1. Spirit Fanfics >
  2. Em busca da paz. (Stlaus-Mpreg) >
  3. Nosso momento.

História Em busca da paz. (Stlaus-Mpreg) - Capítulo 3


Escrita por:


Capítulo 3 - Nosso momento.


Já haviam se passado dois anos desde que Niklaus havia me pedido em casamento, dentro desses dois anos estivemos em paz, tanto aqui em New Orleans, como em Beacon Hills também. Fiquei sabendo que Derek havia se casado com Breaden logo após a minha saída da cidade, fiquei feliz por ele, sem mentira alguma, só queria o bem dele, porém, bem distante de mim. 

Meu papai e meu pai Peter haviam se casado sobre a lei sobrenatural, assim como eu havia casado com Nik, mas ambos queríamos nos casar perante a lei humana, assim como eles também. Estávamos organizando e preparando meu casamento nesse momento junto de Rebekah, havia perdido o contato com o Pack aos poucos, não por querer, apenas fomos nos distanciando aos poucos, então apenas consegui informar Scott e Isaac sobre meu casamento.

Iríamos fazer uma surpresa para meus pais naquele dia, essa ideia foi totalmente do Nik, juntar nossos casamentos no dia sem eles perceberam e casarmos os quatro no mesmo dia.

Juro que pensava amar Derek com todas as minhas forças, mas descobri que eu nunca amei tanto uma pessoa como eu amava Niklaus Mikaelson, ele era minha pessoa, ou como ele gostava de me chamar: Meu amor épico. 

Faltava pouco para eu terminar a minha faculdade pelas minhas notas excelentes, eu estava orgulhoso de mim mesmo, eu estava encontrando meu caminho ao lado do meu amor. Ele me ajudava muito nos meus estudos, e em alguns casos que o quântico me passava para as provas de fim de semestre, eu adorava nossos momentos juntos.

Esses dois anos foram maravilhosos, mas eu tinha algo para contar ao Nik, só esperava que ele não me rejeita-se por causa disso, ele já sabia desse dom que eu tinha por causa da minha centelha, mas vivenciar o que eu tinha para falar era outra coisa totalmente diferente.

— Como está meu amor? — Tomei um susto saindo de meus pensamentos com a voz baixa de Nik em meu ouvido.

— Estou bem. — Respondi me virando na cama para o encarar, ele era tão lindo.

— Certeza? Você cheira a ansiedade desde que acordou. — Nik diz e eu sorrio meio nervoso me sentando na cama me encostando na cabeceira e Nik se arrasta se colocando no meio de minhas pernas.

— Tenho, só não sei como será sua reação que tenho que lhe contar. —  Respondi e Nik começou a distribuir beijos em meu pescoço me fazendo soltar um suspiro por estar sensível devido a nossa noite anterior.

— Que tal eu te ajudar a relaxar e aí você me conta? — Nik ofereceu dando me um beijo em meus lábios, me deixando com um sorriso bobo no rosto após se afastar.

— Você sabe que eu não sei lhe dizer não. — Respondo o puxando para mais perto e o beijando com paixão. 

Nik começou a distribuir beijos em meu rosto e desceu os beijos pelo meu torso nu até chegar em minha calça moletom de dormir e a tirar e se enfiar debaixo da coberta.

— Nik, o que está fazendo? — Pergunto rindo, mas logo mordo o lábio inferior ao senti-lo lamber a minha glade e depois soltar um risinho.

— Estou relaxando você, love. — Nik responde e me puxa para eu ficar deitado na cama e senti sua respiração bater em minha entrada.

Quando iria abrir a boca para retrucar senti seu dedo indicador rodear a minha entrada e entrar com facilidade e eu acabei soltando um gemido alto. Senti Nik distribuir beijos entre as minhas coxas e abocanhar meu membro de uma só vez e começar a me chupar sem dó ou piedade. 

Eu mordia a minha mão para não gritar a cada estocada que ele dava em meu interior ao adicionar mais dois dedos e apertei o cobertor, quando estava sentindo que estava perto de chegar ao meu limite o puxei para cima pelos ombros e nos virei na cama ficando por cima dele.

— Não quero gozar assim. — Falei ofegante e notei que ele já se encontrava nu assim como eu, sorri satisfeito e posicionou seu membro em minha entrada e me apoiei em seu peito enquanto sentia ele me abrir lentamente.

Todas as vezes em que nós fazíamos amor era como se fosse a primeira vez, nunca senti apenas prazer, sentia amor envolvido em tudo o que fazíamos, era extraordinário. 

Me inclinei sobre Nik o beijando e sentindo meu gosto misturado com o seu quando ele já estava todo dentro de mim. Ambos acabamos gemendo abafados devido ao nosso beijo quando comecei a me movimentar aos poucos,  separando o beijo, puxei nossa coberta até meus ombros voltando a me inclinar sobre ele o beijando para abafar nossos gemidos.

Nik nos virou na cama ficando por cima e puxou a coberta até estarmos debaixo dela e sorrimos um para o outro.

Senti uma leve quentura atingir em meu baixo ventre e meu interior se contrair e atingir o clímax junto de Nik entanto nos beijamos.

— Está melhor? — Nik perguntou sem se retirar de dentro de mim enquanto dava levamos movimentos me deixando meio aéreo com aquela massagem gostosa em minha próstata.

— Sim. — Respondi passando minhas pernas em sua cintura e acariciando seus fios loiros avermelhados na nuca e puxando de leve seus cachos. — Muito melhor na verdade. — Acrescentei o fazendo rir.

— O que você queria me contar? — Nik me pergunta sem parar seus leves movimentos mas senti meu corpo dar uma leve contraída.

— O que... você acharia de aumentarmos nossa família? — Pergunto calmamente e Nik sorri. 

— Está querendo adotar? — Nik pergunta e eu pondero sobre isso.

— Sim, mas não estou falando só sobre isso, quem sabe mais pra frente? — Sugiro e Nik franziu o cenho.

— Então como assim? — Nik pergunta e eu sorrio sem jeito pegando sua mão a deixando descansar sobre minha barriga.

— Vou repetir. O que você acha de aumentarmos a nossa família? — Pergunto de novo e Nik me olha meio boquiaberto.

— Está falando sério? — Pergunta parando seus movimentos e eu assinto meio nervoso. — Nós vamos ser pais? — Ele pergunta com um olhar que não conseguia decifrar.

—Sim, olha, se você não… — Antes que eu pudesse completar a minha fala Nik me interrompe grudando nossos lábios um no outro e senti algo molhado cair em minha bochecha.

— Eu amo você, amo muito você. — Nik diz e eu percebo que ele estava chorando. — Eu não posso acreditar que seremos pais, eu estou tão feliz, não tenho palavras para dizer o que estou sentindo nesse momento. — Num diz e eu sorrio tentando conter as minhas próprias lágrimas. 

— Eu também amo você. — Respondo o beijando.

— Só me diz que isso não é um sonho ou alguma brincadeira do universo, eu não quero acordar nunca disso se for, ou que essa brincadeira acabe. — Diz quando nos separamos do beijo e eu acabo rindo. — Eu tenho tanto medo que você seja apenas um fruto da minha imaginação e que a qualquer momento eu vou acordar com um tapa na cara e ver que era apenas isso. Um sonho. — Nik diz com um tom quebrado e eu sorrio acariciando seu rosto.

— Não é um sonho, eu estou aqui, conte seus dedos, são cinco meu amor. — Digo pegando sua mão o mostrando que aquilo era real. — Eu estou aqui, não vou te deixar, eu que deveria ter esse medo, medo de você não ser real ou que nossa família não seja real. Amor, eu estou aqui. — Digo o beijando e secando seus olhos. — Eu estou aqui. — Digo o olhando nos olhos.

— Eu te amo tanto. — Nik diz sorrindo bobo.

— Te amo daqui até as estrelas. — Digo e Nik volta a me beijar. 

E mais uma vez nos amamos ansiando pelo dia do nosso casamento e pela chegada do nosso primeiro filho.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...