas não paremos por aí, ainda por cima aquele cretino foi um abusado que quase destruiu a minha casa.

Mas eu botei ordem no barraco em dois tempos após virar meu taco na cara dele. Literalmente falando. Se eu pedi desculpas depois? Claro que não. Eu ameacei bater de novo se ele aparecesse novamente na minha casa, ainda mais por cima aparecer daquele jeito, agindo feito um louco. 

Acreditaria se eu dissesse que esse abusado apareceu aqui, uma semana depois com flores me pedindo desculpas pelo modo que nos conhecemos? Se eu bati nele como havia prometido? Com certeza. 

Eu bati nele com aquelas flores, mas Rebekah me tirou de cima dele me sobrando um pouco de dignidade.

Algumas semanas depois, umas bruxas invadiram minha casa atrás dos meus agregados e eu os ajudei a matá-las, essas bruxas são que nem baratas, onde você vai, elas existem, elas me estressam para um caralho, odeio bruxas.

Naquele mesmo dia, eles souberam quem eu era e que fazia parte de uma alcatéia em Beacon Hills pois meu filhote Isaac me ligou pedindo ajuda pois uma horda de caçadores e mercenários haviam ido para Beacon Hills por causa de uma tal de lista negra.

Eu os ajudei por telefone descobrindo quais eram as senhas das listas com a ajuda de Kol, ele sabia acessar e hackear o sistema e descobrimos rapidamente quem era o benfeitor, era uma tal de Meredith, uma banshee que havia descoberto todos os seres sobrenaturais de Beacon Hills quando meu pai Peter estava em coma há cinco anos atrás, ele ficou muito mal naquele dia ao descobrir isso, tanto que ele e meu pai vieram passar uns dias aqui.

Niklaus veio aqui outras vezes tentar se aproximar de mim, foram poucas as vezes em que ele veio aqui para pedir ajuda e eu o atendi, mas logo começamos a nos aproximar aos poucos. Ele vinha aqui, agora sem flores e com o pretexto de apenas sermos amigos, eu não era mais ingênuo e muito menos burro, sabia que tinha algo por trás disso.

Nós começamos a sair aos poucos também, ficamos muito amigos, mesmo eu tendo uma pulga atrás da orelha, ele era legal. Ele se declarou para mim algumas semanas depois de uma de nossas saídas ao cinema e tivemos nosso primeiro beijo quando estávamos voltando para a minha casa, ele tomou o primeiro passo, pois eu nunca teria tomado o primeiro passo por medo e insegurança.

Medo de ser apenas uma ilusão como foi com Derek, insegurança por sentir que ele poderia me deixar a qualquer momento assim como Derek o fez quebrando todos as nossas promessas e destruindo nossos planos, ainda sentia aquela dor no peito de vez em quando. 

Mas depois de sentir o seu gosto, os seus lábios quentes sobre os meus, eu parei de sentir aquela dor. Ela simplesmente desapareceu. Alguns meses depois, Niklaus me pediu em namoro em um dos nossos encontros em sua mansão e tivemos nossa primeira vez onde ele me marcou. 

Eu chorei como uma criancinha aquele dia e contei a ele o motivo de ter vindo pra cá, ele não me julgou, não me olhou com pena, nem nada, apenas me abraçou e disse que tudo iria ficar bem, que ele ficaria ao meu lado independentemente do que eu já havia passado. 

Foi ali que eu me toquei que havia encontrado a minha paz, a minha redenção e a minha perdição. 

Niklaus Mikaelson seria a minha alegria e o causador da minha morte, apenas por dar um lindo sorriso. 

Niklaus contou depois a todos que ele havia me pedido em namoro e me contou que eu era seu companheiro de alma, eu não havia me dado conta até que ele me falou e eu chorei de felicidade o beijando e o abraçando.

Klaus e eu sempre nos víamos pouco depois que eu comecei a fazer faculdade no Quântico do FBI de New Orleans, então ele me pediu em casamento dois meses depois e depois disso tive mais um agregado na minha casa.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...